A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
Contribuintes, contribuições, isenções, responsabilidade solidária e dependentes

Pré-visualização | Página 1 de 6

Contribuintes, contribuições, isenções, responsabilidade 
solidária e dependentes. 
[Ano] 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
2 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
 
 
 
 Unidade - Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
 
 MATERIAL TEÓRICO 
 
 
 
Responsável pelo Conteúdo: 
Prof. Claudio Alves da Silva 
 
Revisão Técnico: 
Profa Ms Fernanda Garcez Lopes de Souza 
 
Atualização: 
Prof Ms Paulo Celso Sanvito 
 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
3 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
 
1. Contribuintes 
 
Contribuinte é o sujeito passivo da obrigação tributária, podendo ser 
pessoa física ou jurídica, sendo assim considerada a pessoa que, por 
determinação legal, está sujeita ao pagamento de tributo. 
O sujeito passivo da obrigação principal pode assumir a condição de 
contribuinte ou responsável. Será contribuinte se tiver relação pessoal e direta 
com a situação que se constitua em fato gerador. Será responsável se, não 
sendo contribuinte, sua obrigação decorra da lei. 
Por exemplo: segurados empregados, empregados domésticos e 
trabalhadores avulsos são contribuintes da Seguridade Social, como já visto. 
Todavia, não são responsáveis pela obrigação principal, que é o recolhimento 
da contribuição por eles devida. Os responsáveis serão os tomadores dos 
serviços deles. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
4 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
Empresa é a firma individual ou sociedade que 
assume o risco da atividade econômica urbana ou 
rural, com fins lucrativos ou não, bem como os 
órgãos e entidades da administração direta, indireta e 
fundacional, esses quanto aos seus exercentes de 
cargos efetivos e em comissão e empregados 
públicos filiados obrigatoriamente ao RGPS, quando 
não amparados por regime previdenciário próprio. 
 
Ao nosso estudo sobre contribuintes interessa analisar a Empresa e o 
empregador doméstico. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Para tornar-se contribuinte da Seguridade social é feita a matrícula da 
empresa, isto é, o seu cadastro. Para firmas individuais e sociedades 
mercantis, a matrícula ocorre quando da inscrição, registro ou arquivamento na 
Junta Comercial ou no ato da inscrição no Cadastro Geral de Contribuintes ou 
no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica. Para os demais, por exemplo, obras 
de construção civil, a matrícula é feita junto ao INSS. 
 
 
 
São equiparados à empresa: 
1) O contribuinte individual, em relação ao segurado que lhe presta serviço; 
2) A cooperativa, a associação ou a entidade de qualquer natureza ou finalidade, 
inclusive a missão diplomática e a representação consular de carreira estrangeira; 
3) O operador portuário; 
4) O OGMO – Órgão Gestor de Mão de Obra; 
5) O proprietário ou dono de obra de construção civil, quando pessoa física, em 
relação ao segurado que lhe preste serviço. 
 
 
 
Aplicam-se às Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) 
todas as obrigações estabelecidas pela legislação previdenciária para as 
empresas em geral, estando obrigadas ao recolhimento das contribuições 
previdenciárias e das destinadas a outras entidades e fundos, permitida a 
opção pelo sistema próprio de recolhimento de contribuições e tributos – 
SIMPLES. A pessoa jurídica que optar pela inscrição no SIMPLES, 
contribuirá na forma do art. 23 da Lei 9.317/96, em substituição às 
contribuições para a Seguridade Social 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
5 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O empregador doméstico, em regra, não possui matrícula, pois recolhe 
no NIT (Número de Identificação do Trabalhador). Caso opte pelo recolhimento 
de FGTS, o empregador receberá o número de matrícula CEI (Cadastro 
Específico do INSS). 
 
 
2. Contribuições 
 
2.1 Contribuições da União 
 
A União não tem, efetivamente, uma contribuição social. Ela participa do 
sistema atribuindo dotações do seu orçamento à Seguridade Social, fixados 
obrigatoriamente na Lei Orçamentária anual, além de ser responsável pela 
cobertura de eventuais insuficiências financeiras da Seguridade, em razão do 
pagamento de benefícios de prestação continuada pela Previdência Social. 
Essa participação da União não se dá por intermédio de um percentual 
mínimo definido para ser destinado à Seguridade Social. 
Não se pode olvidar de que, após a Emenda Constitucional nº 20/98, é 
vedada a utilização de recursos provenientes das contribuições sociais do art. 
195, I, ‘a’, e II para fins outros que não as decorrentes do pagamento de 
benefícios do Regime Geral da Previdência Social. 
 
 
 
Empregador doméstico é a pessoa física ou família que 
admite a seu serviço, sem finalidade lucrativa, empregado 
doméstico. O empregador doméstico recolhe contribuições na 
qualidade de contribuinte, não de segurado (OBS: o 
empregador pode até ser segurado do RGPS, mas em 
decorrência de sua atividade laboral, jamais pela só condição 
de empregador doméstico). 
 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
6 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade solidária e dependentes. 
2.2 Contribuições dos trabalhadores 
 
2.2.1 Salário-de-contribuição 
 
Para compreender a contribuição do trabalhador, é preciso compreender 
o que vem a ser salário-de-contribuição. 
 
 
 
 
Para o empregado e o trabalhador avulso, o salário de contribuição é a 
remuneração auferida em uma ou mais empresas, assim entendida a 
totalidade dos rendimentos pagos, devidos ou creditados a qualquer título 
durante o mês, destinados a retribuir trabalho, qualquer que seja a sua forma, 
inclusive as gorjetas, os ganhos habituais sob a forma de utilidade, os 
adiantamentos decorrentes de reajuste salarial, quer pelos serviços 
efetivamente prestados, quer pelo tempo à disposição do empregador ou 
tomador de serviços, nos termos da lei, ou do contrato, ou, ainda, de 
convenção ou acordo coletivo de trabalho ou sentença normativa. 
Para o empregado doméstico, o salário-de-contribuição é a 
remuneração registrada na Carteira de Trabalho. 
Para o contribuinte individual, o salário-de-contribuição corresponde à 
remuneração auferida em uma ou mais empresas ou pelo exercício de sua 
atividade por conta própria, durante o mês. Para o segurado facultativo, o 
salário-de-contribuição equivale ao valor por ele declarado. 
Para o salário-de-contribuição são estipulados limites mínimo e máximo. 
O menor valor, o limite mínimo do salário-de-contribuição é o salário mínimo. E 
o maior valor, o limite máximo, do salário-de-contribuição é fixado por Portarias 
Interministeriais, sofrendo reajustes nas ocasiões em que são reajustados os 
valores dos benefícios de prestação continuada da Previdência Social. 
 
 
 
 
Salário-de-contribuição é o valor que serve de base de incidência 
das alíquotas das contribuições previdenciárias. É a base de cálculo 
da contribuição previdenciária devida pelos trabalhadores. 
. 
Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br 
 
 
 
7 
 
Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 
 
Unidade: Contribuintes, contribuições, isenções, 
responsabilidade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.