Buscar

Semiologia da saúde da mulher

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 8 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 8 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Atenção preventiva a mulher 
 Semiologia (história clínica e exame 
físico) 
 Cuidados preventivos 
o Exercícios 
o Prevenção a doenças da 
tireoide 
o Saúde mental 
 Prevenção de infecção 
 Contracepção 
 Rastreamento para câncer 
 Osteoporose 
 Obesidade 
 Hipertensão arterial 
 Diabetes melito 
 Doença cardiovascular 
 Síndrome metabólica 
 Dislipidemia 
 Acidente vascular encefálico 
A consulta ginecológica apresenta 
características próprias, pois aborda aspectos 
íntimos e ou mesmo ligados à sexualidade, 
podendo o exame ginecológico ser 
encarado, às vezes, como constrangedor às 
pacientes. Por isso, a atitude médica deverá 
ser de ouvir, ver, captar e orientar a paciente 
a respeito da sua problemática 
Semiologia médica 
 É a parte da medicina relacionada ao 
estudo dos sinais e sintomas das 
doenças humanas. É importante para 
o diagnóstico da maioria das 
enfermidades 
 Semiologia ginecológica: é a 
semiologia aplicada à ginecologia 
Identificação: 
 Nome completo 
 Idade 
 Endereço 
 Profissão 
 Estado civil 
 
Queixa principal: 
 Anotar com as palavras expostas pela 
paciente 
História da doença atual: 
Com base em ampla análise das queixas 
referidas, caracterizando-se pelo início e 
evolução de todo o processo clínico 
 Detalhamento dos sinais e sintomas 
relatados na QP, como? Quando? 
Piora com? Melhora com? 
 Discutir sobre exames anteriormente 
realizados ou medicamentos utilizados 
Antecedentes pessoais: HAS, DM, 
cirurgias 
 Questionar sobre possíveis hábitos, 
como fumo, uso de álcool e de drogas 
ilícitas, reações alérgicas 
medicamentosas ou de outros 
agentes alergênicos 
Antecedentes familiares: miomas, 
menopausa precoce, Ca de mama, DM, HAS, 
hipotireoidismo 
 Valorizar a ocorrência de neoplasias, 
como as das mamas, intestinais e dos 
ovários, principalmente que tenham 
ocorrido em parentes de 1º grau 
 Avaliar a idade do surgimento das 
neoplasias, principalmente das 
mamas, pois isso exigirá um rastreio 
mais precoce das pacientes que 
futuramente possam ser envolvidas 
Antecedentes menstruais: 
informações sobre a idade da menarca, do 
desenvolvimento cronológico, do surgimento 
dos caracteres sexuais secundários e da 
regularidade ou irregularidade dos ciclos 
menstruais subsequentes são imperativas 
 Anotar as datas da ultimas 
menstruações 
 Observar a regularidade ou 
irregularidade dos ciclos e sintomas 
associados 
o Ciclos regulares 
▪ Duração: 3 a 7 dias 
▪ Volume: 30 a 80ml 
▪ Ciclo: 22 a 35 dias 
o Ciclos irregulares 
▪ Duração? 
▪ Volume? 
▪ Ciclo? 
 
Antecedentes obstétricos: 
 Número de gestações 
 Numero e tipo de partos (normal ou 
cesáreo) 
 Abortos (espontâneo ou induzidos) 
 Traumas genitais 
 Complicações infecciosas 
 Período puerperal 
 Período de lactação (duração e 
complicações) 
Antecedentes sexuais e dos 
métodos contraceptivos: esclarecer o 
início e as possíveis falhas e efeitos colaterais 
 Número de parceiros 
 Ocorrência de doenças sexuais prévias 
 Diminuição da libido 
Antecedentes mamários: questionar 
sobre o desenvolvimento das mamas, 
lactação, nódulos, dores, processos 
inflamatórios e traumas mamários prévios 
 Avaliar a fase e a época do surgimento 
e do desenvolvimento de nódulos 
existentes e sua velocidade de 
surgimento e crescimento 
 Caso tenha realizado exames de 
imagens (mamografia, ecografia 
mamária), perguntar quando realizou 
e o motivo de sua indicação, e se já 
realizou biópsia mamária e sobre o 
laudo histopatológico 
Avaliação das queixas urinárias 
ou gastrointestinais: ocorrência e o 
número de infecções urinárias, medicações 
utilizadas e o tempo de uso 
 Incontinência urinária 
 Urgência miccional 
 Intolerância gástrica a alimentos ou 
medicamentos 
 Ritmo intestinal 
 Continência fecal 
 Sangramento ou dores durante 
evacuação 
Distúrbios menstruais 
 Alterações na duração do ciclo 
(normal 22 a 35 dias) 
o Eumenorreia: ciclo normal 
o Polimenorreia: dura 15 dias 
o Opsomenorreia: 45 
o Espaniomenorreia: 60 
o Amenorreia: >90 
 Alterações na duração do fluxo 
menstrual (normal 3 a 7 dias) 
o Hipomenorreia: <3 
o Hipermenorreia: > 7 
 Alterações na intensidade do fluxo 
(normal 30 a 80 ml) 
o Oligomenorreia (diminuído) 
o Menorragia (aumentado) 
Antecedentes menstruais 
 Menarca: data que a marca o inicio 
da menstruação na mulher 
 DUM: data da última menstruação 
 Menopausa: ultima menstruação 
o Amenorreia há mais de 1 ano, e 
a paciente já está na idade. 
Aspecto da vida sexual 
 Coitarca: primeira relação sexual 
 Libido 
 Orgasmo 
 Dispareunia 
 Sinusiorragia: sangramento durante a 
relação sexual (pode estar 
relacionado a endocervicite, CA de 
colo de útero) 
 Métodos contraceptivos 
Antecedentes obstétricos 
 Número de gestações 
 Números de partos 
 Número de abortos 
 Tipos de abortos 
 
