EXAME NEUROLÓGICO II

EXAME NEUROLÓGICO II


DisciplinaClínica Médico-cirúrgica I66 materiais1.082 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
*
EXAME NEUROLÓGICO
FUNÇÕES CORTICAIS SUPERIORES
EQUILÍBRIO E MARCHA (FUNÇÃO CEREBELAR)
MOTRICIDADE
SENSIBILIDADE
REFLEXOS
PARES CRANIANOS
*
*
FUNÇÕES CORTICAIS SUPERIORES
CONSCIÊNCIA
LINGUAGEM
PRAXIA
GNOSIA
*
*
CONSCIÊNCIA
Níveis de consciência \u2013 SENSÓRIO:
Obnubilação, torpor: acorda ao estímulo
Coma superficial: ñ acorda, ventilação espontânea
Coma profundo: possui resposta motora
Coma vegetativo: compatível com morte encefálica
Escala de coma de Glasgow: 3 \u2013 15 pontos
Abertura ocular:			4 3 2 1
Melhor resposta verbal:		5 4 3 2 1
Melhor resposta motora:		6 5 4 3 2 1
*
*
CONSCIÊNCIA
Conteúdo da consciência:
Orientação pessoal, temporal, espacial
Memórias de fixação e evocação
Orientado X confusão mental (demência?)
Mini-exame do estado mental (MEEM):
Orientação
Memória de fixação e evocação
Atenção e cálculo
Linguagem
*
*
LINGUAGEM
Etapa psíquica de elaboração do pensamento, que poderá ou não ser transmitida através da palavra falada ou escrita.
A execução da palavra consiste em uma atividade motora, adquirida através do aprendizado, no qual predomina a imitação.
*
*
LINGUAGEM - DISTÚRBIOS
Fonação: alteração do volume e timbre da voz
Disfonias: voz rouca, anasalada, bitonal (lesão vago)
Articulação: alterações da motricidade oral
Dislalias: lesões nos órgãos fonoarticulatórios
Disartrias: lesões neurológicas
Elaboração: afasias
Afasia de expressão, motora ou de Broca
Afasia de percepção, sensorial ou de Wernicke
Afasia mista ou global
*
*
PRAXIA E GNOSIA
Praxia: capacidade de executar atos motores voluntários mais ou menos elaborados.
A incapacidade de executá-los sem que hajam outros déficits neurológicos chama-se apraxia.
Apraxia para vestir-se, construtiva (\u2018faz-de-conta\u2019)
Gnosia: capacidade de reconhecimento através de sentidos especiais, perda chama-se agnosia
Agnosia tátil, visual ou auditiva
*
*
FUNÇÕES CEREBELARES
EQUILÍBRIO E MARCHA
COORDENAÇÃO MOTORA
*
*
EQUILÍBRIO E MARCHA
Equilíbrio estático: paciente em pé, pés unidos
Astasia/distasia: dificuldade para manter-se em pé
Sinal de Romberg: queda após fechar os olhos
\u2018Romberg labiríntico\u2019: após período de latência
Equilíbrio dinâmico \u2013 MARCHA:
Abasia/disbasia: incapacidade / dificuldade marcha
Marcha espástica: lesões piramidais
Marcha parkinsoniana: lenta, pequenos passos
Marcha ebriosa: lesão cerebelar
*
*
COORDENAÇÃO MOTORA
Ataxia cerebelar:
Braços estendidos: desvio dos membros superiores
Índex-nariz: dismetria, decomposição movimento
Movimentos alternados: disdiadococinesia
Manobra do rechaço: dissinergia
Calcanhar-joelho: dismetria membros inferiores
Ataxia de marcha: disbasia, distasia
Ataxia vestibular: Romberg labiríntico, nistagmo
Ataxia sensitiva: Romberg (compensação visual)
*
*
MOTRICIDADE
TÔNUS
TROFISMO
FORÇA MUSCULAR
MOTILIDADE INVOLUNTÁRIA
REAÇÕES MUSCULARES PATOLÓGICAS ANTÁLGICAS
*
*
TÔNUS
Estado de semicontração muscular
Como examinar?
Inspeção e palpação das massas musculares
Movimentação passiva das articulações, para avaliar resistência e amplitude dos movimentos
Hipotonia: hiperextensibilidade / hiperpassividade (neuropatias periféricas, miopatias, poliomielite)
Hipertonia elástica: espasticidade (lesão piramidal)
Hipertonia plástica: rigidez, sinal da roda denteada (lesão extrapiramidal, doença de Parkinson)
*
*
TROFISMO
Grau de desenvolvimento muscular
Volume e tamanho das massas musculares
Como examinar?
