A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Mol - Uma Nova Terminologia

Pré-visualização | Página 2 de 2

por exemplo em: volume molar
de um gás (expresso através da
unidade L/mol); massa molar de uma
substância (expressa através da
unidade g/mol); entalpia molar de uma
substância (expressa através da
unidade kJ/mol).
Massa atômica
A grandeza ‘massa-atômica’, co-
mo seu seu próprio nome diz, refere-
se à massa de um átomo (normal-
mente de um dado elemento químico);
seu símbolo é ma. Aqui se pode
perguntar: como os químicos fizeram
para determinar massa tão pequena
como a de um átomo? Na prática, eles
inicialmente determinaram a massa de
um átomo em relação à de um outro;
isso era feito determinando-se a
massa de uma substância simples
que reagia totalmente com uma dada
massa de outra, formando uma subs-
tância composta, a qual se supunha
conter átomos na proporção de 1 para
1 (1:1). Assim, determinou-se que um
átomo de cloro continha aproxi-
madamente 35,5 vezes mais massa
que um átomo de hidrogênio, ou que
um átomo de cobre continha aproxi-
madamente quatro vezes mais massa
que um átomo de oxigênio. Desta
forma, foi possível determinar as
massas atômicas relativas de todos os
átomos dos elementos químicos
conhecidos. No passado, foram
construídas tabelas de massas atô-
micas relativas, por exemplo, atri-
buindo-se (arbitrariamente) o valor 1
ao átomo de hidrogênio; uma outra
tabela foi construída atribuindo-se ao
átomo de oxigênio o valor 16.
As tabelas modernas contêm
massas relativas atribuindo-se a um
dos isótopos do elemento químico
carbono o valor 12 (exato!). A partir
desta convenção (arbitrária) foi possí-
vel, então, definir a unidade de massa
atômica (u) como sendo a massa de
1/12 de um átomo de carbono 12.
Assim, a expressão massa atômi-
ca (ma) deve ser utilizada para se referir
à massa de um tipo de átomo, isto é,
à massa de um dado elemento. Essa
massa é obtida considerando-se a
composição isotópica natural do dado
elemento. Por exemplo, no caso do
cloro, ma(Cl) = 35,45 u, a qual é obtida
como média ponderada das massas
nuclídicas de seus isótopos 35 e 37,
ou seja:
ma(Cl) = [34,96885 u x 75,76% +
36,96590 x 24,24%]/100% = 35,45 u
No caso do elemento sódio, como
ele é mononuclídico, isto é, ocorre
naturalmente só através de seu nuclí-
deo 23, a massa atômica é direta-
mente igual à massa nuclídica, ou
seja: ma(Na) = m(
23Na) = 22,99 u.
Mesmo hoje, não é incomum a massa
atômica ser referida como peso atô-
mico. Entretanto, o uso do termo peso
quando na realidade se trata de massa
14
QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Mol: Uma Nova Terminologia N° 1, MAIO 1995
gum, a expressão ‘mol’ no seu sentido
obsoleto, referindo-se à grandeza
massa molar.
No Brasil, o nome e o símbolo da
unidade de medida da grandeza
quantidade de matéria são idênticos,
isto é: mol e mol, respectivamente2.
Apesar disso, entretanto, deve-se ter em
mente que só o nome pode ser grafado
no plural. Aliás, o plural recomendado
é mols e não ‘moles’ (analogamente:
becquerels, decibels, henrys, pascals
etc.); mol como símbolo da unidade per-
manece inalterado no plural, como aliás
é recomendado para qualquer símbolo
de unidade de medida (exemplos: 23,4
m e não 23,4 ms; 5,7 L e não 5,7 Ls; 4,3
mol e não 4,3 mols).
