Buscar

DOC-20231214-WA0219

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 31 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 31 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 31 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

CENTRO UNIVERSITÁRIO PLANALTO DO DISTRITO FEDERAL - UNIPLAN 
CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA 
 
 
 
 
EFEITOS DO FUTEBOL DE 5 NA QUALIDADE DE VIDA DE DEFICIENTES 
VISUAIS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. 
 
 
 
 
 
 
DAMIÃO NOGUEIRA DA SILVA FILHO - UL20110221 
JOÃO PAULO DE OLIVEIRA RODRIGUES - UL20120149 
JUMA KÉSSIA FERREIRA FUKUHARA - UL20104358 
ORBENIO VIEIRA DA SILVA - UL20104048 
OQUELYA VITOR DA SILVA - UL20105971 
 
 
 
 
 
 
 
 
IGUATU-CE 
2023 
 
 
 
DAMIÃO NOGUEIRA DA SILVA FILHO - UL20110221 
JOÃO PAULO DE OLIVEIRA RODRIGUES - UL20120149 
JUMA KÉSSIA FERREIRA FUKUHARA - UL20104358 
ORBENIO VIEIRA DA SILVA - UL20104048 
OQUELYA VITOR DA SILVA - UL20105971 
 
 
 
 
 
EFEITOS DO FUTEBOL DE 5 NA QUALIDADE DE VIDA DE DEFICIENTES 
VISUAIS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. 
 
 
 
 
 
 
 
Trabalho Técnico Científico, apresentado 
ao Curso de Bacharelado em Educação 
Física, do Centro Universitário 
UNIPLAN, Polo Iguatu-Ce, como requisito 
para a obtenção do grau de Bacharel em 
Educação Física 
 
Orientador: Prof. Esp. Paulo Ivany Souza 
 
 
 
 
 
IGUATU-CE 
2023 
 
 
DAMIÃO NOGUEIRA DA SILVA FILHO - UL20110221 
JOÃO PAULO DE OLIVEIRA RODRIGUES - UL20120149 
JUMA KÉSSIA FERREIRA FUKUHARA - UL20104358 
ORBENIO VIEIRA DA SILVA - UL20104048 
OQUELYA VITOR DA SILVA - UL20105971 
 
 
 
EFEITOS DO FUTEBOL DE 5 NA QUALIDADE DE VIDA DE DEFICIENTES 
VISUAIS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. 
 
 
 
Trabalho Técnico Científico apresentado ao Curso de Bacharelado em Educação 
Física, do Centro Universitário UNIPLAN, Polo Iguatu-Ce, como requisito para a 
obtenção do grau de Bacharel em Educação Física. 
 
 
Data de aprovação: ___/___/_____ 
 
BANCA EXAMINADORA: 
 
 
 
 
Prof. Esp. Paulo Ivany de Souza 
Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN) 
 
 
 
 
 
Prof. Estefson Bezerra dos Santos 
Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN) 
 
 
 
 
 Prof. Esp. CONVIDADO 
Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN) 
 
 
AGRADECIMENTOS 
 
Primeiramente a Deus, que sem ele nada seria possível... Aos nossos 
familiares e amigos, que nos apoiaram durante todos esses anos, e ao nosso 
professor e orientador, Paulo Ivany de Souza, juntamente com a Instituição, Centro 
Universitário Planalto do Distrito Federal – UNIPLAN, que nos ajudou nesta grande 
jornada pra chegarmos até aqui. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
RESUMO 
 
No contexto atual, a inclusão social de pessoas com deficiência visual é uma 
preocupação global, e o esporte tem sido reconhecido como uma poderosa 
ferramenta para promover a igualdade de oportunidades e o desenvolvimento pessoal 
desses indivíduos. O futebol de cinco, também conhecido como futebol para cegos, é 
uma variação adaptada do futebol convencional, projetada especificamente para 
pessoas com deficiência visual. Assim, este artigo tem como objetivo explorar o papel 
do futebol de cinco na inclusão social de pessoas com deficiência visual, analisando 
sua importância para a promoção da inclusão social e os benefícios que essa 
modalidade esportiva pode oferecer para os jogadores com deficiência visual. Os 
resultados desta pesquisa demonstram que o futebol de cinco desempenha um papel 
fundamental na inclusão social de pessoas com deficiência visual. Primeiramente, 
essa modalidade esportiva oferece uma oportunidade única para os jogadores com 
deficiência visual se envolverem em atividades físicas e competitivas, contribuindo 
para a melhoria da saúde e bem-estar desses indivíduos. Além disso, o futebol de 
cinco promove a interação social e o trabalho em equipe, permitindo que os jogadores 
desenvolvam habilidades de comunicação, cooperação e liderança. Através da 
participação nessa modalidade esportiva, os jogadores com deficiência visual podem 
superar desafios, adquirir confiança e autoestima, e estabelecer conexões 
significativas com outros jogadores e membros da comunidade. Outro benefício 
importante do futebol de cinco é a sua capacidade de desafiar estereótipos e 
preconceitos em relação às pessoas com deficiência visual. Ao presenciar a 
habilidade e o talento dos jogadores com deficiência visual, o público em geral pode 
mudar suas percepções e atitudes em relação à inclusão e diversidade. 
 
Palavras-chave: Esporte. Futebol adaptado. Pessoa com deficiência. Qualidade de 
vida. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ABSTRACT 
 
In the current context, social inclusion of people with visual impairment is a global 
concern, and sport has been recognized as a powerful tool to promote equal 
opportunities and personal development for these individuals. Five-a-side soccer, also 
known as soccer for the blind, is an adapted variation of conventional soccer designed 
specifically for people with visual impairment. Thus, this article aims to explore the role 
of five-a-side soccer in the social inclusion of visually impaired people, analyzing its 
importance in promoting social inclusion and the benefits that this sport can offer to 
visually impaired players. The results of this research show that five-a-side soccer 
plays a key role in the social inclusion of visually impaired people. Firstly, this sport 
modality offers a unique opportunity for visually impaired players to engage in physical 
and competitive activities, contributing to the improvement of the health and well-being 
of these individuals. In addition, five-a-side soccer promotes social interaction and 
teamwork, allowing players to develop communication, cooperation, and leadership 
skills. Through participation in this sport, visually impaired players can overcome 
challenges, gain confidence and self-esteem, and make meaningful connections with 
other players and community members. Another important benefit of five-a-side soccer 
is its ability to challenge stereotypes and prejudices regarding people with visual 
impairments. By witnessing the skill and talent of visually impaired players, the general 
public can change their perceptions and attitudes towards inclusion and diversity. 
 
