A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Ciclo celular e câncer- RESUMO

Pré-visualização | Página 1 de 2

Ciclo celular 
e câncer
 
Habilidade de reproduzir: é a característica que melhor 
distingue os seres vivos da matéria não viva 
Continuidade da vida: baseia-se na reprodução das células 
ou divisão celular 
Divisão celular: desempenha papel importante na vida de 
um organismo. 
Ciclo celular: tempo de vida de uma célula desde a 
formação até a divisão 
Funções da divisão celular: -reprodução, crescimento e 
desenvolvimento, renovação tecidual. 
Célula filhas ou irmãs: não implica em parentesco 
Câncer: falha na regulação ou falta de regulação no ciclo 
celular. 
- Genoma: a presença de DNA na célula e sua 
informação genética 
- A replicação e distribuição do DNA são controlados 
porque as moléculas de DNA estão empacotadas nos 
cromossomos 
- A molécula de DNA contém algumas centenas a 
poucos milhares de genes que especificam as 
características herdáveis 
- As proteínas associadas mantem a estrutura dos 
cromossomos e auxiliam no controle da atividade dos 
gene 
- Toda espécie eucariótica tem um número 
característico de cromossomos em cada núcleo celular 
Cada cromossomo, duplicado, possui duas cromátides 
ligadas por complexos proteicos chamados de coesinas 
As partes superiores e inferiores do centrômero são 
chamados de braços 
As cromátides- irmãs se separam formando 
cromossomos individuais para posterior mitose e 
citocinese. 
 
 Fase G2 
- O envelope nuclear circunda o núcleo 
- Dois centrossomo, que organizam os microtúbulos, 
são formados pela replicação de um único 
centrossomo 
- Cromossomos, duplicados durante a fase S, não 
podem ser visualizados individualmente, pois ainda 
não estão condensados. 
 Prófase 
- As fibras de cromatina se tornam mais enroladas, 
condensando-se em cromossomos separados, 
visíveis ao microscópio ótico. 
 – Cada cromossomo aparece com duas 
cromátides-irmãs unidas pelos seus centrômeros e 
coesinas, ao longo de seus braços. 
 – O fuso mitótico inicia sua formação com o 
aparecimento de microtúbulos e ásteres. 
– Os centrossomo se afastam uns dos outros, 
impulsionados pelo aumento do comprimento dos 
microtúbulos entre eles. 
 Prometáfase 
- O envelope nuclear se fragmenta e os 
microtúbulos invadem a área nuclear. 
– Os cromossomos se tornam ainda mais 
condensados, com cinetócoro bem evidente. 
Ciclo celular e câncer 
 
- Os microtúbulos se ligam aos cinetócoros 
empurrando-os em movimentos para frente e para 
trás. 
– Os microtúbulos não pertencentes aos 
cinetócoros interagem com aqueles do polo oposto 
do fuso. 
 Metáfase 
- Os centrossomo estão agora em polos opostos da 
célula 
. – Os cromossomos se reúnem na placa-metafásica 
e se alinham. 
– Para cada cromossomo, os cinetócoros das 
cromátides-irmãs são ligados aos microtúbulos 
vindos de polos opostos 
 Fuso mitótico: 
- Inicia sua formação durante a prófase. Estrutura de 
fibras compostas de microtúbulos e proteínas 
associadas. 
 – A montagem dos microtúbulos do fuso inicia no 
centrossomo 
- Um par de centríolos está localizado no centro do 
centrossomo, mas não são essenciais para a divisão 
celular 
- O fuso inclui os centrossomo, os microtúbulos do 
fuso e os ásteres 
 Anáfase 
- é o estágio mais curto da mitose.: frequentemente 
demora apenas poucos minutos 
– Inicia quando as proteínas coesinas são clivadas.. 
Isso permite que as duas cromátides- irmãs de cada 
par se separem repentinamente 
- Os cromossomos-filhos liberados se movem em 
direção as extremidades opostas da célula à medida 
que os microtúbulos do cinetócoro encurtam. 
- No final da anáfase, as duas extremidades da célula 
possuem coleções equivalentes de cromossomos 
 Encurtamento dos microtúbulos 
 - Proteínas motoras dos cinetócoros conduzem os 
cromossomos ao longo dos microtúbulos, 
despolimerizando as extremidades 
 
 
 . – A medida que as proteínas motoras ligadas aos 
microtúbulos caminham de um para o outro, há gasto de 
ATP e liberação de subunidades tubulina. 
 Telófase e citocinese 
- Dois núcleos-filhos se formam na célula, 
- O nucléolo reaparece e os cromossomos se 
tornam menos condensados. 
 – Os microtúbulos remanescentes 
desaparecem e a mitose está completa. 
- Há uma divisão do citoplasma, de modo que 
surgem duas células-filhas. 
 
