A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
Causas de descarte e bolsas de sangue e seu custo financeiro

Pré-visualização | Página 1 de 7

(
INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO E EMPREENDEDORISMO
GWAZA MUTHINE
LICENCIATURA EM ANÁLISES CLÍNICAS E LABORATORIAIS
CHÁNIA CELESTE MUSSAGY
CAUSAS DO DESCARTE DE BOLSAS DE SANGUE 
E SEU CUSTO 
NO BANCO DE SANGUE DO HOSPITAL CENTRAL DE MAPUTO: PERÍODO DE MAIO À JUNHO DE 2021
MARRACUENE
JUNHO 
/ 2021
)
i
 (
CHÁNIA CELESTE MUSSAGY
CAUSAS DO DESCARTE DE BOLSAS DE SANGUE E SEU CUSTO NO BANCO DE SANGUE DO HOSPITAL CENTRAL DE MAPUTO: PERÍODO DE JUNHOÀ JULHO DE 2021
Trabalho de fim-do-curso, apresentado ao Instituto Superior de Gestão e Empreendedorismo Gwaza
 
muthini – ISGEGM, como requisito parcial para obtenção do grau de licenciatura em Análises Clínicas e Laboratoriais sob orientação de
 J
o
rge Manuel Lúci
o
.
Supervisor: Prof. MSc
. 
Jorge Manuel Lúcio
MARRACUENE
MAIO
 / 2021
)
33
LISTA DE ABREVIATURAS
AABB Associação Americana dos Bancos de Sangue;
BSHCM	Banco de Sangue Hospital Central de Maputo;
CRIO		Crioprecipitado;
CH		Concentrado de Hémacias;
CP Concentrado de Plaquetas;
CIBS 		Comité de Bioética para Saúde; 
PFC		Plasma Fresco Congelado;
ST		Sangue Total;
SPSS Pacote Estatístico de Ciências Sociais
LISTA DE TABELAS
Tabela 1: Armazenamento e características de hemocomponentes ...........................................8
Tabela 2: Material de colheita de sangue ……………………………………………………….10
Tabela 2: Material de colheita de sangue……………………………………………………….12
Tabela 2: Material de colheita de sangue……………………………………………………….13	
Tabela 3: Material usado no processamento de bolsas de sangue………………………………13 
Tabela 3: Material usado no processamento de bolsas de sangue………………………………14
Tabela 3: Material usado no processamento de bolsas de sangue………………………………15
Tabela 3: Material usado no processamento de bolsas de sangue ……………………………...16
Tabela 3: Material usado no processamento de bolsas de sangue……………………………... 17
Tabela 4: Orçamento físico-financeiro………………………………………………………… 13
Tabela 5: Cronograma................................................................................................................13 
LISTA DE FIGURA
Composição do sangue................................................................................................................5
Índice 
LISTA DE ABREVIATURAS	i
LISTA DE TABELAS	ii
LISTA DE FIGURA	iii
1.	vi
1.	Introdução	6
1.1.	Problema	1
1.1.2.	Justificativa	2
1.2.	Objectivos	2
1.2.2.	Geral	2
1.2.3.	Específicos	3
1.3.	Hipóteses	3
2.	Fundamentação teórica	4
2.1.	Sangue: composição e função	4
2.2.	Banco de Sangue	5
2.3.	Bolsas de colecta de sangue	5
2.4.	Fraccionamento do sangue	6
2.4.2.	Sangue Total (ST)	6
2.5.	Transfusão de sangue segura: evitando o descarte	6
2.6.	Motivos de descartes de sangue e hemocomponentes	7
2.6.2.	Rompimento da bolsa	8
2.6.3.	Prazo de validade vencido	8
Tabela 01: Armazenamento e Características de Hemocomponentes	8
2.6.4.	Custos de materiais usados no processo de doação e processamento do sangue	9
i.	Tabela 2: Material usado na colheita de sangue	9
2.6.5.	Qualificação dos profissionais	16
3.	Metodologia	17
3.1.	Local/ Área de estudo	17
3.2.	Tipo de estudo	17
3.3.	População de estudo	17
3.4.1.	Amostragem	18
3.4.2.	Tamanho da amostra	18
3.5.	Critérios de inclusão	19
3.6.	Critérios de exclusão	19
3.7.	Variáveis do estudo	19
3.8.	Técnica e instrumento de recolha de dados	19
3.9.1.1.	Técnica de análise de dados	20
4.	Aspectos éticos	20
6.	Divulgação de resultados	20
7.	Tabela 2: Orçamento físico-financeiro	20
8.	Tabela 3: Cronograma	21
9.	Referências bibliográficas	22
Apêndices	25
Anexos	27
1. Introdução
O crescente aumento de doações é primordial para a manutenção de serviços de assistência à vida de pacientes com cirurgias, correcções de anemias e doenças crónicas nas unidades hospitalares. Entretanto, o controlo de qualidade do sangue colhido é de fundamental importância para evitar transmissões de doenças transmissíveis por hemotransfusão (transfusão sanguínea), bem como para auxiliar no diagnóstico precoce de enfermidades nos dadores.
Os bancos de sangue são serviços que colhem, transportam, armazenam, processam e expedem sangue e seus componentes, tendo como principal objectivo o fornecimento adequado de sangue para pacientes necessitados (Francis, 2015).A transfusão de sangue é crucial para salvar a vida de quem necessita, a falta de sangue nos bancos de sangue tem custos intangíveis para a sociedade, pois pode implicar em um aumento da taxa de mortalidade. Sendo, importante a sua disponibilidade de sangue nos bancos de sangue (BELIEN. J e Force, 2012).
Programas para incentivara doação voluntaria de Sangue devem ser feitas com o intuito de aumentar a colheita de sangue e minimizar as constantes deficiências de stock em bancos de sangue, porém os procedimentos incorrectos durante a colheita, transporte, processamento e armazenamento podem inviabilizar o seu uso dando lugar a perca de produtos (Campos, 2009). O descarte de sangue após doação leva a consideráveis perdas e aumento de custos tangíveis (financeiros) e intangíveis (sociais) na manutenção dos sistemas de colheita e produção de hemocomponentes. 
A criação de leis, resoluções, regulamentos e normas em hemoterapia, tornam se primordiais para a padronização do controle de qualidade de sangue colhido de dadores voluntários, como a criação de serviços nacionais de sangue para o aperfeiçoamento contínuo de técnicas para o pessoal que actuam nesta área (Campos, 2009).
Em Moçambique, os serviços de hemoterapia, funcionam na base em normas técnicas e legislações vigentes, actualmente regidas pelo decreto no 14/88 e Decreto no 15/88 de 30 de Novembro, e pela criação do Serviço Nacional de Sangue pelo Decreto- Lei 46/2015 de 31 de Dezembro, usando os padrões nacionais e internacionais como da sociedade Africana para Transfusão Sanguínea (AfSBT) e Associação Americana dos Bancos de Sangue (AABB).
1.1. Problema
A dificuldade na obtenção e disponibilização de sangue é constante nos hospitais, derivada da , falta de Dadores voluntários não remunerados. Esta necessidade de procura do sangue por parte dos hospitais tem levado os bancos de sangue a ficarem sem stock aumentando a procura e diminuindo a oferta, havendo a necessidade de melhorar as causas que levam a diminuição do stock e o descarte de bolsas de sangue. Um factor ainda mas agravante é de o alto índice de descarte de bolsas de sangue ser devido a falhas durante a colheita, transporte, armazenamento e processamento, prazo de validade vencido, rejeição após testes serológicos. Esse alto índice de descarte, em algum momento, contribui para a diminuição da taxa de disponibilidade de sangue, o que representa risco para a vida dos pacientes, visto que a carência de stocks, pode trazer cancelamento ou adiamento de algumas cirurgias urgentes (Silva & Martins 2016).
Portanto, existe uma necessidade de perceber e aprofundar quais as causas que levam ao descarte de bolsas de sangue, uma vez que a taxa elevada de descarte aumenta os custos financeiros para as unidades de bancos de sangue como também diminui o stock que visa o atendimento de pacientes. 
Assim, considerando o impacto económico que o descarte de bolsas de sangue pode causar no banco de sangue, a repercussão social da colheita e a importância que uma só bolsa de sangue detém em serviços de saúde, com vista a subsidiar acções para minimizar desperdícios, contribuir de certa forma para o crescimento de stock de sangue e reduzir o impacto financeiro para o serviço de sangue, este trabalho tem como questão de pesquisa: Qual écusto financeiro e as causas de descarte de bolsassangue, e de que formas se pode reduzir ou evitar no BSHCM?
1.1.2. Justificativa
Nos últimos tempos se pode observar, devido a pandemia da Covid-19 um decréscimo de doações do líquido considerado precioso, tornando se escasso nos bancos de sangue. 
O descarte de bolsas de sangue tem diversos custos, além do tempo e esforço gasto pelo doador de sangue. A doação voluntária por parte do dador não é custeada, no entanto, as etapas que