Desvio_Simplicio
38 pág.

Desvio_Simplicio


DisciplinaAproveitamentos Hidreletricos34 materiais53 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1 
UHE Simplício 
Desvio do rio 
Heloisa Teixeira Firmo 
hfirmo@poli.ufrj.br 
 
2562-7991 
2 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Primeira fase 
 etapa 1 - pré ensecadeira 
 etapa 2 - ensecadeira A 
 
Segunda fase 
 ensecadeiras C e D 
3 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Otávio Galdino \u2013 Projeto Final de curso 
 
II - CARACTERIZAÇÃO FISIOGRÁFICA DA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL 
II.1 - LOCALIZAÇÃO 
II.2 - ÁREA DE DRENAGEM 
II.3 - FORMA DA BACIA 
II.4 - DECLIVIDADE DA REDE HIDROGRÁFICA 
II.5 - DENSIDADE DE DRENAGEM 
II.6 - USO E OCUPAÇÃO DO SOLO 
II.7 - VEGETAÇÃO 
II.8 - OROGRAFIA 
II.9 - GERAL 
4 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
III - CARACTERÍSTICAS GERAIS DO APROVEITAMENTO 
III.1 - AHE SIMPLÍCIO \u2013 QUEDA ÚNICA 
III.2 - CARACTERÍSTICAS DA BARRAGEM DE ANTA 
III.3 - SEQuÊNCIA CONSTRUTIVA DA BARRAGEM DE ANTA 
IV - DADOS BÁSICOS 
IV.1 - DADOS FLUVIOMÉTRICOS 
IV.2 - BASE TOPOGRÁFICA 
IV.3 - BATIMETRIA 
IV.4 - SEÇÕES TRANSVERSAIS 
5 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
V - ESTUDOS BÁSICOS 
V.1 - CURVAS-CHAVE 
V.2 - ESTUDO DE VAZÕES EXTREMAS 
VI - DESVIO DE 1ª FASE DO RIO PARAÍBA DO SUL 
VI.1 - ETAPA 1 
VI.1.1 - MODELAGEM MATEMÁTICA 
a) Rodada nº 1 
b) Rodada nº 2 
c) Rodada nº 3 
VI.1.2 - ORÇAMENTO 
VI.2 - ETAPA 2 
VI.2.3 - MODELAGEM MATEMÁTICA 
VI.2.4 - ORÇAMENTO 
VII - CONCLUSÕES/RECOMENDAÇÕES 
VIII - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
BARRAGEM EM CCR 
VERTEDOURO 
TOMADA D`ÁGUA 
CANAL DE FUGA 
CANAL DE 
RESTITUIÇÃO 
BACIA DE 
DISSIPAÇÃO 
CASA DE 
FORÇA 
8 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Sequência construtiva da barragem de Anta 
 
A primeira fase do desvio terá duração de dois anos e a área 
ensecada estará junto à ombreira direita, onde serão 
construídas as estruturas da casa de força, tomada d\u2019água e 
vertedouro com comportas. 
Além disso, serão executadas as escavações do canal de fuga 
da casa de força e do canal de restituição do vertedouro. 
O rio Paraíba do Sul será desviado, primeiramente, através de 
uma pré-ensecadeira longitudinal, quando serão executadas 
as escavações mencionadas. 
9 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Sequência construtiva da barragem de Anta 
A construção da pré-ensecadeira longitudinal será iniciada com o 
lançamento de um cordão de enrocamento até a El. 236,00 m, 
aproximadamente. Tal cordão visa possibilitar o lançamento do 
material terroso no lado da área a ser ensecada, permitindo, assim, 
o esgotamento da mesma e a complementação da ensecadeira 
com material compactado. 
A escavação dos canais de fuga da casa de força e de restituição do 
vertedouro será executada no período de estiagem, mais 
especificamente nos meses de Maio e Junho. A cota de 
coroamento da pré-ensecadeira, portanto, será determinada para 
assegurar uma borda livre de 0,5m na ocorrência da maior cheia 
no período de estiagem (Maio à Outubro) com recorrência de 10 
anos 
11 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
12 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Primeira fase 
 etapa 1 - pré ensecadeira 
 escavações canal de fuga e restituição do vertedouro 
 TR 10 anos (estiagem) 
 borda livre \u2013 0,5 m 
 etapa 2 ensecadeira A 
 casa de força, vertedouro, tomada d\u2019água 
 TR 50 anos 
 borda livre 1,0 m 
 
Segunda fase 
 ensecadeiras A e B 
13 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Tabela - 1: Resultado da Distribuição de Gumbel 
 
Período Completo Mai - Out 
Risco (%) TR (anos) 
Q (m³/s) Q (m³/s) 
50.0 2 1839.12 533.32 
42.9 2.33 1972.86 582.38 
20.0 5 2553.88 795.53 
10.0 10 3027.11 969.14 
6.7 15 3294.10 1067.09 
5.0 20 3481.04 1135.67 
4.0 25 3625.03 1188.50 
2.0 50 4068.61 1351.23 
1.0 100 4508.91 1512.76 
0.2 500 5526.38 1886.03 
0.1 1000 5963.80 2046.50 
0.0 10000 7416.13 2579.30 
 
