Buscar

Agravo_de_Instrumento


Prévia do material em texto

Agravo de Instrumento 1
Agravo de Instrumento
Created
Tags Processual Civil II
Introdução
Agravo de Instrumento é o recurso cabível para atacar decisões 
interlocutórias proferidas no curso do processo;
Decisões Interlocutórias → decisões que resolvem incidentes, não pondo 
fim ao processo.
A decisão interlocutória constitui o pronunciamento 
judicial que tem conteúdo decisório a ser proferido no 
curso do procedimento, mas que não tem o condão de 
pôr fim à fase de conhecimento ou à execução. Contra 
essas decisões, é cabível o agravo de instrumento. - 
TORQUES, Ricardo. Apostila do Estratégia sobre 
Recursos. p. 41. 
March 24, 2024 331 PM
Agravo de Instrumento 2
⚖ CPC  Art. 1.015. Cabe agravo de instrumento contra as decisões 
interlocutórias que versarem sobre:
I  tutelas provisórias;
II  mérito do processo;
III  rejeição da alegação de convenção de arbitragem;
IV  incidente de desconsideração da personalidade jurídica;
V  rejeição do pedido de gratuidade da justiça ou acolhimento do 
pedido de sua revogação;
VI  exibição ou posse de documento ou coisa;
VII  exclusão de litisconsorte;
VIII  rejeição do pedido de limitação do litisconsórcio;
IX  admissão ou inadmissão de intervenção de terceiros;
X  concessão, modificação ou revogação do efeito suspensivo aos 
embargos à execução;
XI  redistribuição do ônus da prova nos termos do art. 373, § 1º ;
XIII  outros casos expressamente referidos em lei.
Parágrafo único. Também caberá agravo de instrumento contra 
decisões interlocutórias proferidas na fase de liquidação de sentença 
ou de cumprimento de sentença, no processo de execução e no 
processo de inventário.
⚖ CPC  Art. 203. Os pronunciamentos do juiz consistirão em 
sentenças, decisões interlocutórias e despachos.
§ 1º Ressalvadas as disposições expressas dos procedimentos 
especiais, sentença é o pronunciamento por meio do qual o juiz, com 
fundamento nos arts. 485 e 487 , põe fim à fase cognitiva do 
procedimento comum, bem como extingue a execução.
§ 2º Decisão interlocutória é todo pronunciamento judicial de 
natureza decisória que não se enquadre no § 1º.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art373%C2%A71
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art485
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art487
Agravo de Instrumento 3
O rol trazido pelo art. 1.015 é taxativo → o agravo de instrumento só é 
cabível nas hipóteses elencadas pelo art. 1.015 do CPC, com o seu inciso 
XIII deixando claro que o CPC e/ou legislação extravagante podem prever 
outras hipóteses de cabimento. 
De acordo com a doutrina, no CPC, temos a possibilidade 
do agravo de instrumento contra:
“i) decisão que extingue parcialmente o processo (art. 
354, parágrafo único, CPC; e ii) decisão que julga 
antecipadamente parcela do mérito (art. 356, §5º, CPC .ˮ
Na legislação extravagante temos o agravo de 
instrumento, por exemplo, no art. 100, da Lei nº 
11.101/2005 Lei de Recuperação e Falência), no art. 10, 
§7º, da Lei nº 8.429/1992 Lei de Improbidade 
Administrativa) e no art. 19, §1º, da Lei nº 4.717/1965 Lei 
de Ação Popular).  TORQUES, p. 42.
Nas decisões de mérito parcial cabe Agravo de Instrumento;
O STJ entende que a taxatividade do art. 1.015 deve ser mitigada em 
situações de dano irreparável/inutilidade do processo. 
Desta forma, em relação as hipóteses de cabimento do 
agravo de instrumento, o STJ cria a chamada teoria da 
“taxatividade mitigada ,ˮ sendo certo que dentro do trâmite 
do processo, o prejudicado poderá interpor o recurso em 
questão, sempre que quiser impugnar decisão 
interlocutória que se enquadre em uma das situações 
previstas nos incisos e parágrafo único do art. 1.015, do 
CPC, assim como quando verificada a urgência 
decorrente da inutilidade do julgamento da questão 
impugnada, quando da futura análise do recurso de 
apelação.  ALVAREZ, Anselmo Prieto. Agravo de 
Instrumento. Disponível em:
Agravo de Instrumento 4
Enciclopédia Jurídica da PUCSP
O recurso de agravo de instrumento é de extrema importância para que se possa concretizar  
um processo civil considerado democrático, pois é meca
https://enciclopediajuridica.pucsp.br/verbete/465/edicao-2/agravo-de-instrumento
Toda matéria agravável preclui
Hipóteses Taxativas
Tutelas Provisórias
⚖ CPC  Art. 1.015. Cabe agravo de instrumento contra as decisões 
interlocutórias que versarem sobre:
I  tutelas provisórias;
A tutela provisória pode ser conceituada como a 
categoria de prestação jurisdicional concedida pelo 
Estado-Juiz ao lesado, por urgência ou evidência, antes 
da conclusão do devido processo legal, de caráter 
conservatório ou antecipativo, dada a situação de 
verossimilhança da controvérsia em favor do prejudicado.
