A maior rede de estudos do Brasil

princípios peculiares do direito trabalhista?

quais são os principios peculiares e por q são assim chamados?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Paduan Seta Advocacia Verified user icon

Há mais de um mês

Os princípios do direito processual do trabalho são: 

Princípio da oralidade: este princípio está previsto na própria CLT (art. 840, §2º; art. 847, caput; art. 850; art. 795) viabilizando algumas manifestações na modalidade oral, com o objetivo de dar mais celeridade ao processo. 

Princípio da concentração dos atos processuais: princípio visa concentrar em eventos únicos alguns atos processuais, por exemplo, prevendo audiência una para apresentação de defesa, manifestação da parte contrária, oitiva de testemunhas e depoimentos pessoais das partes, razões finais e, dependendo da complexidade do caso, prolação de sentença. Também tem como obejtivo a celeridade do processo.

Princípio da proteção do trabalhador: em razão da desigualdade entre empregado e empregador, o presente princípio visa conferir mais proteção à parte hipossuficiente da relação laboral. Este princípio se concretiza a partir da possibilidade de gratuidade de justiça; possibilidade de arquivamento da demanda, caso o empregado não apareça, e de decretação de revelia do empregador, caso este não apareça; exigência de depósito recursal ao empregador somente; possibilidade de petição verbal ao empregado; competência territorial em razão do local da prestação do serviço; etc..

Princípio da informalidade: a informalidade e a simplicidade estão muito presentes no processo do trabalho, desde que elas não atrapalhem o princípio do contraditório e da ampla defesa e assegurem a objetividade da causa de pedir. 

Princípio da irrecorribilidade das decisões interlocutórias: princípio que prevê a possibilidade de recurso das decisões interlocutórias somente quando do recurso da decisão final (art. 893, §1º da CLT).

Princípio do jus postulandi: previsto no art. 791 da CLT, viabiliza a atuação no processo sem a companhia de um advogado (nas varas do trabalho e nos TRT's).

Os princípios do direito processual do trabalho são: 

Princípio da oralidade: este princípio está previsto na própria CLT (art. 840, §2º; art. 847, caput; art. 850; art. 795) viabilizando algumas manifestações na modalidade oral, com o objetivo de dar mais celeridade ao processo. 

Princípio da concentração dos atos processuais: princípio visa concentrar em eventos únicos alguns atos processuais, por exemplo, prevendo audiência una para apresentação de defesa, manifestação da parte contrária, oitiva de testemunhas e depoimentos pessoais das partes, razões finais e, dependendo da complexidade do caso, prolação de sentença. Também tem como obejtivo a celeridade do processo.

Princípio da proteção do trabalhador: em razão da desigualdade entre empregado e empregador, o presente princípio visa conferir mais proteção à parte hipossuficiente da relação laboral. Este princípio se concretiza a partir da possibilidade de gratuidade de justiça; possibilidade de arquivamento da demanda, caso o empregado não apareça, e de decretação de revelia do empregador, caso este não apareça; exigência de depósito recursal ao empregador somente; possibilidade de petição verbal ao empregado; competência territorial em razão do local da prestação do serviço; etc..

Princípio da informalidade: a informalidade e a simplicidade estão muito presentes no processo do trabalho, desde que elas não atrapalhem o princípio do contraditório e da ampla defesa e assegurem a objetividade da causa de pedir. 

Princípio da irrecorribilidade das decisões interlocutórias: princípio que prevê a possibilidade de recurso das decisões interlocutórias somente quando do recurso da decisão final (art. 893, §1º da CLT).

Princípio do jus postulandi: previsto no art. 791 da CLT, viabiliza a atuação no processo sem a companhia de um advogado (nas varas do trabalho e nos TRT's).

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas