A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
102 pág.
EXAMES

Pré-visualização | Página 8 de 10

mais que 2 cm, distal à 
bifurcação (aspecto em "trilho de trem"); 
e a identificação de via aérea a menos de 
1 cm da superfície pleural 
Existem diversas possíveis causas: Fibrose 
cística,Imunodeficiências (especialmente 
em crianças),Discinesia ciliar primária. Os 
cílios são pequenos, estruturas 
semelhantes a pelos que revestem suas 
vias respiratórias. Eles ajudam o muco 
clara (uma substância viscosa) fora de 
suas vias aéreas.Aspiração pulmonar 
crônica (inalar um objeto por muito 
tempo) 
Infecção respiratória grave: Pneumonia 
grave,Sarampo (pouco 
frequentes),Tuberculose,Infecções 
fúngicas (como Aspergilose)Doenças do 
tecido conjuntivo: Artrite 
reumatoide,,Síndrome de Sjögren,Doença 
de Crohn 
Pneumotórax 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
82 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Circulação pulmonar: têm paredes mais finas, são mais curtos e têm maior diâmetro 
• Circuito de baixa resistência (muito menor que a sistêmica) e alta capacidade 
• Hipertensão pulmonar: alta resistência (constricção da parede arterial) e diminuição da 
capacidade = aumento do trabalho cardíaco. Pressão média da artéria pulmonar é maior 
ou igual a 25 mmHg 
Balanço entre grande derrame 
pleural e atelectasia dopulmão D 
(seta preta) sem significante 
mobilidade das estruturas. O 
coração permanece 
essencialmente na posição 
normal (seta branca) A 
combinação desses achados é 
sugestivo de carcinoma 
broncogenico com derrame 
pleural 
Aneurisma de Aorta 
Calcificação parede (seta 
pontilhada) é comum no 
aneurisma. Contraste se 
mistura com o fluxo sanguíneo 
(seta branca) com exceção da 
parede que contém um 
trombo aderido à parede(seta 
preta) 
Distúrbios circulatórios do 
pulmão 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
83 
 
• Remodelação: hipertrofia da camada média, fibrose íntima, redução das trocas gasosas, 
dispneia e hipoxemia 
• Remodelação, hipertrofia e fibrose com deposição de colágeno tipo IV na lâmina basal e 
aumento da espessura capilar-alveolar 
• Deposição de elastina e fibrilas reticulares 
• Comprometimento troca gasosa (dispnéia) 
• Retrogradamente remodelação arteríolas 
• Estado de vasoconstrição crônica 
• VD hipertrofiado: forma esférica > VE (movimentação anormal septo) com prejuízo função 
VE 
• Demanda O2 excede suprimento dilatação câmara com dilatação anular tricuspide e 
regurgitação por fechamento incompleto da de válvula 
• Resultado: diminuição do débito cardíaco e 
Insuficiência cardíaca direita 
 
 
 
aumento do diâmetro dos 
ramos da artéria pulmonar; 
abaulamento do arco médio; 
aumento das câmaras direitas: 
no perfil há redução do espaço 
retroesternal, que passa a ser 
ocupado pela sombra cardíaca. 
HP 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
84 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Primeiro passo na investigação radiológica 
da suspeita de HAP; 
Achados típicos: aumento do calibre das 
artérias centrais, com rápido afilamento dos 
vasos à medida que progridem para a 
periferia; 
A área cardíaca pode estar aumentada ou 
normal; 
Calcificação vascular: associado a alta RVP; 
Sensibilidade baixa; 
Útil para afastar ou sugerir causas de HAP; 
Radiografia de tórax PA e 
Lateral: tronco pulmonar 
aumentada com arco aórtico 
pequeno associado, nessa 
faixa etária, estaria de acordo 
com um ASD. Os pulmões são 
claras e sem ar sub-
diafragmática livre. 
 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
85 
 
• Ecocardiograma: estima a pressão sistólica da artéria pulmonar. Pressão da artéria 
pulmonar é estimado através da curva espectral com medida da aceleração ... início da 
sístole ao pico de velocidade máxima. PMAP= 79 – 0,45 (TA). Dilatação do AD e VD. 
Confirmação diagnóstica: cateterismo cardíaco. estima a pressão sistólica da artéria 
pulmonar. 
 
