EPIZOOT DAS PARASITOSES 19-10-11 THAIS(ok)
8 pág.

EPIZOOT DAS PARASITOSES 19-10-11 THAIS(ok)


DisciplinaEpizootiologia das Parasitoses15 materiais44 seguidores
Pré-visualização5 páginas
Epizootiologia das parasitoses 19/10/11
Aulas extras:
09/11 -> 8:40 até 10:30h (cestodiose)
16/11 -> 08:40 até 10:30h (trematodiose)
30/11 -> 10:30 até 13:50h (sarna)
Separei 2 grandes grupos de verminose provocada por nematoda que tem interesse tanto na clinica de pequeno que é o caso da ancilostomiase e toxocariase em cães e gatos, como na clinica de grande animais como bunostomose, neoscariose e parascariose em animais de grande porte, e de interesse em saúde publica a ancilostomíase e a toxocariase são tbm passiveis de acometer o ser humano na sua forma clássica, a ancylostomiase por ancylostoma duodenale, conhecida com o termo de amarelão, e em relação com a zoonose provocada por A. braziliensis é chama de larva migram cutânea, e uma zoonose para toxocariase por toxocara canis, principalmente por larva migram visceral.
Ancilostomose Ancylostoma caninum (cães, ou hosp. secundário gatos)
 A. Braziliensis (gatos, com animais de maior possibilidade)
 A. duodenale (humanos, associado com crianças que estão período escolares)
Bunostomose bunostomum sp (bovinos, filhotes sofrem mais ação do agente.
Pertencem a família Ancylostomidae que são vermes que apresenta uma cápsula bucal provida de dentes, e que consequentemente esses dentes são responsáveis por agredir a mucosa intestinal principalmente para que ele possa recuperar durante o processo de alimentação a sua principal fonte de alimentação que é o sangue, então esse grupo são dotados de dentes e são classificados como hematófagos. Então além do fato de agredir a parede intestinal em decorrência da presença de dente, tbm contribui para diminuir o volume do sangue no corpo desses animais, do homem provocando processos anêmicos de forma direta.
Toxocariose toxocara canis (cães)
 t. cati (gatos)
Podemos ter o toxocara leonina que é comum nos felídeos. 
Neoscaríose Neoascaris vitullorum (bezerros búfalos, bezerros bovinos)
Parascariose Parascaris equorum (equinos)
Ascariose Ascaris lumbricoides (Homem) chamado vulgarmente de lombriga.
 Ascaris suis (suíno), animais criado em cativeiro diminui o contato com o solo diminuindo assim esse quadro de infecção.
E o grupo do toxocara, neoscares, parascares e ascariose, esse verme fazem parte da superfamília Ascaridoidea. Aves mantida em cativeiro, aves mantida para produção comercial, aves de postura tbm pode desenvolver parasitose por ascaridoidea, são vermes que não apresente capsula bucal, apresenta como caráter predominante boca com lábios, tem dentes, não são hematófagos, porém o fato de apresentar dente nesses lábios, vão determinar uma agressão, um trauma direto na mucosa intestinal, então todos eles tem o mesmo padrão de infecção. Aliado a questão da boca com lábio, vc tem o tamanho do parasito que é algo que chama atenção tbm, muitos casos de processos infecciosos são determinado pela alto infestação, por animais que tenha alto volume de parasito no seu trato intestinal que é suficiente para poder provocar obstruções, a cautela do profissional pq numa alta infestação tratar com medicamento, é suficiente para poder provocar obstrução no trato gastrointestinal, provocar prolapso, chama atenção que todo o ascoridoidea tem o corpo bastante robusto, bastante desenvolvido.
Após a utilização do vermífugos, dependendo da infestação podemos colocar o verme pela boca ou ser observado nas fazes.
Modelo de transmissão:
 
O modelo de transmissão para as duas são esse daqui, eles utilizam veiculo, o hospedeiro albergua a forma do parasito e tende desenvolvimento gastrointestinal, e esse verme tem a possibilidade de eliminar ovos, esses ovos são eliminados junto com o dejeto do animal, e o dejeto passa a ser a via de eliminação para o agente. O contato desse dejeto com o ambiente encontrando qualidade e condições favoráveis pelo desenvolvimento, vcs vão ter o mais diversos tipos de substratos servindo como veiculo. Deixa o próprio dejeto do animal, alguns podem no próprio pisoteio pode infectar, a possibilidade de solo, o exemplo típico é a larva migram cutânea, que tem o ser humano em contato direto com solo, o próprio solo arenoso pode servir como fonte de infecção, ou mesmo quando solo não é muito arenoso, solo compacto, a infecção por toxocara, as crianças frequentemente se infectam quando acaba ingerindo o ovo do parasito junto com a terra, então ter o cuidado de lavar as mãos. A agua tbm serve como via de dispersão, a agua tbm serve como veiculo embora seja mais para dispersão do que para desenvolvimento. O pasto a vegetação pode servir como fonte de infecção para os herbívoros, o pastejo poder uma forma que facilita a entrada do agente.
O hospedeiro infectado deve sempre eliminar ovos pelo dejeto. 
O hospedeiro sensível pode se infectar ou pela ingestão do ovo que esta no ambiente ou do hospedeiro paratemico contendo a forma infectante (ascaridideos) ou pela penetração ativa (ancylostomideos), contato direto com a larva de 3º estágio. Vamos ver que a lesão frequentemente encontrada nos animais são observadas nas patas, partes interdigital, no ventre (animais que deitam no solo).
Os anelídeos (minhocas) serve como hospedeiro paratemico, não desenvolve nenhuma forma no corpo, é capaz de ingerir no solo o ovo e manter o ovo viável no corpo dele, os animais quando come esses anelídeos, pode continuar no processo infeccioso, ou então pode ocorrer a ingestão direta ingerir esse ovo larvado de forma direta, que é comum em animais de pequeno porte, somente o cão e a criança pode ingerir o a terra contendo o ovo.
O hospedeiro infectado vai sempre eliminar ovos, seja no quadro provocado pelo ancylostomideo ou pelo quadro do ascaridideos, vamos observar a eliminação do ovo pelo dejeto. A infecção em si pode se infectar por penetração ativa, ou ingestão do ovo larvado ou do hospedeiro paratemico contendo o ovo larvado. 
Modelo simplificado vertical:
Não existe passagem do agente passe pelo ambiente. Meu hospedeiro infectado transmite a infecção para o sensível sem que o bioagente passe pelo ambiente, essa forma de infecção acontece pela placenta (transplacentária) ou através do leite pela gl mamária (transmamária \u2013 pela circulação o bioagente chega ate a glândula e fica contido na glandula, é o que a gente chama de ciclo somático, fica lá pq tem um crescimento acelerado, por exemplo no caso de uma femea gestante). Diferente da Demodex que é pelo contato com a teta do animal e não pelo contato com o leite. É vertical porque é transmitido de uma geração para outra. 
Filhotes ao nascer já nascem infectados e outras a infecção acontece no momento da amamentação. 
 Ciclo somático- onde o parasito consegue se alberguar em ambientes onde o desenvolvimento celular é acelerado.
Hospedeiro:
Tolerância: Os animais mais tolerantes pode ser adquirida de forma racial, existem raças que são mais tolerantes. Posso ter um cachorro que tem padrão racial definido que em contato com o agente, ele vai conseguir se instalar mas não vai conseguir produzir um quadro infeccioso, então eu não estou restringindo a presença do bioagente no corpo do animal. Por mais que eu submeto o animal a condição de risco, ele vai se infectar, vai permitir que o bioagente entre, se instale e que se multiplique, mas ele é capaz de controlar esse crescimento, esse desenvolvimento no interior do corpo dele. Esses animais tolerantes são assintomáticos, mas isso não significa que ele não tem o agente, significa que o agente não consegue agredir, mas isso não quer dizer que o bioagente não esteja se desenvolvendo e nesse desenvolvimento vai ser observado que as fêmeas vão continuar produzindo ovos, e esses animais tolerantes são importantes fontes de infecção para os hospedeiros sensíveis, porque eles mantem o agente, permitem o desenvolvimento do agente, mas não tem sintomatologia então eles não vão sentir o efeito da migração hepática, da hematofagia provocada pelos