A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
ODONTOLOGIA HOSPITALAR

Pré-visualização | Página 2 de 2

é a uma das principais causas de 
óbitos neste setor, trata-se de uma infecção resultado de uma tríade, os microrganismos 
presentes no meio hospitalar, a condição em que se encontra o hospedeiro, comprometida 
7 
 
 
ou enfraquecida e a cadeia de transmissão existente no ambiente hospitalar. Assim, essa 
tríade possibilita um risco consideravelmente elevado de infecção hospitalar. 
Nessa perspectiva, a pneumonia nosocomial é desencadeada facilmente devido 
aspiração de patógenos presentes na microbiota oral para os pulmões ou a partir da doença 
periodontal, através da difusão hematológica dos patógenos presentes na microbiota bucal 
(SILVA et al., 2017) 
Tendo em vista o exposto, a necessidade e importância dos cuidados bucais em 
ambiente hospitalar direcionado a pacientes com ou sem ventilação já foi discutida em 
estudos e comprovada. Contudo, atualmente no sistema público de saúde brasileiro, não 
existe um protocolo bem definido de higiene bucal e ainda há a necessidade de estabelecer 
um programa abrangente de cuidados a ser realizado por um profissional odontólogo 
devidamente qualificado (SILVA et al., 2017; WEI; YANG, 2019). 
Em suma, conforme literatura não há recomendações específicas quanto às 
ferramentas adequadas para a realização da higiene bucal em ambiente hospitalar, no 
entanto os estudos revelam que o uso de escovação poderia encontrar uma tendência de 
menor taxa de PAV (WEI; YANG, 2019). Outrossim, a literatura recomenda que seja 
realizada a higienização bucal quatro vezes ao dia para prevenir o ressecamento das 
mucosas, naqueles pacientes com nível de consciência rebaixado ou debilitado (DOS 
SANTOS et al., 2016). 
Portanto, é preciso oferecer ao paciente em UTI um cuidado integral, 
especialmente, sem realizar distinção da boca ao restante do corpo, pois afecções bucais 
podem agravar morbidades sistêmicas e vice-versa. Logo, a presença de um profissional 
da odontologia ajuda a manter a adesão aos protocolos de saúde bucal, além de apoiar e 
dar assistência à equipe para enfrentar as eventuais dificuldades durante os cuidados ao 
paciente, visto que a saúde bucal é essencial para a qualidade de vida e saúde geral de 
indivíduos hospitalizados (BLUM et al., 2017). 
A figura a seguir apresenta a síntese de algumas das principais atividades 
executadas pelos profissionais Cirurgiões-Dentistas em ambiente hospitalar, que vão 
desde a avaliação da presença de biofilme bucal, prevenção e/ou controle da doença 
8 
 
 
PRINCIPAIS ATIVIDADES EXECUTADAS POR CIRURGIÕES-DENTISTAS EM AMBIENTE 
HOSPITALAR
Avaliação da presença de biofilme bucal, prevenção e/ou controle da 
doença periodontal, presença de cáries e halitose. 
Avaliar próteses dentária, revestimento da língua e mucosas, lesões bucais 
precursoras de infecções virais e fúngicas sistêmicas, lesões traumáticas e outras 
alterações bucais que representem risco ou desconforto aos pacientes hospitalizados, 
atentando ao surgimento de uma infecção hospitalar.
Participar também na capacitação dos pacientes, cuidadores e demais profissionais 
de saúde da unidade para a execução correta de técnicas de higiene bucal, assim 
prevenindo o aparecimento ou agravo de doenças bucais comuns que podem levar à 
piora do quadro clínico sistêmico.
Execução de avaliações orais pré-intervenção em indivíduos que serão submetidos a 
transplante de órgãos, como nos casos de transplante de medula óssea e renal, 
também devem receber olhar cauteloso do CD.
periodontal, presença de cáries e halitose até a execução de avaliações orais pré-
intervenção em indivíduos que serão submetidos a transplante de órgãos. 
FIGURA 1: Principais atividades executadas por Cirurgiões-Dentistas em ambiente 
hospitalar. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: Elaborado pela autora, 2021. 
 
