A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
APOSTILA MOBILIZAÇÃO ARTICULAR - RTM (1) (1)

Pré-visualização | Página 1 de 2

RECURSOS TERAPÊUTICOS MANUAIS 
 
 
 
 
 
 
 
 
MOBILIZAÇÃO ARTICULAR 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Carlos Alexandre Batista Metzker 
Luciana Sucasas Vani 
Poliane Cardoso de Freitas 
 
 
Terapia Manual: 
 
 Definição: Método sistemático de avaliação e tratamento de disfunções do sistema 
neuromusculoesquelético. 
• Sistemas de terapias 
• Função articular anormal 
• Restrição intrínseca = articular 
• Restrição extrínseca = músculos, tecido conectivo. 
 
 
Mobilização articular: 
 
Definição: É o processo de tornar uma parte móvel, de movimentação de um 
seguimento restrito.É a técnica passiva mais comum. 
 
Movimentos Articulares: 
 
Movimento Fisiológico: movimento realizado por contração muscular ativa através 
de uma ADM disponível, ou passivamente, através dessa ADM. 
Movimento Acessório: movimentos que ocorrem entre superfícies articulares de 
uma articulação normal que está envolvida em um movimento fisiológico ativo ou 
passivo.Não podem ser produzidos voluntariamente. 
� Spin (giro) = rotação sobre o eixo mecânico e o ponto de contato não muda. 
� Roll (rolar) = pontos de contato mudam e a área de contato muda.Ocorre na direção do 
movimento. 
� Slide (deslizar) = área de contato altera e as superfícies de contato se afastam. 
 
Barreira de movimento: sensação de restrição de movimento antes da ADM final 
fisiológica ser alcançada. 
Resultando de: 
• Espasmo muscular 
• Encurtamento muscular 
• Periarticular 
• Lesão articular 
• Dor 
Barreira Fisiológica: limite funcional dentro da ADM anatômica; acomodação dos 
tecidos moles antes da barreira anatômica. ADM disponível no movimento ativo. 
Barreira Anatômica: limite imposto por estrutura anatômica. É o ponto no qual a 
sensação do fim do movimento é percebida. ADM disponível no movimento 
passivo. 
Barreira Patológica: limite patológico da ADM fisiológica. 
 
 
 
 
Tipos de articulações: 
 
O tipo de movimento que ocorre entre partes ósseas dentro de uma articulação é 
influenciado pelo formato das superfícies articulares: 
• Ovóide: uma superfície é côncava e a outra convexa. 
• Selar: uma superfície é côncava em uma direção e convexa na outra, com a 
superfície oposta convexa e côncava, respectivamente. 
 
Outros movimentos na superfície articular: 
 
• Compressão: é a diminuição no espaço articular entre as partes ósseas. 
Ex: ocorre compressão nos MMII e articulações da coluna durante a sustentação de peso. 
• Tração: é a separação das superfícies articulares. 
Ex: ocorre separação dentro da articulação quando as superfícies são puxadas uma 
distalmente da outra. 
 
Regra Côncavo-convexo: 
 
Toda superfície é côncava, convexa ou selar (uma parte côncava e outra convexa). 
Convexo na côncava - (convexo movendo e côncavo estabilizado). Deslizamento 
no sentido oposto ao movimento angular. 
Côncavo na convexa –(côncavo movendo e convexo estabilizado). Deslizamento 
no mesmo sentido do movimento angular. 
 
Graus de mobilização: Maitland 
 
Grau I: 
• Pequena ADM 
• Início da ADM nas articulações ativas e dolorosas 
• Cada mobilização 10seg (oscilação por 10 seg.) 
• 2-3 repetições 
• 15-30 seg de intervalo 
 
Grau II: 
• Grande ADM 
• No meio da ADM nas articulações subagudas 
• Cada mobilização 20-30 seg 
• 3 repetições 
• 30 seg de intervalo 
 
Grau III: 
• Grande ADM 
• No final da ADM nas articulações com restrição 
• Cada mobilização 30-60 seg 
• 4 -5 repetições 
• 30-60 seg de intervalo 
Grau IV: 
• Pequena ADM 
• No final da ADM nas articulações com restrição 
• Cada mobilização 30-60 seg 
• 4 –5 repetições 
• 30-60 seg intervalo 
 
Mobilização de Maitland 
 
Adaptado de Maitland : 
 C 
 A 
 II III B 
 
 
 
 
 I IV 
 
A) início da ADM acessória 
B) final da ADM acessória 
C) restrição da ADM acessória 
 
Efeitos da mobilização articular: 
 
Biomecânicos: 
• Aumentar flexibilidade de tecidos 
• Prevenir aderências 
• Promover lubrificação intra-articular 
• Reposicionar corpos estranhos intra-articulares. 
 