A razão da sua existência repousa na necessidade de 
uma pronta resposta jurisdicional para determinadas 
relações em lide, porque caso se aguarde a concessão 
definitiva da tutela jurisdicional, corre-se o risco de 
inviabilizar a obtenção do bem da vida determinado na 
coisa julgada em favor do ganhador, ou ainda apode 
ocorrer prejuízo para o desfecho do processo 
propriamente dito.  ALVAREZ. 
Tipos de Tutela Provisória:
https://enciclopediajuridica.pucsp.br/verbete/465/edicao-2/agravo-de-instrumento
Agravo de Instrumento 5
a) Tutela de Urgência → divide-se em:
� Tutela Antecipada de Urgência → necessidade de resposta 
rápida do Judiciário relativamente ao pedido de mérito 
formulado por conta de situação de lesão ou ameaça sofrida 
pelo prejudicado.
Nesse caso, não se pode aguardar o transcurso 
normal do processo até que ocorra o 
fornecimento da prestação jurisdicional 
definitiva, sob pena de perecimento do direito ou 
objeto litigioso (por exemplo: o pedido formulado 
pelo consumidor contra um plano de saúde para 
a realização de uma cirurgia, cuja cobertura foi 
negada injustamente pelo fornecedor).
� Tutela Provisória Cautelar → instrumento pelo qual se obtém a 
jurisdição de urgência e precária, com o intuito de determinar 
providências ou a prática imediata de atos processuais que 
seriam realizados no futuro dentro do processo principal de 
conhecimento ou execução.
b) Tutela de Evidência → pautada na evidência da pertinência da 
pretensão levada ao Judiciário. Pode ser buscada quando acontecerem 
as seguintes hipóteses:
� Indevida utilização do processo pelo litigante adverso, 
consubstanciada pelo abuso do direito de defesa ou o manifesto 
propósito protelatório da parte, por exemplo, quando o réu pede 
para purgar a mora em juízo, a fim evitar o despejo por falta de 
pagamento, e assim não procede;
� Quando as questões de fato objeto da demanda forem 
suscetíveis de serem demonstradas por prova exclusivamente 
documental e o debate que ampara o direito litigioso posto em 
juízo, estiver escudado em julgamento de casos repetitivos 
(recurso especial ou extraordinário repetitivo e incidente de 
resolução de demandas repetitivas – arts. 927 e 928 do CPC ou 
em súmula vinculante do STF.
Agravo de Instrumento 6
� Em demanda que envolva pedido reipersecutório relativo a 
contrato de depósito, fundado em prova documental clara, caso 
em que será decretada a ordem de entrega do objeto 
custodiado, sob cominação de multa, por exemplo, quando no 
contrato de alienação fiduciária de automóvel, o devedor deixa 
de efetuar o pagamento das parcelas mensais, viabilizando que 
o proprietário fiduciário ajuíze ação de rescisão contratual, 
obtendo a imediata busca e apreensão do bem; ou
� Quando o acesso à Justiça for realizado pelo interessado, 
mediante petição inicial, instruída com prova documental 
exauriente e contundente sobre a veracidade dos fatos 
constitutivos do direito do autor, a que o réu, em contestação, 
não oponha prova capaz de quebrar a contundência referida, 
por exemplo, quando o lesado ajuíza ação indenizatória 
buscando o recebimento de danos materiais e morais e o réu 
não impugna a ocorrência dos mencionadosdanos materiais.
Mérito do Processo
⚖ CPC  Art. 1.015. Cabe agravo de instrumento contra as decisões 
interlocutórias que versarem sobre:
II  mérito do processo;
O denominado “julgamento interlocutório de méritoˮ é 
aquele que ocorre, antes da fase decisória da etapa de 
cognição do processo de conhecimento, sempre que o 
juiz constatar a possibilidade de acolhimento ou 
desacolhimento de pedido único, suscetível de 
decomposição ou de pedidos cumulados; a partir da 
singela percepção de que, respectivamente parte ou um 
(ou alguns) deles já pode ser julgado, enquanto que parte 
ou outro(s), por depender de instrução probatória, deverá 
aguardar a superação da fase instrutória, a fim ser(em) 
Agravo de Instrumento 7
apreciado(s) com julgamento ao final do processo. - 
ALVAREZ. 
Hipóteses em que pode ocorrer o julgamento interlocutório de mérito:
a) Julgamento Liminar de improcedência do pedido → o processo é 
extinto na sua fase postulatória. 
⚖ CPC  Art. 332. Nas causas que dispensem a fase 
instrutória, o juiz, independentemente da citação do réu, 
julgará liminarmente improcedente o pedido que contrariar:
I  enunciado de súmula do Supremo Tribunal Federal ou 
do Superior Tribunal de Justiça;
II  acórdão proferido pelo Supremo Tribunal Federal ou 
pelo Superior Tribunal de Justiça em julgamento de 
recursos repetitivos;
III  entendimento firmado em incidente de resolução de 
demandas repetitivas ou de assunção de competência;
IV  enunciado de súmula de tribunal de justiça sobre 
direito local.
§ 1º O juiz também poderá julgar liminarmente 
improcedente o pedido se verificar, desde logo, a 
ocorrência de decadência ou de prescrição.
b) Julgamento Antecipado Parcial de Mérito → ocorre na fase de 
saneamento do processo. 
Rejeição da Alegação de Convenção de Arbitragem
Saliente-se, porém, que se as partes decidiram submeter 
o conflito de interesses em que se envolveram à 
arbitragem, não podem se socorrer do Poder Judiciário, e 
caso ajuizada ação por qualquer dos interessados, o Juiz 
deve extinguir o feito, sem resolução de mérito, conforme 
determina o art. 485, VII, do CPC.
Agravo de Instrumento 8
Caso o magistrado descumpra o mandamento acima, 
caberá agravo de instrumento contra a decisão 
interlocutória que rejeita a alegação de convenção de 
arbitragem, como pressuposto processual negativo para a 
atuação do Estado Juiz no caso concreto.  ALVAREZ. 
Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica
Cabe agravo de instrumento contra todas as decisões 
interlocutórias proferidas durante o processamento do 
incidente de desconsideração, pois entendimento em 
sentido contrário levaria a conclusão da irrecorribilidade 
absoluta dessas manifestações judiciais, na medida que 
seria impossível impugná-las em apelação (art. 1.009, § 
1º, do CPC que inexiste no incidente em pauta (a decisão 
final aqui é agravável pelo inc. IV do art. 1.015 do CPC, o 
que violaria o princípio do duplo grau de jurisdição. - 
ALVAREZ. 
Rejeição do pedido de gratuidade da justiça ou acolhimento do pedido de 
sua revogação
⚖ CPC  Art. 98. A pessoa natural ou jurídica, brasileira ou 
estrangeira, com insuficiência de recursos para pagar as custas, 
as despesas processuais e os honorários advocatícios tem direito 
à gratuidade da justiça, na forma da lei.
💡 Súmula 481 do STJ  Faz jus ao benefício da justiça gratuita a 
pessoa jurídica com ou sem fins lucrativos que demonstrar sua 
impossibilidade de arcar com os encargos processuais.
A impugnação da gratuidade de justiça pode ser apresentada a 
qualquer momento no processo judicial. 
Agravo de Instrumento 9
Analisado o pedido de gratuidade de Justiça ou a sua 
impugnação, o art. 101, combinado com o art. 1.015, V, do 
CPC salientam que contra a decisão que indeferir a 
gratuidade ou que acolher o pedido de sua revogação, 
caberá agravo de instrumento, exceto quando a questão 
for resolvida na sentença final, quando então o recurso 
cabível será o de apelação, pois não estaremos defronte 
de uma interlocutória.
No cenário retro, o prejudicado recorrendo da decisão 
interlocutória que lhe negou a concessão da gratuidade 
de Justiça, estará dispensado do recolhimento de custas 
até decisão monocrática do relator sobre a questão, 
preliminarmente ao julgamento do recurso.
Nesse contexto, no entanto, se o relator entender que 
deve ser confirmada a denegação ou a revogação, deverá 
determinar ao agravante o recolhimento das custas 
processuais, no prazo de 5 (cinco) dias, sob pena de não 
conhecimento do recurso.  ALVAREZ. 
