Direito contratual: contratos em espécie

Fabrício, casado pelo regime de Comunhão Parcial de Bens com fabrícia fez uma doação pura e simples para Pafúncia de um imóvel por ele adquirido antes do casamento (bem livre)e portanto o fez sem a autorização da Fabrícia. Ocorre que Fabrícia insatisfeita com esse fato, houve por separar-se de Fabrício que concordou de plano, oportunidade em que foram partilhados legalmente todos os bens do casal (ou seja, todos os bens adquiridos após o casamento - bens comuns). Ocorre que passado dois anos e meio da separação (prescreve o prazo do 1649,CC), Fabrícia descobre por confissão de pafúncia, que esta, na época que recebeu a doação, era amante de Fabrício. Sendo assim, descontente com os fatos Fabrícia procura por você que já é conhecedor da matéria e portanto pode lhe dar parecer sobre seus eventuais direitos. Seja sucinto na escrita.

  • Acredito que Fabrícia não poderá anular a doação que Fabrício fez a Pafúncia, por que essa doação se tratava de bem livre de Fabrício. 
    Quando Fabrícia se divorciou do Fabrício, foram partilhados legalmente os bens comuns do casal (bens adquiridos após o casamento). Portanto, além do prazo de 2 anos ter se extinguido (art. 1649,CC), o descontentamento de Fabrícia com relação a doação não traria nenhuma hipótese de anulação da doação, pois foi feito de modo legal.  
#Doação
Disciplina:Direito Contratual1.519 materiais

1 resposta(s)

Carregar mais