Buscar

AGOSTO LILAS

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Luana Santana Cavalcante
AGOSTO LILÁS CAMPANHA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA
CONTRA A MULHER
SÃO PAULO - SP
2022
Luana Santana Cavalcante
AGOSTO LILÁS CAMPANHA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA
CONTRA A MULHER
Orientadora: Prof. Adriana Bispo
SÃO PAULO - SP
2022
A Campanha Agosto Lilás foi criada em alusão a Lei Maria da Penha, sancionada
em 07 de agosto de 2006, quando surgiu da necessidade de inibir os casos de
violência doméstica no Brasil.
A Lei Maria da Penha criou mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar
contra a mulher. Publicada como Lei nº 11.340/2006, é atualmente considerada uma
das três melhores legislações mundiais no combate à violência contra as mulheres.
É preciso estar atento porque há vários tipos de violações contra as mulheres, na
maioria das vezes a violência contra a mulher acontece de forma silenciosa. A Lei
Maria da Penha prevê cinco tipos de agressões que configuram violência contra a
mulher. Desse modo, qualquer uma delas, deve ser denunciada. Sendo que, na
maioria dos casos, as vítimas não conseguem identificar a violência que estão
sofrendo. Por isso, a campanha Agosto Lilás é tão importante.
Cinco agressões previstas em lei
Física – São aquelas que prejudicam a saúde corporal da mulher. Exemplos: socos,
sufocamentos, uso de objetos para machucar, tortura, queimaduras e lesões com
arma de fogo.
Psicológica – Ações que causam danos às emoções, comportamentos e
desenvolvimento da mulher. Exemplos: chantagens, xingamentos, ameaças,
proibições, humilhações e perseguições.
Moral – É considerada quando a mulher é atacada em sua idoneidade, ao ser
caluniada ou difamada. Exemplos: expor a vida íntima, espalhar mentiras,
acusações de traição ou destruir a reputação.
Sexual – Quando a pessoa é forçada a presenciar, manter ou participar de relações
sexuais, ou seja, sem consentimento. Exemplos: estupro, obrigar ao aborto ou
impedir uso de métodos contraceptivos.
Patrimonial – Situações em que a mulher seja prejudicada em seus bens de
trabalho ou casa. Do mesmo modo, nas necessidades pessoais. Exemplos:
controle de dinheiro, estelionato, privação dos recursos, destruição de objetos de
valor.
Como denunciar um caso de violência doméstica
● A denúncia de violência contra a mulher pode ser feita em delegacias e
órgãos especializados, onde a vítima procura amparo e proteção. O Ligue
180, central de atendimento à mulher, funciona 24 horas por dia, é gratuito e
confidencial.
Esteja atento (a) às mulheres que pedirem ajuda ao seu redor;
Outros canais de denúncia:
● Disque Direitos Humanos – Disque 100
● Polícia Militar – 190
Não devemos nos calar diante das violências vividas por mulheres diariamente, seja
ela doméstica, psicológica ou moral. Devemos denunciar e conscientizar a
sociedade sobre a importância do fim da violência contra mulher, divulgar os
serviços especializados da rede de atendimento à mulher em situação de violência.
Juntas somos mais fortes.
Referência
BIANCA, K. Agosto Lilás, o que é? Origem e campanha contra a violência doméstica.
Disponível em: <https://areademulher.r7.com/curiosidades/agosto-lilas/>. Acesso em: 25
set. 2022.