A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
AULA 2 ANATOMIA E ELETROFISIOLOGIA DO SISTEMA DE CONDUÇÃO ELÉTRICA

Pré-visualização | Página 1 de 1

AULA 2 ANATOMIA E ELETROFISIOLOGIA DO SISTEMA DE CONDUÇÃO ELÉTRICA
Bittencourt
ANATOMIA
NÓ SINUSAL é como se fosse um conjunto de neurônios que se localizam no teto do átrio direito, logo a frente da desembocadura da VCS. Ele é o marca-passo fisiológico. 
A partir dele, 4 feixes intermodais levam essa condução elétrica do AD para o AE até atingir o NÓ ATRIOVENTRICULAR, que está localizado na separação entre AD e VD. Depois disso temos o FEIXE DE HIS, que se subdivide em ramo direito e ramo esquerdo (que por sua vez se divide em 3: fascículo antero-superior, ínfero posterior e fascículo médio). 
O septo interventricular já fica encostado nos fascículos do ramo esquerdo. E o primeiro vetor de despolarização do ventrículo é septal, pela proximidade com esses ramos. 
Tudo membranoso, fibroso ou muscular = isolamento elétrico entre a região supraventricular e ventricular. A única ligação entre átrios e ventrículos é o nó AV. 
ELETROFISIOLOGIA 
Coração em repouso = coração polarizado. Para ter o movimento cardíaco e condução elétrica é necessário ter o dipolo (cargas opostas separadas por um espaço). 
Bomba de sódio-potássio-ATPase promove essa diferença de potencial = 3 sódio pra fora e 2 potássio pra dentro. 
1. Estímulo chega = entrada de cargas positivas pelos canais rápidos de sódio. 
2. Canais de potássio de abrem pra sua saída = queda ligeira na voltagem 
3. Potássio continua saindo, mas o cálcio começa a entrar = platô ou fase 2 do potencial de ação 
4. Cálcio interage com as miofibrilas e faz a contração muscular = sístole 
5. Potássio sai sozinho (cálcio já foi utilizado na contração) = queda e retorno da linha de base = fase polarizada ou repouso = diástole.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.