Buscar

AULA 3 - FUNDAMENTOS DE FARMACOTÉCNICA 2023 2

Prévia do material em texto

FUNDAMENTOS DE 
FARMACOTÉNICA
S E T O R D E M A R K E T I N G
G R U P O S E R E D U C A C I O N A L
Prof. MSc. Widson Santos
widson.santos@sereducacional.com
D A T A
S E T O R D E M A R K E T I N G
G R U P O S E R E D U C A C I O N A L
UNIDADE III
CÁLCULOS EM FARMACOTÉCNICA II
BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO
Prof. MSc. Widson Santos
widson.santos@sereducacional.com
CÁLCULOS EM FARMACOTÉCNICA
PARTE II
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
✓ Aplicar os cálculos necessários para a determinação do fator de
equivalência.
✓ Empregar os fatores de correção e de equivalência para correção
de teor de ativos farmacêuticos.
✓ Calcular a quantidade de ativos para formulações sólidas a partir
da aplicação dos fatores necessários.
Objetivos
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Correção do teor de Insumos Farmacêuticos 
Ativos (IFA)
Nem sempre o teor de um fármaco é 100% consequentemente, ele precisa ser corrigido
para atingir a concentração determinada na prescrição médica.
1 colher = 10 g
Então, em uma colher eu 
tenho 10 g de cacau
1 colher = 10 g
Então, em uma colher eu 
tenho apenas 5 g de cacau
O MESMO OCORRE COM OS FÁRMACOS!!!
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Correção do teor de Insumos Farmacêuticos Ativos (IFA)
Vitamina K2
100% de pureza
Em 100 g de insumo, eu tenho 
100 g de vitamina K2.
Vitamina K2
1,3% de pureza
Em 100 g de insumo, eu tenho 
1,3 g de vitamina K2.
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Como fazer a correção de teor em IFAs que não 
são puros?
É só aplicar na fórmula:
𝐹𝑎𝑡𝑜𝑟 𝑑𝑒 𝑐𝑜𝑟𝑟𝑒çã𝑜 𝐹𝑐 =
100
𝐶𝑜𝑛𝑐𝑒𝑛𝑡𝑟𝑎çã𝑜 𝑝𝑢𝑟𝑒𝑧𝑎 𝑑𝑎 𝑠𝑢𝑏𝑠𝑡â𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑎𝑡𝑖𝑣𝑎
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Exemplo prático
Quantos miligramas de betacaroteno são necessário para produzir beracaroteno 10 mg/cápsula, 
sendo que a farmácia possui o betacaroteno 15% e ele é proveniente da substância 100%?
1ª etapa: Calcule o fator de correção
𝑭𝒄 =
𝟏𝟎𝟎
𝑪𝒐𝒏𝒄𝒆𝒏𝒕𝒓𝒂çã𝒐 (%)
𝑭𝒄 =
𝟏𝟎𝟎
𝟏𝟓
= 𝟔, 𝟔𝟕
2ª etapa: Multiplique a concentração de betacaroteno por cápsula pelo Fc encontrado
10 mg x 6,67 = 66,7 mg de betacaroteno/cápsula
CONCLUSÃO: É necessário pesar 66,7 mg de betacaroteno por cápsula para que a concentração 
do fármaco seja de 100% da dose.
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Em preparações sólidas, muitas vezes, é necessário realizar a correção devido à 
umidade do fármaco, conforme descrito no certificado de análise.
Dipirona
0% de umidade
Logo, em 500 mg de insumo, eu 
tenho 500 mg de dipirona.
Dipirona
10% de umidade
Logo, em 500 mg de insumo, eu tenho 
50 mg de umidade e 450 mg de 
dipirona. 
Correção de umidade de Insumos Farmacêuticos 
Ativos (IFA)
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Exemplo prático
O fluconazol possui 5% de umidade descrita no seu certificado de análise. Qual deve ser 
o fator de correção de umidade (Fcr)?
𝑭𝒄𝒓 =
𝟏𝟎𝟎
𝟏𝟎𝟎 −𝒕𝒆𝒐𝒓 𝒅𝒆 𝒖𝒎𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 (%)
𝑭𝒄 =
𝟏𝟎𝟎
𝟏𝟎𝟎 −𝟓
= 𝟏, 𝟎𝟓
Logo, o fator de correção de umidade é de 1,05.
Quantos miligramas desse insumo de fluconazol serão necessários para produzir cinco 
cápsulas contendo 150 mg do fármaco?
Dose do fármaco por cápsula x Fcr x quantidade de cápsulas 
150 mg x 1,05 x 5 = 787,5 mg 
Conclusão: considerando que a umidade do insumo de fluconazol é 5%, será 
necessário pesar 787,5 mg para produzir 5 cápsulas na dose de 150 mg do fármaco. 
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Exemplo prático
Supondo que um médico prescreva magnésio 200 mg 30 cápsulas. 
O insumo que você tem na farmácia é magnésio quelado 30% (certificado de análise abaixo).
A) Calcule o fator de correção e fator de umidade.
Fator de correção
𝑭𝒄 =
𝟏𝟎𝟎
𝑪𝒐𝒏𝒄𝒆𝒏𝒕𝒓𝒂çã𝒐 (%)
𝑭𝒄 =
𝟏𝟎𝟎
𝟑𝟎,𝟏𝟏
= 𝟑, 𝟑𝟐
Fator de umidade
𝑭𝒄𝒓 =
𝟏𝟎𝟎
𝟏𝟎𝟎 −𝒕𝒆𝒐𝒓 𝒅𝒆 𝒖𝒎𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 (%)
𝑭𝒄𝒓 =
𝟏𝟎𝟎
𝟏𝟎𝟎 −𝟎,𝟔𝟓
= 𝟏, 𝟎𝟎𝟔
Fator de correção total
Fc total = Fc x Fcr
Fc total = 3,32 x 1,006 = 3,34
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Exemplo prático
Supondo que um médico prescreva magnésio 200 mg 30 cápsulas. 
O insumo que você tem na farmácia é magnésio quelado 30% (certificado de análise abaixo).
B) Calcule a quantidade total do insumo que deve ser pesada para produzir a fórmula com a dose correta. 
Fator de correção
𝑭𝒄 =
𝟏𝟎𝟎
𝑪𝒐𝒏𝒄𝒆𝒏𝒕𝒓𝒂çã𝒐 (%)
𝑭𝒄 =
𝟏𝟎𝟎
𝟑𝟎,𝟏𝟏
= 𝟑, 𝟑𝟐
Fator de umidade
𝑭𝒄𝒓 =
𝟏𝟎𝟎
𝟏𝟎𝟎 −𝒕𝒆𝒐𝒓 𝒅𝒆 𝒖𝒎𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 (%)
𝑭𝒄𝒓 =
𝟏𝟎𝟎
𝟏𝟎𝟎 −𝟎,𝟔𝟓
= 𝟏, 𝟎𝟎𝟔
Fator de correção total
Fc total = Fc x Fcr
Fc total = 3,32 x 1,006 = 3,34
Dose do fármaco por cápsula x quantidade de cápsulas x Fc total 
200 mg x 30 cápsulas x 3,34 = 20.040 mg = 20,04 g
ATENÇÃO! Se você não utilizar o fator de correção, irá ser dispensado para o 
paciente menos de 1/3 da dose prescrita! (Subdose➔ Ineficácia 
medicamentosa➔Insucesso terapêutico)
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
FATOR DE EQUIVALÊNCIA
Fator utilizado para fazer o cálculo de conversão da massa do sal ou ester para a massa
do fármaco ativo (base), ou da substância hidratada para a substância anidra.
HCl ∙ H2O
Cloridrato de ciprofloxacino
Massa maior (fármaco + molécula de água e 
cloreto)
Ciprofloxacino base 
(fármaco ativo)
Massar menor (apenas o 
fármaco)
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
COMO CALCULAR O FATOR DE EQUIVALÊNCIA (Feq)?
Para calcular esse FEq, é necessário conhecer o equivalente-grama das 
substâncias envolvidas. 
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
H
2
SO
4
CALCULAR O FEq do sulfato de salbutamol em relação ao salbutamol base
Molécula de sulfato de salbutamol
2 moléculas de salbutamol no mesmo sal. 
Logo, a valência é igual a 2.
Molécula de salbutamol
1ª etapa: Calcular o Eq g do sal 2ª etapa: Calcular o Eq g da base (fármaco ativo)
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
CALCULAR O FEq do sulfato de salbutamol em relação ao salbutamol base
3ª etapa: Calcular o FEq
Encontramos que:
• Eq g do sulfato de salbutamol é 288,35
• Eq g do salbutamol base é 239, 31
Logo, aplicamos esses valores na fórmula de FEq
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Vamos para um exemplo prático?
Salbutamol – 2 mg
Dispensar 20 cápsulas
Se o insumo farmacêutico ativo (IFA) que eu tivesse na farmácia de 
manipulação fosse o salbutamol na forma livre o cálculo seria:
2 mg x 20 cápsulas = 40mg 
(eu teria que pesar 40 mg do fármaco para preparar as 20 cápsulas)
Porém, o IFA que eu tenho na farmácia de manipulação é o sulfato 
de salbutamol. Então, o cálculo deve ser feito considerando o FEq
entre as substâncias:
2 mg x 20 cápsulas = 40mg x 1,2 = 48 mg
Logo, eu tenho que pesar 48 mg do fármaco e não apenas 40 mg!
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Vamos para um exemplo prático?
Supondo que o médico prescreveu “cefalexina 500 mg 12 cápsulas” e a substância que tem na farmácia é cloridrato 
de cefalexina, calcule:
a) O FEq entre as substâncias
b) A quantidade de fármaco a ser pesada para compor a formulação.
a) FEq = 401,87/347,40 = 1,16
b) Para preparar 12 cápsulas, cada uma com 500 mg de cefalexina, eu precisaria de:
500 mg x 12 = 6.000 mg (6 g) do fármaco
Entretanto, como tenho o cloridrato de cefalexina, eu preciso pesar:
6 g x 1,16 = 6,96 de cloridrato de cefalexina
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Importante
Se o fármaco tiver Feq, FC e Fumd, você deve utilizar 
todos, multiplicando-os!
ALCOOMETRIA
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Alcoometria
Alcoometria é a determinação do grau alcoólico das misturas de água e álcool etílico.
O grau alcoólico é a quantidade de álcool etílico em uma solução de água e etanol.
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Alcoometria
INPM
Percentual em massa
ºGL
Percentual em volume
INPM: Instituto Nacional de Pesos e Medidas
ºGL: Gay-Lussac
PADRONIZAÇÕES
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Alcoometria
INPM
% em massa 
70% INPM
70 g 
etanol
30 g 
água
100 g de solução 
(100%)
ºGL
% em volume 
70% ºGL
70 mL
etanol
30 mL
água
100 mL de solução 
(100%)
Parece a mesma coisa, não é?
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Como converter?
70% º GL
Volume
INPM
Massa
1ª etapa: precisamos conhecer a massa do etanol e da água.
Em 100 mL de álcool 70% ºGL, temos:
70 mL de etanole 30 mL de água, certo?
*Encontrando a massa de etanol com base na densidade:
Densidades 
d etanol = 0,8 g/mL
d água = 1 g/mL
0,8 g de etanol ----------------- 1 mL
X g de etanol ----------------- 70 mL
X = 56 g de etanol
*Como a densidade da água é 1 g/mL, é fácil saber que 30 mL de água equivalem a 30 g.
Então, numa solução 70% ºGL, temos: 56 g de etanol e 30 g de água.
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Como converter?
70% º GL
Volume
INPM
Massa
2ª etapa: convertendo em percentual (%).
Massa de etanol + Massa de água = Total (100%)
56 g (etanol) + 30 g (água) = 86 g (100 %)
86 g de solução --------- 100%
56 g de etanol --------- X%
X = 65% m/m 
65% INPM
BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
SE APLICAM A TODAS AS FARMÁCIAS QUE REALIZAM QUALQUER DAS ATIVIDADES NELE PREVISTAS
▪ Excluídas as farmácias que manipulam Soluções para Nutrição Parenteral e Enteral, Concentrado
Polieletrolítico para Hemodiálise (CPHD) e medicamentos de uso exclusivo na medicina veterinária que
devem atender às legislações específicas.
Equipamentos
Avaliação farmacêutica da 
prescrição e atenção 
farmacêutica
Manipulação, fracionamento, 
conservação e transporte.
Instalações
Recursos Humanos
Aquisição, armazenamento e 
controle da qualidade da 
matéria-prima
Abrangência
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Grupos de atividade
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
RDC 67/2007
Estar regularizada nos órgãos
de Vigilância Sanitária
competente
Atender às disposições deste
Regulamento Técnico e dos
anexos aplicáveis
Possuir 
AFE
Possuir AE, 
se necessário
Possuir 
MBPM
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
Infraestrutura
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
RDC 67/2007
Pessoal
✓ Farmacêutico responsável técnico
✓ Treinamento inicial e continuado das 
BPMF; 
✓ Exames médicos periodicamente, 
atendendo PCMSO;
✓ Utilizar os EPIs.
Estrutura
✓ Laboratório de manipulação
funcionando;
✓ Centralização de grupos de atividades e 
do controle de qualidade (para filiais).
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
RDC 67/2007
Insumos
✓ Adquiridos de fornecedores 
qualificados.
Equipamentos
✓ Equipamentos calibrados e 
manutenidos
D A T A 0 2 / 0 8 / 2 3
RDC 67/2007
Garantia da 
qualidade
✓ Elaboração e controle de documentos.
Preparações Ensaios
Sólidas Descrição, aspecto, caracteres organolépticos, peso médio.
Semi sólidas
Descrição, aspecto, caracteres organolépticos, pH (quando 
aplicável), peso.
Líquidas não 
estéreis
Descrição, aspecto, caracteres organolépticos, pH, peso ou 
volume antes do envase.
Muito obrigado!
widson.santos@sereducacional.com
@prof.widson

Mais conteúdos dessa disciplina