Estudo de Caso - Minas Del Rey
27 pág.

Estudo de Caso - Minas Del Rey

Disciplina:Qualidade Gestao Negocios26 materiais71 seguidores
Pré-visualização4 páginas
ÍNDICE

A EMPRESA------------------------------------------------------------------------------------- 2

O PROBLEMA------------------------------------------------------------------------------------2

DADOS HISTÓRICOS--------------------------------------------------------------------------3

O AUMENTO DAS MANUTENÇÕES------------------------------------------------------5

OBSERVAÇÃO DA SITUAÇÃO-------------------------------------------------------------6

CARACTERIZAÇÃO DO PROBLEMA----------------------------------------------------7

ANÁLISE-----------------------------------------------------------------------------------------10

LEVANTAMENTO DE DADOS---------------------------------------------------10

DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO---------------------------------------------15

CAUSAS INFLUENTES------------------------------------------------------------16

CAUSAS MAIS PROVÁVEIS-----------------------------------------------------16

VERIFICAÇÃO DAS HIPÓTESES-----------------------------------------------17

PRIMEIRA HIPÓTESE---------------------------------------------------------17

SEGUNDA HIPÓTESE---------------------------------------------------------17

TERCEIRA HIPÓTESE--------------------------------------------------------19

QUARTA HIPÓTESE-----------------------------------------------------------22

QUINTA HIPÓTESE------------------------------------------------------------23

CONCLUSÕES---------------------------------------------------------------------------------25

BIBLIOGRAFIA---------------------------------------------------------------------------------26

A EMPRESA

A Minas Del Rey é uma companhia de mineração que possui várias minas sob sua direção. Nos últimos seis anos, houve uma grande mudança no comportamento da empresa devida à implantação do Controle de Qualidade Total. A partir desse evento, a Minas Del Rey passou a ter como principal objetivo a satisfação dos seus clientes. Para alcançar esse objetivo, foi preciso que a empresa adotasse um rigoroso controle dos seus processos, o que só foi possível devido ao empenho de todas as pessoas que trabalham na empresa. Com a utilização dos Ciclos PDCA para manter e para melhorar, a prática do controle de processos tornou-se cada vez mais efetiva.
 A Mina dos Ingleses é uma das minas que pertence à Minas Del Rey. Uma das gerências dessa mina tem como responsabilidade disponibilizar os equipamentos de campo (perfuratrizes, escavadeiras, guindastes e compressores) para a operação de extração do minério. Como em toda a mina, essa área é gerenciada por meio do Ciclo PDCA e para assegurar a qualidade intrínseca, o custo, a entrega e a segurança dos serviços que serão oferecidos ao cliente e o moral das pessoas que trabalham nessa área, são verificados vários itens de controle, dentre eles o “número de equipamentos de campo submetidos à manutenção”.

O PROBLEMA

Há mais de três meses estava sendo recebido um número bem elevado de solicitações para dar manutenção em equipamentos de campo (ver figura 1). Houve uma variação muito alta no número de equipamentos submetidos à manutenção no decorrer do ano, mas parece que a partir do mês de setembro ocorreu um aumento desse índice.
O gerente percebeu que estava diante de uma anomalia e, como contramedida sobre as causa imediatas, determinou ao supervisor de manutenção que ele negociasse com os operadores a possibilidade de que eles fizessem horas-extras, para disponibilizar os equipamentos para o pessoal da mina. Dessa forma, não haveria mais reclamações provenientes de um dos seus clientes internos (operação de extração de minério) ou, pelo menos, elas seriam reduzidas. Entretanto, ele sabia que o bloqueio da causa fundamental iria requerer uma análise mais detalhada do problema, o que implicaria em girar o Ciclo PDCA para a redução do número de equipamentos submetidos à manutenção.
Figura 1 – Número de equipamentos submetidos à manutenção (1991, 1992 e jan/93 a dez/93)