Exibição ou posse de documento ou coisa
⚖ CPC  Art. 396. O juiz pode ordenar que a parte exiba documento 
ou coisa que se encontre em seu poder.
cabe agravo de instrumento contra todas as decisões 
interlocutórias proferidas durante o processamento do 
incidente ou ação incidental referidas, pois entendimento 
em sentido contrário levaria a conclusão da 
irrecorribilidade absoluta dessas manifestações judiciais, 
na medida que seria impossível impugná-las em 
apelação(art. 1.009, § 1º, do CPC que inexiste no 
Agravo de Instrumento 10
incidente e ação incidental em pauta (as decisões finais 
aqui são agraváveis pelo inc. VI do art. 1.015 do CPC, o 
que violaria o princípio do duplo grau de jurisdição. - 
ALVAREZ. 
Exclusão de Litisconsorte e Rejeição do Pedido de Limitação do 
Litisconsórcio
Saliente-se que no caso do litisconsórcio facultativo, 
pode o juiz, de ofício ou a requerimento do(s) réu(s), 
recusar a formação do litisconsórcio ativo, quando o 
número de litisconsortes for excessivo (multitudinário), 
comprometendo a rápida solução do litígio ou dificultar a 
defesa (art. 113, § 1º, do CPC, limitando o número de 
participantes na relação jurídica processual, cabendo ao 
magistrado no caso concreto determinar qual o número 
razoável de pessoas que deverá compor o litígio, 
extinguindo o feito em relação aos demais litisconsortes 
que deverão propor nova ação.
Assim, seja lá qual for a espécie de litisconsórcio, quando 
for determinado pelo juiz a exclusão de um dos 
litisconsortes da relação jurídica processual, ou ainda se 
for rejeitado o pedido do Réu de limitação do 
litisconsórcio multitudinário, respectivamente segundo os 
incisos VII e VIII, do art. 1.015 do CPC, poderá a parte 
prejudicada interpor recurso de agravo de instrumento.
Admissão ou Inadmissão de Intervenção de Terceiros
Nesse sentido, as decisões interlocutórias que 
reconhecem a admissão ou inadmissão de intervenção de 
terceiros devem ser impugnadas pelo prejudicado via 
agravo de instrumento (art. 1.015, IX, do CPC.  ALVAREZ
Agravo de Instrumento 11
Concessão, Modificação ou Revogação do Efeito Suspensivo aos 
Embargos à Execução
Embargos à execução é o instrumento pelo qual ocorre 
exercício de direito de ação por parte do executado, que 
tem por objetivo discutir a relação processual, a relação 
material de débito crédito ou o próprio título executivo 
extrajudicial (art. 784 do CPC, vinculados a um 
determinado processo de execução.  ALVAREZ
Excepcionalmente, o juiz da causa pode atribuir efeito suspensivo aos 
embargos à execução, se requerido pelas partes e se observados os 
requisitos para a concessão dessa tutela provisória, bem como se a 
execução já esteja garantida por penhora, depósito ou caução 
suficientes; 
O CPC admite a interposição de agravo de instrumento à decisão 
interlocutória que determine a concessão, modificação ou revogação 
do efeito suspensivo aos embargos à execução. 
Redistribuição do Ônus da Prova
⚖ CPC  Art. 373. O ônus da prova incumbe:
I  ao autor, quanto ao fato constitutivo de seu direito;
II  ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo ou 
extintivo do direito do autor.
Como a situação aqui delineada inverte regra processual 
que impacta diretamente no exercício pleno do 
contraditório e ampla defesa pela parte, na medida que 
ação e defesa, apenas serão exitosas se confirmado o 
cenário fático nela contidos pelo conjunto probatórioproduzido nos autos, o art. 1.015, XI, do CPC elege como 
Agravo de Instrumento 12
agravável a decisão interlocutória que determinar a 
redistribuição do ônus da prova.  ALVAREZ. 
Liquidação de Sentença, Cumprimento de Sentença, Processo de 
Execução e Processo de Inventário
⚖ CPC  Art. 1.015. Cabe agravo de instrumento contra as decisões 
interlocutórias que versarem sobre:
Parágrafo único. Também caberá agravo de instrumento contra 
decisões interlocutórias proferidas na fase de liquidação de 
sentença ou de cumprimento de sentença, no processo de 
execução e no processo de inventário.
Requisitos
Por se tratar de um recurso cabível contra decisões 
interlocutórias, o processo seguirá seu trâmite regular, 
mesmo pendente o julgamento do agravo de instrumento. 
Assim, faz-se necessário formar o instrumento para 
processamento do agravo. Formar o instrumento significa 
formar autos apartados para o processamento do agravo. - 
TORQUES, p. 45.
Agravo de Instrumento 13
⚖ CPC  Art. 1.016. O agravo de instrumento será dirigido diretamente ao 
tribunal competente, por meio de petição com os seguintes 
requisitos:
I  os nomes das partes;
II  a exposição do fato e do direito;
III  as razões do pedido de reforma ou de invalidação da decisão e o 
próprio pedido;
IV  o nome e o endereço completo dos advogados constantes do 
processo.
Agravo de Instrumento 14
⚖ CPC  Art. 1.017. A petição de agravo de instrumento será instruída:
I  obrigatoriamente, com cópias da petição inicial, da contestação, 
da petição que ensejou a decisão agravada, da própria decisão 
agravada, da certidão da respectiva intimação ou outro documento 
oficial que comprove a tempestividade e das procurações outorgadas 
aos advogados do agravante e do agravado;
II  com declaração de inexistência de qualquer dos documentos 
referidos no inciso I, feita pelo advogado do agravante, sob pena de 
sua responsabilidade pessoal;
III  facultativamente, com outras peças que o agravante reputar 
úteis.
§ 1º Acompanhará a petição o comprovante do pagamento das 
respectivas custas e do porte de retorno, quando devidos, conforme 
tabela publicada pelos tribunais.
§ 2º No prazo do recurso, o agravo será interposto por:
I  protocolo realizado diretamente no tribunal competente para julgá-
lo;
II  protocolo realizado na própria comarca, seção ou subseção 
judiciárias;
III  postagem, sob registro, com aviso de recebimento;
IV  transmissão de dados tipo fac-símile, nos termos da lei;
V  outra forma prevista em lei.
§ 3º Na falta da cópia de qualquer peça ou no caso de algum outro 
vício que comprometa a admissibilidade do agravo de instrumento, 
deve o relator aplicar o disposto no art. 932, parágrafo único .
§ 4º Se o recurso for interposto por sistema de transmissão de dados 
tipo fac-símile ou similar, as peças devem ser juntadas no momento 
de protocolo da petição original.
§ 5º Sendo eletrônicos os autos do processo, dispensam-se as peças 
referidas nos incisos I e II do caput , facultando-se ao agravante 
anexar outros documentos que entender úteis para a compreensão 
da controvérsia.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art932p
Agravo de Instrumento 15
Caso não seja juntado um dos documentos necessários elencados no art. 
1.017 do CPC, o advogado da parte deverá fazer uma certidão de 
inexistência de qualquer desses documentos;
A doutrina entende que, ainda que o CPC estabeleça como obrigatória a 
juntada desses documentos, caso não sejam juntados, isso não importa, 
necessariamente, a não admissão do recurso → entende-se ser um vício 
sanável;
Não há preclusão consumativa pela não juntada de algum dos documentos 
obrigatórios → a parte deve ser intimada para se manifestar;
A parte pode juntar ao instrumento os documentos que entender úteis ao 
caso;
Além da petição e dos documentos (obrigatórios, declaração de 
inexistência, e facultativos), a parte deve juntar documentos que 
comprovem o pagamento de custas e do porte e do retorno, quando 
devidos;
O agravo de instrumento deve ser interposto no prazo de 15 dias.
⚖ CPC  Art. 1.003. O prazo para interposição de recurso conta-se 
da data em que os advogados, a sociedade de advogados, a 
Advocacia Pública, a Defensoria Pública ou o Ministério Público 
são intimados da decisão.
§ 5º Excetuados os embargos de declaração, o prazo para 
interpor os recursos e para responder-lhes é de 15 (quinze) dias.
Ele pode ser interposto:
a) Diretamente no Tribunal;
b) No juízo de origem;
c) Pelos Correiros;
d) Via Fax;
e) Por outras formas previstas em lei.
A petição de interposição de Agravo de Instrumento deve ser dirigida ao 
Tribunal competente;
Agravo de Instrumento 16
No caso de processos físicos, vai, para o Tribunal somente as peças mais 
importantes → por isso a necessidade de se colocar os nomes e os 
endereços dos advogados das partes;
Efeito Suspensivo
Poderá ser concedido pelo relator; 
Lembrando: é cabível agravo interno a toda decisão do relator. 
