DIREITO TRABALHO II
47 pág.

DIREITO TRABALHO II


DisciplinaDireito do Trabalho I31.939 materiais500.646 seguidores
Pré-visualização12 páginas
DIREITO TRABALHO II 
 
 
 8º PERÍODO 
\uf0d8 REMUNERAÇÃO e SALÁRIO: 
 
1. CONCEITO: 
 
- Artigos 76 e 457 CLT; 
 
Art. 76. Salário mínimo é a contraprestação mínima devida e paga 
diretamente pelo empregador a todo trabalhador, inclusive ao trabalhador 
rural, sem distinção de sexo, por dia normal de serviço, e capaz de satisfazer, 
em determinada época e região do País, as suas necessidades normais de 
alimentação, habitação, vestuário, higiene e transporte. 
 
Art. 457. Compreendem-se na remuneração do empregado, para todos os 
efeitos legais, além do salário devido e pago diretamente pelo empregador, 
como contraprestação do serviço, as gorjetas que receber. 
 
 
\uf0e8 Remuneração \u2260 Salário: 
 
Remuneração (Mais amplo): Salário + Gorjetas. 
 
 
Salário: verbas que são pagas pelo patrão no intuito de 
remunerar o trabalho; Verbas PELO trabalho: 
 
 
 
Verbas PARA o trabalho: não tem caráter de remuneração, mas sim de indenização; 
Ex.: vale transporte; diárias; ajuda de custo; 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Pago por terceiros. 
Empregador paga; PELO trabalho. 
 
REMUNERAÇÃO 
SALÁRIO 
- Básico (fixo); 
- Comissão / Percentagens; 
- Abonos; 
- Adicionais; 
- Prêmios; 
- Gratificações; 
+ GORJETAS 
DIREITO TRABALHO II 
 
 
 8º PERÍODO 
\uf0b7 Gorjetas: 
 
- Não integram o salário (súmula 354 TST); 
 
Súm. 354. Gorjetas. Natureza jurídica. Repercussões. As gorjetas, cobradas 
pelo empregador na nota de serviço ou oferecidas espontaneamente pelos 
clientes, integram a remuneração do empregado, não servindo de base de 
cálculo para as parcelas de aviso prévio, adicional noturno, horas extras e 
repouso semanal remunerado. 
 
- Integram a remuneração (FGTS; 13º salário, férias); 
 
 
 
\uf0b7 Situações especiais: 
 
 
\uf0e0 Salário Maternidade: 
 
Art. 7º CF. 
 
XVIII \u2013 licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a 
duração de cento e vinte dias; 
 
- Regra: 20 dias antes do parto; dia do parto; até 92 dias após. 
 
 
Artigos 392 e 392-A (adoção) CLT; 
 
Art. 392. A empregada gestante tem direito à licença-maternidade de 120 
(cento e vinte) dias, sem prejuízo do emprego e do salário. 
 
Art. 392-A. A empregada que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de 
adoção de criança será concedida licença-maternidade nos termos do art. 392, 
observado o disposto no seu § 5º. 
 
 
Artigos 71 a 73 Lei 8.213/91; 
 
Art. 71. O salário-maternidade é devido à segurada da Previdência Social, 
durante cento e vinte dias, com início no período entre 28 (vinte e oito) dias 
antes do parto e a data de ocorrência deste, observadas as situações e 
condições previstas na legislação no que concerne à proteção à maternidade. 
 
Art. 71\u2011A. Ao segurado ou segurada da Previdência Social que adotar ou 
obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança é devido salário-
maternidade pelo período de 120 (cento e vinte) dias. 
 
Parágrafo único. O salário-maternidade de que trata este artigo será pago 
diretamente pela Previdência Social. 
 
DIREITO TRABALHO II 
 
 
 8º PERÍODO 
Art. 72. O salário-maternidade para a segurada empregada ou trabalhadora 
avulsa consistirá numa renda mensal igual a sua remuneração integral. 
 
§ 1º Cabe à empresa pagar o salário-maternidade devido à respectiva 
empregada gestante, efetivando-se a compensação, observado o disposto no 
art. 248 da Constituição Federal, quando do recolhimento das contribuições 
incidentes sobre a folha de salários e demais rendimentos pagos ou creditados, 
a qualquer título, à pessoa física que lhe preste serviço. 
 
§ 2º A empresa deverá conservar durante 10 (dez) anos os comprovantes dos 
pagamentos e os atestados correspondentes para exame pela fiscalização da 
Previdência Social. 
 
§ 3º O salário-maternidade devido à trabalhadora avulsa e à empregada do 
microempreendedor individual de que trata o art. 18\u2011A da Lei Complementar 
no 123, de 14 de dezembro de 2006, será pago diretamente pela Previdência 
Social. 
 
Art. 73. Assegurado o valor de um salário mínimo, o salário-maternidade para 
as demais seguradas, pago diretamente pela Previdência Social, consistirá: 
I \u2013 em um valor correspondente ao do seu último salário de contribuição, para 
a segurada empregada doméstica; 
II \u2013 em 1/12 (um doze avos) do valor sobre o qual incidiu sua última 
contribuição anual, para a segurada especial; 
III \u2013 em 1/12 (um doze avos) da soma dos doze últimos salários de 
contribuição, apurados em um período não superior a 15 (quinze) meses, para 
as demais seguradas. 
 
 
\uf0b7 Salário Família: 
 
Menor 14 anos e inválidos; 
 
 
 
 
\uf0b7 Salário Complessivo: 
 
Súmula 91 TST. 
 
Súm. 91. Salário complessivo. Nula é a cláusula contratual que fixa 
determinada importância ou percentagem para atender englobadamente 
vários direitos legais ou contratuais do trabalhador. 
 
 
 
 
 
 
 
 
DIREITO TRABALHO II 
 
 
 8º PERÍODO 
2. COMPOSIÇÃO DO SALÁRIO: 
 
\uf0b7 Salário Básico: 
 
Importância fixa que o trabalhador ganhará PELO trabalho desenvolvido; 
 
\u221fPodendo ser fixada por hora, por dia, por semana, por quinzena, e (no 
máximo) por mês; 
 
Leva em consideração o TEMPO \u2013 que irá trabalhar ou permanecer à disposição. 
 
Obs.: Ganhar por produtividade?? Resposta. 
 
 
\uf0b7 Abono salarial: 
 
Antecipação de uma majoração salarial para futura compensação. Integra salário para 
todos os efeitos legais. 
 
Ex.: 
Junho/2014 reajuste de 10% (data base). 
 
Dezembro: inflação 50% 
 
Antecipa nova negociação e concede 30%. 
 
Próxima negociação: Junho 2015: concede mais 60%. Desconta os 30% antecipados (abono 
salarial). 
 
 
 
\uf0b7 Comissões/percentagens: 
 
Parcela variável; 
 
 
 
\uf0b7 Adicionais: 
 
Art. 7º. São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que 
visem à melhoria de sua condição social: 
 
XXIII \u2013 adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou 
perigosas, na forma da lei; 
 
Trata-se de norma não aplicável (norma eficácia limitada); 
 
 
 
DIREITO TRABALHO II 
 
 
 8º PERÍODO 
- Penoso; 
 
Adicional de Penosidade: (ainda não foi regulamentado): Por trabalho penoso, 
fatigante, desgastante. 
 
 
- Insalubre; 
 
Suplemento que o empregador paga quando o empregado submete-se a condições 
nocivas (lesivas) \u2013 agentes físicos, químicos, biológicos \u2013 a sua saúde. 
 
Mínimo: 10%; 
Médio: 20%; x Salário Mínimo Federal (Súmula Vinculante 4 STF). 
Grave: 40%; 
 
 
- Perigoso; 
 
Energia elétrica (eletricista). 
Combustíveis, explosivos, e inflamáveis (frentista). 
Segurança pessoa e patrimonial (vigilante). 
Motocicleta (motoboy). 
Radiações ionizantes e raio-x. 
 
 
 Adicional de 30%; x Salário Básico; 
 
 
 
- Extraordinário: 
 
Horas extras (além da oitava hora do dia e da quadragésima quarta da semana; 
correspondente a no mínimo 50%); 
 
 
- Noturno: 
Urbano e Doméstico: 22 h às 06 h. 
 
Rural: 
20 h às 04 h = pecuária. 
 
21 h às 05 h = agricultura. 
 
 
- Transferência; 
 
 
DIREITO TRABALHO II 
 
 
 8º PERÍODO 
 
\uf0b7 Prêmios habituais: 
Programa de metas na empresa: quem atinge as metas ganha uma bonificação; 
 
Prêmios habituais criados ou instituídos nos programas com possibilidade de 
repetição, o montante recebido quando atinge as metas integra o salário para os 
efeitos legais. 
 
Prêmio pago com caráter de eventualidade não integra o salário. 
 
 
 
\uf0b7 Gratificações habituais: 
Tempo de serviço, função, etc. 
 
Ex.: anuênio; gratificação de caixa; gerente; 
 
 
 
 
\uf0b7 Diários e ajudas de custo fraudulentas: 
 
Artigo 457,