A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
TUBERCULOSE

Pré-visualização | Página 1 de 1

Camila Shelly de V. Ramos 
 
 
TUBERCULOSE 
 
• EPIDEMIOLOGIA 
-1/3 da humanidade é infectada pelo 
Mycobacterium tuberculosis 
-A TB é a infecção humana mais disseminada e 
persistente no mundo 
↳Pode acometer qualquer órgão 
*capacidade de mimetizar várias doenças 
-Maior prevalência em ambientes de 
confinamento 
↳Inativação pelo calor, raios UV solares e 
radiações ionizantes 
-Populações vulneráveis 
↳Indígenas 
*não são vacinados (BCG) 
↳Privados de liberdade 
↳PVHIV 
*investigação/rastreio/tto de TB latente 
↳Pessoas em situações de rua 
-Redução do diagnóstico de tb em 2020 
↳Subdiagnóstico por conta da pandemia de 
COVID 
-Qual região mais afetada? Norte 
↳Mas também a grande n° de pessoas infectadas 
no CE 
-Qual a região com maior mortalidade? 
 
• ETIOLOGIA 
-Complexo Mycobacterium 
tuberculosis 
↳Abrange 7 espécies (todas 
podem causar TB, mas a mais 
comum no BR é o M. 
tuberculosis) 
→CARACTERÍSTICAS DOS BACILOS 
-Bacilos retos ou ligeiramente curvos 
-Bacilo álcool ácido resistente (BAAR) 
↳Circundados por uma parede hidrofóbica, 
resistem a descoloração causada pelas misturas 
de álcool-ácido 
 
-Crescimento lento 
↳Explica o longo período de tratamento 
-Bactéria aeróbica restrita 
↳Multiplicação possível, somente em ambientes 
com alta concentração de oxigênio 
*TB pulmonar 
-Inativação pelo calor, raios UV solares e 
radiações ionizantes 
↳Ambientes mais escuros e fechados -> maior 
prevalência de TB 
• TRANSMISSÃO 
-Quais tipos de TB podem ser transmissíveis 
(pessoa a pessoa) ? 
↳Pulmonar 
↳Laríngea 
-Transmissão via ar 
↳Gotícula núcleos de wells (semelhante a gases) 
*chega nos alvéolos -> provoca infecção 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
 
 
→FATORES A FAVOR DA 
TRANSMISSÃO 
-Proximidade 
↳Parentesco (caso more em conjunto) 
-Tempo de exposição 
↳100-200 horas 
-Ambientes menos ventilados e menos 
iluminados 
↳Privados de liberdade 
↳Pessoas em situação de rua 
• FISIOPATOGENIA 
1)PARTICULAS INFECTANTES 
ADENTRAM NOS ALVÉOLOS 
-Contém bacilos 
2)INFECÇÃO NOS ALVÉOLOS 
(PRIMOINFECÇÃO) 
-Localização principal dos bacilos? Alvéolos 
periféricos (terço superior do pulmão direito) 
-Bacilos encontram ambiente favorável para 
crescimento livre (muito oxigênio) 
↳Aproveitando-se da ausência de imunidade 
celular específica -> multiplicação livre por 2 
semanas 
3)RESPOSTA INFLAMATÓRIA NOS 
PULMÕES E GÂNGLIOS MEDIANTE A 
INFECÇÃO 
-Formação de complexo primário 
↳Tende a ´´segurar´´ infecção 
*95% dos pacientes acometidos pelo primo-
infecção -> assintomáticos 
4.1) NÃO BLOQUEIO DO COMPLEXO 
PRIMÁRIO 
-TB primária 
4.2) BLOQUEIO DO COMPLEXO 
PRIMÁRIO 
-Bacilos ficam nos focos de infecção e evoluem 
para fibrose ou calcificação 
-Granuloma 
↳Paciente permanece infectado 
✓ SE HOUVER REATIVAÇÃO OU 
REINFECÇÃO 
-TB pós-primária 
✓ SE NÃO HOUVER REATIVAÇÃO OU 
REINFECÇÃO 
-Infecção latente para o resto da vida 
OBS:RESUMINDO! 
 
 
 
 
 
 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
• SINAIS E SINTOMAS X TIPO DE 
INFECÇÃO 
→FORMAS CLÍNICAS 
 
#TB pleural -> indivíduos imunocompetentes 
#TB ganglionar -> indivíduos HIV positivos e 
crianças 
 TB LARÍNGEA 
-Tosse e rouquidão 
-Febre vespertina e não muito alta 
-Anorexia e perda de peso 
-Sudorese 
 TB PULMONAR 
 
 
#lembrar das pessoas que convivem/conviveram 
com o paciente 
• DIAGNÓSTICO 
→EXAMES LABORATORIAIS 
✓ BACTERIOLÓGICO** 
-Pesquisa de BAAR no 
escarro**** 
↳2 amostras 
*1° imediatamente 
*2° -> dia seguinte em jejum 
-Cultura de escarro com antibiograma (TSA) 
↳80% de sensibilidade 
OBS:ORIETAÇÕES IMPORTANTES! 
 
OBS:ANALISANDO RESULTADOS 
BACILOSCOPIA DO ESCARRO 
 
OBS:BACILOSCOPIA DIRETA DE 
OUTRAS AMOSTRAS BIOLÓGICAS 
(ALÉM DO ESCARRO) 
-Pode ser realizada em casos de suspeita clíncia 
de tuberculose extrapulmonar 
↳Embora nesses casos a preferência seria a 
realização de cultura com teste de sensibilidade 
-O encontro de qualquer quantidade de BAAR nos 
materiais biológicos (fora escarro) já é 
equivalente a baciloscopia positiva 
 
✓ MOLECULAR** 
-Genexpert = TRM-TB com resistência a 
rifampicina 
↳Sensibilidade de 80% 
↳Não serve para fazer acompanhamento 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
 
→CLÍNICO RADIOLÓGICO 
-Sintomas + aspectos radiológicos 
✓ RAIO X DE TÓRAX 
 
✓ TC DE TÓRAX 
 
→OUTROS MÉTODOS DIAGNÓSTICOS 
✓ HISTOPATOLÓGICO 
 
✓ ADENOSINADEAMINASE ELEVADA 
-Guia suspeita de TB e seguimento clínico 
 
• INFECÇÃO LATENTE 
-Cerca de 1/3 da população mundial está 
infectada 
-Investigar em que público? 
 
→DIAGNÓSTICO 
✓ PPD 
>10mm = positivo 
 
✓ IGRA/QUANTIFERON 
 
→TRATAMENTO 
-Importante estratégia para redução da 
incidência da doença 
↳O tto da ILTB reduz em 60-90% o risco de 
adoecimento para TB ativa 
-Para ser realizado requer:** 
↳Exclusão de TB ativa 
-Quando tratar? 
 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
 
-Como é o tratamento? ********** 
↳Opção antiga (isoniazida por 9 meses ou 
rifampicina por 4 meses) 
 
↳Nova opção (isoniazida + rifapentina dose única 
de 9 comprimidos 1x por semana por 6 semanas) 
 
• TRATAMENTO TB 
 
#crianças não podem tomar etambutol 
 
→EFEITOS ADVERSOS 
-Reações adversas menores são manejadas 
-Reações adversas maiores requerem revisão do 
tratamento 
 
 
• ACOMPANHAMENTO DA 
EVOLUÇÃO DO PACIENTE 
→BACILOSCOPIA DE CONTROLE 
-Sendo indispensáveis: 2°, 4° e 6° meses 
 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
↳Persistência de baciloscopia positiva ao final do 
tratamento -> falência do tratamento 
 
→ACOMPANHAMENTO CLÍNICO 
MENSAL 
 
#TESTAGEM ANTI HIV É OBRIGATÓRIA 
#PRIORIDADE AO TTO TB MEDIANTE AO HIV 
• VACINAÇÃO 
 
• PRECAUÇÕES RESPIRATÓRIAS 
AEROSSÓIS** 
-Para o médico? N95 
-Para o paciente? Mascara descartável

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.