A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
Resumo de antibióticos

Pré-visualização | Página 8 de 9

- Principais indicações: cistite bacteriana, gastroenterite, infecções respiratórias altas, exacerbações do 
DPOC e das bronquiectasias. 
- Idade de uso: a partir de 6 semanas de vida. 
- Apresentações: suspensão oral com 40mg/ml + 200mg/ml (Bactrim®) e com 80mg/ml + 400mg/ml 
(Bactrim® F); Frascos com 50 ou 100ml. Comprimidos de 80mg+400mg (Bactrim®) e de 160mg+800mg 
(Bactrim® F). 
- Dose: duração do tratamento: cerca de 7 a 14 dias. 
 6 semanas a 5 meses: 2,5ml da suspensão a cada 12 horas. 
 6 meses a 5 anos: 5ml da suspensão pediátrica a cada 12 horas ou 2,5ml da suspensão F a cada 
12 horas. 
 6 a 12 anos: 10ml da suspensão pediátrica a cada 12 horas ou 5ml da suspensão F a cada 12 
horas. 
 > 12 anos: 1 a 2 cp de Bactrim ou ½ a 1 cp de Bactrim F, de 12/12h. 
 
 
 
 
 
 
 
Arlindo Ugulino Netto • interMEDRESUMOS 2018 
16 
 
@medresumosoficial 
ANOTAÇÕES 
- Resumo para uso prático dos antibióticos: 
Gram + Cefalexina, Ceftriaxona, Amoxicilina / OBS: Listeria  Ampicilina. 
Strepto Penicilina; Ceftriaxone; Amoxicilina; Azitromicina / OBS: Pneumococo  Não usar penicilina! 
S. aureus S. aureus oxacilina/meticilina sensível adquirida na comunidade (CA-MSSA) ou infecção leve: Cefalexina. 
S. aureus oxacilina/meticilina resistente da comunidade (CA-MRSA): SMZ-TMP, Clindamicina, Doxiciclina. 
S. aureus oxacilina/meticilina sensível nosocomial (MSSA) ou infecção grave: Oxacilina, Ceazolina, 
Nafcilina. 
S. aureus oxacilina/meticilina resistente nosocomial (MRSA) ou alergia (anafilática) a penicilinas: 
Vancomicina (nefrotóxica) ou Linezolida (plaquetopenia) ou Teicoplanina. 
S. aureus resistente à vancomicina (VIRSA): Linezolida, Daptomicina (não tem penetração pulmonar). 
Gram - Cipro ou Genta 
Anaeróbios Metronidazol ou Clinda... Aminoglicosídeos não! 
Pseudomonas Ceftazidima, Cefepime, Levofloxacina, Carbapenêmicos, Piperacilina-Tazobactam. 
Esquemas de 
largo espectro 
em cirurgia 
- Pencilinas (Ampicilina) / Cefalosporinas (Cefalotina): para Gram positivos 
- Cipro/Genta: Gram negativos 
- Metronidazol/Clinda: Anaeróbios 
Infecções 
ginecológicas 
- Pensar em: Gonococo, Clamídia e Anaeróbios. 
- Clindamicina + Gentamicina. 
Neonatologia - Pensar em: S. agalactiae (GBS), Gram negativos entéricos, Listeria, Klebisiela. 
- Ampicilina + Gentamicina 
Hospitalar Pensar em: S. aureus, S. epidermidis (coagulase negativo), Gram negativos hospitalares (Pseudomomas, 
Klebsielas), Fungos (Candida). 
- Vancomicina + Cefepime + Anfotericina B 
VRE - “Enterococo resistente à vancomicina”. 
- Principal opção: Linezolida. 
ESBL - “Beta-lactamase de espectro estendido” / Também apresentam resistência a aminoglicosídeos e 
quinolonas / São mais frequentes em amostras de enterobactérias, como K. pneumoniae e E. coli. 
- Principal opção: Carbapenêmicos (meropenem, imipenem, doripenem e ertapenem). 
KPC - “Klebsiella pneumoniae carbapenemase”: tipo de enzima que atua inibindo carbapenêmicos. Pode ser 
encontrada em bactérias como K. pneumoniae, Pseudomonas sp., E. coli, etc. 
- Opções: Tigeciclina e Polimixina B (seu efeito nefrotóxico limita muito seu uso na prática). 
 
