A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Anatomia do Periodonto

Pré-visualização | Página 1 de 3

Pré-clínica 
 Anatomia do periodonto 
 
Periodonto- divisões 
 
 
Gengiva 
Recobre o osso alveolar e raiz dental estendendo-se 
até a junção amelocementária. 
A gengiva possui variações de cor, tamanho, 
contorno, forma, consistência, textura e posição. 
Cor: A cor da gengiva marginal e da gengiva inserida 
é comumente descrita como rosa coral, resultante 
do suprimento sanguíneo e do grau de 
queratinização. A cor pode variar de acordo com 
características do paciente, por exemplo, que 
apresentam uma pigmentação fisiológica por meio 
da melanina, conferindo a cor amarronzada da 
gengiva. 
A mucosa alveolar é vermelha, lisa e brilhante, 
enquanto a gengiva possui um aspecto rosado e 
pontilhado como “cascas de laranja” (Essa aparência 
da gengiva deve-se principalmente às reentrâncias 
do periósteo) 
Tamanho: Corresponde a soma total do volume dos 
elementos celulares e intercelulares e seu 
suprimento sanguíneo. (As alterações no tamanho 
caracterizam a doença periodontal) 
Contorno: Varia consideravelmente dependendo da 
forma do dente e de seu alinhamento no arco, da 
localização e do tamanho da área de contorno 
proximal e das dimensões das gengivas. 
A gengiva marginal envolve o dente como uma 
espécie de colarinho e segue um desenho recortado 
nas superfícies vestibular e lingual, formando uma 
linha reta ao longo de dentes com superfícies planas. 
Formato: O formato da gengiva interdental é regido 
pelo contorno das superfícies proximais do dente e 
pela localização e forma. 
A altura da gengiva interdental varia de acordo com 
a localização do ponto de contato proximal. 
Na região anterior a papila dental possui forma 
piramidal. Na região posterior ela é mais achatada no 
sentido vestibulolingual 
Consistência: A gengiva é firme, resiliente Com 
exceção da gengiva livre que é móvel. 
Textura superficial: Apresenta textura superficial 
semelhante à de casca de laranja, sendo referida 
Periodonto 
Periodonto de 
proteção 
Gengiva 
marginal 
Gengiva 
inserida 
Gengiva 
interdental 
Periodonto de 
sustentação 
Ligamento 
peridontal 
Cemento 
Osso alveolar 
como pontilhada. A gengiva inserida é pontilhada ao 
passo que a gengiva livre não é. A porção centra da 
interdental é pontilhada, enquanto suas bordas, são 
ligeiramente lisas. Esse pontilhado é menos evidente 
na região sublingual e em alguns indivíduos pode 
estar até mesmo ausente 
O pontilhado é produzido pela alternância entre as 
protuberâncias arredondadas e depressões na 
superfície do epitélio. Além das projeções do tecido 
conjuntivo. Sendo este uma forma de especialização 
adaptativa ou reforço para a função. 
Posição: A posição da gengiva se refere ao nível em 
que a margem da gengiva está aderida ao dente. 
Essa posição pode ser alterada durante processos 
eruptivos. 
Divisão da gengiva 
A gengiva é dividida anatomicamente em três 
partes: 
1. Gengiva marginal ou livre 
2. Gengiva inserida 
3. Gengiva interdental 
Elas possuem características histológica diferentes e 
a espessura diferente, dependendo sempre da sua 
demanda funcional, mas todas servem para proteger 
as demais estruturas contra danos mecânicos e 
microbianos. 
Gengiva marginal ou livre 
É a porção terminal ou borda gengival que circunda 
os dentes em forma de colar. 
É demarcada na gengiva inserida por meio da 
ranhura gengival livre. 
Geralmente mede 1mm de largura e forma a 
parede de tecido mole do sulco gengival. 
Zênite gengival 
É o ponto mais apical da gengiva marginal ou livre, 
em relação ao eixo vertical do dente. 
Ponto de curvatura máxima do contorno da gengiva 
marginal. 
Incisivos laterais costumam apresentar o zênite mais 
simétrico, enquanto os incisivos centrais apresentam 
o zênite mais deslocado para distal. 
O zênite pode ser comprometido por: 
1. Restaurações e próteses iatrogênicas 
2. Posicionamento atípico dos dentes 
3. Doença periodontal destrutiva 
4. Hiperplasias gengivais 
 
Gengiva inserida 
É contínua e progressiva com a gengiva marginal, 
tendo aspecto firme e resiliente, sendo firmemente 
aderida ao periósteo do osso alveolar adjacente. 
O limite entre a gengiva inserida e a mucosa alveolar 
é demarcado pela junção mucogengival. 
Gengiva interdental 
Ocupa a ameia gengival, que é o espaço 
interproximal sob a área de contato interproximal. 
Essa gengiva interproximal pode ter um formato 
piramidal como no caso dos dentes anteriores, ou 
ser mais achatada, tendo um formato mais “col” no 
caso de dentes posteriores. 
Papilas piramidais: a ponta da papila está localizada 
imediatamente sob o ponto de contato 
Papilas em col: Apresentam depressão em forma de 
vale que liga papila lingual na papila vestibular, 
adaptando contato interproximal. 
A forma da gengiva interproximal depende da 
presença ou da ausência de um ponto de contato 
entre os dentes adjacentes e da distância entre o 
ponto de contato e a crista óssea, como citado. 
Quanto maior for a distância entre a crista óssea e o 
ponto de contato, menos possibilidade de existir a 
papila interdental. 
Existência de um diastema pode implicar na falta da 
papila interdental. . 
 
Aspectos microscópicos da gengiva 
 
Epitélio 
 
A principal função do epitélio gengival é proteger as 
estruturas profundas, permitindo o intercâmbio 
seletivo com o ambiente oral, através da proliferação 
e diferenciação dos queratinócitos 
Proliferação dos queratinócitos se inicia por mitose 
na camada basal, migrando em direção às camadas 
mais superficiais. 
Já durante a diferenciação é quando de fato ocorre 
a queratinização desse epitélio, consistindo em 
eventos bioquímicos e morfológicos. 
1. Achatamento da célula com aumento de 
tonifilamentos 
2. Junções intercelulares e produção de 
querato-hialina 
3. Desaparecimento do núcleo. 
Algumas partes do epitélio gengival são 
ortoqueratinizadas (totalmente queratinizado) e 
outras paraqueratinizadas (parcialmente 
queratinizado), à depender da função. 
Células 
Melanócitos- Células dendríticas responsáveis pela 
produção de melanina, conferindo a pigemntação 
fisiológica e proteção. 
Células de Langerhans- Células dendríticas localizadas 
entre os queratinócitos, são fagócitos mononucleares 
(macrófagos residentes). Contém grânulos alongados 
podendo além de fagocitar, reconhecer e apresentar 
antígenos.. 
Células de Merckel- Localizadas nas camadas mais 
profundas do epitélio, abrigando as terminações 
nervosas, estando ligadas às células adjacentes por 
meio de desmossomos. São identificadas como 
perceptores táteis. 
Sulco gengival 
Espaço virtual existente entre a gengiva e o dente, 
livre de inflamação detectável clinicamente. 
Não tem uma profundidade definida 
Delimitada pelo epitélio sucular (que se apresenta 
como um epitélio escamoso estratificado não 
queratinizado, fino e sem prolongamentos, que se 
Gengiva 
Epitélio
Camada 
queratinizada 
Camada 
granulosa
Camada 
espinhosa 
Camada basal 
Conjuntivo 
Fibras 
colágenas 
Fibroblastos 
Vasos 
sanguíneos 
Células de 
defesa 
estende do limite coronal do epitélio juncional até a 
crista da margem da gengiva. 
 
Epitélio juncional 
Origem- epitélio reduzido do órgão do esmalte 
Camadas basal- células cúbicas, com divisões 
celulares ocorrendo 
Camada suprabasal- Longa e orientando-se paralelas 
as superfícies radiculares. 
A relação com o esmalte é estabelecida através de 
hemidesmossomos 
Possui um alto padrão de turn over celular 
Leucócito- encontrados no epitélio juncional mesmo 
na ausência de agressão ao epitélio. 
Células de Langerhans- são células apresentadoras 
de antígeno, constituindo o sistema de defesa 
Essas células são bastante ativas reagindo aos 
estímulos externos e sintetizando citocinas como IL-1 
beta e IL-8, além de moléculas de adesão e fatores 
de crescimento,