26. meningites

26. meningites


DisciplinaInfectologia1.187 materiais6.890 seguidores
Pré-visualização6 páginas
cultura sensível
 Streptococcus pneumoniae 
 Neisseria meningitidis	
Se pneumococo resistente - associar vancomicina
*
*
*
 Tempo de Tratamento 
- Meningococo - 4 a 10 dias
 Pneumococo \u2013 10 a 14 dias
 Haemophilus \u2013 10 a 14 dias
 Neonatal \u2013 14 a 21 dias
- Abscesso \u2013 21 a 60 dias 
Meningite bacteriana
*
*
*
Evolução
Febre por 3-5 dias
Febre prolongada: complicações?
Nova punção 24-36h
Punção na alta
MORTALIDADE
H. influenzae: 6%
N. meningitidis: 10%
S. pneumoniae: 25%
Bacilos G-: 20-25%
Meningite 
*
*
*
Difícil não conseguir estabelecer o diagnóstico etiológico de meningite muitas vezes é decorrente da utilização prévia de antibióticos;
Esterilização do líquor pode ocorrer rapidamente após o início parenteral de antibióticos, com completa esterilização do meningococo em 2 horas e do pneumococo em 4 horas.
 Kanegaye JT et al. Pediatrics 2001;108:1169-1174 
Meningite Viral ou Bacteriana?
*
*
*
 Repetir punção lombar 
- liquor inicial normal
- sem melhora em 48 hs
- bactérias incomuns
- recém-nascidos
- piora clínica
Meningite bacteriana
*
*
*
Complicações 
Coma 
Choque séptico
Comprometimento de pares cranianos
SIADH
Efusão subdural estéril
Empiema subdural
Ventriculite
Hidrocefalia
Seqüelas 
Perda de audição/visão
Hemiparesias
Retardo psicomotor
Convulsões 
Meningite 
*
*
*
 Complicações 
 Surdez
 Atraso do DPM
 Sequela motora
 Sinais de localização
 Sequelas neurológicas
Meningite bacteriana
*
*
*
*
*
*
*
*
*
TC com contraste( pneumococo com impregnação leptomeninge)
*
*
*
*
*
*
*
*
*
MENINGITE VIRAL
ASSÉPTICA
MAIOR PREVALÊNCIA
MELHOR PROGNÓSTICO
CEFALÉIA
		FEBRE
			SÍNDROME VIRAL
					MENINGISMO
*
*
*
MENINGITE VIRAL
ASSÉPTICA
Etiologia:
ENTEROVÍRUS Echovirus
 Coxsackie A and B 
 Polioviruses
Diagnóstico:
Quadro Clínico
Líquor
Tratamento:
SINTOMÁTICO CEFALÉIA: Perdurar semanas
CUIDADO: Fase Inicial Bacteriana
*
*
*
Meningites virais
Enterovírus
Vírus Herpes simples
Varicela-zoster
EBV
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite herpética
HSV-1 e 2
Reativação da forma latente (70%)
Imunossupressão 
Fatores desencadeantes
Recém-nascidos
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite herpética
QUADRO CLÍNICO
Febre
Cefaléia
Confusão mental
Alterações de comportamento
Crises convulsivas
Quadros deficitários
 
