A maior rede de estudos do Brasil

Quais os princípios do Direito Agrário?


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

O Direito Agrário é o conjunto de normas e princípios que organizam a atividade rural, objetivando desenvolvimento social e econômico a partir do cumprimento da função social da terra.


Em síntese, os princípios do direito agrário são:

  • A é a única competente para legislar em matéria de direito agrário;

  • A terra é um bem que deve servir à coletividade;

  • A propriedade rural deve ser plenamente utilizada (função social);

  • A terra deve estar disponível a todos, e estes devem nela produzir;

  • O interesse público prevalece sobre as pretensões do indivíduo;

  • A lei deve buscar a manutenção da propriedade de subsistência de um núcleo familiar;

  • Deve-se estimular a unidade que se dedica a culturas agrícolas, criação de gado ou culturas florestais, com a finalidade de obtenção de renda;

  • A produção rural deve preservar os recursos naturais disponíveis.

O Direito Agrário é o conjunto de normas e princípios que organizam a atividade rural, objetivando desenvolvimento social e econômico a partir do cumprimento da função social da terra.


Em síntese, os princípios do direito agrário são:

  • A é a única competente para legislar em matéria de direito agrário;

  • A terra é um bem que deve servir à coletividade;

  • A propriedade rural deve ser plenamente utilizada (função social);

  • A terra deve estar disponível a todos, e estes devem nela produzir;

  • O interesse público prevalece sobre as pretensões do indivíduo;

  • A lei deve buscar a manutenção da propriedade de subsistência de um núcleo familiar;

  • Deve-se estimular a unidade que se dedica a culturas agrícolas, criação de gado ou culturas florestais, com a finalidade de obtenção de renda;

  • A produção rural deve preservar os recursos naturais disponíveis.

User badge image

Franciele

Há mais de um mês

 O Direito Agrário é regido por princípios próprios, tais quais SANTIAGO (2016) cita em seu artigo:

  1. Monopólio legislativo da União – a União é a única competente para legislar em matéria de direito agrário;
  2. Utilização da terra se sobrepõe à titulação dominical – a terra é um bem que deve servir à coletividade, em detrimento de um ou um número restrito de indivíduos;
  3. Propriedade condicionada à função – a propriedade rural deve ser plenamente utilizada, e não se tornar um objeto de especulação financeira;
  4. Dicotomia do direito agrário: política de reforma agrária e política de desenvolvimento rural – a terra deve estar disponível a todos, e estes devem nela produzir;
  5. Interesse público sobre o individual – o interesse público prevalece sobre as pretensões do indivíduo.
  6. Proteção à propriedade familiar e a pequena e média propriedade – a lei deve buscar a manutenção da propriedade que sirva ao sustento de um núcleo familiar, e as pequenas e médias propriedades – sempre produtivas, claro – devem ter o estímulo do poder público;
  7. Fortalecimento da empresa rural – deve ser estimulada a unidade que se dedica a culturas agrícolas, criação de gado ou culturas florestais, com a finalidade de obtenção de renda.
  8. Conservação e preservação dos recursos naturais e do meio ambiente etc. – a produção rural não deve desperdiçar ou por em risco os recursos naturais disponíveis;

Para GOMES (2013) os principais princípios que regem o Direito Agrário são diferentes, tais quais:

  1. Função social da Propriedade: este princípio reza que a propriedade deve atender as necessidades da coletividade, ou seja, no sentido de ser produtiva gerando emprego, renda etc.
  2. Justiça social: este princípio se molda no sentido de que as regras de direito agrário são voltadas para atender a necessidade de justiça social nas relações no campo, combatendo a desigualdade.
  3. Prevalência do Interesse Coletivo Sobre o Particular:este principio tem por base a supremacia do interesse publico, no direito agrário faz jus ao sentido social do direito agrário, pois só desta forma é possível combater os interesses dos mais privilegiados sobre os que realmente trabalham no campo e dependem da terra para sua subsistência.
  4. Reformulação da estrutura fundiária: este principio demonstra a força revolucionaria do direito agrário e sua intenção de mudança no direito brasileiro em prol do desenvolvimento da relação do homem com a terra.
  5. Progresso econômico e social: o direito agrário tem por base o progresso econômico e social do país com medidas protetivas e eficazes na política agrária.
  6. Autonomia:o direito agrário ainda não tem sua autonomia consolidada em forma de código em nosso pais no entanto é notório que é um ramo do direito autônomo, tal fato é provado mediante a analise das grades das faculdades que tem como matéria autônoma o Direito Agrário.
User badge image

Andre

Há mais de um mês

O Direito Agrário é o conjunto de normas e princípios que organizam a atividade rural, objetivando desenvolvimento social e econômico a partir do cumprimento da função social da terra.


Em síntese, os princípios do direito agrário são:

  • A é a única competente para legislar em matéria de direito agrário;

  • A terra é um bem que deve servir à coletividade;

  • A propriedade rural deve ser plenamente utilizada (função social);

  • A terra deve estar disponível a todos, e estes devem nela produzir;

  • O interesse público prevalece sobre as pretensões do indivíduo;

  • A lei deve buscar a manutenção da propriedade de subsistência de um núcleo familiar;

  • Deve-se estimular a unidade que se dedica a culturas agrícolas, criação de gado ou culturas florestais, com a finalidade de obtenção de renda;

  • A produção rural deve preservar os recursos naturais disponíveis.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

O Direito Agrário é o conjunto de normas e princípios que organizam a atividade rural, objetivando desenvolvimento social e econômico a partir do cumprimento da função social da terra.


Em síntese, os princípios do direito agrário são:

  • A é a única competente para legislar em matéria de direito agrário;

  • A terra é um bem que deve servir à coletividade;

  • A propriedade rural deve ser plenamente utilizada (função social);

  • A terra deve estar disponível a todos, e estes devem nela produzir;

  • O interesse público prevalece sobre as pretensões do indivíduo;

  • A lei deve buscar a manutenção da propriedade de subsistência de um núcleo familiar;

  • Deve-se estimular a unidade que se dedica a culturas agrícolas, criação de gado ou culturas florestais, com a finalidade de obtenção de renda;

  • A produção rural deve preservar os recursos naturais disponíveis.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas