A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
PROCESSO PENAL 2° BIMESTRE

Pré-visualização | Página 4 de 10

Sumula 38 que repete o que a CF fala. Compete a justiça estadual comum o processo de contravenção ainda que se trate de contravenção contra a união.
Não confundir contravenção com crime de menor potencial ofensivo (cuja a pena não passa de 4 anos). Contravenção é diferente de crime contravenção são crimes que estão revistos na lei de contravenções panais (jogos do bicho, vias de fato).
EMPRESA PUBLICA: existem diferenças jurídicas entre empresa publica e sociedade de economia mista. (caixa econômica- empresa publica, justiça federal/ banco do brasil-empresa de economia mista-Justiça estadual). A jurisprudência em regra Correio é justiça federal, mas tem franquias, e a competência é a justiça estadual, Não tem sumula.
INTERESSE FEDERAL: crimes que ofendam o interesse federal, bens jurídicos de interesse da união AURY fala que o ideal era que todo o crime deveria prever. Sempre que a união for lesionada (falsificação de dinheiro). 
ATENÇÃO: Crimes tributários, crime contra a ordem tributária depende da natureza do tributo, se for estadual e se for municipal é de competência do Estado e se for federal é da justiça federal.
Lavagem de dinheiro envolve três etapas (diz COAF e doutrina) primeira fase: chamada de ocultação- para ter lavagem de dinheiro tem que ter um crime antecedente, onde se ganha dinheiro com esse crime e a pessoa tenta dissimular a natureza do dinheiro. Segunda fase: colocação do dinheiro: se coloca o dinheiro em algo limpo, lícito, algo de difícil controle (motel, taxi, lavanderia) . a ultima fase é chamada integração: recolhe o tributos, e reintegra a economia como algo limpo. A competência depende do crime antecedente, a lavagem em si vai depender do crime. 
1.6. EXERCICIO DA FUNÇÃO FEDERAL: se um funcionário público federal comete um crime, e também é cometido contra ele compete a justiça federal desde que seja em exercício da função. Crime contra a vida é feita em tribunal do júri federal.
TRATADOS INTERNACIONAIS: também será julgado pela justiça federal os crimes previstos nos tratados e convenções internacionais. Ex. tráfico internacional de drogas. Previsto em tratados internacionais e a lei de tóxicos reforça essa previsão. Tráfico internacional de pessoas e tráfico de crianças e adolescentes. Alguns crimes contra crianças podem ser da justiça federal, crimes na internet contra crianças são de justiça comum, mas se for internacional tipo pornografia ai sim. – 559 Quanto ao inciso V, serão de competência da Justiça Federal os crimes previstos em tratado ou convenção internacional, quando, iniciada a execução no País, o resultado tenha ou devesse ter ocorrido no estrangeiro, ou reciprocamente. Nessa situação encontram-se, entre outros, o tráfico de mulheres e crianças, e o delito de tráfico de substâncias entorpecentes, que merecerá uma análise mais detida. Quando presente a internacionalidade do tráfico de drogas, a competência é da Justiça Federal, do contrário, é da Justiça Estadual
Importante destacar que não se pode presumir a internacionalidade do tráfico e que a competência somente será da Justiça Federal quando estiver comprovado nos autos que a substância veio do exterior ou para lá se destinava. Assim, não importa a quantidade, nem mesmo a natureza da substância entorpecente.
Agora, se o município em que for praticado o crime não for sede de vara da Justiça Federal, haverá um deslocamento para a cidade mais próxima, cuja Justiça Federal tenha circunscrição sobre aquela na qual foi apreendida a droga. Isso serve para assegurar que a Justiça será efetivamente a Federal.
FEDERALIZAÇÃO emenda constitucional 45 acrescentou a alínea a do inciso 5- federalização de casos onde o justiça estadual não está cuidando adequadamente. 
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO: crimes cometidos contra uma coletividade, organização do trabalho em si, ex. escravidão de um grupo de pessoas.
Destaque-se que nos crimes contra a ordem tributária (Lei n. 8.137) a competência somente será da Justiça Federal se houver a supressão ou redução de tributos federais, do contrário, a competência é da Justiça Estadual.
