A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Atividade Individual Governanca Corporativa PPGGF FGV - Julio Cesar de Sousa Corradini

Pré-visualização | Página 1 de 4

1 
 
ATIVIDADE INDIVIDUAL 
 
Matriz de atividade individual 
Disciplina: Governança Corporativa Módulo: 7 
Aluno: Julio Cesar de Sousa Corradini Turma: 0721-1_3 
Tarefa: Parecer – Estrutura Governança Corporativa: Klabin S/A 
Contexto atual da sociedade indicada 
 
A Klabin S/A, empresa fundada em 1889, é uma sociedade anônima de capital aberto brasileira, maior 
produtora e exportadora de papéis para embalagens do país e líder na produção de embalagens de papel, 
com foco na produção de celulose, papéis e cartões para embalagens, embalagens de papelão ondulado 
e sacos industriais, além de comercializar madeira em toras. 
Conta com 24 unidades industriais, sendo 23 no Brasil, distribuídas por dez estados, e uma na Argentina. 
Possui florestas em três estados: Paraná, Santa Catarina e São Paulo. Conta com 400,4 mil hectares de 
florestas no Paraná, 136,3 mil hectares em Santa Catarina, e 8,7 mil hectares em São Paulo, sendo 253,4 
mil hectares apenas de reflorestamentos e 236,7 de áreas nativas preservadas ou destinas para a 
conservação. É a única companhia do mercado brasileiro a oferecer soluções em celuloses de fibra curta, 
fibra longa e celulose fluff, e líder nos mercados de embalagens de papelão ondulado e sacos industriais. 
Desde 2014, a Klabin S/A faz parte do Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bovespa (ISE) e, em 
2020, passou a ser a única empresa brasileira do mercado de papel e celulose a integrar o Índice Dow 
Jones de Sustentabilidade (DJSI), nas carteiras de Índice Mundial e Índice de Mercados Emergentes. 
É controlada pela Klabin Irmãos & Cia e NIBLAK Participações S/A, que possuem conjuntamente 52,23% 
do capital votante. É organizada em quatro unidades de negócios - Florestal, Celulose, Papéis e 
Embalagens - certificados pelo Forest Stewardship Council (FSC). 
Assim, a Klabin S/A está a 122 anos no mercado, atuando em suas 24 unidades, com mais de 25 mil 
colaboradores, com uma capacidade de produção de 2,1 milhões de toneladas de papel e 1,6 milhões de 
toneladas de celulose por ano, onde 43% de sua área florestal é conservada. 
Para o ano de 2021, a perspectiva se mostrou otimista para os negócios da companhia, visto que os 
fundamentos dos mercados em que a empresa atua se mostram bastante favoráveis. Muito dessa ideia 
vem da recuperação do preço da celulose e do kraftliner e a manutenção da demanda aquecida por 
embalagens, que suportam tal avaliação. 
No mercado de celulose ressalta-se a China, maior consumidora mundial da fibra, que manteve o ritmo 
aquecido de compras; no mercado de papeis, os preços do kraftliner no mercado internacional também 
apresentou recuperação e no mercado de embalagens, o ritmo intenso de de encomendas visto no 
segundo semestre de 2020 se manteve, tendo efeitos positivos já no primeiro trimestre de 2021. 
 
 
 
 
2 
 
 
Portanto, diante das informações trazidas, é visto que a estrutura da empresa favorece de maneira 
bastante consistente o enfrentamento da crise. Situações encontradas como fundamentos favoráveis de 
mercado em recente período, ligados à alta competividade dos ativos oferecidos, tanto industriais como 
florestais, ao modelo de negócio em diversificação e flexibilização de produtos e à cultura sustentável e 
renovadora da companhia, mostra que a Klabin S/A é uma empresa de geração de valor firme e robusta. 
 
