A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Mordida Cruzada Anterior e Posterior

Pré-visualização | Página 2 de 3

rara  
recidiva (desde que estabeleça  
sobremordida correta) e é fixo  
  
desvantagens  
mordida traumática, dificuldade  
temporária de fala e mastigação, a  
força é descontrolada (por isso precisa  
ser rápido e supervisionado) e tem  
risco de trauma   
vantagens   é biológico e efetivo (atraumático),  
melhor alinhamento dentário  
desvantagens   custo, cooperação, uso 24 horas por dia  
CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS  
AULA 9  
Manuella Soussa Braga  
Ortodontia I - 7º período - 2020/2  
Mordida Cruzada Anterior Esquelética  
  
  
É válido lembrar que as características radiográficas devem                
complementar o que foi visto clinicamente. Na mordida                
cruzada anterior esquelética, há alterações nas medidas              
esqueléticas, podendo ser uma deficiência maxilar, excesso              
mandibular ou a combinação destes.   
  
No exame cefalométrico é necessário ter um pouco de                  
atenção, pois na classe III esquelética, a base craniana                  
também pode estar deficiente, prejudicando o ângulo ANB.                
Por isso, é necessário complementar com o AO-BO.   
  
Na cefalometria, também se observa a direção de                
crescimento. Se for horizontal ou harmônico, tem-se um                
prognóstico um pouco mais favorável. Se for vertical, há                  
um prognóstico menos favorável.   
  
  
Observa-se uma relação de classe III entre as bases ósseas                    
e a mordida cruzada anterior persiste em RC e MIH, ou seja,                        
nesses casos, a RC = MIH . Geralmente, essa MCA é                    
generalizada , envolvendo todos os incisivos.   
  
O paciente também apresenta características de classe III                
de Angle (relação de molar de classe III e perfil côncavo).   
  
  
1. Mentoneira  
2. Tração Reversa Maxilar  
a. Máscara Facial  
i. Máscara de Petit  
ii. Máscara de Dellaire  
b. SkyHook  
  
Possuem bom prognóstico em idades precoces (6-7 anos).   
  
Mentoneira.  
Indicada para casos de prognatismo mandibular (classe III).                
A mentoneira exerce uma pressão na mandíbula com o                  
objetivo de contrapor a tendência à classe III na dentição                    
decídua ou mista inicial, descruzar a mordida anterior e                  
restringir e redirecionar o crescimento mandibular. É bem                
difícil restringir esse crescimento condilar (por ser uma                
ossificação endocondral), o que pode acontecer é uma                
discreta melhora por conta de um giro da mandíbula no                    
sentido horário (como se a mandíbula crescesse um pouco                  
mais para baixo do que para frente). O prognóstico é                    
extremamente desfavorável.   
  
Tração Reversa Maxilar.   
Indicada para casos de retrusão/deficiência maxilar (classe              
III). Tem um prognóstico mais favorável, levando em                
consideração a plasticidade da maxila. Outra indicação é                
quando há um prognatismo mandibular suave e moderado.   
  
O objetivo é estimular o crescimento maxilar por meio da                    
máscara facial de Petit, Delaire ou outras opções. Essas                  
máscaras tendem a ter efeitos dentoalveolares.   
  
A SkyHook é uma mentoneira com ganchos, ou seja, uma                    
mentoneira de tração reversa. Pode ser utilizada quando se                  
deseja uma combinação de efeitos (giro da mandíbula e                  
tração da maxila). A vantagem é que é muito mais barata,                      
porém necessita de um pouco mais de atenção pois a                    
mentoneira não pode pressionar a região de incisivo                
inferior.   
  
  
A melhor época para tratamento da MC anterior                
esquelética é iniciar o mais cedo possível, pois quanto mais                    
precoce, maior o efeito esquelético. Ainda, entre 6 a 9 anos                      
é a época em que se tem melhor cooperação e resultados.   
  
Mordida Cruzada Posterior  
  
  
● Respirador Bucal  
● Hábitos Bucais Deletérios  
● Interferências Oclusais  
● Fissuras Palatinas  
● Hábitos Posturais Incorretos  
● Migração do Germe do Dente Permanente  
  
Respirador Bucal  
Características Faciais  
aspecto cansado  
lábios entreabertos  
nariz achatado  
base nasal estreita  
lábio superior hipotônico  
lábio inferior evertido  
CARACTERÍSTICAS RADIOGRÁFICAS  
EXAME CLÍNICO  
TRATAMENTO  
ETIOLOGIA  
AULA 9  
Manuella Soussa Braga  
Ortodontia I - 7º período - 2020/2  
  
quanto à orientação anatômica :  
1. lingual  
2. lingual completa  
3. vestibular (brodie)  
  
quanto à localização :  
1. unilateral  
2. bilateral  
  
  
quanto à etiologia :  
A mordida cruzada unilateral funcional não tratada pode se                  
consolidar em um problema esquelético de assimetria              
mandibular.   
  
Diagnóstico Diferencial das Mordidas Cruzadas  
Posteriores Bilaterais  
  
Levando em consideração as inclinações dentárias            
posteriores e a forma do palato:  
  
Na dento-alveolar, as bases  
ósseas possuem dimensões  
corretas (palato correto) (AB),  
porém as inclinações linguais  
dentárias estão incorretas (CD).   
  
  
Na esquelética, as inclinações  
dentárias estão normais  
(vestibulares) (CD), porém as  
bases ósseas (palato  
atrésico/profundo) possuem  
dimensões incorretas (AB).   
  
Também pode acontecer a combinação dos dois. Trata-se                
do problema mais grave (alteração esquelética).            
Normalmente ao tratar a alteração esquelética, as              
inclinações dentárias alteradas também são tratadas.  
  
Algumas características marcantes de um arco maxilar              
atrésico por etiologia esquelética são: formato em V, palato                  
profundo/atrésico e presença de apinhamento dentário.   
  
Mordida Cruzada Posterior Dentária  
  
  
  
  
  
  
  
CLASSIFICAÇÃO  
  
  
  
  
  
  
unilateral  
  
dentária  
inclinação dentária  
alterada (localizada em 1  
dente)  
  
dento-alveolar  
inclinação dentoalveolar  
alterada (grupo de 2-4  
dentes)  
funcional   desvio lateral de RC  
(relação de topo) para  
MIH (mordida cruzada)  
  
esquelética  
inclinação dentária normal  
e atresia maxilar  
assimétrica  
  
  
  
bilateral  
dentária/  
dento-alveolar  
inclinação dentoalveolar  
alterada em ambos os  
lados  
  
esquelética  
atresia maxilar real e  
inclinação dentária não  
alterada  
TRATAMENTO  
AULA 9  
Manuella Soussa Braga  
Ortodontia I - 7º período - 2020/2  
MC Posterior Dento-Alveolar  
  
  
Para mordidas cruzadas posteriores dento-alveolares,          
utiliza-se os expansores.   
  
Aparelho Removível (Expansão Lenta)  
É removível e cobre pelo menos o centro da coroa dos                      
posteriores. O que define a velocidade