A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Assistência de Enfermagem no Puerpério

Pré-visualização | Página 1 de 1

Assistência de Enfermagem
no Puerpério
Após todos os períodos do trabalho de parto se inicia um novo
período chamado de vídeo onde o corpo da mulher tenta retornar a
situação antes da gestação ocorrendo modificações locais e
sistêmicas.
 é caracterizado como imediato do primeiro ao décimo dia após o
parto, do 11ºao 42º é chamado é denominado por período tarde sendo
que após o 42° dia é denominado por para o remoto, sendo que no
primeiro dia o corpo aéreo já começa imediatamente após o parto
após a primeira e a segunda hora a saída da placenta e tem seu
término indeterminado variando entre cada paciente.
MODIFICAÇÕES FISIOLÓGICAS
Após o parto já se inicia o processo de regressão uterina, sendo que 12
horas após o parto o útero fica a medir 12 cm e depois de três dias tem
sua regressão de 1 cm a cada dia passado.
Após 10 dias o fundo terminou já estará em seu nível normal
localizado na síntese pública e com a espessura que após o parto
tinha entre 4 e 5 mm volta a sua normalidade após semanas.
 A região da vulva e vagina volta também aparência normal deixando
de ser arroxeadas depois da terceira semana de pós-parto nas
mulheres que amamentam sendo que as que não têm amor após
sexta semanas de gestação.
A parte do sistema digestório nos primeiros dias pós parto pode
ocorrer alguma constipação, sendo que durante a amamentação deve
se lembrar sempre a mãe que deve fazer uma dieta sempre
equilibrada e evitando bebidas alcoólicas e alimentos
ultraprocessados e sempre ingerindo bastante líquido.
Estimular a mãe a começar a de angular também precocemente após
o parto entre a sexta e a oitava hora após o nascimento do bebê
visando prevenir trombose, assim como anormalidade da função
vesical intestinal e também o escoamento de lóquios. 
Lembrar a gestante que ocorrerá a regressão do edema, as estrias
ficaram mais claras, assim como a hiperpigmentação normalmente
que ocorre na gestação na parte da face e também do abdômen,
podendo ocorrer queda de cabelo, sudorese e fragilização das unhas.
Puerpério
RN sem riscos:Visita domiciliar na primeira semana após a alta do
bebê (7 a 10 dias após o parto)
RN de risco : Visita domiciliar nos primeiros 3 dias após a alta
Informou também que após o parto ela perderá de 4 a 5 kg e isso irá
depender do recém-nascido,do peso da placenta e também da
quantidade de líquido amniótico.
 Irá perder entre 2,5 kg em até 10 dias, e 2 a 3 kg no primeiro semestre
na amamentação.
Profissional deve lembrar também na hora da aferição da
temperatura parto ela pode se elevar e chegar até 38°C, sendo que
passam acima desse número após duas aferições nos primeiros 10
dias deixando de lado o primeiro dia é considerada uma complicação
puerperal, devido a invasão de microrganismos, toxicidade no sistema
circulatório ou também relacionada a extremos esforços e
desidratação no período do parto.
Também ocorreu uma alteração no pulso diminuindo a frequência
entre 50 batimentos por minuto a 60 batimentos por minuto,
decorrendo até após 8 dias do parto isso se dá porque o corpo está
tendo uma elevação de seu retorno venoso e também pode observar
uma queda na pressão arterial.
A parte respiratória também será alterada tenho um padrão
costoabdominal dormindo a descompressão do diafragma após o
esvaziamento uterino.
VISITAS DOMICILIARES
A Portaria nº 1.459, de 24 de junho de 2011 institui, no SUS a Rede
Cegonha
 Rede Cegonha 
Profissional deve acompanhar a paciente e do bebê na atenção básica
com visita domiciliar na 1ª semana após o parto.
Preconiza a “Primeira Semana de Saúde Integral” (PSSI)com atenção à
saúde de puérperas e RN.
E tem como objetivo fazer a triagem neonatal e auditiva,checar a
vacinação BCG e de hepatite B e avaliar o aleitamento materno.
Puerpério
Retirar curativo após 8 a 12 horas
Lavar a incisão com água e sabão
Manter a incisão limpa e seca 
Lavar com água e sabonete três vezes ao dia e após as evacuações
e micções
AÇÕES DE ENFERMAGEM NO PUERPÉRIO MEDIATO 
O profissional deve ajudar a paciente a tomar banho, principalmente o
primeiro banho após o parto para garantir total segurança
diminuindo o risco de queda. 
 Orientando a paciente também a importante delas se repousar e ter
horas saudáveis de sono diminuindo assim sua ansiedade, o
profissional deve se organizar para isso, analisando as tarefas que
deverão ser feitas assim resultando em um tempo maior para ela ter
um sono adequado.
 Se a paciente apresentar falta de apetite o profissional deverá ficar
atento pois isso normalmente significa que alguma anormalidade
está acontecendo. Lembrando também a promoção da ingestão
hídrica e também a observação das eliminações.
O profissional deverá realizar a inspeção das mamas todos os dias,
promovendo a amamentação, ensinando a mãe sobre as vantagens
do leite materno e sobre a dieta restrita do bebê sobre ele, assim
como o profissional deverá ensinar técnicas de amamentação e os
cuidados para prevenção de lesões nas mamas e também reforçar e a
sua acidez não interfere sobre a amamentação despreocupando
assim a mãe. 
Orientar a mãe com os cuidados de higiene e amamentação como o
RN.
Fazer a análise e ver como está a evolução quando a mão apresente
feridas, in sições cirúrgicas ou laceração decorrentes ao parto.
Cesárea e laqueadura tubária: 
Episiotomia:
A incisão deve estar sempre limpa e seca
avaliar suas características tais como cor, odor, aspecto e quantidade
dos líquidos. 
E sempre analisar a involução uterina dia após dia. 
Puerpério
O profissional deve aferir os SSVV,atentando para as alterações
normais após o parto.
Fazer a avaliação das mamas buscando alterações.
Fazer o exame físico do abdômen,avaliando o útero e sua
regressão.
Fazer exame físico avaliando a área do períneo e genitais externos
buscando alterações
Observar anamamentação e fatores relacionados que podem
dificultar.Se houver ingurgitamento mamário(ocorrente
geralmente entre o 3° e o 5° dia após o nascimento do bebê, e
informar a puérpera sobre a ordenha manual e benefícios,
armazenamento e também sobre a doação do leite.
Analisar possíveis problemas como alterações emocionais,
hipertensão, febre, dor em baixo ventre ou nas mamas, presença
de corrimento com odor fétido, sangramentos intensos
Também ofertar o teste anti-HIV e VDRL, aconselhando pré e pós-
teste, para as puérperas não aconselhadas e testadas durante a
gravidez eo parto
Prescrever suplementação de ferro: 40 mg/dia de ferro elementar, até
três meses após o parto, para mulheres sem anemia diagnosticada.
Agendar a próxima consulta até 42 dias após o parto
AVALIAÇÃO CLÍNICA E GINECOLÓGICA 
1.
2.
3.
4.
5.
6.
Puerpério