DADOS HISTÓRICOS

O gerente decidiu que ele e a sua equipe de engenheiros e técnicos iriam concentrar os seus esforços para diminuir o número de equipamentos de campo submetidos à manutenção e, consequentemente, diminuir os custos de manutenção e aumentar a disponibilidades destes equipamentos para a operação da mina. Para isso, ele providenciou um levantamento dos dados sobre o número de equipamentos de campo que foram para a manutenção nos últimos doze meses (Jan/93 a Dez/93). Esses dados foram estratificados de acordo com os tipos de equipamento (escavadeiras, perfuratrizes, guindastes e compressores), sendo que os dados para cada categoria de equipamentos também foram estratificados pelas unidades de equipamentos existentes (figura 2).Figura 2 – Folha de verificação para o registro do número de equipamentos de campo submetidos à manutenção

O AUMENTO DE MANUTENÇÕES

Para esse problema daremos o nome de Plano de minimização de manutenção. Analisando o gráfico de maneira correta, pode-se perceber que a escavadeira 29 (ESC29) corresponde a 38% das manutenções totais no ano de 1993, um índice bem alto comparado aos demais que individualmente correspondem a aproximadamente menos de 9% cada. Um gerente racional deve priorizar os esforços para solucionar a maior fonte de problemas, consequentemente a escavadeira 29.

OBSERVAÇÃO DA SITUAÇÃO
O próximo passo é reunir a equipe responsável pelo pela aplicação do MASP com os operadores responsáveis pela manutenção da escavadeira 29 para levantar novos dados. Para isso, resolvemos levantar o número de rompimentos do cabo de abrir a caçamba da escavadeira 29, estratificado por dia da semana, por tipo de minério que a escavadeira lavrou, por turma de manutenção que realizou a última troca do cabo e por local dos rompimentos. Foram levantados os dados do período de Jan/93 a Dez/93. Esses dados encontram-se registrados na folha de verificação para a estratificação dos rompimentos do cabo de abrir caçamba da escavadeira 29, apresentada na figura 3.

Figura 3 – Folha de verificação para a estratificação dos rompimentos do cabo de abrir caçamba da escavadeira 29

CARACTERIZAÇÃO DO PROBLEMA

	

	

	
	

	
	

	
	

A partir do gráfico de Pareto, vimos que o problema não está na turma de manutenção, já que a tabela de frequências para todas as turmas foi praticamente igual. Para o código de turma CM10 encontramos 35 rompimentos, para a turma CM12 encontramos 36 e para a turma PM12, 33 rompimentos. Uma atitude racional não seria investir em treinamento dos funcionários que fazem a manutenção, pois a partir do gráfico fica concluído que o problema não estava ali.
Agora, analisando a segunda variável, tipo de minério. A partir do gráfico de Pareto concluiu-se que os problemas na escavadeira 29 não são relativos aos tipos de minérios, porque a tabela de frequência mostra valores próximos tanto para o tipo de minérios ‘rejeitos’ quanto para o tipo de minérios ‘outros’. Foi encontrada uma frequência de 54 manutenções para o tipo de minério rejeito e 50 para outros, conforme mostra a tabela abaixo.

Tabela 1 – Frequência das manutenções a partir dos tipos de rejeitos
Percebeu-se que o principal fator para a necessidade de manutenção foi o rompimento nas proximidades do guincho, portanto, um gerente racional deverá fazer uma análise mais criteriosa a partir deste problema.

Tabela 2 – Frequência e porcentagem dos locais de rompimento
Note que o local de rompimento tipo A (nas proximidades do guincho) corresponde percentualmente a 62,50% das causas de manutenção por locais de rompimento, um número relativamente alto.

ANÁLISE

7.1. LEVANTAMENTO DAS CAUSAS INFLUENTES

A análise detalhada dos dados levantados anteriormente permitiu que o grupo de trabalho da MINAR caracterizasse melhor o problema (tema). Ao iniciar a reunião, o líder do grupo expôs o problema e apresentou todas as análises e conclusões que haviam sido obtidas até aquele momento. Em seguida, solicitou que todos os participantes opinassem sobre as possíveis causas para o elevado