A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Resumo - Estudo da Dor

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 
Estudo da Dor 
I N TRO DU ÇÃ O 
► O que é dor? 
▪ Uma experiência sensorial e emocional 
desagradável associada ou semelhante à 
associada a um dano tecidual real ou potencial 
(IASP, 2020) 
▪ "É inquestionavelmente uma sensação subjetiva 
influenciada por fatores biológicos, psicológicos e 
sociais" 
▪ Diferente de Processo Nociceptivo 
− Pisar no prego: o processo seria o mesmo, mas 
a dor não 
▪ Se paciente reporta uma experiência sua como 
dor, ela deve ser aceita e respeitada como dor 
▪ Durante suas experiências de vida, indivíduos 
aprendem sobre dor 
▪ Descrição verbal é um dos meios de expressar 
dor; inabilidade de comunicar não nega a 
possibilidade de estar experimentando dor 
▪ Embora papel adaptativo, pode ter efeitos 
adversos na função e bem estar social e 
psicológico 
− Adapta as pessoas a sobreviver 
▪ Dor total 
− Componente físico, Psicológico, Social e 
Espiritual 
 
► Diferenças Básicas entre Dor Aguda e Crônica 
▪ AGUDA 
− Duração de, no máximo, 3 meses 
− Causa geralmente conhecida 
− Sintoma de alguma doença 
− Responde bem à tratamento 
− Função vital para proteção 
▪ CRÔNICA 
− Duração maior que 3 meses 
− Causa geralmente desconhecida (1/3 sabem) 
− Doença 
− No tratamento não respondem bem 
− Sem função protetora 
A VA LI AÇ ÃO D A D OR 
Observação do comportamento 
► Fácies de dor 
► Posição 
► Marcha 
Parâmetros fisiológicos 
► Pressão pode estar ↑ pela dor 
► Frequência cardíaca ↑ 
► Pupila dilatada 
► Sudorese agressiva 
Autorrelato 
► Método mais fidedigno de avaliar a dor 
T AX ONO MI A 
1. Analgesia/Hipoalgesia: ausência/diminuição da 
dor em resposta a estímulo que normalmente seria 
doloroso 
2. Anestesia Dolorosa: dor em uma área ou região que 
está anestesias 
3. Disestesia: uma sensação anormal desagradável, 
seja espontânea ou provocada 
4. Hiperalgesia: Quando um estímulo que 
normalmente causa dor leva a uma sensação de dor 
maior do que a esperada para aquela ocasião 
5. Alodínea: Dor devido a estímulo que normalmente 
não causa dor 
6. Hiperestasia: Sensibilidade aumentada ao estímulo, 
excluindo a sensibilidade especial 
7. Hipoalgesia: sensação de dor diminuída em 
resposta a um estímulo normalmente doloroso 
8. Hipoestesia: sensibilidade diminuída ao estímulo, 
excluindo a sensibilidade especial 
9. Hiperpatia: Síndrome dolorosa caracterizada por 
reação anormal dolorosa a um estímulo, 
 
 2 
especialmente um estímulo repetitivo e também por 
um limiar aumentado 
10. Neuralgia: Dor na distribuição de um ou mais nervos, 
não devendo ser reservado apenas para dor 
paroxísticas 
11. Neurite: Inflamação de um ou mais nervos 
12. Neuropatia: Distúrbio de função ou alteração 
patológica em um nervo. Pode ser classificada em: 
▪ Mononeuropatia: apenas um nervo 
▪ Mononeuropatia Múltipla: lesão sequencial ou 
simultânea a múltiplos nervos não contíguos 
▪ Polineuropatia: difusa e bilateral 
13. Plexopatia: lesão que acomete um plexo inteiro 
14. Dor neuropática: Dor causada por uma lesão ou 
doença do sistema nervoso sensorial. Requer uma 
lesão demonstrável ou uma doença que satisfaça 
critérios diagnósticos previamente estabelecidos 
15. Nocicepção: processo neural de codificação do 
estímulo nocivo 
16. Nociceptor: receptor que é capaz de transduzir e 
codificar o estímulo nocivo 
17. Limiar de dor: intensidade mínima de um estímulo 
que é percebido como doloroso 
18. Estímulo Nóxico: Estimulo que é prejudicial ou 
ameaça um prejuízo para tecidos normais 
19. Nível de tolerância à Dor: Intensidade máxima de 
um estimulo que produz dor que alguém é capaz de 
suportar 
20. Sensibilização: Resposta aumentada de neurônios 
nociceptivos aos seus sinais aferentes normais ou 
abaixo do limite. Clinicamente esse termo pode 
somente ser usado por fenômenos como 
hiperalgesia ou alodinea 
21. Sensibilização Central: Quando o fenômeno da 
sensibilização ocorre no sistema nervoso central 
22. Sensibilização Periférica: Quando o fenômeno da 
sensibilização ocorre no sistema nervoso periférico 
23. Dor Nociceptiva: Dor originada de lesão a tecido 
não neural e devida à ativação de nociceptores. 
Ocorre com um normal funcionamento do sistema 
nervoso somatosensitivo, que contrasta com a função 
anormal do sistema nervoso somatosensitivo que 
ocorre na Dor Neuropática 
24. Dor Nociplástica: Dor originada da nocicepção 
alterada apesar de não ter clara evidência de 
lesão tecidual ativando os nociceptores ou doença 
do sistema Somatosensitivo 
25. Parestesia: Uma sensação anormal não 
desagradável seja espontânea ou provocada 
26. Estímulo Nociceptivo: Um real ou potencial evento 
prejudicial transduzido e codificado por 
nociceptores 
27. Neurônio Nociceptivo: Neurônio central ou 
periférico do sistema somatosensitivo que codifica 
estímulo nocivo 
28. Tratamento Interdisciplinar: É aquele realizado por 
um time multidisciplinar colaborando na avaliação e 
tratamento, usando um modelo biopsicosocial e 
objetivos. Nesse modelo de tratamento há encontros 
regulares, concordância em diagnóstico e alvos 
terapêuticos e planejamento de tratamento 
29. Tratamento Multidisciplinar: Tratamento 
multimodal realizado por diferentes profissionais. 
Todos com seus próprios objetivos terapêuticos, 
tendo suas próprias metas individuais e não 
necessariamente se comunicando 
30. Tratamento Multimodal: É o tratamento no qual é 
feito o uso simultâneo de intervenções terapêuticas 
separadas com diferentes mecanismos de ação 
dentro de uma especialidade destinado a 
mecanismos diferentes de dor. Como, por exemplo, 
o uso de um AINH e órtese prescrito por um médico 
para controle de dor 
31. Tratamento Unimodal: Intervenção terapêutica única 
dirigida a um mecanismo especifico de dor. Temos 
como exemplo a aplicação de tratamento de 
exercício por um fisioterapeuta 
T I PO S DE DOR ES 
Dor Nociceptiva 
► Dor originada de lesão a tecido não neural 
► Dor devido à ativação de nociceptores 
► Ocorre com um normal funcionamento do sistema 
nervoso somatosensitivo, que contrasta com a função 
anormal do sistema nervoso somatosensitivo que 
ocorre na Dor Neuropática 
Dor Neuropática 
► Dor causada por uma lesão ou doença do sistema 
nervoso sensorial 
► Requer uma lesão demonstrável ou uma doença 
que satisfaça critérios diagnósticos previamente 
estabelecidos 
► Lesão em algum nervo grande ou plexo ou tronco 
▪ Pode ser de origem Central ou Periférica 
► Alodínea é clássica, mas não Patognômica 
► Quase sempre se torna crônica 
 
 3 
Diferenças 
Nociceptiva Neuropática 
 Dolorosa ou 
latejante + bem 
localizada 
 Dor Descrita como 
formigamento → 
semelhante a choque e 
queimação (Comum 
associar a dormência) 
 Duração limitada 
(resolvida quando 
tecido danificado é 
curado) → pode ser 
crônica 
 Quase sempre uma 
condição crônica 
 Responde a 
analgésicos 
convencionais 
 Responde pouco a 
analgésicos 
convencionais 
 
Dor Nociplás ticas 
► Dor originada da nocicepção alterada apesar de 
não ter clara evidência de lesão tecidual ativando 
os nociceptores ou doença do sistema 
Somatosensitivo 
▪ Não há lesão real ou potencial, mas há uma 
ativação do Sistema Somatosensitivo 
► São dores muito comuns: Cefaleias primárias, 
Lombalgias inespecíficas, Fibromialgia 
▪ Porém não tinha lesão no Somato nem ativação de 
nociceptores 
► Sistema modulatório deficiente → ajuda diminuir 
sensação da dor 
Dores Mis tas 
► Intercessão de pelo menos 2 tipos desses 3 em uma 
mesma região 
► Causas: Tumores, Radiculopatias, Neuropatias 
Compressivas 
► Despertar dos profissionais para diagnóstico e base 
para novas tecnologias 
► Categorização de algumas dores crônicas 
atualmente classificadas como dor de origem 
desconhecida