Boas práticas de governança corporativa e obrigatoriedade de adoção dessas práticas por 
parte das sociedades empresárias 
De acordo com o IBCG (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), Governança corporativa é o 
sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, 
envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização 
e controle e demais partes interessadas. 
Pode ser entendida como o sistema que tem como objetivo principal minimizar os conflitos existentes 
entre os atores responsáveis pela administração, controladores e acionistas, por meio do monitoramento 
compartilhado estabelecido pelos acionistas controladores de uma determinada empresa ou corporação, 
de tal modo que os administradores tomem suas decisões sobre a alocação dos recursos de acordo com 
o interesse dos proprietários. 
As boas práticas de governança corporativa convertem princípios básicos em recomendações objetivas, 
alinhando interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor econômico de longo prazo da 
organização, facilitando seu acesso a recursos e contribuindo para a qualidade da gestão da organização, 
sua longevidade e o bem comum. Os princípios básicos de governança corporativa permeiam, em maior 
ou menor grau, todas as práticas do Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa, e sua 
adequada adoção resulta em um clima de confiança tanto internamente quanto nas relações com 
terceiros. 
São eles: Transparência, Equidade, Prestação de contas (accountability) e Responsabilidade corporativa. 
 
A Klabin S/A, em uma visão geral de sua estrutura de Governança Corporativa, é constituida da seguinte 
maneira: 
Os principais órgãos de governança da Klabin, que atuam em sinergia para o alcance dos objetivos 
econômicos, sociais e ambientais da Companhia, são a Assembleia Geral de Acionistas, o Conselho de 
Administração e a Diretoria. 
A nível de valores mobiliários, em presença na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), a companhia é Nível 
2 de governança, integrando o segmento que lista as ações de empresas que adotam práticas 
diferenciadas de governança, tais como o direito de manter ações preferenciais (PN) e no caso de venda 
de controle da empresa, é assegurado aos detentores de ações ordinárias e preferenciais o mesmo 
tratamento concedido ao acionista controlador, prevendo o direito de tag along de 100% do preço pago 
pelas ações ordinárias do acionista controlador. 
 
 
 
 
 
 3 
 
 
As ações preferenciais ainda dão o direito de voto aos acionistas em situações críticas, como a aprovação 
de fusões e incorporações da empresa e contratos entre o acionista controlador e a empresa, sempre que 
essas decisões estiverem sujeitas à aprovação na assembleia de acionistas. 
A Klabin também conta com Comissões Fixas de Assessoria da Diretoria, divididas por temas, e cujas 
atribuições são a discussão, o planejamento e a validação das estratégias de apoio aos negócios. Elas 
acompanham o ciclo de crescimento da Companhia, monitoram o aperfeiçoamento de sua eficiência 
operacional e contribuem com o mapeamento de oportunidades de negócios. 
Os conselheiros reúnem-se bimestralmente para a avaliação de resultados e para a discussão de 
estratégias e, em caráter extraordinário, para debater e aprovar temas relevantes que demandem rápida 
apreciação do Conselho de Administração. 
Em dezembro de 2020, a estrutura de governança foi reforçada com a criação de três comitês de 
assessoramento do Conselho de Administração – Comitê de Auditoria e Partes Relacionadas, Comitê de 
Sustentabilidade e Comitê de Remuneração – e com a eleição de seus membros. 
E também, desde 2011, é aderida ao Código Abrasca de Autorregulação e Boas Práticas das Companhias 
Abertas”, que estabelece princípios, regras e recomendações com o objetivo de contribuir para o 
aprimoramento das práticas de governança corporativa. 
 
O Conselho e Diretoria da companhia têm as seguintes composições: 
 
Conselho de administração – membros efetivos (2021) 
Israel Klabin, Daniel Miguel Klabin, Armando Klabin, Vera Lafer, Francisco Lafer Pati, Horacio Lafer Piva, 
Paulo Sergio Coutinho Galvão Filho, Roberto Klabin Martins Xavier, Celso Lafer, Roberto Luiz Leme Klabin, 
Sérgio Francisco Monteiro de Carvalho Guimarães, Camilo Marcantonio Junior, Mauro Rodrigues da Cunha. 
 
Conselho fiscal – membros efetivos (2021) 
João Adamo Junior, João Alfredo Dias Lins, Raul Ricardo Paciello, Maurício Aquino Hallewicz, Louise Barsi. 
 
Membros dos comitês de