 
 
Exame físico geral 
 Pressão arterial 
 Peso 
 Altura 
 FC 
 Mucosas 
 Estado nutricional 
 Ausculta cardíaca 
 Ausculta respiratória 
 Abdome 
Exame físico específico 
Mamas 
 Inspeção (estática e dinâmica) 
o A inspeção estática e dinâmica 
deverá sempre ser procedida 
com a paciente sentada e o 
examinador postado à sua 
frente, permitindo-se, assim, 
uma análise das mamas quanto 
a sua simetria, volume, 
mobilidade e retrações ou 
abaulamentos 
o Quando se examina a axila, é 
importante que a paciente 
relaxe, para que os músculos 
peitorais fiquem relaxados e 
seja feito um exame completo 
da axila. Músculos contraídos 
podem obscurecer 
discretamente linfonodos 
aumentados de tamanho 
 Palpação 
 Expressão 
 Estimular o autoexame das mamas 
(AEM) 
 
 
 
Genital 
Inspeção da vulva e períneo 
 Pilificação (típica ou atípica) 
 Grandes e pequenos lábios 
 Região vestibular (meato uretral; 
himem, clitóris) 
 Região perineal: suficiente, rotura, 
cistocele (descida da bexiga), 
retocele 
 
 
Exame especular 
Vagina: 
 Corrimento (coloração, aspecto e 
odor) 
 Aspecto do muco (finlante no período 
ovulatório) 
 Aspecto da mucosa (hiperemia, 
trófica ou atrófica) 
Colo uterino: 
 Aspecto da mucosa (hiperemia, 
sangrando à manipulação) 
 Presença de mácula rubra periorificial 
(ectopia) 
 Corrimento extravasando pelo orifício 
do colo (aspecto catarral) 
 
Muco finlante. Fica mais finlante quando a 
mulher está ovulando 
 Corrimento é um termo patológico 
 Corrimento branco-acinzentado 
bolhoso ➔ fala muito a favor de 
tricomaníase, mas pode ser vaginose 
bacteriana, mas ela cursa com poucas 
bolhas e tem odor fétido 
 Teste das aminas: colocar hidróxido de 
potássio, e libera aminas voláteis que 
causa esse odor 
Toque vaginal combinado 
 Avaliar o tamanho, mobilidade e 
superfície do útero (regular ou irregular) 
 Presença de dor 
 Palpação dos anexos (tubas e ovários) 
o Avaliar a presença de massas 
tumorais 
o O ovário direito costuma ser 
palpável na mulher não obesa, 
e o ovário esquerdo é 
dificultado pelo cólon 
o Trompas e ligamentos redondos 
são palpáveis quase somente 
quando estão aumentados de 
volume, por inflamação ou 
infiltração 
o Procuram-se detectar também 
nódulos e tumorações no fundo 
de saco de Douglas, os quais 
podem significar endometriose 
e desencadear tenesmo ou dor 
quando tocados 
 