Keywords: Sports. Adapted soccer. Person with disability. Quality of life. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................... 8 
2. METODOLOGIA ...................................................................................................... 11 
2.1 Tipos de pesquisa ............................................................................................... 11 
2.2 Procedimentos metodológicos ........................................................................... 11 
3. DISCUSSÕES DE AUTORES ................................................................................. 13 
3.1 FUTEBOL E PODER .......................................................................................... 14 
3.2 QUALIDADE DE VIDA DE DEFICIENTES VISUAIS E O FUTEBOL DE 5 ...... 16 
3.3 AUTONOMIA X EMPODERAMENTO X PARTICIPAÇÃO SOCIAL ................. 18 
4. RESULTADOS E CONCLUSÃO............................................................................. 21 
REFERÊNCIAS ............................................................................................................ 29 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
8 
 
1. INTRODUÇÃO 
 
Para discorrer acerca do futebol, é essencial entender sua origem e evolução. 
Em 1863, o futebol contemporâneo emergiu concomitantemente à Football 
Association (FA) na Inglaterra. Contudo, antes da oficialização do esporte, o primeiro 
clube de futebol inglês foi estabelecido em 1857. Com normas, indumentárias e 
estruturação específicas, o futebol propagou-se globalmente devido à difusão 
realizada por seus praticantes e entusiastas (WILSON, 2016).Um exemplar de modalidade esportiva destinada a indivíduos com deficiência 
visual é o futebol de cinco. Originou-se na Espanha na década de 1920 como uma 
atividade recreativa para estudantes em instituições especializadas no atendimento 
desse grupo. No Brasil, a prática iniciou-se na década de 1950, empregando-se 
inicialmente latas ou garrafas como sinalizadores para o gol e, subsequentemente, 
bolas adaptadas a partir de sacolas plásticas (GUIMARÃES, 2016). 
O futebol adaptado para deficientes visuais, denominado futebol de cinco, é 
uma disciplina esportiva que tem experimentado um aumento de popularidade nos 
anos recentes. Nesta modalidade, os atletas utilizam vendas para equalizar as 
condições visuais e empregam uma bola com guizos, possibilitando sua localização 
auditiva (FAVRIN, et al. 2022). 
O futebol de cinco constitui-se como um notável meio de promover a inclusão 
social de deficientes visuais, uma vez que proporciona uma oportunidade para a 
prática esportiva, desenvolvimento de habilidades físicas e sociais, e ainda cultiva 
valores como colaboração, respeito e inclusão (GENOVA, 2021). 
Adicionalmente, o futebol de cinco pode exercer um impacto benéfico na saúde 
mental dos atletas com deficiência visual, que frequentemente confrontam 
adversidades em sua rotina, como a escassez de acesso a informações e o estigma 
social. O esporte pode representar uma válvula de escape para tais desafios, 
contribuindo para aprimorar sua qualidade de vida (DE SOUSA JÚNIOR; LIMA; DE 
OLIVEIRA FILHO, 2022). 
É relevante destacar as categorias de deficiência visual mais frequentes, tais 
como a retinopatia da prematuridade, a catarata congênita, o glaucoma congênito, a 
atrofia óptica e as degenerações retinianas, bem como distúrbios visuais corticais. A 
cegueira e a visão subnormal também podem ser consequências de enfermidades 
como diabetes, descolamento de retina ou traumas oculares (LOPES, 2019). 
9 
 
Os graus de deficiência visual englobam uma vasta extensão, desde a ausência 
total de visão até a visão íntegra. A expressão "deficiência visual" alude a qualquer 
condição que afete a capacidade visual, compreendendo a baixa visão ou visão 
subnormal, que se manifesta por uma diminuição acentuada na acuidade visual, no 
campo visual e na sensibilidade ao contraste, assim como outras restrições (MARCHI, 
2019). 
Conforme Oliveira, Ribeiro e Simões (2016), a deficiência visual pode 
influenciar adversamente a qualidade de vida do indivíduo, limitando suas 
oportunidades e autonomia no processo de aprendizagem. Sujeitos com tal deficiência 
podem encontrar obstáculos ao executar atividades cotidianas, tais como ler, 
locomover-se, alimentar-se, engajar-se em práticas esportivas ou interagir em 
contextos sociais. 
A inclusão social é de suma importância na reabilitação de indivíduos cegos ou 
portadores de deficiência visual. A condição de cegueira não constitui um empecilho 
para que o sujeito alcance êxito em sua trajetória. A atividade esportiva pode servir 
como meio para que pessoas com deficiência visual se empenhem em objetivos, 
alcancem realizações e refinem seus sentidos e competências. O esporte emerge 
como instrumento primordial para que a sociedade identifique o potencial desses 
indivíduos, podendo ser praticado com recursos alternativos e em espaços 
apropriados ou adaptados (BILL, 2017). 
Assim, o presente estudo visa debater a relevância da atividade esportiva na 
inclusão social de sujeitos com deficiência visual. Pretende-se elucidar como o esporte 
pode favorecer a melhoria da qualidade de vida e a inclusão desses indivíduos, 
ressaltando sua importância como mecanismo para que a sociedade reconheça o 
potencial desses sujeitos e incentive a inclusão. 
O futebol, sendo um dos esportes de maior popularidade global e praticado em 
inúmeros países, historicamente tem contribuído para a inclusão desses sujeitos. A 
inclusão social de pessoas com deficiência configura-se como tema de crescente 
relevância no cenário contemporâneo, sendo reconhecida como um direito humano 
inalienável (DE OLIVEIRA; VARGAS; CAPRARO, 2023). 
O futebol de 5, uma modalidade esportiva adaptada para deficientes visuais, 
tem ganhado destaque, mas ainda carece de uma análise aprofundada sobre seus 
impactos na qualidade de vida dos praticantes. Diante disso, surge a seguinte questão 
10 
 
norteadora: Qual é o impacto do futebol de cinco na inclusão social de deficientes 
visuais? 
A hipótese é que a participação nessa modalidade esportiva pode promover 
benefícios físicos, como condicionamento físico e coordenação motora, além de 
impactar positivamente aspectos psicológicos, como autoconfiança e resiliência. Além 
disso, a interação social proporcionada pelo esporte pode favorecer a construção de 
redes de apoio e aumentar a inclusão social desses indivíduos. 
Esta revisão bibliográfica é relevante devido à carência de estudos abrangentes 
sobre os efeitos do futebol de 5 na qualidade de vida de deficientes visuais. 
Compreender os benefícios físicos, psicológicos e sociais dessa prática esportiva 
pode informar profissionais da saúde, educadores físicos e gestores de políticas 
públicas sobre a importância de promover e apoiar a participação de deficientes 
visuais no futebol de 5. Além disso, os resultados podem ser úteis para aprimorar 
programas de inclusão esportiva, contribuindo para uma abordagem mais holística e 
centrada na pessoa em relação à deficiência visual. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
11 
 
2. METODOLOGIA 
 
2.1 Tipos de pesquisa 
 
Trata-se de uma revisão bibliográfica do tipo narrativa. Nesse tipo de estudo, 
há liberdade quanto aos tipos de dados utilizados na pesquisa, não tendo restrição 
quanto as fontes. Logo, segundo Rother (2007, p. 1,): “Os artigos de revisão narrativa 
são publicações amplas, apropriadas para descrever e discutir o desenvolvimento ou 
o "estado da arte" de um determinado assunto, sob ponto de vista teórico ou 
contextual”. Para tanto, foi utilizado o que descreve, Estrela, (2018), para 
embasamento teórico do trabalho. Dessa forma estabeleceu-se a seguinte questão 
norteadora: qual é o impacto do futebol de cinco na inclusão social de deficientes 
visuais? 
Sob a ótica da abordagem metodológica, trata-se de uma pesquisa qualitativa, 
caracterizada por análises de dados realizadas de maneira indutiva. Quanto aos seus 
objetivos, a pesquisa é de natureza exploratória, ou seja, visa proporcionar uma maior 
familiaridade com o problema em questão, explicitá-lo, elaborar hipóteses acerca dele 
ou promover refinamentos sobre o tema (TAQUETTE; BORGES, 2021). 
O método adotado para esta investigação é a revisão bibliográfica. Segundo 
Sousa et al. (2017), tal método oferece uma compreensão ampliada acerca de um 
tema específico, permitindo a integração de diversas metodologias e detendo o 
potencial de exercer um papel significativo nas pesquisas no âmbito da saúde. 
 
2.2 Procedimentos metodológicos 
 
Para a presente investigação, propôs-se a seguinte indagação: qual é o 
impacto do futebol de cinco na inclusão social de deficientes visuais? Na revisão 
bibliográfica, visando uma abordagem mais ampla em relação aos descritores, 
empregou-se a base de dados dos Descritores em Ciências da Saúde (DECS). 
Para a consubstanciação dos resultados deste estudo, adotaram-se os 
descritores, conforme elencados a seguir: futebol para deficientes visuais; inclusão 
social de deficientes visuais no esporte; esportes adaptados para pessoas com 
deficiência visual; futebol de cinco (fut 5) ou futebol de 5-a-side; normativas do futebol 
12 
 
de cinco para deficientes visuais; benefícios sociais e psicológicos do esporte para 
deficientes visuais; relevância da inclusão social de deficientes visuais no esporte; 
acessibilidade e inclusão no futebol para deficientes visuais; histórico do futebol 
adaptado para deficientesvisuais; e desafios e superações no futebol para deficientes. 
A pesquisa foi conduzida por meio de publicações em forma de artigos 
científicos disponíveis na Biblioteca Virtual em Saúde – BVS, utilizando-se para tal as 
bases de dados LATINDEX, LILACS, BDENF, SCIELO, PUBMED e SCOPUS. A 
delimitação temporal adotada compreendeu os últimos 05 anos, considerando as 
frequentes alterações conceituais. 
Para a seleção dos artigos, em um primeiro momento, aplicaram-se 
determinados filtros. Os critérios de inclusão foram: trabalhos científicos completos 
que atendessem aos objetivos da pesquisa, publicados no período de 2018 a 2023, 
disponíveis nos idiomas português, e de acesso gratuito. Os critérios de exclusão 
contemplaram trabalhos duplicados e artigos de revisão bibliográfica. 
Para a organização das informações oriundas dos trabalhos selecionados na 
base de dados, procedeu-se à leitura exploratória dos títulos e resumos, bem como 
dos resultados apresentados. Empregou-se a Análise Temática proposta por Minayo, 
que se estrutura nas fases de pró-análise, exploração do material ou codificação e 
tratamento dos resultados obtidos. A fase de pró-análise engloba a leitura exploratória, 
constituição do corpus e formulação e reformulação de hipóteses ou pressupostos. 
Durante a fase de exploração do material, o investigador busca identificar categorias 
que sejam expressões ou termos significativos, mediante os quais o conteúdo de uma 
declaração será estruturado (ARAUJO et al., 2019). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
13 
 
3. DISCUSSÕES DE AUTORES 
 
Nesta seção, apresenta-se a "Discussão de Autores", na qual o tema é 
subdividido em três subcapítulos, visando uma organização mais clara e um enfoque 
específico em cada temática abordada. A primeira parte, intitulada "Futebol e Poder", 
abordará a força e influência do futebol. Como ilustração, pode-se citar os jogos da 
Copa do Mundo, nos quais, quando a Seleção Brasileira compete, é comum que 
estabelecimentos comerciais interrompam suas atividades para acompanhar a 
partida. 
O segundo tópico discorrerá sobre a qualidade de vida de deficientes visuais, 
explorando os fatores que influenciam ou influenciaram os benefícios e desafios 
inerentes à qualidade de vida destes indivíduos. 
Por conseguinte, o último tópico abordará as possibilidades e influências que 
contribuíram para modificar, ampliar ou estabelecer autonomia, empoderamento e 
participação social. Tais aspectos são consequências diretas da inserção dessas 
pessoas com deficiência visual no contexto social. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
14 
 
3.1 FUTEBOL E PODER 
 
O futebol possui origens que remontam a civilizações antigas, nas quais jogos 
com características análogas eram praticados. Contudo, a modalidade moderna do 
futebol, tal como a reconhecemos atualmente, originou-se na Inglaterra do século XIX 
(WALVIN, 2014). 
Conforme Goldblatt (2014), o futebol transcende a simples definição de um 
jogo, integrando-se de maneira intrínseca à cultura global. Em diversas nações, ele 
representa mais do que um mero entretenimento, constituindo-se como uma paixão 
que congrega indivíduos de distintas origens, estratos sociais e crenças. A 
universalidade do futebol o elevou a uma potente ferramenta midiática, exercendo 
influência sobre a diplomacia e as relações internacionais. 
No Brasil, o futebol de cinco adquiriu notoriedade, sendo praticado em diversos 
países. Além de sua vertente competitiva, é também uma atividade recreativa, 
acessível a variados níveis de habilidade e intensidade (MILLS, 2014). 
Um aspecto relevante do futebol de cinco é sua capacidade de fomentar a 
socialização e o lazer. Ao praticar futebol, os indivíduos têm a oportunidade de 
interagir com outros, estabelecer novas amizades e fortalecer vínculos sociais 
preexistentes. Ademais, o futebol pode ser praticado em diferentes espaços, tais como 
parques, quadras e campos, contribuindo para a diversificação das atividades 
recreativas (KUPPER, 2019). 
Nesse cenário, o futebol de cinco, conforme elucidado por Genova et al (2021), 
emerge como um esporte paraolímpico que propicia significativas oportunidades de 
inclusão para pessoas com deficiência visual. Trata-se de uma modalidade adaptada 
do futebol convencional, na qual os atletas, completamente cegos, utilizam uma bola 
equipada com guizos para orientação durante a partida. 
A proeminência da Seleção Brasileira de Futebol de Cinco no cenário 
internacional tem favorecido o aumento da visibilidade e da popularização dessa 
modalidade esportiva no Brasil. Tais conquistas revelam-se fundamentais não 
somente para a divulgação do esporte, mas também para a promoção da inclusão de 
indivíduos com deficiência visual na sociedade. 
Considerando as observações do autor, somos conduzidos a uma reflexão 
acerca das razões para a criação das Olimpíadas e de seus objetivos primordiais. 
15 
 
Surge, assim, uma inquietação: como pode um único esporte possuir tamanha 
influência, equiparável à de um evento como as Olimpíadas? 
Por meio da literatura, constata-se que o futebol, desde sua origem, consolidou-
se não apenas como um esporte, mas como um fenômeno cultural que transcende 
fronteiras e une nações. Sua influência midiática é patente, sendo frequentemente 
abordado e transmitido globalmente, gerando expressivas receitas advindas de 
publicidade e patrocínio. 
A paixão pelo futebol mobiliza multidões, eleva atletas ao estrelato e é capaz 
de evocar intensas emoções em seus aficionados. Em âmbito global, grandes 
torneios, como a Copa do Mundo, são eventos que capturam a atenção de nações 
inteiras, sendo aguardados com elevada expectativa. 
No Brasil, paralelamente ao futebol tradicional, o futebol de cinco destaca-se. 
Esta variação do esporte evidencia a capacidade de adaptação e inclusão do futebol, 
reforçando sua relevância não apenas como entretenimento, mas também como 
instrumento de integração social. 
O futebol de cinco consolidou-se no Brasil e ganhou notoriedade 
internacionalmente, sendo praticado em diversas nações. Mais do que uma 
competição esportiva, ele representa também uma atividade de lazer, acessível a 
diferentes níveis de habilidade e intensidade (MILLS, 2014). 
A destacada atuação da Seleção Brasileira de Futebol de Cinco no cenário 
internacional tem ampliado a visibilidade e popularização dessa modalidade no Brasil. 
Tais êxitos são fundamentais não somente para a propagação do esporte, mas 
também para incentivar a inclusão de indivíduos com deficiência visual na sociedade. 
Nesse panorama, o futebol de cinco, conforme elucidado por Genova et al. 
(2021), é um esporte paradesportivo que proporciona significativas oportunidades de 
inclusão para pessoas com deficiência visual. Trata-se de uma modalidade adaptada 
do futebol convencional, na qual os atletas, que são completamente cegos, utilizam 
uma bola equipada com guizos para orientação durante a partida. 
Considerando os aspectos mencionados, evidencia-se a importância do futebol 
como instrumento de melhoria na qualidade de vida de pessoas com deficiência 
visual, promovendo bem-estar e integração social. Até o presente momento, constata-
se a influente presença do futebol tanto na sociedade quanto na mídia, e, nesse 
contexto, o futebol de cinco tem se destacado progressivamente. 
 
16 
 
3.2 QUALIDADE DE VIDA DE DEFICIENTES VISUAIS E O FUTEBOL DE 5 
 
 A qualidade de vida dos deficientes visuais é um tema que abrange uma ampla 
gama de fatores e nuances. Ao falar sobre essa questão, é impossível não mencionar 
a importância da acessibilidade física, que se refere à capacidade de se mover e 
interagir com o ambiente de maneira segura e autônoma. Isso inclui desde calçadas 
bem projetadas com pisos táteis até edifícios e transportes públicos adaptados para 
atender às necessidades específicas dessas pessoas (REBOUÇAS, 2016).Além da questão física, a inclusão social é outro aspecto fundamental. Na 
perspectiva de Correia (2016, p. 10): 
 
A inclusão social é um elemento fundamental na reabilitação do cego. Não é 
porque o sujeito é cego que está fadado a não ter sucesso na vida. Através 
da prática do esporte, o cego sente que pode se dedicar, ter sucesso na vida, 
aprimorando os outros sentidos e valências físicas que poderão ser 
desenvolvidas. O esporte é igual para todos e assim torna-se ferramenta 
indispensável para que a sociedade perceba o potencial do deficiente, 
buscando trabalhar com materiais alternativos e locais apropriados. 
 
A aceitação social é outro pilar para a qualidade de vida dos deficientes visuais. 
Infelizmente, ainda existem muitos mitos e preconceitos associados à deficiência 
visual. Muitas vezes, essas pessoas são vistas apenas por sua limitação e não por 
suas capacidades, talentos e potenciais. É crucial que a sociedade entenda que a 
deficiência, seja ela parcial ou total, é apenas uma característica da pessoa e não a 
define por completo (GRILO; MAJOR, 2015). 
Os desafios diários enfrentados pelos deficientes visuais são inúmeros, desde 
a realização de tarefas simples, como cruzar uma rua, até desafios mais complexos, 
como a busca por emprego em um mercado muitas vezes não inclusivo. No entanto, 
com o apoio adequado, seja ele por meio de tecnologias assistivas, treinamentos ou 
políticas públicas, é plenamente possível que esses indivíduos tenham uma vida rica, 
produtiva e satisfatória (SILVA; GOMES, 2017). 
A prática do futebol de 5 proporciona oportunidades para enfrentar desafios, 
uma vez que demanda habilidades técnicas específicas, como domínio da bola, 
controle de direção e tomada de decisões em tempo real. Os atletas, ao se envolverem 
nesse esporte, necessita de variadas situações de jogo e criar estratégias para lidar 
com as limitações da deficiência visual. Consoante os estudos de Genova et al (2021), 
17 
 
há indícios de que essa adaptação pode auxiliar no fortalecimento emocional e na 
resiliência. 
O futebol de cinco, além de potenciais benefícios individuais, pode ser uma 
ferramenta para a inclusão social e para desafiar estereótipos associados às pessoas 
com deficiência visual. A integração em equipes esportivas pode permitir que esses 
indivíduos sejam vistos não somente por suas limitações, mas também por suas 
competências e talentos. O ambiente esportivo pode ser um espaço de igualdade e 
respeito. 
Contudo, é válido mencionar que, mesmo com as possíveis oportunidades de 
inclusão proporcionadas pelo futebol de cinco, há desafios a serem considerados. A 
disponibilidade de recursos, infraestrutura adequada e treinadores capacitados são 
aspectos cruciais. A conscientização e o apoio da sociedade também são elementos 
chave para a valorização dos atletas com deficiência visual. 
Pesquisas, como a de Favrin et al (2022), sugerem os benefícios da prática 
esportiva para indivíduos com deficiência, destacando possíveis impactos positivos 
na saúde física, mental e no bem-estar. Outro ponto abordado é a influência do 
esporte na percepção da própria imagem. A prática esportiva pode influenciar na 
construção de uma imagem corporal mais positiva, desviando o foco da aparência 
física para habilidades e capacidades individuais. 
Vigário et al (2019) apresentam dados sobre os benefícios do futebol de 5 para 
pessoas com deficiência visual. Os números sugerem que o esporte pode favorecer a 
inclusão social e a interação. A prática esportiva regular é vista por muitos como 
benéfica para o bem-estar físico e mental. 
O estudo de Souza e Seron (2022) sobre o I Campeonato de Futsal da 
Educação Profissional organizado pela (APAE – Associação de Pais e Amigos dos 
Excepcionais) de Florianópolis traz insights sobre estratégias metodológicas e 
pedagógicas inovadoras. A pesquisa indica que tais estratégias podem ter contribuído 
para a melhoria da qualidade de vida dos participantes com deficiência visual. No 
entanto, é fundamental considerar o contexto específico de cada pesquisa. 
Gamonales et al (2018) abordam os benefícios do futebol de 5, ressaltando 
potenciais impactos na inclusão social, empoderamento e qualidade de vida. O estudo 
sugere que o futebol de 5 pode ser uma alternativa para a participação ativa de 
pessoas com deficiência visual em atividades esportivas. Temas esses apresentados 
no capítulo a seguir de forma mais aprofundada. 
18 
 
3.3 AUTONOMIA X EMPODERAMENTO X PARTICIPAÇÃO SOCIAL 
 
Para falarmos um pouco sobre a participação social, é importante salientar que 
os praticantes têm a oportunidade de interagir com outras pessoas, compartilhar 
experiências e construir relacionamentos. Isso não apenas promove a inclusão social, 
mas também combate o isolamento muitas vezes enfrentado por pessoas com 
deficiência visual. 
Ademais, o estudo destaca o papel do futebol de 5 no fortalecimento da 
autoconfiança e autoestima dos praticantes. Ao enfrentar desafios esportivos e 
alcançar metas pessoais, os jogadores podem superar suas limitações e desenvolver 
uma maior confiança em si mesmo. Essa melhoria na autoestima não se limita apenas 
ao contexto esportivo, mas também se reflete em outras áreas da vida, contribuindo 
para uma melhoria abrangente na qualidade de vida. 
O artigo realizado por Souza Júnior et al (2022) que investigou os efeitos do 
futebol de 5 na inclusão social, autoconfiança, senso de pertencimento, habilidades 
físicas e sociais, autoestima e bem-estar geral é de grande relevância. Essa pesquisa 
fornece informações importantes sobre os benefícios que o esporte pode trazer para 
a vida das pessoas, especialmente aquelas com deficiência visual que participam do 
futebol de 5. 
Um dos principais pontos do estudo é que o futebol de 5 promove a inclusão 
social. Isso ocorre porque o esporte proporciona um ambiente onde jogadores com 
deficiência visual podem se engajar em uma atividade esportiva coletiva, interagir com 
outros jogadores e desenvolver relacionamentos significativos. Através dessa 
participação ativa, eles se sentem parte de um grupo, superam barreiras sociais e 
estabelecem conexões com os colegas de equipe. 
Além disso, o futebol de 5 também demonstrou ter um impacto positivo na 
autoconfiança dos jogadores. Ao participarem do esporte, eles desenvolvem 
habilidades técnicas e táticas, melhoram sua condição física e aprimoram suas 
capacidades de tomada de decisão. Essas conquistas aumentam a confiança em suas 
próprias habilidades e os ajudam a enfrentar desafios tanto dentro quanto fora do 
campo. 
Outro aspecto importante destacado pelos autores é o senso de pertencimento 
que o futebol de 5 proporciona. Ao fazerem parte de uma equipe, os jogadores se 
sentem integrados a um grupo com interesses comuns, compartilhando experiências 
19 
 
e emoções. Esse sentimento de pertencimento contribui para a construção de 
identidades positivas e fortalece o senso de comunidade. 
Além dos aspectos sociais, o futebol de 5 também é benéfico do ponto de vista 
da saúde física. O esporte envolve movimentos intensos, como corridas, mudanças 
rápidas de direção e chutes, o que contribui para uma atividade física estimulante. A 
prática regular do futebol de 5 pode melhorar a resistência cardiovascular, a força 
muscular e a coordenação motora dos jogadores, resultando em benefícios para a 
saúde e o bem-estar físico. 
 O estudo também ressalta a importância do futebol no desenvolvimento de 
habilidades sociais. Durante as sessões de treinamento e jogos, os jogadores 
precisam se comunicar, cooperar, tomar decisões em grupo e lidar com situações de 
competição. Essas interações sociais promovem o desenvolvimento de habilidades 
de trabalho em equipe, empatia, respeito mútuo e resolução de conflitos, que são 
habilidades valiosas que podem ser transferidas para outras áreas da vida. 
 O estudo conduzidopor Levandosk et al (2019) é de extrema importância, pois 
evidencia os benefícios do futebol de 5 para a qualidade de vida de indivíduos com 
deficiência visual. A pesquisa destaca que essa modalidade esportiva adaptada 
promove a inclusão social, o desenvolvimento físico e a saúde mental dos jogadores, 
contribuindo para uma vida mais ativa e gratificante. 
A inclusão social é um aspecto crucial para a vida de pessoas com deficiência, 
pois muitas vezes elas enfrentam barreiras e estigmas sociais. O futebol de 5 
proporciona uma oportunidade para essas pessoas participarem ativamente de uma 
atividade esportiva em igualdade de condições com os demais jogadores. Através 
desse esporte adaptado, os jogadores com deficiência visual encontram um ambiente 
inclusivo e acolhedor, onde são valorizados pelo seu desempenho e habilidades, 
promovendo a autoconfiança e uma maior integração na sociedade. 
A prática regular desse desporte exige esforço físico, promovendo a melhoria 
da resistência cardiovascular, a coordenação motora, o equilíbrio e a força muscular. 
Esses aspectos são essenciais para a saúde geral e o bem-estar físico dos indivíduos 
com deficiência visual, ajudando-os a superar as limitações impostas pela sua 
condição e a desfrutar de uma vida mais saudável. 
A saúde mental também é beneficiada pela prática do futebol de 5. O esporte 
em si proporciona uma fonte de prazer e satisfação, liberando endorfinas e 
promovendo uma sensação de bem-esta. Além disso, a participação em uma equipe 
20 
 
e a criação de uma rede de apoio entre os jogadores contribuem para o fortalecimento 
dos laços sociais, e melhoria da saúde mental. A interação social, o senso de 
pertencimento e a troca de experiências com outras pessoas na mesma situação 
podem ser extremamente benéficos, ajudando os jogadores a lidar com desafios 
emocionais e a desenvolver uma mentalidade positiva. 
No entanto, é importante ressaltar que os benefícios mencionados no estudo 
podem variar de indivíduo para indivíduo, pois cada pessoa possui características e 
circunstâncias únicas. Além disso, outros fatores podem influenciar a experiência e os 
resultados obtidos por cada jogador, como o nível de envolvimento, a acessibilidade 
a instalações esportivas adaptadas e o suporte recebido por parte da família, amigos 
e comunidade. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
21 
 
4. RESULTADOS E CONCLUSÃO 
 
O futebol de cinco emerge como um facilitador significativo da inclusão social, 
indo além da esfera esportiva. Todos os autores, incluindo Souza Júnior et al. (2022), 
Levandosk et al. (2019), Genova et al. (2021), e Mills (2014), concordam que o esporte 
cria uma comunidade inclusiva, onde os jogadores não apenas competem, mas 
formam laços sociais profundos. A participação ativa no futebol de cinco não apenas 
integra os jogadores como membros de uma equipe, mas também contribui para o 
desenvolvimento de identidades positivas e fortalece o senso de pertencimento 
desses atletas. 
O futebol de cinco se revela como um verdadeiro agente de inclusão social e 
construção de comunidade, transcender as linhas do campo esportivo. Souza Júnior 
et al. (2022) e Levandosk et al. (2019) ressaltam que a prática esportiva não é apenas 
um exercício físico; é uma experiência que estabelece vínculos profundos entre os 
participantes. Os jogadores não apenas competem juntos, mas formam laços que 
extrapolam as fronteiras do esporte, gerando uma rede de apoio e uma sensação de 
pertencimento vital. 
A convergência entre os autores destaca o papel central do futebol de cinco na 
construção de comunidades inclusivas. Levandosk et al. (2019) e Souza Júnior et al. 
(2022) ressaltam que o esporte não é apenas uma atividade física, mas uma 
plataforma onde a inclusão social ganha vida. A prática coletiva não só integra os 
jogadores em uma equipe, mas cria laços sociais que se estendem para além do 
campo, formando uma rede de apoio. 
A prática do futebol de cinco demonstra ter impactos transformadores na 
autoconfiança e no desenvolvimento pessoal dos jogadores, conforme evidenciado 
por Souza Júnior et al. (2022) e Levandosk et al. (2019). A superação de desafios no 
esporte traduz-se em uma maior confiança para enfrentar obstáculos na vida diária. A 
autoconfiança não é apenas resultado de conquistas individuais, mas também do 
espírito colaborativo e da superação conjunta de desafios pela equipe. 
A trajetória no futebol de cinco não é apenas sobre jogos e treinos; é uma 
jornada de autodescoberta e desenvolvimento pessoal. Souza Júnior et al. (2022) e 
Levandosk et al. (2019) apontam que, ao enfrentar os desafios do esporte, os 
jogadores desenvolvem não apenas habilidades técnicas, mas também uma 
autoconfiança que se estende para além do campo. Essa confiança transforma-se em 
22 
 
uma ferramenta valiosa para enfrentar os desafios diários, construindo uma 
mentalidade resiliente. 
A autoconfiança emerge como um ponto unificador nos estudos. Levandosk et 
al. (2019) e Souza Júnior et al. (2022) indicam que o futebol de cinco é um catalisador 
para o desenvolvimento pessoal. A superação de desafios no esporte não só aprimora 
habilidades técnicas, mas também fortalece a autoconfiança, proporcionando aos 
jogadores uma base sólida para enfrentar as vicissitudes da vida cotidiana. 
A aceitação social é identificada como um pilar crucial para a qualidade de vida 
dos deficientes visuais, conforme destacado por Grilo e Major (2015). O estigma e os 
mitos associados à deficiência visual ainda persistem na sociedade. A promoção da 
compreensão de que a deficiência é apenas uma característica, não definindo a 
totalidade da pessoa, emerge como uma necessidade imperativa para garantir a 
inclusão e o pleno desenvolvimento desses indivíduos. 
Grilo e Major (2015) evidenciam que a aceitação social é um pilar essencial 
para a qualidade de vida dos deficientes visuais. Além de destacar a existência de 
mitos e preconceitos associados à deficiência visual, os autores chamam a atenção 
para a necessidade crucial de alterar a perspectiva da sociedade. A compreensão de 
que a deficiência é apenas uma característica, não definindo a totalidade da pessoa, 
emerge como uma chave para superar estigmas e garantir uma inclusão plena. 
Ambos Souza Júnior et al. (2022) e Levandosk et al. (2019) destacam os 
benefícios tangíveis do futebol de cinco para a saúde física e mental dos participantes. 
Os estudos apontam para melhorias na resistência cardiovascular, coordenação 
motora e força muscular, contribuindo para uma vida mais ativa. Além disso, a prática 
esportiva oferece uma fonte de prazer e satisfação, liberando endorfinas e 
fortalecendo a saúde mental dos jogadores. 
Os benefícios físicos e mentais da prática do futebol de cinco são fundamentais 
para uma vida plena. Levandosk et al. (2019) e Souza Júnior et al. (2022) destacam 
como a atividade física vigorosa contribui para melhorias mensuráveis na saúde 
cardiovascular, coordenação motora e força muscular. Além disso, o esporte atua 
como um bálsamo para a saúde mental, proporcionando prazer, satisfação e criando 
uma rede de apoio emocional que é A dualidade física e mental do bem-estar é 
destacada pelos autores. Levandosk et al. (2019) e Souza Júnior et al. (2022) 
convergem na ideia de que a prática do futebol de cinco não é apenas uma atividade 
física vigorosa, mas também um bálsamo para a saúde mental. O esporte não só 
23 
 
aprimora a resistência e a coordenação, mas também cria um ambiente propício para 
a saúde emocional dos jogadores essencial para enfrentar os desafios mentais. 
Silva e Gomes (2017) abordam os desafios diários enfrentados pelos 
deficientes visuais, desde tarefas simples até questões complexas, como a busca por 
emprego em um mercado muitas vezes não inclusivo. No entanto, enfatizam que com 
o apoio adequado, incluindo tecnologiasassistivas, treinamentos e políticas públicas, 
é plenamente possível que esses indivíduos alcancem uma vida rica, produtiva e 
satisfatória. A superação desses desafios é uma manifestação do empoderamento 
promovido pelo suporte e pela compreensão da sociedade. 
O futebol de cinco é reconhecido como uma prática global, conforme destacado 
por Mills (2014) e Genova et al. (2021). Mills ressalta a notoriedade global do esporte, 
enquanto Genova et al. adicionam uma dimensão internacional ao apresentá-lo como 
uma modalidade paraolímpica adaptada. 
Além disso, a variedade recreativa do futebol de cinco, mencionada por Mills, 
evidencia sua acessibilidade a diversos públicos, tornando-se não apenas uma 
competição esportiva, mas também uma atividade de lazer amplamente acessível. 
Mills (2014) e Genova et al. (2021) trazem à tona a amplitude do futebol de 
cinco tanto em sua disseminação global quanto em sua versatilidade recreativa. O 
esporte não é confinado a fronteiras nacionais; é um fenômeno internacional. Além 
disso, sua natureza recreativa, conforme Mills, destaca como o futebol de cinco pode 
ser apreciado em diversos níveis, desde competições de elite até atividades 
recreativas informais, tornando-se verdadeiramente acessível a todos. 
A universalidade do futebol de cinco, discutida por Mills (2014) e Genova et al. 
(2021), destaca como o esporte transcende fronteiras nacionais, tornando-se um 
fenômeno global. Ao mesmo tempo, Mills sublinha sua versatilidade recreativa, 
demonstrando que o futebol de cinco não é exclusivo para atletas de elite, mas 
acessível a todos os níveis de habilidade e intensidade. 
Kupper (2019) destaca a capacidade do futebol de cinco de fomentar a 
socialização e o lazer. Além das óbvias implicações físicas e competitivas, a prática 
desse esporte oferece oportunidades para interação social, estabelecimento de 
amizades e fortalecimento de vínculos sociais. A diversidade de espaços onde o 
futebol pode ser praticado contribui para a variedade e acessibilidade das atividades 
recreativas. 
 
24 
 
Genova et al. (2021) contribui significativamente ao abordar a adaptação do 
futebol convencional para o de cinco, destacando a inovação metodológica com o uso 
de bolas equipadas com guizos. Essa adaptação não apenas torna o esporte 
acessível a atletas com deficiência visual, mas também destaca a capacidade de 
inovação do futebol em superar barreiras físicas, ampliando as oportunidades de 
participação. 
A categoria de adaptação e inovação metodológica, apresentada por Genova 
et al. (2021), ilustra a capacidade do esporte de se adaptar às necessidades 
específicas de seus praticantes. A introdução de bolas com guizos não é apenas uma 
adaptação funcional; é uma inovação que transforma a deficiência visual de uma 
limitação em uma vantagem, proporcionando uma experiência única e inclusiva aos 
atletas. 
Genova et al. (2021) introduz a categoria de adaptação e inovação 
metodológica, evidenciando a capacidade do esporte de se adaptar às necessidades 
específicas de seus praticantes. A introdução de bolas com guizos não só quebra 
barreiras físicas, mas também representa uma inovação inclusiva, proporcionando 
uma experiência única e acessível. 
 Silva e Gomes (2017) abordam os desafios diários enfrentados por deficientes 
visuais, mas enfatizam o potencial de uma vida rica e produtiva com o apoio 
adequado. O estudo ressalta a importância do empoderamento, destacando que, com 
tecnologias assistivas, treinamentos e políticas públicas apropriadas, esses indivíduos 
podem superar barreiras e alcançar uma vida satisfatória aos atletas. 
O estudo de Souza e Seron (2022) sobre o Campeonato de Futsal da Educação 
Profissional organizado pela APAE de Florianópolis destaca estratégias 
metodológicas inovadoras. Essas estratégias não apenas promoveram a qualidade 
de vida dos participantes com deficiência visual, mas também evidenciaram que a 
inovação nas abordagens pode ser fundamental para alcançar resultados 
significativos. A introdução de métodos pedagógicos diferenciados durante o 
campeonato demonstrou ser uma maneira eficaz de envolver os participantes, 
promovendo uma experiência única e impactante. 
Gamonales et al. (2018) abordam os benefícios do futebol de cinco, ressaltando 
potenciais impactos na inclusão social e qualidade de vida. A inovação metodológica 
neste contexto inclui a adaptação do esporte convencional para atender às 
necessidades específicas de pessoas com deficiência visual. A utilização de uma bola 
25 
 
com guizos como guia durante a partida é um exemplo claro dessa inovação, 
garantindo que o esporte seja inclusivo e desafiador. 
Levandosk et al. (2019) destacam os benefícios do futebol de cinco para a 
qualidade de vida de pessoas com deficiência visual, evidenciando a promissora 
influência da inovação metodológica no desenvolvimento físico, mental e social dos 
jogadores. A introdução de abordagens inovadoras no esporte adaptado pode ser 
considerada uma estratégia promissora para promover uma vida ativa e satisfatória 
para essa comunidade. 
Dessa forma, os resultados convergem para a conclusão de que a adaptação 
e inovação metodológica desempenham um papel fundamental no sucesso do futebol 
de cinco, garantindo a inclusão, promovendo a qualidade de vida e enriquecendo a 
experiência esportiva para pessoas com deficiência visual. 
A diversidade de habilidades e a acessibilidade a diferentes níveis de 
intensidade no futebol de cinco são enfatizadas por Mills (2014). O esporte não é 
exclusivo para atletas de elite; é acessível a diversos públicos, independentemente do 
nível de habilidade. Essa característica não apenas amplia a participação, mas 
também destaca a exclusividade do futebol de cinco como uma atividade esportiva e 
recreativa. 
A diversidade de habilidades e a flexibilidade na intensidade da prática, 
conforme Mills (2014), são facetas que solidificam a exclusividade do futebol de cinco. 
O esporte não é restrito aos habilidosos atletas de elite; é um campo onde diferentes 
habilidades são celebradas. Sua adaptabilidade, tanto em termos de competição 
quanto de recreação, garante que pessoas de todos os níveis de habilidade possam 
encontrar significado e participar ativamente. 
O consenso entre Levandosk et al. (2019) e Souza e Seron (2022) destaca que 
o futebol de cinco vai além dos benefícios físicos, exercendo um impacto significativo 
na qualidade de vida de indivíduos com deficiência visual. Os resultados evidenciam 
não apenas melhorias no desenvolvimento físico, mas também contribuições para a 
inclusão social e o bem-estar mental. O esporte adaptado emerge como um agente 
transformador, promovendo uma vida mais ativa e satisfatória. 
A pesquisa de Souza e Seron (2022) destaca o valor de estratégias 
pedagógicas inovadoras no contexto do campeonato de futsal. A eficácia dessas 
estratégias não apenas na melhoria da qualidade de vida, mas também na promoção 
de um ambiente inclusivo para os participantes com deficiência visual é notável. No 
26 
 
