Aula 05. Disfunção erétil (B Daphne)
7 pág.

Aula 05. Disfunção erétil (B Daphne)


DisciplinaUrologia692 materiais1.388 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Urologia - Aula 02 
Disfunção Erétil 
Caderno da Babi 
 
Função erétil para repro 
1. Resposta Sexual Masculina: Conceito Trifásico 
Desejo, excitação e orgasmo 
obs: Dra Kaplan percebeu que o desejo era muito importante para seus paciente. O 
desejo é o sentimento fundamental, o início de tudo. 
Inicialmente só excitação e orgasmo 
Abordagem mais completa que permite melhor compreensão e terapêutica mais eficaz 
Conceito trifásico: raízes antropológicas dão sustento à tese 
Para perpetuar e apurar a espécie, instintos primitivos se traduzem em hábitos 
requintados e sofisticados nos seres humanos. 
 
obs: Desejo precisa ser controlado, aparecer em determinados momentos e outros não 
 
2. Conceito trifásico: Desejo 
Desejo está localizado na região ventromedial do hipotálamo. A espécie humana tem 
mais córtex e por isso a espécie humana consegue controlar mais. Serotonina (inibidor 
do desejo - confere o orgasmo); dopamina (excitador do desejo) 
.... 
 
Resposta sexual masculina neurofisiologia: 
Estímulo eretogênico: 
Memória, imaginação,sensações erógenas visuais, auditivas, olfatórias, gustativos e 
tácteis 
Neurotrasnmissores e neurohormônios envolvidos: testosterona, dopamina, NO, 
oxitocina (ejaculação) e serotonina (orgasmo) 
 
Fatores inibitórios (eretolíticos): 
Memória, imaginação, ansiedade, medo, depressão 
Necessidade de lutar ou fugir 
Neurotransmissor envolvido: adrenalina (desfaz a ereção). Ereção é um fenômeno de 
relaxamento e a adrenalina faz vasoconstricção. 
 
Instinto animal despertado pelo cio (estro) feminino 
Nos humanos trocado por manifestações erógenas sofisticadas e requintadas 
Tão mais intenso quanto maior a abstinência: efeito da concentração de testosterona 
(mulher e homem) no hipotálamo 
Origem da verdadeira relação sexual 
Produz excitacão com informações .... 
..... 
 
Estrogênio: hormônio que torna as mulheres atraentes aos homens 
Ferormônios: evidências recentes mostram sua importância também na espécie 
humana 
Ocitocina: estimula a atitude associativa em ambos (hormônio da paixão; Acontece 
taquifolaxia - isso leva 36 meses. A paixão dura no máximo 36 meses) 
Testosterona: masculinizante aos machos 
Da libido em ambos os sexos 
Atuação direta no hipotálamo 
Vasopressina: relacionada às relações monogâmicas e parentais. Se o vínculo de 
constituir família for mais forte a vasopressina continua atuando. O efeito da 
vasopressina dura 7 anos para casar. 
A espécie humana procura maneiras de reativar a ocitocina. 
 
Excitação: 
Estimulado pelo desejo, a partir do enquadramento do alvo sexual do homem. 
Homem dá mostras externas de estar pronto ou em preparação para o coito 
Se a parceira está também pronta, o SNC gera atitudes que favorecem ao coito 
Se a parceita ainda não está pronta o hipotálamo estimula a córtex a elaborar um 
conjunto sofisticado de atitudes de sedução e produz resultados no comporamento do 
homem que tendem a quebrar o comportamento da mulher. 
 
Orgasmo: 
Interpretação cortical em resposta à estimulação genital 
É comum que ocorra emissão e ejaculação de esperma, mas pode ocorrer sem isso 
Aumenta a pressão arterial, há taquicardia, hiperventilação e contrações rítmicas 
involuntárias dos músculos perineais 
Em seguida há sensação de saciedade 
Aumenta a concentração de serotonina no hipotálamo lateral, que causa relaxamento 
psíquico, impede a ereção imediata e novo orgasmo, até que seja reabsorvida e os 
níveis baixem. 
 
Ereção Peniana: aspectos anatômicos 
Penis é irrigado pelas artérias cavernosas que são ramos da artéria ilíaca interna. Veias 
são mais numerosas que as artérias (veias pudendas), plexo de santorini. 
Composto de 2 corpos cavernosos e 1 esponjoso 
Inervação sensitiva do pênis: inervação motora tem origem em S1 e S2; invervação 
sensitiva tem origem nos corpos cavernosos. Na retirada da próstata é muito difícil 
não lesar esse nervo porque eles estão intimamente relacionados (complicação da 
prostatectomia) 
Existe ereção do corpo esponjoso e cavernoso 
 
Ereção Peninana: Aspectos Antômicos e funcionais 
O NO que dá a ereção peniana 
Guanasina monofosfase cíclica: faz o relaxamento da ereção 
Fosfodiesterase 5 
O circuito funciona enquanto NO está sendo liberado. Para ter ereção precisa ter 
integridade neural, .... tem que ter NO (óxido nítrico). Não pode ter adrenalina, se não 
não tem ereção. 
 
Meia vida do óxido nítrico é de 2 segundos. Perda da ereção é rápida por causa disso. 
 
 
Ereção passo a passo: 
Integridade neuroendócrina vascular 
Estímulo erógeno 
Redução do tônus adrenérgico 
Estímulo parassimpático (Dopamina) 
Ação dos neurotransmissores (óxido nítrico, etc) 
Ativação da guaniciclase com formação de GMPc 
Ativação da enzina quinase específica: indisponibilização do cálcio intra-celular 
Relaxamento das células musculares lisas ..... 
 
Classificação das disfunções sexuais masculinas: 
Distúrbios do desejo: 
Hiperatividade 
Hipoatividade 
Aversão sexual 
 
Distúrbios da ereção: 
Disfunção erétil: 
Definição: é a dificuldade persistente para obter e/ou manter uma ereçnao peninana 
suficiente para iniciar e completar um coito 
Multifatorial: 
Um grande número de causas e fenômenos envolvidos 
.... 
 
Prevalência: 
Estima-se que mais de 100 bilhões de homens apresentem algum grau de disfunção 
erétil em todo o mundo 
Calcula-se que a disfunção erétil afeten por volta de 30 milhões de homens nos EUA 
Dados do Reino Unido e França estimam que a preval\u2c6´ncia geral de DE moderada a 
completa esteja entre 30 a 40% 
 
Colocar slide 
 
 
Pricnipais Fatores de risco para DE: Envelhecimento 
Declínio progressivo nas funções fisiológicas 
Frequência aumentada de doenças crônicas 
Causas Psicológicas 
Participação (causas) da parceira 
 
Idade (envelhecimento) 
Doenças Crônicas: 
Doenças Cardíacas 
Hipertensão arterial 
Aterosclerose 
Diabetes 
..... 
..... 
 
Colocar slide 
 
Diabetes Melitos: 
Fatores que contribuem: 
Idade avançada 
Diabete de longa duração 
.... 
 
Hipertensão arterial: 
Num estudo com 104 pacientes hipertensos: 
34-75 anos 
Disfunção Erétil tende a ser mais servera nos pacientes hipertensos que na população 
geral 
 
.... 
 
Diuréticos e ß-bloqueadores: associados à maior incidência de DE 
alfa bloqueadores: associados à menor incidência de DE 
Diurético tiazídicos não pode dar pra que tem Disfunção Erétil (maior risco que os ß-
bloqueadores) 
Inibidores da ECA: parecem não aumentar o risco de DE (não tem efeitos sobre a 
ereção) 
 
Principais fatores de risco para DE: DAEM 
Sintomas e Sinais do DAEM 
Dificuldade de concentração 
Porblemas de memória 
Dificuldade de ereção 
Perda de interesse sexual 
Apatia e depressão 
Irritabilidade Insônia 
Mudança na proporção da gordura corporal 
Aumento de peso 
Diminuição da massa muscular 
Queda de pelos 
Tendência à osteoporose 
Tendência a anemia 
 
 
Outros Fatores de Risco para Disfunção Erétil: 
Trauma raquimedular 
Cirugía pélvica 
Radioterapia pélvica 
Doença de Peyronie 
Priapismo 
Acidente Vascular Cerebral 
Alzheimer 
Esclerose Múltipla 
Insuficiência Renal, diálise 
Insuficiência hepática 
Depressão 
Conflitos familiares 
Desemprego 
Dificuldades econômicas 
Ciclisco: 
< 3 horas: efeito proteteor 
> 3 horas: fator de risco 
 
Medicamentos: 
Drogas de ação no SNC 
Diuréticos 
Antihipertensivos 
Anti-androgênicos 
Drogadição: 
Cocaína: mesmo efeito que adrenalina 
Maconha: mesmo efeito que a prolactina (bloqueia a funçãoda hipeofise) 
 
Avaliação: 
Padrão: 
Anamnese: QP, HDA, Hábitos, profissão, outras doenças, etc 
Histórico sexual 
Exame Físico 
Avaliação psicológica 
Avaliações laboratoriais 
 
Opcional: 
Exames diagnósticos especializados/invasivos 
Ex: Tumescência Peniana noturna, injeção intracavernosa, Doppler e arteriografia 
 
Endocrinopatias: 
Diabetes: 
Glicemia