Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Crime Impossível

Pré-visualização | Página 1 de 1

Direito Penal II | Maria Eduarda Q. Andrade 
 
pág. 1 
 
Crime Impossível 
Crime impossível é o que se verifica quando, 
por ineficácia absoluta do meio ou por 
absoluta impropriedade do objeto, JAMAIS 
ocorrerá a consumação do crime. 
® Disposto no art. 17 do CP; 
® Conhecido como crime oco; 
É causa de exclusão da tipicidade, uma vez 
que o ato praticado não se enquadra em 
nenhum tipo penal. 
® Próximo a tentativa, pois o agente 
inicia a pratica do crime, execução a 
ação criminosa, mas não alcança a 
consumação. 
 
¨ Teorias: 
 
1- Teoria objetiva: 
A punição de alguém por crime depende de 
elementos objetivos e subjetivos. 
Elementos objetivos – no mínimo perigo de 
lesão aos bens jurídicos protegidos pela lei 
Não ocorre no crime impossível. 
2- Teoria objetiva pura: 
O direito penal somente pode punir 
condutas lesivas a bens jurídicos. No crime 
impossível não há lesão. 
3- Teoria objetiva temperada ou 
intermediária: 
Para afastar a punição, os meios 
empregados e o objeto do crime devem ser 
absolutamente inidôneos a produzir o 
resultado desejado pelo autor. 
Se for relativa, haverá tentativa. 
Essa é a teoria adotada no artigo 17 do CP. 
® É uma causa de exclusão da 
tipicidade. 
 
¨ Espécies 
 
1. Crime impossível por ineficácia 
absoluta do meio. 
Meio de execução do crime. Incapaz de 
produzir o resultado 
Exemplo: Quer matar o inimigo com uma 
arma de brinquedo. 
® Inidoneidade do meio dever ser 
analisada no caso concreto. 
Exemplo: Açúcar não é meio idôneo para 
matar uma pessoa, salvo se essa pessoa for 
diabética. 
2. Crime impossível por impropriedade 
absoluta do objeto. 
Objeto material = pessoa ou a coisa que 
recaia a conduta criminosa. 
® Aqui o objeto material é impróprio 
quando inexistente antes do início da 
prática da conduta. 
Exemplo: Tentar matar a pessoa que já 
estava morta. 
® A mera existência do objeto material 
é suficiente, por si só, para configurar 
a tentativa. 
Direito Penal II | Maria Eduarda Q. Andrade 
 
pág. 2 
 
¨ Momento adequado para aferição da 
inidoneidade absoluta: 
A ineficácia absoluta do meio e a 
impropriedade absoluta do objeto devem 
ser analisadas DEPOIS da prática da 
conduta com a qual se deseja consumar o 
crime. 
Somente depois da conduta deve ser 
diferenciada: tentativa punível ou crime 
impossível. 
Crime Putativo. 
Putativa deriva do latim putativus, e significa 
algo que aparenta ser real, mas que na 
verdade não existe. 
® Chamado também de imaginário ou 
erroneamente suposto. 
O crime existe apenas na mente do agente, 
ou seja, o fato por ele concretizado não 
possui adequação típica = não se encontra 
no tipo penal. 
Exemplo: Acredita que está subtraindo um 
celular e depois constata-se que o celular é 
o de sua propriedade. Ele acredita que está 
realizando o tráfico de drogas, quando na 
verdade está vendendo taco. 
® A tipicidade sequer chega a existir. 
 
¨ Espécies 
 
1. Crime putativo por erro de tipo; 
2. Crime putativo por erro de proibição- 
delito de alucinação ou crime de 
loucura; 
3. Crime putativo por obra do agente 
provocador. 
¨ Diferença entre crime impossível 
e crime putativo. 
CRIME IMPOSSÍVEL: o autor com intenção 
de praticar o crime não consegue porque se 
utilizada de meio de execução 
absolutamente ineficaz ou porque sua 
conduta foi sobre objeto materialmente 
impróprio. Inidoneidade do meio ou do 
objeto material. 
CRIME PUTATIVO: agente acredita que está 
fazendo um crime, mas realiza um fato não 
crime, não previsto na lei como crime. 
Ausência dos elementos para a figura do 
crime.