14 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Sequência construtiva da barragem de Anta 
 
Após a conclusão das escavações, dar-se-á início a 
construção das estruturas de concreto da barragem de 
Anta; com duração de 2 anos. Essa parte da obra exige que 
o risco de galgamento da ensecadeira seja reduzido. Por 
essa razão, uma parcela da pré-ensecadeira longitudinal 
será alteada, visando conter uma cheia com recorrência de 
50 anos para o período hidrológico completo, garantindo 
uma borda livre de 1,00m. O restante será removido. Esse 
alteamento será denominado Ensecadeira A, e será a 
estrutura definitiva da primeira fase do desvio do rio 
Paraíba do Sul. 
15 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Sequência construtiva da barragem de Anta 
 
Vazão de projeto: a Ensecadeira A foi projetada para permitir a 
concretagem da casa de força e do vertedouro, localizados na 
margem direita de onde originariamente escoa o rio Paraíba do 
Sul. Essa fase da obra terá duração de dois anos, por isso a 
vazão de projeto foi calculada a partir do período hidrológico 
completo (Out-Set). Além disso, por tratar-se de um 
procedimento mais complexo do que a escavação, o risco de a 
Ensecadeira A ser galgada deve ser menor. Portanto, enquanto o 
risco da pré-ensecadeira ser galgada era de 10% (TR 10 anos), 
o risco adotado para a Ensecadeira A foi de 2% (TR 50 anos). A 
vazão de projeto da Ensecadeira A, portanto, é de 4.068,61 m³/s. 
17 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Sequência construtiva da barragem de Anta 
Finalizadas as escavações e a construção das estruturas 
mencionadas, a Ensecadeira A será removida e então se dará 
início a segunda fase do desvio do rio Paraíba do Sul. Nessa 
etapa serão construídas as Ensecadeiras B e C, que desviarão o 
rio através dos três vãos do vertedouro. Dessa forma, será 
ensecada a região do leito e da margem esquerda do rio, 
permitindo a conclusão da construção da barragem de Anta. 
Como pode ser visto na figura a seguir, a Ensecadeira B será 
erguida a montante do eixo da barragem, e efetivamente 
desviará o fluxo do rio para o vertedouro. A Ensecadeira C, 
localizada a jusante do eixo da barragem, terá a função de 
impedir que a vazão restituída ao leito natural do rio inunde o 
canteiro de obras. 
As Ensecadeiras B e C serão constituídas de um cordão de enrocamento 
na face em contato com o fluxo de água e material terroso. 
19 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
 
IV - DADOS BÁSICOS 
IV.1 - DADOS FLUVIOMÉTRICOS 
IV.2 - BASE TOPOGRÁFICA 
IV.3 - BATIMETRIA 
IV.4 - SEÇÕES TRANSVERSAIS 
 
 
21 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
 
 
 
Curva-Chave do Posto Fluviométrico 
Anta C 
Q = 2.72 x (NA - 228.969)2.87 
Curva-Chave do Posto Fluviométrico 
Anta D 
Q = 7.31 x (NA \u2013 229.776)2.57 
Curva-Chave do Posto Fluviométrico 
Anta E 
Q = 12.69 x (NA \u2013 230.25)2.46 
22 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
24 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Galgamento 
26 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
28 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
29 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Tabela - 1: Alternativa nº2 
Pré-Ensecadeira Canal Hidráulico 
Cota de Coroamento Cota de Fundo Dimensões 
Montante Jusante 
Diâmetro dos 
Blocos (m) Montante Jusante Largura Extensão 
238.50 237.50 0.30 231.50 230.50 25.00 450.00 
 
Tabela - 1: Alternativa nº3 
Pré-Ensecadeira Canal Hidráulico 
Cota de Coroamento Cota de Fundo Dimensões 
Montante Jusante 
Diâmetro dos 
Blocos (m) Montante Jusante Largura (média) Extensão 
237.50 237.50 0.20 231.00 231.00 55.00 450.00 
 
 
30 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
31 
UHE Simplício \u2013 Desvio do Rio 
Tabela - 1: Custo de Construção da Pré-Ensecadeira 
 
MATERIAL VOLUME 
PREÇO 
UNITÁRIO 
(R$/m³) 
PREÇO 
TOTAL 
Solo Lançado 74568.93 3.50 260 991.25 
Enrocamento Fino Lançado 18328.99 5.00 91 644.94 
AL
T. 
Nº
 2 
Enrocamento Lançado ( Dmáx. = 
80cm; D50 = 50cm; Dmín. = 40cm ) 115667.68 5.00 578 338.42 
 930 974.61 
Solo Lançado 70601.02 3.50 247 103.59 
Enrocamento Fino Lançado 17353.68 5.00 86 768.40 
AL
T. 
Nº
 3 
Enrocamento Lançado ( Dmáx. = 
80cm; D50 = 50cm; Dmín. = 40cm ) 109512.87