 
Prevenção de infecção 
Vacinação 
 HPV 
 Rubéola 
 Hepatite B 
Rastreamento para DST 
 Identificar fatores de risco 
 Exame físico e história clínica suspeita 
 Evitar complicações: infertilidade, 
dores pélvicas, morbimortalidade 
Papel educativo! 
Contracepção 
 Realizar planejamento familiar 
 Escolher o melhor método 
o Avaliar a eficácia 
o Efeitos colaterais 
o Benefícios não contraceptivos 
o Contraindicação 
o Disponibilidade e facilidade em 
usarRastreamento para câncer 
Câncer do colo uterino 
 Citologia oncótica: Papanicolau 
 Início aos 21 anos 
 Nos exames normais: repetir a cada 2 
anos. A partir dos 30 anos, a cada 3 
anos 
 Suspender a coleta após 65 a 70 anos, 
caso nos últimos 10 anos tenham 3 
coletas normais 
 Suspender a coleta após histerectomia 
realizada por patologias não suspeitas 
Câncer de endométrio 
Fatores de risco 
 Obesidade 
 Hipertensão arterial 
 DM 
 Síndrome dos ovários policísticos 
 Sangramento pós-menopausa 
 Irregularidade menstrual 
Rastreio 
 Ultrassonografia endovaginal 
Diagnóstico 
 Biópsia do endométrio guiado pela 
histeroscopia 
Câncer de ovário 
 História familiar: avaliar mutações dos 
genes BRCA1 e BRCA2 
 Rastreio: ultrassonografia endovaginal 
(componente sólido, doppler) 
 Marcadores tumorais: Ca 125 
(linhagem epitelial) 
 USG não é um método eficaz de 
rastreio, quando vê a lesão, a paciente 
possivelmente já está com câncer 
Câncer de mama 
 Rastreio: mamografia 
 A cada 2 anos, a partir dos 40 anos e 
anual a partir dos 50 anos 
 Realizar antes dos 40 anos caso 
necessário 
 Complementares: ultrassonografia das 
mamas, RNM 
Câncer colorretal 
Rastreio a partir dos 50 anos 
 Anual: pesquisa de sangue oculto nas 
fezes 
 A cada 10 anos: colonoscopia 
Fatores de risco 
 Antecedente familiar 
 Antecedente pessoal 
 Portador de doença intestinal 
inflamatória crônica 
 Pólipos adenomatosos prévios 
Obs: estas pacientes terão seus rastreios mais 
intensificados de acordo com a necessidade 
Osteoporose 
Fatores de risco 
 Deficiência de vitamina D 
 Hipocalcemia 
 Não praticar atividades físicas 
 Menopausa 
 Rastreio: densitometria óssea após a 
menopausa 
Obesidade 
Diagnóstico 
 IMC <18,5: magreza 
 18,5 a 25: saudável 
 25 a 30: sobrepeso 
 30 a 35: obesidade l 
 35 a 40: obesidade ll 
 >40: obesidade mórbida (lll) 
 Circunferência abdominal: <88 cm 
para mulheres 
Comorbidades 
 HAS 
 DM tipo 2 
 Hipercolesterolemia 
 Colelitíase 
 DCC 
 AVC 
 Câncer 
 Apneia do sono 
 Irregularidade menstrual 
 SOP 
Tratamento 
 Mudanças dos hábitos de vida 
 Medicamentos: Sibultramina, Orlistate 
 Cirurgia bariátrica 
Hipertensão arterial 
Causas 
 Idiopáticas; 
 IRC; 
 Terapia crônica com esteroide e 
síndrome de Cushing; 
 Coarctação de aorta; 
 Induzida ou relacionada a 
medicamentos: AINES, cocaína, 
anfetamina, simpatomiméticos 
(descongestionantes, anoréxicos), 
contraceptivos orais combinados, 
eritropoetina; 
 Feocromocitoma; 
 Doenças da tireoide e paratireoide; 
 Aldosteronismo primário. 
Diabetes Melito 
Fatores de risco 
 Idade > 45 anos 
 Sobrepeso 
 História familiar 
 Inatividade física habitual 
 História de DMG 
 HbA1c >/= a 5,7% 
 HDL <35 e ou TG >250 
 SOP 
 Outros quadros de resistência à insulina 
(acantose nigrans) 
 Histórico de doença vascular 
Diagnóstico 
 Intolerante 
o HbA1c entre 5,7% a 6,5% 
o Glicemia de jejum >100 e < 126 
o TTGO 75 de 2h >140 e <200 
 DM 
o HbA1c: >6,5% 
o Glicemia de jejum > 126 
o TTGO 75 de 2h >200 
Síndrome metabólica 
Causas 
 Obesidade abdominal 
 Resistência à insulina 
Comorbidades 
 DM tipo 2 
 DCC 
 AVC 
Tratamento 
 Mudanças de hábitos de vida 
 Exercício físico 
 Perda de peso 
Diagnóstico 
3 dos 5 critérios: 
 Circunferência abdominal >88cm 
 TG >150 ou farmacoterapia 
 HDL <50 ou farmacoterapia 
 TA elevada ou farmacoterapia 
 Glicose >100 ou farmacoterapia 
Outras patologias 
 DCV 
 Dislipidemias: LDL e TG 
 AVE 
 Falta de exercícios físicos 
 Doenças da tireoide 
 Disfunção cognitiva 
 Depressão 
 Tabagismo

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes