A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Crescimento dos Ossos Maxilares

Pré-visualização | Página 4 de 5

na criança é no côndilo.   
  
No nascimento, a mandíbula está bem retraída em relação                  
à face, o corpo mandibular não está bem definido, os ramos                      
são curtos, os côndilos não têm forma definida e o                    
processo alveolar cresce junto com a irrupção dos                
decíduos. A mandíbula está pouco desenvolvida e, com a                  
amamentação e respiração nasal (principais estímulos),            
tem-se uma normalização desse crescimento.   
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
Crescimento Pós-Natal  
  
Pode-se dividir o crescimento em áreas. A área basal é                    
altamente ligada ao crescimento condilar (principal sítio de                
crescimento da mandíbula). As áreas musculares e a área                  
alveolar crescem por demanda funcional dos músculos e                
dos dentes, respectivamente.   
  
A mandíbula cresce em várias direções, mas tem uma                  
significante direção de crescimento para baixo e para frente                  
fruto de um deslocamento primário e secundário que                
acontece nos côndilos (crescimento posterior e superior).   
  
O tipo de ossificação majoritária da mandíbula é o                  
endocondral (nos côndilos) e intramembranoso no corpo e                
ramo (na verdade, é um crescimento por demanda                
funcional de músculos e dentes de acompanhamento do                
crescimento dos côndilos).  
  
O crescimento dos côndilos precisa ser endocondral, pois a                  
musculatura da mastigação gera uma enorme pressão na                
cavidade glenóide contra o côndilo. Lembrando que o                
crescimento endocondral justamente ocorre em áreas de              
muita pressão e não responde a esses estímulos.   
  
Ortopedicamente, existe um limite enorme para estimular              
ou restringir o crescimento da mandíbula. Restringir o                
crescimento mandibular excessivo possui um prognóstico            
ruim, justamente pelo tipo de ossificação endocondral dos                
côndilos que é pouco influenciado pela ortopedia. Embora                
haja a possibilidade de redirecionar esse crescimento.  
  
Crescimento Vertical e Ântero-Posterior  
Se dá pelo crescimento para cima e para trás do côndilo                      
que gera um deslocamento primário para baixo e para                  
frente. Além disso, tem-se o crescimento da base craniana                  
e da face média que também desloca a mandíbula para                    
baixo e para frente (deslocamento secundário).   
  
AULA 2  
Ortodontia I - 7º período - 2020/1  
Manuella Soussa Braga  
Deslizamento  
Semelhante ao crescimento do túber da maxila, ocorre o                  
deslizamento também na mandíbula. No ramo mandibular              
há uma aposição no bordo posterior e uma reabsorção no                    
bordo anterior do ramo, levando ao aumento do                
comprimento mandibular e espaços para os molares.              
Também gera aumento do perímetro do arco - crescimento                  
transverso (princípio em V de Enlow).   
  
Quando existe essa reabsorção no bordo anterior da                
mandíbula, parte do ramo passa a ser corpo, abrindo                  
espaço para a erupção dos dentes permanentes que está                  
distal aos dentes decíduos.   
  
O crescimento vertical da face se dá pelo deslocamento                  
dado pelo crescimento condilar e também ocorre devido a                  
erupção dentária e crescimento ósseo alveolar. O maior                
limitador para o crescimento vertical é a força da oclusão.                    
Algumas parafunções podem limitar o crescimento vertical              
da face, como o apertamento dentário.   
  
Uma musculatura hipotônica gera um excesso do              
crescimento vertical, pois não limita a erupção dos dentes.                  
Por outro lado, uma musculatura hipertônica limita a                
erupção dentária, fazendo com que a face fique com a                    
característica de braquifacial, resultado de uma deficiência              
no crescimento vertical.   
  
Crescimento Transversal  
O crescimento transversal da mandíbula é muito mais                
complicado e restrito do que o crescimento transversal da                  
maxila. A sínfise mandibular se fecha logo depois do                  
nascimento, aos 6 até 12 meses de idade. É importante                    
saber que não há ganho de espaço para erupção dos                    
dentes sucessores permanentes, o espaço no sentido              
transverso é o mesmo que aquele ocupado por decíduos.                  
Por esse motivo, deve-se preocupar se todas as funções                  
estão normais, para que os dentes decíduos erupcionem no                  
melhor lugar possível, sabendo que os sucessores              
permanentes ocuparão esse lugar. Isso explica o porquê de                  
todo o planejamento que se faz na ortodontia ter como                    
base, em relação a espaço, a mandíbula. O espaço que se                      
tem é o posterior pelo crescimento do ramo.   
  
Restrições à Ortodontia: (1) envelope alveolar é muito mais                  
restrito; (2) é um crescimento endocondral que não é                  
possível controlar; (3) não tem sínfise mandibular viável                
para estímulo de crescimento transverso na troca de                
dentição.   
  
O que de fato fornece o crescimento transversal da                  
mandíbula é o princípio em V de Enlow pelo crescimento                    
condilar e do ramo. Além disso, o crescimento transversal                  
também depende da remodelação da área alveolar que,                
por sua vez, é dente-dependente. Isso significa que as                  
funções da língua e musculatura (como m. bucinador)                
devem funcionar bem para que os dentes se posicionem na                    
base óssea e não haja uma constrição do arco dentário.   
  
Remodelação  
A remodelação ocorre secundária às demandas funcionais              
e é adaptativa ao crescimento das estruturas adjacentes.                
Além disso, também atua promovendo a manutenção da                
morfologia com o crescimento.   
  
Perímetro dos Arcos Dentais  
espaço para irrupção dental  
Na maxila, tem-se ganho de espaço em largura por meio                    
da sutura palatina e ganho em comprimento por meio do                    
túber. Na mandíbula, não se tem o crescimento em largura                    
pela sínfise ( já que esta se fecha com no máximo 1 ano de                          
vida). O que acontece é que se tem uma remodelação                    
alveolar e um aumento em largura na parte posterior por                    
conta do crescimento do ramo (princípio em V de Enlow).   
  
Rotação Mandibular  
Existem características da mandíbula que podem predizer a                
tendência de rotação. Mandíbulas