A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
DERMATOLOGIA lesões elementares docx (1)

Pré-visualização | Página 1 de 1

DERMATOLOGIA
LESÕES ELEMENTARES
A. MODIFICAÇÃO DA COR
Sem modificação da textura
ou relevo;
1) Manchas pigmentares
(discrômicas):
− Relacionada à melanina:
melanodérmica (hipercromia ), ou
leucodérmica (hipocromia e acromia).
– Relacionada aos pigmentos
endógenos (bilirrubinas e caroteno) e
exógenos (antimalárico, prata,
clofazimina, amiodarona, corantes).
2) Manchas
Vasculossanguíneas
Eritema: divide-se em transitório e
permanente.
*Transitório
− Rubor
− Cianose (hgb red > 5 g%)
− Figurado: são os eritemas
desenhados. Ex: eritema crônico
migratório da doença de Lyme;
Eritema giratum repens, paraneoplasia
associada à neoplasia pulmonar;
Eritema marginatum, observado na
febre reumática.
− Enantema: eritema com
acometimento da mucosa.
− Exantema: aparecimento súbito e
com tendência à generalização. Há
dois tipos principais. Morbiliforme ou
rubeoliforme: eritema entremeado
com áreas de pele sã, característico da
rubéola e forma frequente de
farmacodermia. Escarlatiniforme:
difuso e uniforme, próprio da
escarlatina.
− Mancha anêmica: aumento local da
sensibilidade às catecolaminas,
levando à diminuição do aporte
sanguíneo para a região.
*Permanente
− Mancha angiomatosa: aumento do
número de capilares. Com o
acometimento da região de inervação
do nervo trigêmio (ramo oftálmico)-
associado com a síndrome de
Sturge-Weber.
− Telangiectasia: dilatação
permanente do calibre de pequenos
vasos. Pode ser manifestação da
insuficiência hepática na forma
adquirida. Quando acomete mucosa
labial e as extremidades, possível
quadro de telangiectasia hemorrágica
hereditária (doença de
Rendu-Osler-Weber), se complica com
hipertensão pulmonar e sangramento
do trato gastrointestinal.
Púrpura: há extravasamento de
hemácias e não desaparece a
vitropressão.
− Petéquia: lesões puntiformes.
Quando ganham volume (púrpuras
palpáveis), podem ser encontradas nas
vasculites.
− Víbice: petéquias lineares.
− Equimose.
− Hematoma.
B. FORMAÇÕES SÓLIDAS
Pápula: elevação circunscrita palpável
menor que 0,5 cm.
Placa: lesão em forma de disco, por
extensão ou coalescência de pápulas
ou nódulos. Superfície em platô.
Tubérculo: lesão de consistência dura,
elevada com mais de 0,5 cm que deixa
cicatriz ao involuir. Ex: sarcoidose e a
hanseníase.
Nódulo: lesão mais palpável que
visível, maior que 1 cm;
Tumoração: lesão maior que 3 cm.
Pode estar relacionada com doença de
depósito como no tofo gotoso;
Goma: nódulo que sofre evolução em
quatro fases: Endurecimento
(infiltração celular da hipoderme);
Amolecimento (necrose central);
Esvaziamento (fistulização-úlcera);
Reparação (fibrose com cicatriz).
Vegetação: crescimento exofítico pela
hipertrofia das papilas dérmicas.
Podem ser de dois tipos: verrucosa e
condilomatosa.
Doenças ulcerovegetantes, usa-se o
acrônimo PLECCT :
PARACOCCIDIODOMICOSE
LEISHMANIOSE
ESPOROTRICOSE
CROMOMICOSE
CARCINOMA ESPINOCELULAR
TUBERCULOSE
C. LESÕES COM CONTEÚDO
LIQUIDO
Vesícula: conteúdo claro com menos
de 0,5 cm (alguns autores consideram
< 1cm) e intra-epidérmica. Múltiplas
vesículas agrupadas em base
eritematosa, características da
infecção herpética.
Bolha: em abóbada e com mais de 0,5
cm.
Pústula: lesão de conteúdo purulento
até 1 cm. Podem ser sépticas ou
assépticas como na psoríase pustulosa.
Foliculares (foliculite) ou
interfoliculares (impetigo).
Abscesso: coleção purulenta,
proeminente e circunscrita, tamanho
variável, flutuante, dermo-
-hipodérmica ou subcutânea, com
rubor, dor e calor (quente) ou não
(frio).
D. ALTERAÇÃO DA ESPESSURA
Ceratose: espessamento da epiderme
por aumento da camada córnea.
Liquenificação: aumento dos sulcos e
saliências por atrito.
Infiltração: espessamento difuso por
infiltrado inflamatório, tumoral,
infeccioso ou por doenças de depósito.
Relevante a infiltração de áreas frias
como pavilhão auricular na
hanseníase.
Esclerose: endurecimento da pele por
proliferação do tecido colágeno ou do
subcutâneo, tornando o
pregueamento difícil.
Atrofia: diminuição da espessura. Pode
ser superficial (apergaminhada) ou
profunda.
E. SOLUÇÃO DE
CONTINUIDADE DA PELE
Escoriação: lesão superficial linear
traumática.
Erosão: acomete apenas a epiderme.
Exulceração até derme papilar.
Ulceração ou úlcera: acomete toda
derme e/ ou hipoderme.
Fissura: linear e estreita.
Fístula: trajeto linear sinuoso e
profundo com eliminação de
substâncias.
F. LESÕES CADUCAS
Escama: lâminas epidérmicas secas
pelo exagero de ceratina normal ou
defeituosa. Podem ser: − Furfuráceas
ou pitiriásicas (FIGURA 25); −
Laminares.
− Crosta: ressecamento de exsudato.
Pode ser: − Serosa; −
Purulenta/melicérica: cor de mel.
Aspecto do impetigo; − Hemática.
− Úlcera de decúbito: úlcera
secundária à necrose.
G. SEQUELAS
− Cicatriz: reparação conjuntiva e
epitelial da pele traumatizada.
− Atrófica.
− Hipertrófica: acompanha a margem
do insulto traumático.
− Queloide: a lesão prolonga-se além
da margem do trauma.