NAVIOS: crimes cometidos a bordo de navios ou aeronaves. Ex. somente navio, não é embarcação. apenas quando estivermos diante de navios ou aeronaves de grande porte. Não se tratando de navio com capacidade para navegação em alto-mar, em águas internacionais
INDIGENAS: existe uma sumula onde crimes praticados por indígenas ou ele sendo vitimas, isso não atrai a ustiça federal, o que atrai a justiça federal é a disputa por terras.
Existem crimes ambientais estaduais e federais a depender do interesse da união.
Cumpre ainda advertir que a competência da Justiça Federal não se presume. Deve estar expressamente prevista no art. 109 da Constituição. Tampouco se confunde a competência da Justiça Federal com eventuais atribuições da Polícia Federal. Ou seja, o fato de a prisão e/ou inquérito terem sido realizados pela Polícia Federal não basta, por si 
- O crime ambiental é de competência da Justiça Estadual, salvo quando praticado em detrimento de bens, serviços ou interesses da União, suas autarquias ou Empresa Pública, situação em que será de competência da Justiça Federal , crimes ambientais praticados em detrimento da Floresta Amazônica brasileira, da Mata Atlântica, da Serra do Mar, do Pantanal Mato-Grossense e da Zona Costeira deverão ser julgados na Justiça Federal, pois se trata de patrimônio nacional.
JUSTIÇA ESTADUAL COMUM: É a mais residual de todas. Um crime somente será julgado na Justiça Comum Estadual quando não for de competência das Especiais (Militar e Eleitoral), nem da comum federal. Inclusive, é importante destacar, em eventual conflito entre a Justiça Federal e a Estadual, prevalece a Federal, cumpre recordar que ela está organizada em:
Primeiro Grau
Tribunal do Júri
Juízes de Direito
Juizados Especiais Criminais
Segundo Grau
Tribunais de Justiça
Chegando-se à competência da Justiça Estadual, deve-se ter muita atenção na definição do órgão encarregado e, principalmente, com a competência prevalente do Tribunal do Júri (em razão da matéria) em relação aos demais órgãos de primeiro grau. Para evitar dúvidas, a competência do Júri vem expressamente prevista no art. 74, § 1º, do CPP:
Art. 74. A competência pela natureza da infração será regulada pelas leis de organização judiciária, salvo a competência privativa do Tribunal do Júri.
§ 1º Compete ao Tribunal do Júri o julgamento dos crimes previstos nos arts. 121, §§ 1º e 2º, 122, parágrafo único, 123, 124, 125, 126 e 127 do Código Penal, consumados ou tentados.
No que se refere aos Juizados Especiais Criminais no âmbito da Justiça Estadual, sua competência em razão da matéria é para o processo e julgamento dos delitos de menor potencial ofensivo,
Para que um crime seja de competência dos JECs estaduais, deverão ser observados dois critérios cumulativos:
• que o delito praticado seja de competência da Justiça Estadual (residual em relação às demais);
• que o crime ou contravenção tenha pena máxima não superior a dois anos ou seja apenado exclusivamente com multa.
Presentes esses dois requisitos, o caso penal deverá ser remetido ao JEC. Chamamos a atenção para o disposto no parágrafo único do art. 60 da Lei n. 9.099:
Parágrafo único. Na reunião de processos, perante o juízo comum ou o tribunal do júri, decorrentes da aplicação das regras de conexão e continência, observar-se-ão os institutos da transação penal e da composição dos danos civis.
Assim, por exemplo, havendo a conexão entre um crime de lesões corporais leves e outro de
homicídio, haverá reunião para julgamento pelo Tribunal do Júri. Contudo, em relação ao delito lesões corporais leves, cuja pena máxima é inferior a 2 anos, deverá ser oportunizada a transação penal (ou, se for o caso, a composição dos danos).
05-05-2016
COMPETÊNCIA EM RAZÃO DO LOCAL- considerada de competência relativa, mas é tratada de maneira muito relativa e ignorada, e pode ser modificada no primeiro ato. devendo ser arguida no primeiro lugar em que a