Custas de Preparo
O preparo consubstancia-se no pagamento prévio pelo 
Recorrente das custas referentes ao processamento do 
recurso e o chamado porte de remessa e de retorno, no ato 
da interposição do recurso. A ausência de preparo importará 
na pena de deserção, que resulta na inadmissibilidade do 
recurso interposto.
As custas recursais têm natureza de taxa e importam na 
remuneração do Poder Judiciário pelo serviço de julgar o 
recurso interposto. Já o porte de remessa e de retorno visam 
suprir as despesas postais de remessa do processo físico da 
vara ao tribunal para julgamento, e depois do julgamento, do 
tribunal para a vara.  ALVAREZ. 
⚖ CPC  Art. 1.017. A petição de agravo de instrumento será instruída:
§ 1º Acompanhará a petição o comprovante do pagamento das 
respectivas custas e do porte de retorno, quando devidos, conforme 
tabela publicada pelos tribunais.
Agravo de Instrumento 17
Retratação
⚖ CPC  Art. 1.018. O agravante poderá requerer a juntada, aos autos do 
processo, de cópia da petição do agravo de instrumento, do 
comprovante de sua interposição e da relação dos documentos que 
instruíram o recurso.
§ 1º Se o juiz comunicar que reformou inteiramente a decisão, o 
relator considerará prejudicado o agravo de instrumento.
§ 2º Não sendo eletrônicos os autos, o agravante tomará a 
providência prevista no caput , no prazo de 3 (três) dias a contar da 
interposição do agravo de instrumento.
§ 3º O descumprimento da exigência de que trata o § 2º, desde que 
arguido e provado pelo agravado, importa inadmissibilidade do 
agravo de instrumento.
Há uma obrigatoriedade de informar o juízo de origem da interposição do 
agravo, mas a inadimissibilidade do recurso por falta de comunicação 
depende de provocação da parte agravada → temos, então, as seguintes 
hipóteses:
a) 1ª Hipótese: uma das partes agrava diretamente no tribunal e comunica o 
juízo na origem → se presentes os requisitos, o agravo será admitido, com 
a parte agravada não podendo fazer nada;
b) 2ª Hipótese: uma das partes agrava diretamente no tribunal, não 
comunica o juízo na origem e a parte agravada nada alega → por conta da 
inércia do agravado, o recurso do agravo de instrumento será admitido;
c) 3ª Hipótese: uma das partes agrava diretamente no tribunal, não 
comunica o juízo na origem e a parte agravada prova a não comunicação 
no prazo de 03 dias → o recurso do agravo de instrumento não será 
admitido. 
Enfim, caso o juiz venha a se retratar quanto aos termos da 
decisão impugnada, comunicará ao tribunal e o relator 
Agravo de Instrumento 18
considerará prejudicado o agravo de instrumento, em se 
tratando de retratação total. Se parcial a retratação, o agravo 
prosseguirá quanto à parte que não foi objeto do juízo de 
retratação.
A parte que se sentir prejudicada pelo juízo de retratação, 
seja ele total ou parcial poderá, se quiser, interpor agravo de 
instrumento contra a nova decisão.  ALVAREZ. 
Poderes Monocráticos do Relator
⚖ CPC  Art. 1.019.Recebido o agravo de instrumento no tribunal e 
distribuído imediatamente, se não for o caso de aplicação do art. 932, 
incisos III e IV , o relator, no prazo de 5 (cinco) dias:
I  poderá atribuir efeito suspensivo ao recurso ou deferir, em 
antecipação de tutela, total ou parcialmente, a pretensão recursal, 
comunicando ao juiz sua decisão;
II  ordenará a intimação do agravado pessoalmente, por carta com 
aviso de recebimento, quando não tiver procurador constituído, ou 
pelo Diário da Justiça ou por carta com aviso de recebimento dirigida 
ao seu advogado, para que responda no prazo de 15 (quinze) dias, 
facultando-lhe juntar a documentação que entender necessária ao 
julgamento do recurso;
III  determinará a intimação do Ministério Público, preferencialmente 
por meio eletrônico, quando for o caso de sua intervenção, para que 
se manifeste no prazo de 15 (quinze) dias.
Sessão de Julgamento
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art932iii
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art932iii
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art932iii
Agravo de Instrumento 19
⚖ CPC  Art. 1.020. O relator solicitará dia para julgamento em prazo não 
superior a 1 (um) mês da intimação do agravado.

Continue navegando