Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Da reabilitação

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO PENAL II
.
Curso de Direito : Terceiro período
professor: Arnon Farias
Alunos: Araci Costa, Gizoni Costa, Samuel e Efeson
Da Reabilitação
Capitulo VII
Da reabilitação
A reabilitação criminal é instituto de direito penal que tem por objetivo, uma vez que medida de política criminal, conceder ao condenado com pena cumprida, desprovido de ônus penais e sociais, a possibilidade de ver seu nome reabilitado, sem que constem em certidões expedidas pelo poder púbico quaisquer menções à condenação anteriormente sofrida.
(Continuação)
Tal instituto promove a suspensão condicional de alguns efeitos penais da condenação, podendo, em caso de eventual reincidência, haver revogação.
(continuação)
Por sentença judicial restam assegurados o sigilo sobre os antecedentes criminais e demais efeitos da sentença. Quanto a ser medida de política criminal, tal ocorre com o objetivo da reinserção social do réu, a fim de que, com ficha sem mácula, consiga se estabelecer, encontrar emprego, meio de sobrevivência, tornar ao convívio social sem algo que lhe impediria de ser visto pelos demais cidadãos, como homem livre, desprovido de envolvimentos com polícia e justiça, que lhe retirem a condição de primário e sem antecedentes.
			(Continuação)
Nesse sentido:
“A reabilitação é medida de política criminal beneficiadora do infrator primário que, de novo, se reajustou à sociedade, no exercício de suas atividades e prática de comportamento digno e exemplar” (TAMG – Rec. – Rel. Juiz Perboyre Starling – RT 427/466).
Art. 93/92
A reabilitação alcança quaisquer penas aplicadas em sentença definitiva, assegurando ao condenado o sigilo dos registros sobre o seu processo e condenação. 
Parágrafo único - A reabilitação poderá, também, atingir os efeitos da condenação, previstos no art. 92 deste Código, vedada reintegração na situação anterior, nos casos dos incisos I e II do mesmo artigo. 
Efeitos da condenação previstos no Art.92:
I - a perda de cargo, função pública ou mandato eletivo:
a) quando aplicada pena privativa de liberdade por tempo igual ou superior a um ano, nos crimes praticados com abuso de poder ou violação de dever para com a Administração Pública;
b) quando for aplicada pena privativa de liberdade por tempo superior a 4 (quatro) anos nos demais casos.
II - a incapacidade para o exercício do pátrio poder, tutela ou curatela, nos crimes dolosos, sujeitos à pena de reclusão, cometidos contra filho, tutelado ou curatelado;
Art. 93 (continuação)
A despeito da capitulação contida no artigo 93, do Código Penal falar em: “... alcança quaisquer penas...”, cumpre esclarecer que o objeto da reabilitação é a pena estar cumprida ou extinta há mais de dois, inclusive sendo tal condição “sine qua non”, conforme o artigo 94, do Código Penal.
Art. 94
A reabilitação não tem efeito retroativo pretérito de condição, alcançando, tão somente atos futuros do reabilitado. A exemplo um funcionário público, condenado por crime contra o patrimônio, cuja sentença condenatória também determinou a perda do cargo público. Pois bem, cumpridos os requisitos, poderá ter seu nome reabilitado para todos os atos da vida civil, administrativa e política, anteriormente ceifadas, porém, não será jamais reconduzido ao cargo que exercia.
Art. 94 (continuação)
A reabilitação poderá ser requerida, decorridos 2 (dois) anos do dia em que for extinta, de qualquer modo, a pena ou terminar sua execução, computando-se o período de prova da suspensão e o do livramento condicional, se não sobrevier revogação, desde que o condenado:
Art. 94 (continuação)
I - tenha tido domicílio no País no prazo acima referido; 
II - tenha dado, durante esse tempo, demonstração efetiva e constante de bom comportamento público e privado;
 III - tenha ressarcido o dano causado pelo crime ou demonstre a absoluta impossibilidade de o fazer, até o dia do pedido, ou exiba documento que comprove a renúncia da vítima ou novação da dívida. 
Parágrafo único - Negada a reabilitação, poderá ser requerida, a qualquer tempo, desde que o pedido seja instruído com novos elementos comprobatórios dos requisitos necessários.
Art. 94 (continuação)
O Código Penal prevê também a reincidência, que culminará com a revogação do benefício, se o reabilitado receber condenação em outro processo com pena diversa de multa (artigo 95).
Art. 95 
A reabilitação será revogada, de ofício requerimento do Ministério Público, se o reabilitado for condenado, como reincidente, por decisão definitiva, a pena que não seja de multa. 
 