Beta-lactâmicos - Penicilinas: Gram + (menos S. aureus, que são produtores de penicilinases). O benzetacil tem uso 
restrito em faringoamigdalites, profilaxia de febre reumática, piodermites estreptocócicas e sífilis sem 
acometimento do SNC. 
- Amoxicilina e Ampicilina: pneumococo, listeria (ampicilina), etc. 
- Oxacilina: droga mais eficaz contra S. aureus adquirido na comunidade (sensível à meticilina). Usar em 
casos de infecções de pele mais simples, mas que exijam internação. 
- Cefalosporinas: 
 1ª geração (Cefalexina, Cefalotina): Gram +. 
 2ª geração (Cefuroxime): Gram + e alguns Gram -. 
 3ª geração (Ceftriaxona, Ceftazidime): Gram - (principalmente) e, em menor proporção, Gram +. 
A Ceftadizime cobre pseudomonas. 
 4ª geração (Cefepime): amplo para Gram + e Gram - (incluindo pseudomonas). 
- Carbapenêmicos (Imipenem e Meropenem): Gram +, Gram -, anaeróbios, pseudomonas e germes 
ESBL. O imipenem pode causar convulsão (o meropenem causa menos). 
- Monobactâmicos (Aztreonam): = aminoglicosídeos. 
- β-lactâmicos + inibidores de beta-lactamase: 
 Ampicilina-sulbactam: infecções graves por Gram + e anaeróbios. 
 Amoxicilina-clavulanato: = ampicilina (Gram +), anaeróbios e Gram -. 
 Piperacilina-tazobactam: bom para Gram + (inclusive enterococos), Gram - (inclusive 
pseudomonas) e anaeróbios. 
Glicopeptídeos - (Vancomicina e Teicoplanina): antibióticos de escolha para o tratamento de MRSA. Não cobrem o S. 
aureus VIRSA nem o VRE (estes são cobertos pela Linezolida). 
Aminoglicosídeos - (Gentamicina, Neomicina): ótimos para Gram -, péssimos para Gram + e pior ainda para anaeróbios. 
São nefrotóxicos e contraindicados na gestação. 
Polimixinas - Cobrem Gram -. Reservados para germes da grande resistência. Muito nefrotóxicas! 
Imipenem: Gram negativos e anaeróbios 
Arlindo Ugulino Netto • interMEDRESUMOS 2018 
17 
 
@medresumosoficial 
Quinolonas - (Cipro, Moxi, Norflo, Levofloxacino): cobrem Gram – e um pouco de Gram + (Fluorquinolonas). 
Tetraciclinas - Cobre pneumococo e Haemophilus. A doxiciclina cobre rickettsioses e clamídia (uretrites e cervicites). 
Macrolídeos - (Azitromicina, Eritromicina, Claritromicina): cobre bem Gram +, germes atípicos da pneumonia, cocos 
Gram - (gonococo e meningococo), Treponema pallidum (agente da sífilis). 
Lincosamidas - (Clindamicina): cobre germes anaeróbios. Causa diarreia (colite pseudomembranosa, por exemplo). 
Sulfonamidas - (SMZ/TMP, Sulfadiazina): Gram + e -. 
Oxazolidonas - (Linezolida): MRSA, VIRSA, VRE (germes resistentes à vancomicina). 
 
- Um a mais sobre antibióticos indicáveis para MRSA... 
 A daptomicina tem baixa penetração pulmonar; 
 A linezolida apresenta boa penetração pulmonar, porém pode associar-se a desenvolvimento ou piora de 
plaquetopenia; 
 A vancomicina possui boa atividade para pneumonia, porém pode estar implicada no desenvolvimento de 
nefrotoxicidade; 
 A tigeciclina tem melhor ação em infecções abdominais e de pele e partes moles, com penetração pulmonar 
questionável, além de poder associar-se a trombocitopenia. 
 A teicoplanina apresenta efetividade para pneumonia sem implicar em redução da contagem de plaquetas ou piora de 
função renal. 
 
- Guarde a seguinte regra para infecções por germes anaeróbios: acima do diafragma, preferir clindamicina (só se usa 
metronidazol em abscesso cerebral); abaixo do diafragma, preferir o metronidazol. Em infecções cutâneas e respiratórias, 
preferir clindamicina. Outros antibióticos com cobertura para anaeróbios são: Meropenem (não são utilizados com esse intuito 
pois são guardados para infecções mais graves com cepas resistentes) e Vancomicina (uso restrito para bactérias Gram positivas 
resistentes à Meticilina/Oxacilina). OBS: Os aminoglicosídeos, em contrapartida, classicamente não são ativos contra 
anaeróbios. 
- Os bacilos gram-negativos produtores de betalactamases de amplo espectro (ESBL) geralmente acometem pacientes com 
internação prolongada em UTI, portadores de sonda vesical de demora e tratados com cefalosporinas de amplo espectro. Entre 
as bactérias mais associadas a esse tipo de resistência, estão: Escherichia coli e Klebsiella pneumoniae. 
- A cefoxitina tem boa ação contra anaeróbios, sendo indicada para profilaxia de cirurgia do cólon para reduzir a infecção pór-
cirúrgica. 
- Os enterococos são organismos comensais e colonizam o trato gastrointestinal humano e genital feminino. O paciente, uma 
vez colonizado por enterococo resistente a vancomicina (VRE), pode permanecer portador do VRE por anos (diferentemente de 
outras bactérias multirresistentes). O uso prévio de antibióticos como a vancomicina e a cefalosporina está relacionado com o 
surgimento do VRE.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.