entanto, a ressalva sobre a consideração do contexto específico enfatiza a 
importância de abordagens adaptadas às características únicas das populações 
envolvidas. 
Gamonales et al. (2018) e Souza Júnior et al. (2022) evidenciam que o futebol 
de cinco promove uma gama diversificada de habilidades. Desde habilidades técnicas, 
como domínio da bola, até habilidades sociais, como cooperação e comunicação 
durante o jogo, os praticantes desenvolvem um conjunto abrangente de aptidões. Isso 
demonstra que o esporte vai além do aspecto físico, impactando positivamente as 
habilidades cognitivas e sociais dos participantes. 
Kupper (2019) ressalta a acessibilidade do futebol de cinco a diferentes níveis 
de habilidade e intensidade. A prática do esporte pode ocorrer em diversos espaços, 
desde parques até campos especializados, possibilitando a adaptação à diversidadede condições e permitindo que pessoas com diferentes habilidades participem 
ativamente. A intensidade do esporte pode ser ajustada conforme a capacidade 
individual, garantindo inclusão e participação de um amplo espectro de praticantes. 
Genova et al. (2021) trazem à tona a especificidade da inclusão no futebol de 
cinco para pessoas com deficiência visual. Ao adaptar o esporte convencional, essa 
modalidade permite a plena participação de atletas completamente cegos. A bola 
equipada com guizos serve como guia durante o jogo, proporcionando uma 
experiência inclusiva e desafiadora. 
Portanto, os resultados evidenciam que o futebol de cinco é um esporte que vai 
além da prática física, abraçando a diversidade de habilidades e oferecendo uma 
intensidade adaptável que torna o esporte acessível a diversos praticantes, 
promovendo inclusão e participação ativa. 
O estudo de Souza Júnior et al. (2022) introduz uma dimensão educacional, 
destacando o impacto do futebol de cinco na educação e estratégias pedagógicas. 
Estratégias inovadoras implementadas no contexto educacional utilizam o esporte 
como uma ferramenta para promover a inclusão, melhorar a autoconfiança e 
enriquecer a experiência educacional de indivíduos com deficiência visual. 
Esses resultados compõem uma imagem abrangente, destacando não apenas 
os benefícios físicos do futebol de cinco, mas também seu papel crucial na construção 
de comunidades inclusivas e no desenvolvimento pessoal dos participantes. 
A dimensão educacional destacada por Souza Júnior et al. (2022) não apenas 
amplia o escopo do futebol de cinco, mas também posiciona o esporte como uma 
27 
 
ferramenta educacional inovadora. As estratégias pedagógicas apresentadas indicam 
que o esporte não apenas influencia o bem-estar físico e mental, mas também pode 
moldar positivamente a experiência educacional, contribuindo para a formação de 
indivíduos mais resilientes e inclusivos. 
Estudo conduzido por Souza e Seron (2022) sobre o Campeonato de Futsal da 
Educação Profissional organizado pela APAE de Florianópolis destaca estratégias 
pedagógicas inovadoras. Essas abordagens não apenas melhoraram a qualidade de 
vida dos participantes com deficiência visual, mas também mostraram que o esporte, 
nesse caso o futebol de cinco, pode ter um impacto positivo na educação. 
As estratégias pedagógicas implementadas durante o campeonato 
proporcionaram uma experiência educacional diferenciada para os participantes, 
integrando aspectos físicos, sociais e emocionais. O esporte serviu como uma 
ferramenta pedagógica para desenvolver habilidades cognitivas, motoras e 
emocionais dos alunos envolvidos. 
A interação social no contexto esportivo não apenas promoveu o 
desenvolvimento de habilidades sociais, mas também contribuiu para a construção de 
uma comunidade educacional inclusiva. A participação ativa no futebol de cinco 
permitiu que os alunos se sentissem integrados, valorizados e parte de uma equipe, 
consolidando a importância da inclusão no ambiente educacional. 
Além disso, o estudo de Levandosk et al. (2019) ressalta que o futebol de cinco 
pode ser uma ferramenta educacional valiosa, proporcionando oportunidades de 
aprendizado além das paredes da sala de aula. O esporte não apenas desenvolve 
habilidades físicas, mas também promove a autodisciplina, o trabalho em equipe e a 
resolução de problemas - aspectos fundamentais para o desenvolvimento 
educacional. 
Assim, ao analisar os resultados desses estudos, percebemos que o futebol de 
cinco não apenas impacta positivamente na qualidade de vida, mas também se mostra 
como uma ferramenta pedagógica eficaz, capaz de integrar aspectos educacionais e 
promover um ambiente escolar mais inclusivo e enriquecedor para pessoas com 
deficiência visual. 
Diante do exposto, é evidente que o futebol de cinco não é apenas uma 
modalidade esportiva, mas uma ferramenta poderosa para promover a inclusão social, 
o desenvolvimento físico e social, bem como a melhoria da qualidade de vida de 
pessoas com deficiência visual. A análise abrangente das categorias de deficiência 
28 
 
visual mais frequentes contribui para uma compreensão mais profunda das 
necessidades específicas desse grupo, fundamentando a importância de abordagens 
inclusivas e adaptadas. 
Os estudos examinados demonstram consistentemente que a prática do futebol 
de cinco vai além da atividade física, alcançando aspectos psicossociais significativos. 
A inclusão social, a construção de identidades positivas, o fortalecimento de laços 
sociais e o desenvolvimento de habilidades físicas e sociais são resultados tangíveis 
dessa prática esportiva adaptada. 
Percebemos que embora o futebol de cinco tenha se estabelecido como uma 
modalidade esportiva inclusiva para pessoas com deficiência visual, é importante 
reconhecer que, muitas vezes, a participação das mulheres nesse contexto 
permanece sub representada. 
A falta de visibilidade e oportunidades para as mulheres nesse esporte levanta 
questões sobre igualdade de gênero e inclusão no cenário esportivo adaptado, pois 
em um contexto amplo, as mulheres têm enfrentado desafios significativos para 
acessar e participar plenamente de atividades esportivas, e essa realidade se estende 
ao futebol de cinco. A cultura esportiva muitas vezes favorece o desenvolvimento e a 
promoção de modalidades para homens, deixando as mulheres em segundo plano. 
No âmbito profissional e acadêmico, o estudo do futebol de cinco enriquece o 
repertório teórico da Educação Física, proporcionando uma compreensão mais ampla 
e contextualizada das práticas esportivas adaptadas. Além disso, destaca a 
importância de abordagens inovadoras e inclusivas no desenvolvimento de programas 
esportivos para pessoas com deficiência visual. 
Em suma, o futebol de cinco não apenas representa uma evolução no universo 
esportivo adaptado, mas também se posiciona como um agente de transformação 
social, quebrando estigmas e proporcionando oportunidades para uma vida mais 
ativa, saudável e integrada para indivíduos com deficiência visual. O futebol de cinco 
não apenas joga; ele transforma, inspira e, acima de tudo, inova. 
 
