A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Triagem Neonatal

Pré-visualização | Página 1 de 1

Triagem Neonatal 
TESTE DO PÉZINHO 
É um meio de se fazer o diagnostico 
precoce de diversas doenças 
congênitas ou genéticas 
assintomáticas no período neonatal, 
permitindo prevenção contra sequelas 
Atualmente, em MG, realiza-se 
triagem para seis doenças no SUS: 
1. Hipotireoidismo congênito 
2. Fenilcetonúria 
3. doença falciforme 
4. fibrose cística 
5. deficiências de biotinidase 
6. hiperplasia adrenal congênita 
É realizado em laboratório a partir 
de amostras de sangue retiradas do 
calcanhar do recém-nascido e 
colinhas em papel filtro 
A coleta nunca deve ser feita num 
período inferior a 48 horas de 
amamentação e nunca superior a 30 
dias, sendo o ideal entre o 3º e o 7º 
dia de vida. 
A partir da triagem neonatal, o 
recém-nascido com suspeita para 
alguma das doenças passa por 
exames confirmatórios 
Prematuros devem repetir o teste 
depois, pela possibilidade de 
alteração de resultado de exame pela 
imaturidade 
 
TESTE DO CORAÇÃOZINHO 
Oximetria de pulso 
Exame capaz de detectar 
precocemente a hipoxemia que 
caracteriza as cardiopatias críticas, 
antecipando as intervenções médicas 
necessárias e muitas vezes evitando 
óbitos. 
Deve ser realizado pelo pediatra, 
antes da alta hospitalar, entre 24 e 
48 horas de vida 
É realizado com um aparelho, o 
oxímetro, que mede a oxigenação do 
sangue. A saturação do oxigênio deve 
ser medida no membro superior 
direito e em um dos membros 
inferiores do bebê 
A saturação periférica normal deverá 
ser igual ou maior a 95% em ambas 
as medidas e a diferença menor que 
3% entre elas. Se isso não acontecer, o 
teste deverá ser repetido em uma 
hora. Caso o resultado se confirme, 
um ecocardiograma deve ser 
realizado para descartar a presença 
de uma cardiopatia na criança 
 
TESTE DA ORELINHA 
Exame de emissões otoacusticas 
evocadas 
Método para constatar problemas 
auditivos nos recém-nascidos 
É colocado um pequeno microfone 
acoplado a um equipamento digital 
na orelha do bebê, que emite sons de 
fraca intensidade, recolhendo e 
registrando as respostas que a orelha 
interna produz. 
Idealmente realizado ainda no 
hospital, com o RN dormindo, a 
partir de 48 horas de vida 
No caso de suspeita de alguma 
anormalidade, o RN será 
encaminhado para uma avaliação 
etiológica e audiológica completa. 
 
 
TESTE DO OLHINHO 
O teste do reflexo vermelho é um 
exame cujo objetivo é a detecção 
precoce de problemas oculares 
congênitos que comprometem a 
transparência dos meios oculares e 
que podem impedir o 
desenvolvimento visual cortical 
O oftalmoscópio deve ser posicionado 
a uma distância de 50cm a um metro 
de distância dos olhos do RN em uma 
sala escura 
Em seguida, localizam-se os olhos da 
criança através do orifício do 
equipamento e iluminam-se suas 
pupilas. Observa-se então o reflexo 
vermelho em cada uma delas, 
avaliando-se sua presença ou 
ausência, sendo no caso de presença 
necessário comparar a intensidade e 
simetria entre os olhos 
 
TESTE DA LINGUINHA 
Avaliação do frênulo lingual em 
bebês 
Presença de anquiloglossia -> 
interferência nas funções de sucção, 
deglutição, mastigação e fala 
Avaliação anatomofuncional e 
avaliação de sucção 
Avaliar posicionamento da língua 
do bebê durante o momento de choro: 
se apresenta formato de coração é 
porque há problema no frênulo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.