Buscar

contextu QUIMICA MEDICINAL

Prévia do material em texto

PLANEJAMENTO DE FÁRMACOS
Flavia Lucia Macêdo Silva Castro
01446614
Farmácia 
Os antibióticos são importantes no combate de patologias causadas principalmente por bactérias impedindo a multiplicação desses microrganismos, a descoberta dessa classe medicamentosa revolucionou a medicina. Porém o uso sem prescrição médica destes medicamentos tem gerado complicações para a saúde em geral pois as bactérias criam resistência e as medicações disponíveis não conseguem combater a ação do agente infeccioso. Nesse grupo estão as penicilinas que fazem parte dos ß- lactâmicos com estrutura caracterizada pela presença de um anel ß-lactâmico e um anel tiazolidínico. Apesar de se um grupo muito antigo o seu mecanismo de ação ainda é desconhecido, e a ativação de enzimas autolíticas que destroem a parede das membranas é a mais provável forma de atuação. As vantagens esperadas com esta nova formulação é ampliar o grupo de antibiótico e potencializar a ação do fármaco e sua lipossolubilidade já que a presença do enxofre foi proposta nesse intuito no anel tiazolidínico. Planejar novos fármacos é uma necessidade constante visto que as bactérias têm se tornado resistente a alguns medicamentos, além das mutações desses agentes transmissores que não são combatidos pela ação dos fármacos já existente. É importante demonstrar as pessoas os cuidados ao ter uma medicação antibiótica prescrita e sua correta manipulação e administração, para isso relembrar casos importantes de surtos endêmicos e até pandêmicos onde houve a necessidade de produzir rapidamente novos fármacos e realizar corretamente a conduta prescrita.
Os desafios para introduzir um novo fármaco é imenso várias são as etapas que precisam ser seguidas, muitos estudos e ensaios até conseguir o objetivo que é a aprovação do mesmo. Assim realiza-se por fases essa aprovação.
FASE I- voluntários sadios são testados/ efeitos colaterais.
FASE II- pacientes com a patologia/ ensaios de eficácia e tolerância(toxicidade).
FASE III- estudos multicêntricos em maior intervalo de tempo/ comparação com o tratamento padrão existente.
FASE IV- pesquisa pós comercialização e farmacovigilância.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BARREIRO, Eliezer J. FRAGA, Carlos Alberto Mansour. Química medicinal: as bases moleculares da ação dos fármacos.3° ed. Porto Alegre: Artmed, 2015.
Farmacopeia Brasileira, 6ª Edição (última atualização pela RDC nº 609, de 9 de março de 2022 ) Resolução de Diretoria Colegiada - RDC nº 298, de 12 de agosto de 2019 - dispõe sobre a aprovação da Farmacopeia Brasileira, 6ª edição.
https://bvsms.saude.gov.br/uso-correto-de-antibioticos/
https://www.msdmanuals.com/pt-br/profissional/doen%C3%A7as-infecciosas/bact%C3%A9rias-e-f%C3%A1rmacos-antibacterianos/penicilinas
http://qnint.sbq.org.br/novo/index.php?hash=tema.15

Continue navegando