Finalmente, cabe relembrar que
o uso da expressão molar deve ser
restr i to a situações em que se
expressa o valor de uma grandeza
extensiva por unidade de quan-
tidade de matéria, ou seja, para um
mol da amostra em questão. Por
isso, deve-se evitar utilizar a expres-
são ‘molar’ para se referir à unidade
mais usual da concentração em
quantidade de matéria, isto é, à
unidade mol/L. Do mesmo modo,
deve-se evitar utilizar a expressão
‘fração molar’, substituindo-a por
fração em mol ou fração em quan-
tidade de matéria.
Notas
1. Em Portugal, esta grandeza é deno-
minada quantidade de substância. No
Brasil, alguns químicos acham que esse
nome é que deveria ser adotado para a
grandeza medida pelo mol; aqui optamos
por nos ater ao nome oficialmente adotado
no Brasil: quantidade de matéria.
2. Em Portugal, o nome da unidade de
medida é a ‘mole’, sendo que seu símbolo
é ‘mol’. Tal distinção é útil, evitando certas
confusões.
Expressões cujo uso não é mais recomendado
A seguir são exemplificadas algumas situações em que o uso de certas
expressões não é mais recomendado por serem ambíguas ou induzirem a
erros conceituais.
Uso não recomendado Uso recomendado
peso atômico massa atômica
peso molecular massa molecular
número de moles,
número de átomos-grama,
número de íons-grama quantidade de matéria
átomo-grama,
molécula-grama (ou mol),
peso-fórmula etc massa molar
moles mols
u.m.a u
molar mol/L
molaridade
concentração em quantidade de
matéria
fração molar
fração em mol ou em quantidade
de matéria
graus Kelvin kelvin
temperatura absoluta temperatura termodinâmica
grau centígrado grau Celsius
equivalente grama deve ser abandonado
normalidade deve ser abandonado
deve ser evitado: daí a utilização da
expressão peso atômico ser desacon-
selhada.
Massa nuclídica
O termo ‘massa nuclídica’ deve ser
utilizado para se referir à massa de um
dado nuclídeo, de ocorrência natural
ou não. Um nuclídeo é definido como
o tipo de um dado elemento carac-
terizado por um número de massa
específico. Por exemplo, no caso do
nuclídeo 35 do elemento cloro, m(35Cl)
= 34,97 u.
Massa molecular
A expressão ‘massa molecular’
refere-se à massa da entidade da qual
uma substância é feita, isto é, à massa
de uma molécula ou de uma fórmula
unitária. O valor da massa molecular
de uma dada entidade corresponde à
soma das massas atômicas dos
átomos que a compõem. Assim:
m(NH3) = ma(N) + 3 ma(H) = 17 u;
m(CaO) = ma(Ca) + ma(O) = 56,1 u
Note que a expressão ‘massa
molecular’ deve ser usada para se
referir às entidades constituintes tanto
de substâncias covalentes como de
iônicas. Novamente, lembre-se de que
o uso da expressão ‘peso molecular’
não é mais recomendado.
Considerações finais
Assim como o grama é a unidade
de medida da grandeza massa, o
metro a da grandeza comprimento
etc., mol é a unidade SI da grandeza
quantidade de matéria. Expressões
como ‘número de gramas’ ou ‘número
de metros’ são raramente utilizadas,
quando o são; por serem ambíguas,
devem ser evitadas. Do mesmo modo,
a expressão ‘número de moles’ deve
ser deixada de lado, utilizando-se
diretamente o nome da grandeza da
qual o mol é unidade de medida:
quantidade de matéria. Por outro lado,
não se deve mais usar, de modo al-
Para saber mais
ROCHA-FILHO, R. C. Grandezas e
unidades de medida: o sistema interna-
cional de unidades. São Paulo, Ática,
1988.
ROCHA-FILHO, R. C. e SILVA, R. R.:
Sobre o uso correto de certas gran-
dezas em química. Química Nova (vol.
14, nº 4), pp. 300-305, 1991.
ROCHA-FILHO, R. C. e SILVA, R. R.
Introdução aos cálculos da química. São
Paulo, McGraw-Hill/Makron Books,
1992.
-