A maior rede de estudos do Brasil

Alguém pode me explicar e dar um exemplo do Art. 12 do código penal que trata de Legislação Especial?

O artigo é breve mais um pouco difícil de entender


5 resposta(s)

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Primeiro o artigo 12 do CP diz: Legislação especial Art. 12 - As regras gerais deste Código aplicam-se aos fatos incriminados por lei especial, se esta não dispuser de modo diverso.

Existe uma regra que diz que a lei especial prevalece sobre a lei geral (PRINCÍPIO DA Especialidade). Portanto, digamos que temos uma regra no código penal que homicidio culposo é pena de 02 a 06 anos, porém nos crimes de transito temos esse mesmo homicidio com 02 a 04 anos.
A lei nos crimes de transito por sei uma lei especial vai prevalecer sobre a lei geral, no caso do homicidio do Codigo penal.  Por isso que o artigo diz: "as regras gerais deste código aplicam-se aos fatos incriminados por lei especial, se esta não dispuser de modo diverso" leia-se: Se a lei especial não dispor de modo diverso ( ou seja, em conflito com a norma do codigo penal, senão vai aplicar esta porque é especial), as normas do codigo penal (regras gerais) irão ser aplicadas normalmente. Por exemplo latrocínio, roubo seguido de morte, quando alguem o faz no trânsito envolvendo roubo de veiculo, não temos isso tipificado nas leis de transito, logo aplica-se o codigo penal.

Espero que tenha entendido, se ainda tiver duvidas fique a vontade para perguntar, não esqueça de aprovar a resposta. Boa Sorte!

Primeiro o artigo 12 do CP diz: Legislação especial Art. 12 - As regras gerais deste Código aplicam-se aos fatos incriminados por lei especial, se esta não dispuser de modo diverso.

Existe uma regra que diz que a lei especial prevalece sobre a lei geral (PRINCÍPIO DA Especialidade). Portanto, digamos que temos uma regra no código penal que homicidio culposo é pena de 02 a 06 anos, porém nos crimes de transito temos esse mesmo homicidio com 02 a 04 anos.
A lei nos crimes de transito por sei uma lei especial vai prevalecer sobre a lei geral, no caso do homicidio do Codigo penal.  Por isso que o artigo diz: "as regras gerais deste código aplicam-se aos fatos incriminados por lei especial, se esta não dispuser de modo diverso" leia-se: Se a lei especial não dispor de modo diverso ( ou seja, em conflito com a norma do codigo penal, senão vai aplicar esta porque é especial), as normas do codigo penal (regras gerais) irão ser aplicadas normalmente. Por exemplo latrocínio, roubo seguido de morte, quando alguem o faz no trânsito envolvendo roubo de veiculo, não temos isso tipificado nas leis de transito, logo aplica-se o codigo penal.

Espero que tenha entendido, se ainda tiver duvidas fique a vontade para perguntar, não esqueça de aprovar a resposta. Boa Sorte!

User badge image

Pabllo

Há mais de um mês

Art. 12 - Legislação Especial

 
Art. 12 - As regras gerais deste Código aplicam-se aos fatos incriminados por lei especial, se esta não dispuser de modo diverso.
 
 O Código Penal, no Brasil, não é o único diploma legal que disciplina condutas delituosas. Outras leis (tidas como legislação esparsa - legislação especial) podemdescrever crimes e cominar as respectivas penas.
 
 O que o presente dispositivo propõe é aplicação subsidiária da parte geral do Código Penal a outras leis penais, quando elas não dispuserem de modo diverso.


 A lei de tóxicos, por exemplo, apenas descreve condutas a serem consideradas típicas do tráfico e consumo de entorpecentes, o que impõe a ela a aplicação dos institutos previstos na parte geral do Código Penal.
User badge image

Sergio

Há mais de um mês

Concordo com as respostas acima. Chamo atenção aos detalhes no texto. Vejamos:

 

Art. 12 - As regras gerais deste Código aplicam-se aos fatos incriminados por lei especial, se esta não dispuser de modo diverso.

 

A chave da questão está no termo "se esta", pois este termo se refere à lei especial e nos obriga a entender que se houver determinação diferente prevalece a lei especial.

 

O caso concreto vai determinar o que deve ser aplicado, por exemplo, vamos imaginar a conduta de um cidadão na condução do seu veículo. Vejamos:

Hipótese

O condutor trafega com seu veículo quando repentinamente atropela um cidadão, vindo a óbito.

Pergunta-se: Se houve a intenção de matar seria considerado crime de trânsito?

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes