A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Atv ordenha

Pré-visualização | Página 1 de 2

Fazenda Intensificada 
Com esse tipo de confinamento, sua fazenda terá 
mais produtividade e investimentos. 
Nutrição / Alimentação 
Deve-se investir em manejo das pastagens, 
oferecer suplementação alimentar, garantir o 
equilíbrio entre alimento volumoso e 
concentrado, prover água de qualidade e em 
abundância. Além disso, é preciso buscar por 
raças geneticamente superiores, que tenham 
alta performance na conversão alimentar. 
 Alimento volumoso — rico em 
fibras, importante para o bom 
funcionamento do rúmen; 
 Sal mineral, que fornece os macro e 
micro minerais essenciais para o 
funcionamento do metabolismo; 
 Alimento concentrado, que provê a 
quantidade de proteína e energia 
necessárias para atender os 
requerimentos da produção. 
4 Boas práticas em 
nutrição de Gado Leiteiro 
 
1. Faça o manejo das pastagens (escolha a 
espécie de forrageira que mais se 
adapta à sua região (que seja resistente 
à seca, encharcamento de solo ou 
geadas). 
2. Forneça Suplementação Alimentar. 
3. Disponibilize água de qualidade. 
4. Busque a raça ideal. 
 
5 Fases Alimentares 
1) Início da Lactação 
- Fornece forragem de alta qualidade 
- Estar seguro de que a ração contém adequada 
quantidade de PB, PDR e PNDR 
- Aumentar a quantidade de energia em taxas 
constantes após a parição 
- Considerar a adição de gordura à dieta 
- Permitir constante acesso ao alimento 
- Minimizar ao máximo as condições de estresse 
2) Pico do Consumo de Alimento 
- Fornecer alimentos várias vezes ao dia 
- Fornecer alimentos de alta qualidade 
- Limitar a quantidade de ureia, talvez em 100 
gramas por dia 
- Minimizar as condições que causam estresse 
3) Metade e Final da Lactação, 
Gestação 
Nesta fase, podemos aumentar a quantidade de 
ureia na dieta dos animais. Os problemas 
potenciais nesta fase são poucos, salvo o fato de 
que as vacas podem declinar de 8 a 10% na 
produção de leite por mês. 
4) Período Seco – 60 a 14 dias antes 
do parto 
- Observar a condição corporal e ajustar o 
fornecimento de energia se necessário 
- Fornecer somente os nutrientes requeridos e 
evitar grandes excessos 
- Começar a dieta de transição duas semanas 
antes da previsão de parto 
- Evitar excesso no consumo de cálcio e fósforo e 
de potássio 
5) Período de Transição 
- fornece grãos para adaptar o microbiota 
ruminal e estimular a formação das 
papilas ruminais responsáveis pela absorção 
- Aumentar a quantidade de proteína na dieta 
- Limitar ou retirar a gordura da dieta, pois pode 
reduzir o consumo 
- Lançar mão de niacina ou sais aniônicos para 
ajudar a prevenir cetose e febre do leite. 
Cooperleite 
 
Como Reduzir a CCS e 
CBT do Leite? 
 
1) Certifique-se de que as vacas e os 
bebedouros estejam limpos. 
 
Um ambiente sujo levará a um acúmulo de 
bactérias ambientais. Altos níveis de bactérias 
ambientais aumentam as chances de infecções 
oportunistas do úbere. 
 
2) Remoção de pelos do úbere 
 
Pelos longos no úbere permitem que sujeira, 
água e bactérias se acumulem. Estes podem 
entrar no nos tetos durante a ordenha e levar à 
mastite. Eles também podem entrar no leite a 
granel e contribuir para a contagem de bactérias 
do leite cru. 
 
3) Limpe os free-stalls 
4) Verifique diariamente as vacas secas para 
ver se há evidência de mastite clínica. 
A terapia de vacas secas é muito mais eficaz que 
a terapia antibiótica durante a lactação. 
 
5) Limpe os currais de vaca secas. 
 6) Aumente a limpeza das salas de ordenha 
7) Tenha um programa nutricional sólido e 
consistente para novilhas, bem como para 
vacas secas e lactantes. 
8) Mantenha um ambiente de baixo estresse 
para todas as vacas. 
 
Manejo de ordenha 
 
Os intervalos e frequências das ordenhas irão 
influenciar na secreção, o ideal é entre 8 até 12 
horas. 
De 1 para 2 ordenhas diárias terá de 20 a 30 % de 
aumento na produção 
De 2 a 3 ordenhas diárias terá 15 a 20% de 
aumento na produção 
Os equipamentos e os utensílios devem ser 
higienizados antes da ordenha, e estando 
funcionando e organizados Após cada ordenha, 
os instrumentos precisam ser novam 
Ordenha Contínua 
Importante destacar também, que temos que 
tentar evitar qualquer interrupção durante a 
ordenha, e o leite precisa ser extraído com 
rapidez. Isso porque a ação do hormônio 
ocitocina, que favorece a descida do leite, dura 
de 4 a 7 minutos. 
Qualquer interrupção provoca queda na 
produção. Além disso, se forem frequentes, há 
risco de prejudicar a vaca, já que o leite 
acumulado na glândula mamária serve de meio 
de cultura para que as bactérias causadoras das 
mastites se desenvolvam 
Efeitos Prejudiciais à produção de 
leite? 
 Demora para início da ordenha 
 Intervalos desiguais na frequência das 
ordenhas 
 Ordenhas Incompletas 
 Ordenha mecânica sob pressão errada 
ou uso inadequado 
 Mastite 
 
Controle da Mastite 
Antes das ordenhas, temos que retirar os 
primeiros jatos (3-4) em uma caneca telada ou de 
fundo preto com o objetivo de Diagnosticar 
Mastite Clínica que seria o leite com floculação, 
alteração de cor e consistência. Também temos 
que regularmente monitorar a saúde do úbere 
com o teste CTM (Califórnia Mastite Teste) para 
assim podermos diagnosticar a mastite 
subclínica. Sendo ela feita semanal, quinzenal ou 
mensalmente. 
As vacas sadias devem ser ordenhadas primeiro, 
até que as vacas com suspeita de mastite sejam 
tratadas e curadas, evitando, assim, a 
contaminação cruzada. Nesse processo, o leite 
das vacas afetadas deve ser descartado. 
Bem-Estar na condução 
das Vacas 
 O tratamento digno em todas as etapas de 
produção faz com que os animais se alimentem 
corretamente e produzam leite na quantidade e 
na qualidade desejada. 
E tudo começa na condução das vacas a sala de 
ordenha, isso deverá ser feito com muita 
tranquilidade, sem tapas ou gritos tirando 
qualquer situação estressante que possa 
comprometer a descida do leite. 
 
 
Higiene da sala e dos 
Equipamentos 
O piso da sala deve ser de Alvenaria, para 
facilitar a limpeza e evitar acúmulo de lama. 
Além disso, deve ter uma distribuição de água e 
bom escoamento para ser lavada após cada 
ordenha, evitando a proliferação de micro-
organismos e insetos. 
Os equipamentos e os utensílios devem ser 
higienizados antes da ordenha, e estando 
funcionando e organizados Após cada ordenha, 
os instrumentos precisam ser novamente 
higienizados, desinfetados e guardados em local 
limpo e protegido da umidade. 
Desinfecção dos Úberes 
A qualidade do leite e a saúde do úbere da vaca 
estão relacionadas à higiene na hora da ordenha. 
Então, os tetos das vacas devem estar limpos e 
secos. 
É indicado lavá-los com água corrente e, depois, 
proceder ao pré-dipping (mergulhar o teto em 
uma solução desinfetante, que pode ser água 
clorada a 2% ou iodada a 0,5%, por pelo menos 
30 segundos). Após, deve-se secar cada teto com 
um papel toalha diferente para evitar 
contaminações. 
A limpeza dos úberes também deve ser feita 
após finalizada a ordenha. Para isso, proceda ao 
pós-dipping, mergulhando cada teto 
inteiramente em solução desinfetante 
iodoglicerinada (iodo a 15,0%, glicerina líquida a 
7,5% e água destilada a 77,5%). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Com essas informações, podemos concluir que com uma alimentação 
e nutrição adequada as vacas tem maiores resultados de nutrientes e 
proteínas, adequando a alimentação para cada etapa/ciclo da vida 
delas. Tendo formas de minimizar o CCS e CBT que são de extrema 
importância para a produtividade e custo. Com o manejo 
intensificado temos alta produtividade e investimentos, fora isso 
trazemos um manejo de higiene dos equipamentos e utensílios, sala 
e desinfecção do úbere das vacas mostrando a melhor forma de 
limpar com cuidado e atenção. 
E mais importante que tudo, damos atenção ao controle da Mastite 
que é uma doença que acomete vaca leiteiras, relatando como 
diagnosticar

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.