 
 
 
 
 
 
 
• TVP: obstrução do fluxo pela formação de trombo em veia profunda dos MMII, veias 
ilíacas e cavas ou MMSS 
• TEP: quando o trombo é liberado na corrente sanguínea e obstrui a circulação arterial 
pulmonar 
• História e exame físico: Pacientes podem não apresentar os sinais clínicos 
• Principais sinais e sintomas da TVP: 
• Dor na panturrilha 
• Sinal de Homans: dor na panturrilha à dorsiflexão dos pés 
• Edema unilateral e perto do local da obstrução (coxas nas tromboses proximais e 
panturrilhas nas distais) quente e pele com hiperemia cianótica 
• Edema é bilateral nas tromboses de veia cava inferior ou iliofemorais bilateralmente 
• Raio X: pode ser normal. 
o Útil para excluir outras causas de dispneia e dor torácica; 
o Alguns sinais radiologicos: Sinal de Hampton: cunha periférica; Fleischner: 
amputação artéria pulmonar 
o Derrame pleural pequeno volume, unilateral 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
86 
 
 
 Sinal de Fleischner 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
87 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
88 
 
 
• Edema agudo de pulmão: 
• Emergência médica: 
• acúmulo anormal de fluidos no compartimento extra vascular pulmonar 
• Hipoxemia 
• aumento do trabalho respiratório 
• diminuição da complacência pulmonar 
• alteração da relação ventilação- perfusão 
• Diagnóstico é clínico 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
89 
 
 
 
• Doença inflamatória aguda de causa infecciosa que acomete o espaço aéreo podendo ser 
causada por vírus, bactérias ou fungos. 
• Agente patogênico deve ser capaz de superar as defesas do organismo em número e 
virulência. 
 
• Grupo de risco: 
• Fumantes 
• Infecção respiratória recente 
• Pacientes com antecedentes de doença pulmonar: bronquiectasias, fibrose cística 
• Pacientes institucionalizados 
• Pacientes hospitalizados 
• Portadores de doenças crônicas 
• Portadores de doenças neurológicas 
• Imunossuprimidos 
• Comunidade 
 
• Doença adquirida fora do ambiente hospitalar ou de unidades especiais de atenção à 
saúde ou, ainda, que se manifesta em até 48 h da admissão à unidade assistencial 
• O diagnóstico baseia-se na presença de sintomas de doença aguda do trato respiratório 
inferior 
• Os achados semiológicos têm apenas acurácia moderada, não permitindo de forma segura 
confirmar ou excluir o diagnóstico de PAC. Contribuem, ainda, para isso, a 
heterogeneidade da pesquisa realizada no exame físico por médicos da atenção primária e 
dos serviços de emergência, bem como a falta de experiência do profissional envolvido em 
comparação com médicos especialistas ou com maior experiência na detecção das 
alterações radiológicas. 
Pneumonia 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
90 
 
• Idosos com PAC podem não apresentar febre e ter sinais e sintomas inespecíficos como 
confusão, dores abdominais, incontinência urinária e descompensação de patologia 
associada 
• Streptococcus pneumoniae (+50% PAC) 
• Raio-X de tórax é fundamental 
• Confirma pneumonia 
• Os exames de imagem têm por objetivo: 
• localização e definição da extensão da doença 
• Complicações: 
• abscesso pulmonar 
• derrame pleural para pneumônico: 25 a 44% dos casos de PAC. 
• Pneumatocele 
• Avaliar evolução e resposta ao tratamento 
 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
91 
 
• Pode existir pneumonia com RX normal: 
o infiltrado retrocardíaco, não visualizado na incidência PA 
o o infiltrado é muito tênue para ser identificado no RX, mas pode ser visualizado 
na TC de tórax 
o técnica incorreta – RX pouco penetrado 
o Podem ser normais em pacientes incapazes de desenvolver resposta 
inflamatória ou no início de processo 
• Padrão lobar: 
o Opacidades homogêneas 
o Tendência a respeitar limites lobares ou segmentares, entretanto se não alcança 
as fissuras apresenta margens irregulares 
o Broncogramas aéreos: mais visíveis quando envolvem a porção central do 
pulmão, perto do hilo 
o Podem produzir