Inspeção, palpação e mensuração das massas musculares, comparando simetria nos hemicorpos
Hipertrofia: geralmente induzida por exercício
Hipotrofia/atrofia: lesão neurônio motor inferior
Lesão neurônio motor superior: inatividade motora
*
*
FORÇA MUSCULAR
Manobras deficitárias:
Manobra dos braços estendidos (Mingazzini)
Manobra da mão: antebraços em ângulo reto
Manobra de Mingazzini para membros inferiores
Queda dos MMII em adbução, queda do joelho
Manobras de oposição: contra resistência
MMSS: rechaço, apertar as mãos, etc
MMII: flexão, extensão, extensão do pé, etc
*
*
FORÇA MUSCULAR
Paresia, paralisia (plegia) ou impotência funcional (alteração de causa não neurológica)
Grau 0: contração nula, ausência completa de força
Grau I: esboçada, perceptível apenas à palpação
Grau II: contração fraca, não vence a gravidade
Grau III: contração regular, não vence resistência
Grau IV: contração boa, vence alguma resistência
Grau V: contração normal, mesmo sob resistência
*
*
MOTILIDADE INVOLUNTÁRIA
Tremores: parkinsoniano / cerebelar
Movimentos coreoatetósicos (coréias)
Mioclonias: abalos musculares (epilepsia)
Fasciculações: ventre muscular (lesão NMI)
Espasmos: hemifacial, blefaroespasmo
Caimbras: fadiga, ELA
Tiques: movimento estereotipado (ansiedade)
*
*
REAÇÕES MUSCULARES PATOLÓGICAS ANTÁLGICAS
Sinais de irritação meningorradicular:
Sinal de Kernig
Coxa e perna em ângulo reto
Sinal de Lasègue
A 30°, dor no trajeto do ciático, por estiramento
Sinal de Brudzinski
Flexão passiva da nuca: flexão involuntária MMII
Rigidez de nuca
Hipertonia dos músculos cervicais posteriores
*
*
SENSIBILIDADE
EXTEROCEPTIVA
Sensibilidade dolorosa (dor superficial): agulha
Hiperalgesia, hipoalgesia ou analgesia
Sensibilidade térmica (frio e calor)
Sensibilidade tátil: algodão ou pincel
Hiperestesia, hipoestesia , anestesia; parestesia, disestesia
PROPRIOCEPTIVA
Sensibilidade cinético-postural
Sensibilidade vibratória: diapasão
Dor profunda
*
*
REFLEXOS
REFLEXOS MIOTÁTICOS FÁSICOS:
bicipital, estilorradial, tricipital, patelar, aquileu
Hiperreflexia, hiporreflexia ou arreflexia
REFLEXOS SUPERFICIAIS (CUTANEOMUCOSOS):
córneo-palpebral, cutâneo-abdominais, cutâneo-plantar (sinal de Babinski)
REFLEXOS DE AUTOMATISMO MEDULAR:
Tríplice flexão: beliscamento dorso do pé
CLONO: flexão dorsal pé, distensão tríceps sural
*
*
LESÃO SOBRE O NEURÔNIO MOTOR SUPERIOR OU INFERIOR?
LESÕES DA VIA PIRAMIDAL (1º MOTO-NEURÔNIO):
Paresia ou paralisia espástica, hipertonia
Hiperreflexia osteotendinosa
Hipo ou arreflexia cutâneo-abdominal
Sinal de Babinski e clono
LESÃO DO ARCO REFLEXO (2º MOTO-NEURÔNIO):
Paresia ou plegia flácida
Hipo ou atonia
Hipo ou arreflexia osteotendinosa
Atrofias musculares e miofasciculações
*
*
NERVOS CRANIANOS
3 nervos sensitivos (sensibilidade especial):
Olfatório - I
Óptico - II
Vestíbulo-coclear \u2013 VIII
5 pares de nervos motores:
Oculomotor - III, troclear - IV, abduscente - VI
Acessório - XI
Hipoglosso - XII
4 nervos mistos:
Trigêmeo - V, facial - VII
Glossofaríngeo - IX, vago - X
*
*
II PAR - NERVO ÓPTICO
ACUIDADE VISUAL
Ambliopia, amaurose
CAMPO VISUAL
Perimetria de confrontação
Escotomas, hemianopsias ou quadrantopsias
FUNDO DE OLHO
Atrofia óptica (atrofia de papila)
Edema de papila (papiledema)
*
*
III, IV E VI PARES \u2013 NERVOS
MOTORES OCULARES
FENDA PALPEBRAL
Ptose palpebral, lagoftalmo, blefaroespasmo
POSIÇÃO DO GLOBO OCULAR
Exoftalmia, enoftalmia
MOTRICIDADE ESTRÍNSECA
Estrabismo C/D, diplopia, desvio conjugado
MOTRICIDADE INTRÍNSECA
Miose, midríase, anisocoria, discoria
Reflexo fotomotor direto e consensual
*
*
V PAR \u2013 NERVO TRIGÊMEO
RAIZ MOTORA: músculos mastigatórios
Masséter, temporal e pterigoídeos: atrofia, paresia
RAIZ SENSITIVA
Nervos oftálmico, maxilar e mandibular
Via aferente do reflexo córneo-palpebral: V1
Hipoestesia, anestesia ou hiperestesia:
Neuralgia essencial do trigêmeo
Herpes oftálmico (herpes zoster)
*
*
VII PAR \u2013 NERVO FACIAL
TRONCO PRINCIPAL : FIBRAS MOTORAS
Paralisia facial central \u2013 desvio rima bucal, s/ ptose
Paralisia facial periférica \u2013 paralisa toda a hemiface
Paralisia de Bell (paralisia a frigore): Sinal de Bell
INTERMÉDIO DE WRISBERG
Fibras sensitivas: gustação 2/3 anteriores da língua
Fibras parassimpáticas: glândula lacrimal e salivares
Ageusia, hipogeusia, xerostomia,\u2193secreção lacrimal
Hiperacusia para sons agudos: paralisia estapédio
*
*
VIII PAR \u2013 NERVO VESTÍBULO-COCLEAR
FUNÇÃO VESTIBULAR: canais semicirculares
Vertigem: tontura com sensação rotatória
Nistagmo: fase lenta e fase rápida
Distúrbio do equilíbrio: ataxia vestibular
Reflexo óculo-cefalógiro, provas calóricas
FUNÇÃO COCLEAR: cóclea
Diapasão