TCC I
13 pág.

TCC I

Disciplina:Projeto de Monografia17 materiais149 seguidores
Pré-visualização3 páginas
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

 CURSO DE DIREITO

SUELY GARCIA DA SILVA

DIREITO DO CONSUMIDOR NO AMBITO DE REPARAÇÃO DE DANOS:
Uma analise da lei 8.078 de 11 de setembro de 1990

PORTO VELHO-RO
2015
SUELY GARCIA DA SILVA

DIREITO DO CONSUMIDOR NO AMBITO DE REPARAÇÃO DE DANOS:
Uma analise da lei 8.078 de 11 de setembro de 1990.

Projeto de pesquisa apresentado como requisito avaliativo-parcial da disciplina Trabalho de Conclusão de Curso I, ministrada pela professora Me. Helena Zoraide Pelacani Almada, do 7° período, do Curso de Direito da Faculdade Interamericana de Porto Velho.
Orientador.

PORTO VELHO-RO
2015

SUMÁRIO

01 TEMA................................................................................................................................
02 PROBLEMA ....................................................................................................................
03 HIPÓTESES.....................................................................................................................
04 OBJETIVOS......................................................................................................................
4. 1Objetivos Geral.................................................................................................................
4. 1. 2 Objetivos específicos...................................................................................................
5. JUSTIFICATIVAS............................................................................................................
6. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA....................................................................................
6. 1 CONCEITOS..................................................................................................................
6. 2 CONTEXTUALIZAÇÕA...............................................................................................
6. 3 ASPECTOS LEGISLATIVO..........................................................................................
6 .4 ASPECTOS HISTÓRICOS............................................................................................
6. 5 DIREITO COMPARADO..............................................................................................
7. PROCEDIMENTO METODOLÓGICO..........................................................................
8. CRONOGRAMA..............................................................................................................
9. REFERENCIAS BIBLIOGRAFICA...............................................................................
10. PROPOSTA DE SUMARIO PARA MONAGRAFIA.................................................

TEMA
A instabilidade estrutural na relação de consumo, entre o fornecedor e consumidor, mostra a disparidade de força com que se apresentam no mercado, e o fato de que os produtos imperfeitos não são objetos retirados da natureza, mas fabricados pelo homem, por causa desse desequilíbrio entre fornecedor e consumidor que é importante salientar que o consumidor busque os seus direitos por meios legais que são designados para recepcionar as suas queixas e dar o seu devido encaminhamento.
2 PROBLEMA
Porque após vinte e três (23) anos de vigência do Código de defesa do consumidor ainda não é possível observar com nitidez o cumprimento de suas exigências no que tange ao respeito pelo consumidor?

3 HIPÓTESES
3.1 O consumidor aceita imposição de fornecedores, por não conhecer seus direitos, podem até ter consciência desses direitos, mas não tem o costume de reclamar e exigir cumprimento da lei;
3.2 Desvantagens técnica e jurídica em face do fornecedor;
3.3 O consumidor é a parte vulnerável na relação de consumo;
3.4 A matriz do problema da não obediência aos ditames legais pode estar relacionado com a falta de políticas de conscientização e democratização da lei.

4 OBJETIVOS
4.1 Objetivo geral
- Apontar os direitos do consumidor, no âmbito da reparação de danos ao adquirir, bens matérias ou serviços.

4.2 Objetivos específicos
- Elencar as soluções possíveis para a resolução dos conflitos já instalados, de modo a traçar um roteiro em que figurem os institutos aptos a porem termo ao conflito;
- Compreender tipos de responsabilidade do fornecedor;
- Verificar por critério de observação os principais meios pelos quais a população em geral tem acesso ao conhecimento de seus direitos como consumidores, visto ser intrínseco ao bom andamento da paz social o conhecimento por parte do cidadão, em sentido “lato”, que dele necessita.
- Analisar tipos de responsabilidade por danos.
5 JUSTIFICATIVA

A presente pesquisa baseada em referenciais teóricos com casos concretos buscará abordar, com base na legislação vigente, jurisprudências e doutrinas atualizadas, uma maior compreensão acerca dos direitos do consumidor no âmbito de reparação de danos, partindo da análise da Lei. n. 8.078 de setembro de 1990, buscando compreender tipos de responsabilidade do fornecedor, nas relações de consumo, definidas pelo defeito do produto, bem como a diferença da responsabilidade subsidiária e solidária do comerciante, quando na constatação do defeito do produto, apresentado para o mercado de consumo, quando, como pode e como deve ser aplicada esta responsabilidade. Esse trabalho não tem pretensão de esgotar o tema aqui abordado, não se pretende dar todas as soluções, mas traçar critérios gerais, que servirão de norte para a adequada relação entre fornecedor e consumidor. Tendo em vista os constantes abusos cometidos pelos Sistemas de Proteção ao Crédito, almeja-se com este trabalho verificar em quais os direitos do consumidor no âmbito de reparação de danos.

06 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
6.1 CONCEITO

Segundo Pablo Jimene Serrano (2003) o Direito do Consumidor serve principalmente para suprir as insuficiências do Direito Civil, preencher lacunas jurídicas existentes ao se tratar de uma relação de consumo utilizando o Código Civil, lacunas estas, que impedem uma justa proteção do consumidor frente os fornecedores de produtos e serviços.

Hélio Zaghetto Gama (2000, p.14) também entende que o principal fundamento do Direito do Consumidor é a igualdade. Para ele, o direito do consumidor “decorre dos direitos universais do homem, em que a liberdade do consumidor de poder dirigir-se ao mercado e nele contratar as aquisições de bens e serviços são iguais para todos”.

6.2 CONTEXTUALIZAÇÃO
Desde os tempos do Império no Brasil, já se observava uma proteção discreta do consumidor e, para esboçar um breve histórico da civilística brasileira, parece-nos impossível dissociá-lo da história do Direito Português em um primeiro momento, e do Direito Europeu como um todo, em um segundo momento.

Em 1906, nos Estados Unidos, foi elaborada a Regulamentação Para Inspeção de Carne e a Lei de Alimentos e Medicamentos.Em 1927, foi criada a FDA (Food and Drugs Administration), que passou em 1938 a compreender atribuições e competências também do segmento de cosméticos. A atuação do FDA tem repercussão no mundo inteiro, sendo um dos órgãos mais respeitados do mundo. A década de 60 foi o grande marco mundial para os consumidores. Foi no início de 1960 que foi criada a IOCU – International Organization of Consumers Unions, hoje em dia chamada de CI – Consumers International. A IOCU no início era composta por cinco países: Austrália, Bélgica, Estados Unidos, Holanda e Reino Unido. O Brasil atualmente participa da IOCU por meio da Fundação Procon e do IDEC. (ROLIM, 2012).

Em 15 de março de 1962, o ex- presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, encaminhou mensagem ao Congresso Nacional Americano pois