Buscar

PSICOLOGIA SOCIO-INTERACIONISTA

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Psicologia Sócio-Interacionista
Henry Wallon
-Psicologia da pessoa completa: aspectos cognitivos, questão do meio (cultura), psicomotricidade, afetividade.
-Viveu em Paris (83 anos).
-(1879-1962).
-Médico de lesões cerebrais.
-Partiu da patologia para a normalidade.
-Para Wallon, o ser humano é genético, social e suas estruturas orgânicas supõem intervenções culturais.
-O ser humano (organismo) funciona em uma alternância de opostos.
-Anabólico (assimilação), catabólico (desassimilação): metabolismo celular (substâncias nutritivas).
-Sístole (contração), diástole (dilatação): coração. 
-Wallon estuda os órgãos em movimento: musculatura e as estruturas cerebrais responsáveis. 
-Atividades musculares: 
A) Cinética ou clônica: músculo em movimento. 
B) Postural ou tônica: músculo parado ou em manutenção de atitude.
-Observação: atividade mental: musculatura em atividade tônica.
1. Impulsivo-emocional (1 ano): desenvolvimento motor e afetividade.
2. Sensório-motor e projetivo (1 a 3 anos): permite a exploração do meio pelo agarrar, segurar, manipular, apontar.
3. Personalismo (6 anos): formação da personalidade e consciência de si. Início do processo de discriminação entre eu e o outro, uso insistente de expressões como: eu, meu, não. Contradiz as pessoas para experimentar sua independência. 
4. Categorial (6/7 a 11 anos): passa a se interessar por coisas exteriores.
Diferenciação nitida entre eu e outro. Capacidade de agrupar, seriar, classificar, alcance de vários níveis de abstração. 
5. Adolescência (11 anos em diante): rompimento da tranquilidade afetiva, afetividade à distância, mudanças hormonais levam a certa instabilidade emocional, busca por autonomia e independência. 
-Ser humano: genético / características da espécie. 
-A dimensão cinética ou motora se virtualiza em ato mental.
-Postural ou tônica: músculo parado ou em manutenção de atitude.
-Atividade mental: atividade tônica 》gera cansaço. 
-Movimentos da praxia (prática) são controlados pela camada interna do cérebro. Movimentos que a praxia automatizou: balanço dos braços ao andar, dirigir um carro).
-Prestance (presença) / canhestria: embananamento - quando prestamos atenção nos movimentos automatizados.
-Wallon e Vygotsky usaram a expressão "extra-cortical" para significar o conhecimento, por não fazer parte das estruturas cerebrais inatas (vem de fora para dentro).
-Psicologia é ciencia qualitativa.
-Ciência híbridica: distante da imagem epistemológica que a encerrava no domínio das teorias e dos conceitos, ao contrário o hibridismo da ciência se faz notar quando acompanhamos sua empiria, seu praxismo.
-Deve-se analisar o significado das emoções pelas ações. 
-As emoções são sempre acompanhadas de reações orgânicas. 
-As emoções provocam reações na postura. Exemplo: timidez.
-O ambiente funciona como combustível para a manifestação da emoção, possui poder de contágio (eventos, comícios, shows).
-A linguagem favorecerá a organização do pensamento.
-A gênese da inteligência para Wallon é genética e organicamente social.
-Teoria do desenvolvimento centrada na psicogênese da pessoa completa.
-"Personalismo" e "Puberdade e adolescência": a afetividade segue uma direção centrípeda (para si mesmo).
-"Sensório-motor ou projetivo" e "Categorial": cognição segue uma direção centrífuga (para o mundo exterior).
-A afetividade tem origem nas sensibilidades:
-Interna 》interocepção (aquilo que percebo no mundo exterior e assimilo no meu modo de interagir com o mundo, no sentido de coação).
-Interna 》própriocepção (que se manifesta pelo livre arbítrio).
-Exteriocepção (aquilo que vem do exterior / que sinto no ambiente no qual estou inserido / não depende do indivíduo).
-Pensamento sincrético: pensamento confuso da criança. 
a) Se o irmão quebra um copo, coloca-se na defensiva: -Não foi a Mariana (não usa "eu").
b) Começa a falar que a mãe trabalha em um escritório e termina o assunto falando do cachorro do vizinho. 
c) Aparecimento da tautologia, isto é, inventa explicações por não conhecer o conceito. Exemplo: os animais comunicam-se por telepatia. Telepatia é um bicho que mora na cabeça do cachorro. 
-Simulacro: simulação. Exemplo: faz-de-conta que está segurando uma boneca.