A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
[23 02 2021] Imunidade e Transplante

Pré-visualização | Página 2 de 2

e ao passo que elas 
desaparecem ocorre cessação da 
atividade do Linfócito T CD8+. 
 
 
 
Doença do Enxerto Contra o Hospedeiro 
(GVHD) 
 
• É uma doença muito comum em 
transplante de células-tronco 
hematopoiéticas; 
↳ Ex.: Transplante de medula óssea em 
casos de leucemia; 
↳ Nesse caso, ocorre depleção da medula 
óssea do receptor. 
 
• Os Linfócitos T maduros enxertados reagem 
contra os antígenos do hospedeiro, 
destruindo células da pele, fígado, pulmão e 
intestino. 
↳ Essa intensa destruição das células 
epiteliais possui como consequência o 
desprendimento da pele e dos 
intestinos; 
 Em alguns casos isso pode ser 
fatal. 
↳ O indivíduo receptor apresenta febre, 
anemia, exantemas, diarreia e 
complicações hepáticas. 
Seleção de Doadores 
 
 
 
 
 
Avaliação do 
histórico clínico do 
doador 
 
Tipagem 
sanguínea 
ABO 
 
Histórico de 
gravidez múltipla, 
transplante de 
sangue ou outras 
exposições a 
antígenos. 
 
Serve para 
avaliar a 
compatibilidade 
sanguínea entre o 
hospedeiro e o 
enxerto. 
 
 
 
 
 
 
Tipagem 
do gene 
HLA 
 
Painel reativo de 
anticorpos (PRA) 
e Crossmatch 
 
Esse exame 
avalia a 
compatibilidade de 
HLA (antígeno 
leucocitário 
humano) entre as 
células do 
hospedeiro e do 
enxerto 
 
Ambos os exames 
servem para 
avaliar se o 
hospedeiro já 
possui 
anticorpos pré-
formados contra 
as células do 
enxerto 
 
Tratamento para Rejeições 
 
• O tratamento para 
rejeições é feita com 
drogas imunossupressoras 
(principalmente drogas 
anti-inflamatórios como os 
corticosteroides). 
Carlos Eduardo Campos Mendes T5 Medicina 
 
Universidade Nove de Julho Campus São Bernardo do Campo 
 
Liste de Espera e importância dos 
Transplantes 
 
• Os transplantes e o conhecimento dos 
processos imunes que levam à foram um 
importante avanço para a medicina 
moderna; 
↳ Sem os bancos de sangue, muitos 
procedimentos cirúrgicos seriam 
impossíveis de serem feitos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Os órgãos mais transplantados são rins, 
fígado, coração, pulmão, pâncreas e 
intestinos 
 
• Para se tornar um doador de órgãos, é 
necessária aprovação da família. 
↳ É importante para os profissionais da 
saúde apresentarem todas as 
informações importantes no momento 
de morte-encefálica, pois a falta de 
informação é uma das principais razões 
para a recusa. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Transplante → Retirada de um enxerto de um indivíduo e inserção dele em outro indivíduo; 
↳ Doador → É o indivíduo de quem o enxerto é retirado; 
↳ Receptor → É o indivíduo no qual o enxerto é inserido. 
 
• Enxerto → Células, tecidos ou órgãos do doador que são transplantados no receptor; 
↳ Autólogo → De um indivíduo para si mesmo; 
↳ Singênico → Entre indivíduos que possuem o mesmo genoma (gêmeos monozigóticos); 
↳ Alogênico → Entre indivíduos da mesma espécie, porém que possuem genomas 
distintos; 
↳ Xenogênico → Entre indivíduos de espécies diferentes. 
 
• Aloantígenos → Moléculas do enxerto que ativam uma resposta imune no receptor; 
↳ Complexo Maior de Histocompatibilidade → MHC I e MHC II (codificados pelo HLA); 
↳ Complexo Menor de Histocompatibilidade → Peptídeos do enxerto. 
 
• Componentes alorreativos → São as células e moléculas da imunidade adaptativa que 
reagem contra os aloantígenos; 
 
• As reações dos componentes alorreativos contra o enxerto acontecem premeditadas por 
dois tipos de reconhecimento; 
↳ Reconhecimento direto → Linfócitos do receptor reconhecem antígenos pelas APCs 
do doador (MHC I, MHC II e peptídeos); 
↳ Reconhecimento indireto → Linfócitos do receptor reconhecem antígenos por 
apresentação de suas próprias APCs (MHC I e peptídeos). 
 
• Rejeição → É a resposta imune adaptativa do receptor contra as células do enxerto. 
↳ Hiperaguda → Imunidade humoral (anticorpos pré-formados) → Inflamação da 
túnica íntima de vasos, oclusão do lúmen, isquemia; 
↳ Aguda → Imunidade celular e humoral (L T CD4+, L T CD8+ e L B) → Inflamação da 
túnica íntima, oclusão, isquemia, apoptose das células do enxerto pelo CTL e ativação 
de um processo inflamatório pelo Linfócito T auxiliar; 
↳ Crônica → Imunidade celular tardia (L T CD4+) → Linfócito T auxiliar induz 
inflamação do endotélio e libera citocinas que induzem multiplicação do músculo liso 
da túnica média, ocorre fibrose e formação de trombos, isquemia. 
 
resumo