A maior rede de estudos do Brasil

ALGUÉM TEM O CASO CONCRETO 12 E 13 DE PRATICA 5 RESOLVIDOS?


1 resposta(s)

User badge image

Valéria

Há mais de um mês

 

caso concreto 12

(PEÇA DE INTERPOSIÇÃO)

 

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO...

 

          

Processo nº...

 

JOSÉ..., já qualificado nos autos da ação popular movida em face de PRESIDENTE DO BANCO X e  EMPRESA W, por seu advogado que esta subscreve, com endereço profissional na Rua..., Bairro..., Cidade..., Estado..., local indicado para receber as devidas intimações nos termos do artigo 106, do Código de  Processo  Civil/2015, vem, inconformado com acórdão de folhas nº..., proferido por esse  Tribunal de Justiça, perante Vossa Excelência, com fulcro no artigo 102, inciso III, alínea “a”, da Constituição Federal/88 e artigo 1.029 da Lei nº 13.105/15, interpor

  

RECURSO EXTRAORDINÁRIO

 

para o Superior Tribunal de Justiça, cujas razões seguem em anexo, deixando o recorrente de preparar o recurso, considerando que é beneficiário da Gratuidade de Justiça, conforme se verifica nos autos à fl...., requerendo, seja estendida a gratuidade ao presente recurso, haja vista não possuir  condições financeiras de arcar com o pagamento das custas e dos honorários advocatícios, sem prejuízo do próprio sustento e de sua família Requer, que se digne  Vossa  Excelência  a  determinar  a  intimação da parte recorrida, facultando-lhe a apresentação de contrarrazões no prazo legal, sob pena de preclusão, consoante o artigo 1.030 do novo CPC.

Por fim, requer após as formalidades legais que seja deferido o processamento,com consequente remessa do presente recurso ao Supremo Tribunal Federal.

 

Termos em que, pede deferimento.

 

 

Local..., data...

 

 

 

Assinatura do Advogado

OAB/UF

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(PEÇA DE RAZÕES DO RECURSO)

 

                            RAZÕES DO RECURSO EXTRAORDINÁRIO

 

 

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

 

RECORRENTE: José....

RECORRIDO: Presidente do Banco x e Empresa W

AÇÃO: Popular

JUIZO:...

 

Egrégio tribunal,

Nobres julgadores

 

Não merece prosperar o venerando acórdão que negou provimento ao recurso de apelação, uma vez que a decisão viola princípios constitucionais.

 

DA TEMPESTIVIDADE

 

Facilmente se depreende do quadro abaixo a tempestividade na interposição do presente  recurso extraordinário, uma vez que foi protocolizado dentro do prazo de 15 (quinze) dias definido no Código de Processo Civil. 

O acórdão ora guerreado foi publicado no dia..., tendo, todavia sido opostos pela parte autora, ora  recorrente, embargos de declaração no dia..., sendo certo que o prazo para os embargos expiraria em..., portanto, tempestivos os embargos.

Imprescindível trazer à baila a norma contido no artigo 1.026 da Lei 13.105/2015 (novo CPC), o qual  determina expressamente que: “Os embargos de declaração não possuem efeito  suspensivo  e interrompem o prazo para a interposição de recurso.”

Assim, considerando a interrupção do prazo mediante a oposição dos embargos de declaração, não  há dúvidas de que a contagem para o presente recurso teve seu início da publicação do acórdão que julgou os embargos de declaração.

 

DA REPERCUSSÃO GERAL

 

Atendendo aos preceitos legais instituídos pelo artigo 102, §3º da CRFB/88, o recorrente vem  demonstrar que a questão discutida nos autos possui repercussão geral apta a ensejar admissibilidade do apelo extraordinário por essa Corte. 

No caso em apreço, é nítida a  repercussão geral diante do interesse econômico e jurídico que  ultrapassam questões subjetivas da causa, tendo em vista o prejuízo ao erário e a  violação à moralidade administrativa, pois a manutenção da lei 1234 gera violação aos princípios constitucionais e à lei infraconstitucional, atingindoa coletividade. 

 

DO PREQUESTIONAMENTO 

 

Verifica-se que o venerando acórdão se manifestou expressamente sobre a questão constitucional  debatida no recurso de apelação, diante do que se conclui que  se  encontra preenchido o requisito legal do prequestionamento. 

 

DO CABIMENTO

 

É cabível o presente recurso nos termos da Constituição Federal, artigo 102,III, “a” CRFB/88.

Verifica-se que o Egrégio Tribunal de Justiça ao manter em última instância a decisão proferida pelo Dr. magistrado de primeiro grau em descompasso com a Constituição, abriu precedente que autoriza  a interposição do presente Recurso Extraordinário na forma da Lei. No caso em questão é nítida violação aos artigos 37 caput, da CRFB/88, bem como ao artigo 22, art. 22,  inciso XXVII estabelece  competência privativa da União para  legislar sobre normas gerais de licitação. A referida lei estadual, ao dispor sobre  dispensa de licitação acabou por ferir a competência exclusiva da União, com usurpação da competência.

 

DO MÉRITO

 

Trata- se de ação popular ajuizada por José... em face do Presidente do Banco X e da Empresa W perante o Juízo de 1ª instância da capital do Estado Y. 

Com fundamento na recente Lei  n. 1.234, do Estado Y, que exclui as entidades de direito privado da  Administração Pública do dever de licitar, o banco X  (empresa pública daquele Estado) realizou a contratação direta de uma empresa de informática  -  a Empresa W - para atualizar os sistemas do banco. O caso veio a público após a revelação de que a empresa contratada pertence ao filho do  presidente do banco e que esta nunca prestou tal serviço antes. Além disso, o valor pago (milhões de  reais)  estava muito acima do preço de mercado, do que vem sendo praticado por outras empresas.

O  recorrente  pleiteou  em primeira instância a declaração de invalidade do ato de  contratação e o  pagamento das perdas e danos, ao fundamento de violação ao art. 1º, parágrafo único da Lei  n. 8.666/1993 (norma geral sobre  licitação e contratos) e a diversos princípios constitucionais.

A  sentença, entretanto,  julgou improcedente o pedido formulado na petição inicial, afirmando ser  válida a lei estadual que autoriza a contratação direta, sem licitação, pelas entidades de direito privado  da Administração Pública, analisada em face da lei federal, não considerando violados os princípios constitucionais invocados. 

Pelo, ora recorrente, foi  interposto  recurso de apelação, ao qual foi negado provimento, por unanimidade, pelo mesmo fundamento levantado na sentença.

Após interpostos os embargos declaratórios que foram rejeitados, o recorrente não viu outra saída senão a interposição do presente recurso.

Diante dos fatos, resta  cristalino que o v. acórdão não julgou consoante o entendimento dos Tribunais  Superiores,  pois de acordo com o demonstrado no curso da ação, a Lei nº 1234, editada pelo Estado  Y viola frontalmente o texto constitucional no que se  refere aos princípios basilares da administração  pública, bem como ultrapassou os limites da competência do estado.

 

DOS PEDIDOS

 

Diante do exposto requer aos Nobres Julgadores que o presente recurso extraordinário seja CONHECIDO e PROVIDO, a  fim de que seja reformado o Venerando Acórdão no sentido de invalidar o ato de contratação entre  os recorridos, condenando-os ao pagamento de perdas e danos ao erário, pelos prejuízos causados.

 

Nestes termos, pede deferimento.

 

 

 

Local..., data...

 

 

 

Advogado...

                                                                        OAB/UF n.º..

 

caso concreto 12

(PEÇA DE INTERPOSIÇÃO)

 

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO...

 

          

Processo nº...

 

JOSÉ..., já qualificado nos autos da ação popular movida em face de PRESIDENTE DO BANCO X e  EMPRESA W, por seu advogado que esta subscreve, com endereço profissional na Rua..., Bairro..., Cidade..., Estado..., local indicado para receber as devidas intimações nos termos do artigo 106, do Código de  Processo  Civil/2015, vem, inconformado com acórdão de folhas nº..., proferido por esse  Tribunal de Justiça, perante Vossa Excelência, com fulcro no artigo 102, inciso III, alínea “a”, da Constituição Federal/88 e artigo 1.029 da Lei nº 13.105/15, interpor

  

RECURSO EXTRAORDINÁRIO

 

para o Superior Tribunal de Justiça, cujas razões seguem em anexo, deixando o recorrente de preparar o recurso, considerando que é beneficiário da Gratuidade de Justiça, conforme se verifica nos autos à fl...., requerendo, seja estendida a gratuidade ao presente recurso, haja vista não possuir  condições financeiras de arcar com o pagamento das custas e dos honorários advocatícios, sem prejuízo do próprio sustento e de sua família Requer, que se digne  Vossa  Excelência  a  determinar  a  intimação da parte recorrida, facultando-lhe a apresentação de contrarrazões no prazo legal, sob pena de preclusão, consoante o artigo 1.030 do novo CPC.

Por fim, requer após as formalidades legais que seja deferido o processamento,com consequente remessa do presente recurso ao Supremo Tribunal Federal.

 

Termos em que, pede deferimento.

 

 

Local..., data...

 

 

 

Assinatura do Advogado

OAB/UF

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(PEÇA DE RAZÕES DO RECURSO)

 

                            RAZÕES DO RECURSO EXTRAORDINÁRIO

 

 

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

 

RECORRENTE: José....

RECORRIDO: Presidente do Banco x e Empresa W

AÇÃO: Popular

JUIZO:...

 

Egrégio tribunal,

Nobres julgadores

 

Não merece prosperar o venerando acórdão que negou provimento ao recurso de apelação, uma vez que a decisão viola princípios constitucionais.

 

DA TEMPESTIVIDADE

 

Facilmente se depreende do quadro abaixo a tempestividade na interposição do presente  recurso extraordinário, uma vez que foi protocolizado dentro do prazo de 15 (quinze) dias definido no Código de Processo Civil. 