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite herpética
DIAGNÓSTICO
Neuroimagem
LCR
EEG
Meningite 
*
*
*
Meningites Virais
Diagnóstico
Líquor linfomonocítico, G e prot nl
EEG \u2013 quando convulsões \u2013 Herpes
Comprometimento em região temporal principalmente a esquerda!
TAC crânio - se complicações
Pesquisa de material genético (PCR) 
*
*
*
Meningites Virais - Tratamento
Punção liquórica muitas vezes é terapêutica
Sintomáticos na maioria dos casos (enterovírus)
Internamento 
Pode ser discutido observação em casa em casos leves
Aciclovir para família herpes \u2013 14 a 21 dias 
10mg/kg/dose EV de 8 em 8 horas
500 mg /m2/dose EV de 8 em 8 horas
Ganciclovir para CMV
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
Meningoencefalite herpética
LCR
Hipertensão
Pleocitose LM (5-500 céls)
 PTN
G normal
 ADA
PCR (padrão-ouro): até 7dias
Anticorpos da classe IgG
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite herpética
TRATAMENTO
Aciclovir 10mg/Kg 8/8h, EV por 2-3 semanas
Foscarnet 
Meningite 
*
*
*
MENINGITE CRÔNICA
CEFALÉIA
	 FEBRE
		 MENINGISMO
			 CONFUSÃO MENTAL
				 HIDROCEFALIA
*
*
*
MENINGITE CRÔNICA
Etiologia:
Cryptococcus neoformans HIV
M. tuberculosis Hidrocefalia Treponema pallidum
Taenia solium (cysticercosis) Toxoplasma gondii
Diagnóstico:
Sintomas inespecíficos
TC CRÂNEO/RNM - Hipersinal Meninges Basais 
Punção Liquórica
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
MENINGITE CRÔNICA
TUBERCULOSA
Mycobacterium tuberculosis 
BAAR 
Reservatório: Homem 
Modo de Transmissão:
Dç Pulmonar ativa
Disseminação hematogênica  
Período de Incubação: 6 Meses-Anos
BCG confere proteção em torno de 80%
http://www.microscopyconsulting.com
*
*
*
MENINGITE CRÔNICA
TUBERCULOSA
Mycobacterium tuberculosis
Estágio I 
Sintomas Inespecíficos
Estágio II 
Lesão de nervos cranianos, Meningismo, HIC
Estágio III 
Déficit neurológico focal, opistótono, defic. consciência 
Tratamento:
Programa Nacional de Controle da Tuberculose. 
Esquema 2: RIP: 2 MESES
 RI: 7 MESES
*
*
*
Meningoencefalite tuberculosa
Mycobacterium tuberculosis
				Granuloma caseoso
			 espaço subaracnóideo
			 exsudato inflamatório
			espalha-se ao longo da pia-mater
				meningoencefalite
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite tuberculosa
Grave
Estágio 1: 
sem alterações 
Estágio 2: 
confusão mental, sinais localizatórios
Estágio 3:
torpor/coma, nervos cranianos, hemi/paraplegia
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite tuberculosa
QUADRO CLÍNICO
Pródromos: 2-4semanas
Mal estar
Febre 
Cansaço
Anorexia
\u201c3 síndromes\u201d
Acomentimento nervos cranianos (VI, III, IV, VII, VIII)
Hemiparesia
Papiledema, tubérculos em coróide
Convulsões
Hidrocefalia
Dor abdominal e obstipação intestinal
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite tuberculosa
DIAGNÓSTICO
LCR
50-500 céls/mm³
Citomorfológico misto 
PTN: 50-200mg/dl
G baixa
 lactato
 ADA
 Cl
Micobacterioscopia e cultura
PCR
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite tuberculosa
Neuro-imagem
TC e RM
Espessamento meníngeo
Hidrocefalia
Angiografia 
Hidrocefalia
Estreitamento vascular na base do crânio
Estreitamento/oclusão de artérias cerebrais
Meningite 
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
Meningoencefalite tuberculosa
TRATAMENTO
Esquema 1
RIP: 2meses
RI: 4meses
10 meses se criança
Esquema 2
9 a 18 meses
Pode-se adicionar Etambutol
Resistência
RIP + estreptomicina ou etambutol: 2meses
RI até 9-18 meses
CE??
Meningite 
*
*
*
Meningoencefalite tuberculosa
PROGNÓSTICO
Mortalidade: 25%
Alteração do nível de consciência no diagnóstico
Demora no início do tto
<3 ou >65 anos
Coexistência com Tb miliar
COMPLICAÇÕES
Infartos isquêmicos: 25-40%
Hiponatremia 
Siringomielina
Aracnoidite 
Meningite 
*
*
*
Neurossífilis 
Treponema pallidum
Inflamação meníngea
QC: meningites virais
Inflamação/ degeneração das meninges
Aneurismas vasculares
Demência
PGP
Lesão funículos posteriores da medula
Meningite 
*
*
*
Meningite 
*
*
*
Neurossífilis
FORMAS CLÍNICAS
Forma meningovascular
6m a 10 anos
Inflamação meníngea + arterite
QC dependente da artéria acometida
Formas parenquimatosas
Paralisia geral progressiva 
Tabes dorsalis
Atrofia óptica 
Sífilis espinal
Meningite 
*
*
*
Neurossífilis
DIAGNÓSTICO
LCR
 Céls (<50 leucócitos/mm³), LM
 PTN
Ac (VDRL e FTA-ABS)
	 
TRATAMENTO
Penicilina cristalina (18-24 milhões UI/d) por 14 a 21 dias
Reação de Jarish-Herxheimer
Meningite 
*
*
*
*
*
*
PGP
*
*
*
Neurocriptococose 
Cryptococcus neoformans
Meningite e meningoencefalite
DIAGNÓSTICO
LCR
Semelhante ao da Tb
Micológico direto: leveduras
Sedimento com tinta da china: levedura com cápsula
Prova do látex
Cultura em meio de Sabourand
TRATAMENTO
Anfotericina-B 0,7mg/kg/dia
5-fluoricitosina 100mg/kg/dia
Fluconazol 400mg/dia VO
Meningite 
*
*
*
CRIPTO
*
*
*
CRIPTO
*
*
*
*
*
*
*
*
*
MENINGITE CRÔNICA
 PARASITÁRIA
Neurocisticercose Neurotoxoplasmose 
 ( SIDA)
NEUROCISTICERCOSE
 
Infestação de larva encistada do helminto Taenia solium nos tecidos.
Ingesta acidental de ovos do helminto
Meninges Parênquima 
Sub-aracnóide Espinal
*
*
*
MENINGITE CRÔNICA
 PARASITÁRIA
Líquor :
Pleocitose ( MN), Elevada Pressão Intra-Tecal
Proteínas elevadas, Baixa Glicose 
EOSINOFILIA SÉRICA
Tc crâneo: Cisto Calcificado 
Tratamento:
Sequelar ( Derivação ventricular)