Art. 95 (continuação)
Nesse sentido:
“Revoga-se a decisão que concedera a reabilitação se, no decorrer dos cinco anos após o término do prazo do “sursis”, pratica o requerente novo crime, pelo qual é condenado como reincidente”
Uma vez revogada a reabilitação, os efeitos anteriormente suspensos voltam ao “status quo ante”, ou seja, dentre outras coisas, os apontamentos constantes da sentença condenatória tornam a constar de folha de antecedentes e certidão criminal.
Art. 95 (Continuação)
Por fim, resta esclarecer que não existe nenhum impedimento legal a novo pedido de reabilitação daquela anteriormente revogada, desde que o interessado preencha todos os requisitos estabelecidos pela lei penal.
Do pedido de reabilitação
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ 
VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ___________-__
Processo nº _______________
 
 
ADALBERTO____________________________,nacionalidade: _______________, estado civil: _______________, profissão: _______________, residente e domiciliado na rua _______________, nº _______, bairro _______________, na cidade de _______________, estadode __________, CEP: __________, vem, por seu procurador e advogado abaixo assinado, com escritório na rua _____________________, nº _______, bairro ________________________, na cidade de___________________, estado de __________, CEP: __________, onde recebe intimações e notificações, vem, respeitosamente perante Vossa Excelência, com base no artigo 743 do Código de Processo Penal, requererREABILITAÇÃO CRIMINAL
pelos motivos de fato e de direito a seguir expostos:
DOS FATOS
O requerente, no processo de nº ______________, que tramitou neste Nobre Juízo, foi condenado na data de __ de _________ de ____, pelo crime de homicídio.
Acontece, MM. Juiz, que o requerente já cumpriu a pena que lhe foi imposta, já a mais de 08 (oito) anos, tendo a mesma sido concluída na data de__ de _________ de ____.
Visando sanar as marcas do passado, limpando a sua folha de antecedentes criminais, é a presente para requerer sua reabilitação criminal, estando a mesma acompanhada de todos os documentos exigidos pelo artigo 744 do CPP, além da comprovação das comarcas em que o requerente residiu desde o cumprimento de sua pena.
DO DIREITO
Nos termos do artigo 94 do Código Penal, é direito do condenado requerer a reabilitação criminal, decorridos dois anos do dia em que for extinta, de qualquer modo, a pena.
No caso, já se passaram mais de 8 (oito) anos do devido cumprimento da sentença imposta à pessoa do requerente, o que lhe dá direito ao pedido de reabilitação, de conformidade com o art. 743 e seguintes, do Código de Processo Penal.
Assim diz o artigo...
BIBLIOGRAFIA.
 
[ Fernanda Fernandes ]   Bacharel em Direito, Assistente Jurídico. Trabalha nas especialidades de direito penal e processual penal.
(TAMG – Rec. – Rel. Juiz Perboyre Starling – RT 427/466).
www.amperj.org.br/store/legislacao/codigos/cp_DL2848.pdf
www.meuvademecumonline.com.br/.../codigos/.../codigo-penal-decreto-lei-n-2-848-...
Códigos - Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 -Código Penal
FIM
Obrigado pela atenção de todos.