 
9 
 
 
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS 
A odontologia hospitalar pode ser definida como um conjunto de ações 
preventivas, diagnósticas, terapêuticas e paliativas em saúde bucal, desenvolvidas em 
pacientes no ambiente hospitalar (internados ou não), ou em assistência domiciliar, em 
consonância com a missão do serviço hospitalar e inseridas no contexto de atuação da 
equipe multiprofissional. 
Nessa conjuntura, em ambiente hospitalar a saúde bucal deve ser notada e 
entendida como relevante para a saúde geral do paciente, neste espaço a interação 
multiprofissional é primordial, incluindo a ação de Cirurgiões-Dentistas, enfermeiros, 
médicos, técnicos e equipes de apoio, coexistindo de forma harmônica e complementar. 
Ou seja, a atuação do profissional Cirurgião-Dentista está em prevenir os 
problemas e reduzir os riscos de infecções, melhorar a qualidade de vida dos pacientes, 
diminuir o tempo que ele permanece internado, mas também reduzir o uso de 
medicamentos. 
Logo, conclui-se que o aspecto de saúde bucal é essencial para a qualidade de 
vida e saúde geral de indivíduos hospitalizados. Durante toda a assistência é necessário 
proporcionar às pessoas um tratamento integral e humanizado, sobretudo sem separar a 
boca do restante do corpo, uma vez que as afecções bucais são importantes fontes de 
agravamento de doenças sistêmicas. Levando em consideração o exposto, a presença de 
Cirurgiões-Dentistas nas equipes multiprofissionais dos hospitais é de extrema 
importância para a implementação de protocolos clínicos de conduta visando tanto a 
prevenção quanto a recuperação da saúde bucal e sistêmica. 
 
10 
 
 
4 REFERÊNCIAS 
BLUM, Davi Francisco Casa et al. A atuação da Odontologia em unidades de terapia 
intensiva no Brasil. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 30, n. 3, p. 327-332, 
2018. 
BLUM, Davi Francisco Casa et al. Influência da presença de profissionais em 
odontologia e protocolos para assistência à saúde bucal na equipe de enfermagem da 
unidade de terapia intensiva. Estudo de levantamento. Revista Brasileira de Terapia 
Intensiva, v. 29, n. 3, p. 391-393, 2017. 
DE, CÂMARA TÉCNICA. Manual De Odontologia Hospitalar. CRO, 2018. 
DE FREITAS-AZNAR, Adriana Rodrigues et al. A bioética no contexto da 
Odontologia Hospitalar: uma revisão crítica. Revista Brasileira de Odontologia, v. 73, 
n. 4, p. 311, 2016. 
DOS SANTOS, Thainah Bruna et al. A inserção da odontologia em Unidades de 
Terapia Intensiva. Journal of Health Sciences, v. 19, n. 2, p. 83-88, 2016. 
SILVA, Isabelle Oliveira et al. A importância do cirurgião-dentista em ambiente 
hospitalar. Rev Med Minas Gerais, v. 27, 2017. 
WEI, Hua-ping; YANG, Kelu. Effects of different oral care scrubs on ventilator-
associated pneumonia prevention for machinery ventilates patient: a protocol for 
systematic review, evidence mapping, and network meta-analysis. Medicine, v. 98, n. 
12, 2019. 
SILVA, Dayane Helen Ferreira et al. Impact of oral hygiene in patients undergoing 
mechanical ventilation in the COVID-19 pandemic. Revista da Associação Médica 
Brasileira, v. 66, p. 96-101, 2020. 
SILVA, Isabelle Oliveira et al. A importância do cirurgião-dentista em ambiente 
hospitalar. Rev Med Minas Gerais, v. 27, 2017. 
RODRIGUES, Anna Luiza Souza; MALACHIAS, Raphael Corrêa; DA FONSECA 
PACHECO, Cinthia Mara. A importância da saúde bucal em pacientes hospitalizados: 
uma revisão. Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo, v. 29, n. 
3, p. 243-248, 2018.