 Neurofisiológicos: 
• O estímulo mecânico bloqueia a transmissão da dor na medula. (teoria das 
comportas) 
• Vibração e movimentos suaves articulares podem relaxar a tensão muscular. 
• Efeito endócrino: movimentos articulares também podem estimular a produção de 
endorfina que gera um bem estar geral do paciente. 
 
Psicológicos: 
• Às vezes a presença de um barulho articular associado a uma sensação agradável 
faz o paciente pensar que algo importante ocorreu na sua articulação 
• A habilidade do terapeuta em reproduzir a dor pode sugerir ao paciente que foi 
encontrada a causa da lesão 
• Efeito placebo. 
 
 
Indicações da mobilização articular: 
 
Mobilizações moderadas: Graus I e II 
• Irritabilidade articular 
• Dor em todos os movimentos 
• Espasmo muscular protetor 
• Dor constante 
• Sintomas irradiados 
• ADM severamente limitada 
• Déficit neurológico. 
 
Mobilizações vigorosas: Graus III e IV 
• Dor moderada 
• Nenhuma dor ao movimento 
• Dor intermitente 
• Nenhum espasmo postural 
• Dor não irradiada 
• Limite moderado de ADM 
• Nenhum déficit neurológico. 
 
Contra – indicações: 
 
Absoluta: 
• Osteomielite 
• Instabilidade articular - luxações 
• Degenerações massivas 
• Tumor-metastase 
• Lesões de cauda equina 
• Lesões medulares 
• Envolvimento de múltiplas raízes 
• Envolvimento de S2,S3,S4 (bexiga) 
• Fraturas em consolidação 
• Artrite reumatóide ativa. 
 
Cautela: 
• Osteoporose 
• Artrite reumatóide 
• Espondilite anquilozante 
• Espondilolistese 
• Espondilolólise 
• Crianças e grávidas. 
 
 
 
 
COMPLEXO DO OMBRO 
 
 
Articulação gleno-umeral: 
 
Tipo : ovóide 
Relação: úmero - convexo, cavidade glenóide-côncava. 
 
Técnica: Tração - aumenta o espaço articular 
 
 
 
 
Técnica: Deslizamento caudal – aumenta abdução 
 
 
 
 
 
Técnica: Deslizamento posterior – aumenta flexão e rotação interna 
 
 
 
 
Técnica: Deslizamento anterior – aumenta extensão e rotação externa 
 
 
 
 
 
Articulação esterno-clavicular: 
 
Tipo: selar 
Relação: Supero-inferiormente : Clavícula - convexa 
 Esterno - côncavo 
 
 Antero-posteriormente: Clavícula - côncava 
 Esterno - convexo 
 
 
 
 
 
 
Técnica : Deslizamento posterior – aumenta retração 
 
 
 
Técnica: Deslizamento anterior – aumenta protração 
 
 
 
 
Técnica: Deslizamento inferior – aumenta elevação 
 
 
Técnica: Deslizamento superior – aumenta depressão 
 
 
 
 
Articulação escápulo-torácica: 
 
Tipo : ovóide 
Relação: escápula – côncava, tórax – convexo. 
Técnica: Tração – aumenta a mobilidade global 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Técnica: Deslizamento cranial – aumenta a elevação escapular 
 
 
 
Técnica: Deslizamento caudal – aumenta a depressão escapular 
 
 
 
Técnica: Deslizamento medial – aumenta a retração escapular 
 
 
 
Técnica: Deslizamento lateral – aumenta a protração escapular 
 
 
 
 
COMPLEXO DO COTOVELO 
 
 
Articulação úmero-ulnar: 
 
Tipo: selar 
Relação : Látero-medial : Ulna - convexa