 
 
 
 
29 
 
REFERÊNCIAS 
 
ARAUJO, Carlos Romualdo de Carvalho et al. Contribuição das ligas acadêmicas 
para formação em enfermagem. Enferm. foco (Brasília), p. 137-142, 2019. 
 
BILL, Leomir. Educação das Pessoas com Deficiência Visual. Appris Editora e 
Livraria Eireli-ME, 2017. 
 
BOURDIEU, Pierre. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense. A noção de 
representação social na sociologia contemporânea. Estudos de Sociologia, v. 
18, n. 19, p. 145-161, 1990. 
 
BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero.1983 
 
CARVALHO, Anderson Santos et al. Exercício físico e seus benefícios para a saúde 
das crianças: uma revisão narrativa. Jair, v. 13, n. 1, p.1-16, 2021. 
 
CORNELSEN, Elcio Loureiro; AUGUSTIN, Günther Herwig; SILVA, Silvio 
Ricardo. Futebol, linguagem, artes, cultura e lazer. Editora Jaguatirica Digital, 
2015. 
 
CORREIA, Divino Eterno Bruno Alves et al. Futsal para Cegos: as contribuições do 
Esporte para a Integração social. Vita et Sanitas, v. 10, n. 1, p. 52-64, 2016. 
 
DE OLIVEIRA, Maria Eloisa; VARGAS, Pauline Iglesias; CAPRARO, André Mendes. 
Revisão bibliométrica de artigos sobre futebol de cegos (2009-2022). RBFF-Revista 
Brasileira de Futsal e Futebol, v. 15, n. 61, p. 8-19, 2023. 
 
DE SOUSA JÚNIOR, Raimundo Batista; LIMA, João Victor Moreira Carneiro; DE 
OLIVEIRA FILHO, Mozart Bastos. Futebol de Cinco para deficientes visuais, 
significado e características. Uma revisão narrativa. Research, Society and 
Development, v. 11, n. 17, p. e07111738603-e07111738603, 2022. 
 
ESTRELA, Carlos. Metodologia científica: ciência, ensino, pesquisa. Artes Médicas, 2018. 
 
FAVRIN, Marina et al. Atletas com deficiência visual no esporte paralímpico: revisão 
de literatura. Revista da Faculdade Paulo Picanço, v. 2,n. 2, p. 10-10, 2022. 
 
FLORINDO, Pedro Ramos. Efeito da prática do futebol no sobrepeso e 
obesidade. 2018. 37 f. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) - Faculdade de 
Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - Câmpus de 
Bauru, 2018. 
 
GAMONALES, José Martín et al. 5-a-side football for individuals with visual 
impairments: a review of the literature. European Journal of Adapted Physical 
Activity, v. 11, n. 1, 2018. 
 
30 
 
GENOVA, Gustavo Paschoal et al. Futebol de cinco na inserção social do deficiente 
visual no Brasil. Revista CPAQV–Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade 
de Vida, v. 13, n. 1, p. 2, 2021. 
 
GUIMARÃES, Cíntia Menezes. Futebol 5. Disponível em: 
https://www.ufrgs.br/nehmeparalimpico/catalogo-esportes/esportes-
paralimpicos/futebol-5-2/. Acesso em: 06 mai. 2023. 
 
LEVANDOSKI, Gustavo. Futebol para Deficientes Visuais: Football 5-A-
SIDE. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 21, n. 1, p. 177-178, 2019. 
LOPES, Maria Kelliane da Costa. A deficiência visual: aprendizagem teórico-
prático de ciência/biologia com aplicação de modelos didáticos. 2019. 21 f. Trabalho 
de Conclusão de Curso - Instituto Federal do Piauí, 2019. 
 
MARCHI, SANDRA REGINA. Design Universal de Código de Cores Tátil: 
Contribuição de Acessibilidade para Pessoas com Deficiência Visual. 2019. Tese de 
Doutorado. Tese (Doutorado em Engenharia Mecânica) - Programa de Pós-
Graduação em Engenharia Mecânica, Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 
 
MILLS, J. Charles Miller –O pai do futebol brasileiro. São Paulo: Panda Books, 1ª 
edição, 2005. 
 
MILLS, John. Charles Miller: o pai do futebol brasileiro. Panda Books, 2014. 
 
 
NETO, Santos; SILVA, Daniel Patricio. Treinamento de força como prevenção da 
lesão muscular em atleta de futebol. 2020. 36 f. Monografia - Licenciatura em 
Educação Física da Pontifícia Universidade Católica, 2020. 
 
OLIVEIRA, Olivete; RIBEIRO, Célia; SIMÕES, Cristina. A qualidade de vida da 
pessoa com deficiência visual. Gestão e Desenvolvimento, n. 24, p. 123-140, 2016. 
 
SOUSA JÚNIOR, Raimundo Batista; LIMA, João Victor Moreira Carneiro; OLIVEIRA 
FILHO, Mozart Bastos. Futebol de Cinco para deficientes visuais, significado e 
características. Uma revisão narrativa. Research, Society and Development, v. 11, 
n. 17, p. e07111738603-e07111738603, 2022. 
 
SOUSA, Luís Manuel Mota et al. A metodologia de revisão integrativa da literatura 
em enfermagem. Revista Investigação em Enfermagem, v. 17, 2017. 
 
SOUZA, Fernando Mesquita de. Futebol de 5 na reabilitação do cego. Revista 
Digital, Buenos Aires, v. 16, n. 162, 2011. 
 
SOUZA, Patrícia dos Anjos; SERON, Bruna Barboza. Campeonato de futsal para 
pessoas com deficiência intelectual, múltipla e com transtorno do espectro autista: 
uma experiência de desenvolvimento para além do jogo. Rev. Assoc. Bras. Ativ. 
Mot. Adapt., Marília, v.23, n.1, p. 145-160, 2022. 
 
TAQUETTE, Stella R.; BORGES, Luciana. Pesquisa qualitativa para todos. 
Editora Vozes, 2021. 
31 
 
ROTHER, E. T. Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta Paulista de 
Enfermagem, São Paulo, v. 20, n. 2, p. v-vi , jun. 2007. 
 
VIGÁRIO, Patricia dos Santos et al. Dissimilaridade entre o estado de humor, humor 
deprimido e qualidade de vida em atletas com deficiência visual. Cuadernos de 
Psicología del Deporte, v. 19, n. 2, p. 147-159, 2019. 
 
WILSON, Jonathan. A pirâmide invertida: a história da tática no futebol. 
KasaFutebol Editora LTDA-Grande Área, 2016. 
 
 
	1. INTRODUÇÃO
	2. METODOLOGIA
	2.1 Tipos de pesquisa
	2.2 Procedimentos metodológicos
	3. DISCUSSÕES DE AUTORES
	3.1 FUTEBOL E PODER
	3.2 QUALIDADE DE VIDA DE DEFICIENTES VISUAIS E O FUTEBOL DE 5
	3.3 AUTONOMIA X EMPODERAMENTO X PARTICIPAÇÃO SOCIAL
	4. RESULTADOS E CONCLUSÃO
	REFERÊNCIAS

Outros materiais