O acórdão ora guerreado foi publicado no dia..., tendo, todavia sido opostos pela parte autora, ora  recorrente, embargos de declaração no dia..., sendo certo que o prazo para os embargos expiraria em..., portanto, tempestivos os embargos.

Imprescindível trazer à baila a norma contido no artigo 1.026 da Lei 13.105/2015 (novo CPC), o qual  determina expressamente que: “Os embargos de declaração não possuem efeito  suspensivo  e interrompem o prazo para a interposição de recurso.”

Assim, considerando a interrupção do prazo mediante a oposição dos embargos de declaração, não  há dúvidas de que a contagem para o presente recurso teve seu início da publicação do acórdão que julgou os embargos de declaração.

 

DA REPERCUSSÃO GERAL

 

Atendendo aos preceitos legais instituídos pelo artigo 102, §3º da CRFB/88, o recorrente vem  demonstrar que a questão discutida nos autos possui repercussão geral apta a ensejar admissibilidade do apelo extraordinário por essa Corte. 

No caso em apreço, é nítida a  repercussão geral diante do interesse econômico e jurídico que  ultrapassam questões subjetivas da causa, tendo em vista o prejuízo ao erário e a  violação à moralidade administrativa, pois a manutenção da lei 1234 gera violação aos princípios constitucionais e à lei infraconstitucional, atingindoa coletividade. 

 

DO PREQUESTIONAMENTO 

 

Verifica-se que o venerando acórdão se manifestou expressamente sobre a questão constitucional  debatida no recurso de apelação, diante do que se conclui que  se  encontra preenchido o requisito legal do prequestionamento. 

 

DO CABIMENTO

 

É cabível o presente recurso nos termos da Constituição Federal, artigo 102,III, “a” CRFB/88.

Verifica-se que o Egrégio Tribunal de Justiça ao manter em última instância a decisão proferida pelo Dr. magistrado de primeiro grau em descompasso com a Constituição, abriu precedente que autoriza  a interposição do presente Recurso Extraordinário na forma da Lei. No caso em questão é nítida violação aos artigos 37 caput, da CRFB/88, bem como ao artigo 22, art. 22,  inciso XXVII estabelece  competência privativa da União para  legislar sobre normas gerais de licitação. A referida lei estadual, ao dispor sobre  dispensa de licitação acabou por ferir a competência exclusiva da União, com usurpação da competência.

 

DO MÉRITO

 

Trata- se de ação popular ajuizada por José... em face do Presidente do Banco X e da Empresa W perante o Juízo de 1ª instância da capital do Estado Y. 

Com fundamento na recente Lei  n. 1.234, do Estado Y, que exclui as entidades de direito privado da  Administração Pública do dever de licitar, o banco X  (empresa pública daquele Estado) realizou a contratação direta de uma empresa de informática  -  a Empresa W - para atualizar os sistemas do banco. O caso veio a público após a revelação de que a empresa contratada pertence ao filho do  presidente do banco e que esta nunca prestou tal serviço antes. Além disso, o valor pago (milhões de  reais)  estava muito acima do preço de mercado, do que vem sendo praticado por outras empresas.

O  recorrente  pleiteou  em primeira instância a declaração de invalidade do ato de  contratação e o  pagamento das perdas e danos, ao fundamento de violação ao art. 1º, parágrafo único da Lei  n. 8.666/1993 (norma geral sobre  licitação e contratos) e a diversos princípios constitucionais.

A  sentença, entretanto,  julgou improcedente o pedido formulado na petição inicial, afirmando ser  válida a lei estadual que autoriza a contratação direta, sem licitação, pelas entidades de direito privado  da Administração Pública, analisada em face da lei federal, não considerando violados os princípios constitucionais invocados. 

Pelo, ora recorrente, foi  interposto  recurso de apelação, ao qual foi negado provimento, por unanimidade, pelo mesmo fundamento levantado na sentença.

Após interpostos os embargos declaratórios que foram rejeitados, o recorrente não viu outra saída senão a interposição do presente recurso.

Diante dos fatos, resta  cristalino que o v. acórdão não julgou consoante o entendimento dos Tribunais  Superiores,  pois de acordo com o demonstrado no curso da ação, a Lei nº 1234, editada pelo Estado  Y viola frontalmente o texto constitucional no que se  refere aos princípios basilares da administração  pública, bem como ultrapassou os limites da competência do estado.

 

DOS PEDIDOS

 

Diante do exposto requer aos Nobres Julgadores que o presente recurso extraordinário seja CONHECIDO e PROVIDO, a  fim de que seja reformado o Venerando Acórdão no sentido de invalidar o ato de contratação entre  os recorridos, condenando-os ao pagamento de perdas e danos ao erário, pelos prejuízos causados.

 

Nestes termos, pede deferimento.

 

 

 

Local..., data...

 

 

 

Advogado...

                                                                        OAB/UF n.º..

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes