A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Células da imunidade inata

Pré-visualização | Página 1 de 1

Victoria Karoline Libório Cardoso 
Células da imunidade inata 
Células pertencentes à imunidade inata: Macrófagos e Monócitos, Neutrófilos, Células dendríticas, 
Natural Killer (NK), Mastócitos, Eosinófilos, Basófilos. 
 
● Macrófago e monócito: 
 
○ Macrófagos - ​É um tipo de célula circulante, estando também no tecido conjuntivo e 
no parênquima dos órgãos. Eles permanecem no tecido por meses ou anos e atuam 
englobando patógenos e células mortas. Assim, eles processam e apresentam 
antígenos via moléculas de MHC. Há também uma subdivisão de seus grupos em: 
macrófagos ativados, de reparo tecidual e reguladores. Além disso, na inflamação, 
eles atuam como APCs, potencializando a ativação de linfócitos T e de linfócitos B 
pela expressão de moléculas coestimuladoras, e liberam citocinas pró-inflamatórias 
como IL-1, IL-6, IL-12, TNF-α e quimiocinas. 
 
■ Macrófagos ativados: ​São os macrófagos “clássicos”, com atividade 
microbicida e tumoricida; secretam citocinas e mediadores 
pró-inflamatórios, apresentam antígenos aos linfócitos e estão envolvidos 
com a resposta imune celular. 
 
■ Macrófagos de reparo tecidual: ​é ativado pela citocina IL-4, ​que estimula a 
multiplicação dos linfócitos B (que produzem anticorpos)​, estando, então, 
envolvidos no reparo tecidual, estimulando fibroblastos e promovendo a 
deposição de matriz extracelular. 
 
■ Macrófagos reguladores: ​Já esse tipo exerce atividade reguladora mediante 
liberação da citocina IL-10, do tipo anti-inflamatória que inibe a síntese de 
citocinas. 
 
○ Monócitos - ​São células de tamanho grande, possuem apenas um núcleo e não tem 
grânulos em seu citoplasma; originam-se na medula óssea. Assim, movem-se para a 
corrente sanguínea e permanecem nela por algumas horas até migrarem para os 
tecidos, onde diferenciam-se em macrófagos. 
 
● Neutrófilos: ​São os leucócitos mais abundantes no sangue, com importante papel nas 
primeiras fases da reação inflamatória e sensíveis a agentes quimiotáticos como produtos de 
clivagem de frações do sistema complemento (C3a e C5a) e substâncias liberadas por 
mastócitos e basófilos. 
 
○ Na resposta inflamatória: é uma das primeiras células a realizar a diapedese, 
atraídos por quimiocinas, como a IL-8, que ​induz a adesão ao endotélio vascular e o 
extravasamento aos tecidos. 
 
○ Ativação: ocorre por diversos estímulos, como produtos bacterianos, proteínas do 
complemento (C5a), imunocomplexos, quimiocinas e citocinas. 
 
○ Capacidade fagocitária: estimulada pela ligação de seus receptores 
para opsoninas de IgG e pedaço de C3b, pela clivagem de C3 no sistema 
complemento. 
 
● Células dendríticas: ​São células especializadas na captura e apresentação de 
antígenos para os linfócitos; podem ser atraídas e ativadas por elementos da 
imunidade inata e viabilizam a sensibilização de linfócitos T na imunidade 
adaptativa. Encontram-se em tecidos periféricos, como pele, fígado e 
intestino, onde captam os antígenos e então se ativam, migrando para os 
linfonodos da região, nos quais processam e apresentam esses antígenos. 
 
○ Células dendríticas inativas capturam antígenos, enquanto as ativas 
apresentam o antígeno em questão. 
 
○ Sinais de maturação: por células NK, moléculas pró-inflamatórias (como 
citocinas, prostaglandinas e interferons) e pelos PAMPs. 
 
○ Atuam também no auxílio da migração de outros tipos de células 
imunes dentro dos linfonodos por secretarem quimiocinas e regulam a 
diferenciação, a maturação e a função de linfócitos T. 
 
○ Detalhe: as células dendríticas chegam no local da inflamação antes 
mesmo dos neutrófilos e elas contribuem para a memória imunológica. 
 
● Natural killer: ​Sua origem é na medula óssea e são importantes na defesa 
inespecífica, reconhecendo e causando a lise de células infectadas por vírus, 
bactérias e protozoários, bem como células tumorais também. Ademais, 
recrutam neutrófilos e macrófagos, ativam células dendríticas e linfócitos T e 
B. 
 
○ A citólise mediada por essas células ocorre pela ação das enzimas 
perforinas, que criam poros na membrana das células-alvo, e 
granzimas, que penetram nas células, desencadeando morte celular 
por apoptose. As células NKs apresentam receptores de ativação e de 
inibição, e o balanço entre os sinais gerados por eles determina sua 
ativação. 
 
● Mastócitos: ​São células derivadas de do tecido hematopoiético na medula 
óssea e geralmente não são encontrados na circulação. Seus progenitores 
migram da medula óssea para os tecidos periféricos como células imaturas e 
se diferenciam de acordo com as características particulares do ambiente. 
 
○ Mastócitos maduros: distribuem-se junto a vasos sanguíneos, nervos e 
sob o epitélio da pele e mucosas. Desempenham papel importante das 
reações inflamatórias agudas, logo estão em grande concentração nas 
áreas de contato com o meio ambiente. 
 
■ Possuem em sua superfície receptores de alta afinidade ligados a 
moléculas de IgE (anticorpo i​mportante na imunidade ativa 
contra parasitas helminto​s) e são ativados pelo reconhecimento 
de antígenos pelas IgEs. 
 
■ Obs: estímulos como produtos da ativação do sistema 
complemento e agentes físicos (trauma mecânico, calor e frio) 
podem ativar os mastócitos independente da ligação de IgE. 
 
● Eosinófilos: ​São células importantes na ação antiparasitária (helmintos), uma 
das mais potentes e eficazes do organismo, nas reações alérgicas e na asma. 
Se desenvolvem na medula óssea, produzindo e armazenando grânulos 
 
proteolíticos antes de sair da medula. Após sua maturação, circulam pela 
corrente sanguínea em pequenas quantidades, podendo ser encontrados em 
maior número nas regiões de mucosas (Ex: trato gastrintestinal, respiratório e 
geniturinário). 
 
○ São recrutados para os sítios de infecções parasitárias e de reações 
alérgicas por moléculas de adesão e quimiocinas. 
 
○ Após ativados, induzem inflamação, mediante produção e liberação do 
conteúdo de seus grânulos. 
 
● Basófilos: ​São granulócitos derivados de progenitores na medula óssea e la 
amadurecem também. Geralmente não são encontrados nos tecidos, mas 
podem ser recrutados para sítios inflamatórios, em conjunto com eosinófilos. 
Seus grânulos apresentam mediadores parecidos aos dos mastócitos. Além 
disso, podem contribuir para as reações de hipersensibilidade imediata.