Fase de G1: síntese de RNA e proteínas 
1) Frequência da divisão celular varia de acordo 
com o tipo e célula 
2) Celulas epiteliais se dividem durante toda a vida, 
ao passo que células hepáticas permanecem 
em reserva ate surgir uma necessidade 
apropriada 
3) Algumas das celulass mais especializadas, como 
as células nervosas, não se dividem em hipótese 
alguma em um ser humano maduro 
4) Os mecanismos dessa regulação são de intenso 
interesse, principalmente, para entender como 
as células cancerígenas conseguem escapar dos 
controles usuais do ciclo celular. 
 Os mecanismos utilizados pelos seres vivos para 
auto- regulação e sobrevivência são diversos 
 A fosforilação apresenta-se como um mecanismo 
ímpar no controle da sinalização. 
 Alterando a estrutura nativa da proteína ativando e 
inativando. 
- Os eventos sequenciais do ciclo celular são marcados 
por flutuações rítmicas 
- As proteínas quinases são enzimas que ativam ou 
inativam outras proteínas, fosforilando-as 
 
- As quinases estão em concentração constante na 
célula, na maior parte do tempo, inativas 
- Para se tornar ativa, as quinases devem estar ligadas as 
ciclinas por isso são chamadas de CDK (quinases 
dependentes de ciclinas). O complexo quinase + ciclina é 
chamado MPF 
➢ Os picos da atividade do MPF correspondem 
aos picos da concentração de ciclina, aumentam 
durante as fases S e G2 e, então, diminuem 
abruptamente durante a fase M 
➢ As iniciais MPF significam “ fator promotor de 
maturação” 
➢ Ciclinas se acumulam durante G2 se associam 
com as moléculas CDK o complexo MPF 
resultante que fosforila uma variedade de 
proteínas, iniciando a mitose 
➢ Existem também evidências de que o MPF 
contribui para os eventos moleculares 
necessários para a condensação dos 
cromossomos e formação do fuso durante a 
prófase 
➢ O MPF controla seu desligamento e são 
importantes no controle dos diferentes estágios 
do ciclo celular. 
 
 
1) As células animais têm sinais internos de parada 
que interrompem o ciclo celular nos pontos de 
controle ate serem ultrapassados por sinais de 
continuidade. 
2) Esses sinais informam se processos celulares 
cruciais que deveriam ter ocorrido naquele ponto 
foram completados corretamente e , portanto, 
se o ciclo celular deve avançar ou não. 
3) Os três principais pontos de controle estão nas 
fases G1, G2 e M. O ponto G1- chamado de ponto 
de restrição parece ser o mais importante. 
4) Muitas células do corpo humano estão em fase 
G0, como as células nervosas maduras e células 
musculares que nunca se dividem. 
 
 Falta de um nutriente essencial no meio de 
cultura por exemplo, o fator de crescimento 
derivado de plaquetas-PDGF 
 Quando ocorre um ferimento, as plaquetas 
liberam PDGF na volta da ferida. A proliferação 
 
 
resultante dos fibroblastos auxilia a cicatrizar o 
ferimento. 
 Inibição dependente da densidade, fenômeno 
em que células aglomeradas param de se dividir 
 Dependência de ancoragem: sistema de 
controle do ciclo celular via rotas envolvendo 
proteínas da membrana plasmática e elementos 
do citoesqueleto ligados a elas 
 Se algumas células são removidas, aquelas que 
fazem fronteira, sinalizam através de proteínas 
de superfície a dividir-se ate que o espaço vazio 
seja preenchido. 
 
1) As células cancerígenas não atendem aos sinais 
normais que regulam ciclo celular e não param de se 
dividir 
2) Elas podem produzir seus próprios fatores de 
crescimento ou podem ter anormalidades nas rotas 
de sinalização 
3) As células cancerígenas quando param de se