A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Lesões Brancas

Pré-visualização | Página 1 de 2

Lesões Brancas 
 Qualquer alteração da mucosa bucal que apresenta uma aparência opaca, pálida, 
esbranquiçada. 
 Sem aumento volumétrico, ulceração ou eritema. 
 Espessamento epitelial 
 Deposição de material na superfície 
 Diminuição da vascularização da submucosa 
 
Lesões Brancas - espessamento epitelial 
 aumento da queratinização- hiperqueratose 
 aumento da camada espinhosa – acantose 
 
 Opacidade 
 Não se destaca 
 Rugosa 
 Assintomática 
 Persiste ou progride 
 Pode ter causa ou co-fatores 
 Localizada ou generalizada 
 
Hiperqueratose Focal Irritativa 
 
sinônimos: queratose focal, hiperqueratose focal, hiperqueratose fisiológica 
 
 Espessamento da mucosa por atrito / fricção 
 “calo” 
 causa X efeito muito comum= variação normal 
 linha Alba, morsicatio 
 causas: mordiscamento, arestas de aparelhos 
ortodônticos, galvanismo 
 
 Manchas ou placas – branco opaco, acinzentado 
 Homogêneo e delimitado 
 Focal – relação com agente causal 
 Assintomático, localizadas ou generalizadas 
 Superfície lisa, vermelha, ondulada 
 Estável até remoção do agente (pode estabilizar) 
 
 
Diagnóstico diferencial: 
 Demonstração da presença do agente irritativo 
 Diminuição ou regressão após remoção do agente 
 Raras em palato mole, soalho e fundo de sulco 
Conduta: 
 Remover o agente 
 Reavaliar em 1-2 sem. 
 Não diminui – biopsia – exame anatomo-patológico 
 
1. Hiperqueratose Focal 
Irritativa 
2. Líquen Plano 
3. Estomatite Nicotínica 
4. Leucoplasia 
5. Queilite Actínica 
6. Leucoplasia Pilosa 
7. Língua Pilosa 
8. Nevo Branco Esponjoso 
9. Papiloma 
10. CEC 
 
Líquen Plano 
 
 Doença mucocutânea crônica 
 Doença auto-imune 
 Pele / Mucosa 
 Degeneração imunomediada – linfócitos T 
 Forma reticular – branca 
 Forma erosiva/ ulcerada- erosão/úlcera 
 Mulheres 
 Acima 30 anos 
 Crônica – progressão X melhora 
 Associação com estresse 
 1/3 possui boca e em pele 
 1% da população 
 
 Líquen plano reticular 
 Mais comum - estrias esbranquiçadas, não se destacam, Estrias de Wickham 
 Bordas geralmente bem delimitadas 
 Assintomáticas 
 Múltiplas e simétricas 
 Localização: mucosa jugal posterior, gengiva, dorso de língua, palato e o vermelhão 
de lábio 
 Pele superfícies flexoras 
 Quadros de melhora e piora das lesões 
 
 Líquen plano erosivo 
 Sintomático 
 Áreas eritematosas com graus variáveis de ulceração 
 Circundadas por finas estrias brancas 
 
Diagnostico diferencial: 
 Estrias – indicativo forte de líquen 
 Nevo branco esponjoso: história anterior e familiar 
 Leucoedema – tracionamento (desaparece) 
 
Conduta: 
 Biopsia incisional 
 Reticular – sem tratamento/ erosivo –corticoides 
 Reavalação 
 Dermatologista 
 
 
 
 
 
Estomatite nicotínica 
 
Diagnóstico diferencial: 
 Típico 
 Se houver úlcera – CEC 
Conduta: 
 Geralmente não se justifica biopsia 
 Orientação para deixar de fumar 
 Controle clínico 
 Biopsia frente alteração do quadro 
 
Leucoplasia 
 Placa ou mancha branca que não pode ser clinicamente ou histopatologicamente 
caracterizada como qualquer outra doença. 
 Termo clínico 
 Diagnóstico exclusão 
 Sem relação com grau de atipia 
 Leucoplasia é uma lesão prevalente e de comportamento incerto 
 Estudos demonstram sua grande importância para detecção precoce do câncer bucal 
 Potencial de malignização 
 Diagnóstico provisório – exame clínico 
 Diagnóstico definitivo – exame histopatológico 
 Leucoplasias idiopáticas (raras) ou relacionadas com o fumo (80% são fumantes) 
 1/3 dos carcinomas apresentam em regiões o assoalho da boca e a língua 
 
Aspectos clínicos: 
 Sexo masculino 
 50-70 anos 
 Homogênea – mais frequente (menos malignidade) 
 Não-homogenea: 
 Eritroleucoplasia 
 Nodular 
 Verrucosa 
 
 Vários sítios na mucosa bucal: mucosa jugal (73%), língua e soalho (11%), rebordo 
gengival e palato (11%), lábio (3%) 
Transformação maligna: 
 0,13 a 17,5% - 3 a 10 anos 
Soalho e ventre de língua: 
 16% CEC 
 
Fatores de risco: tabaco ( numero, duração), álcool ( quantidade, duração, frequência) e 
idiopáticas 
 
Leucoplasia 
Conduta terapêutica: 
 Remoção agentes irritativos 
 Diagnóstico clínico – provisório 
 Biopsia incisional 
 Anatomo patológico – definitivo 
 Excisão cirúrgica 
 Anatomo-patológico 
 Acompanhamento clínico 
 Múltiplas biopsias – periódicas 
 Vit A, C e E 
 Laser dióxido de carbono 
 Beta caroteno 
Queilite Actínica 
 sinônimo: queilite solar e queratose solar 
 pele: queratose actínica 
 alteração comum do lábio inferior 
 exposição constante ao sol (UV) 
 acima 60 anos 
 relacionado com profissão 
 Lesão Potencialmente maligna 
 Co-fator : fumo 
 
Diagnóstico diferencial: 
 
 Ressecamento ou rachadura 
 Lesões herpéticas recorrentes em regressão 
 Hiperqueratose – mordiscamento 
 Ulceração – rugosidade - CEC 
 
Leucoplasia pilosa 
 Pacientes imunocomprometidos 
 Principalmente HIV + 
 Infecção oportunista pelo EBV 
 Mancha branca assintomática 
 Geralmente bilateral 
 Borda de língua 
 Superfície granulosa, espessa, rugosa 
ou pilosa 
 
 
 
 
 
 
Diagnóstico diferencial: 
 Hiperqueratose fisiológica 
– fator causal 
 Leucoplasia – única 
 Líquen plano – raro língua 
 Candidíase – destacável 
 
Conduta: 
 Biopsia incisional 
 Sorológico HIV – melhor 
 Aciclovir – regressão 
 
 
Língua pilosa 
 Alongamento difuso das papilas filiformes do dorso da língua 
 Geralmente associada a cândida 
 Fumo, antibioticoterapia prolongada, radioterapia 
 Coloração secundária: café, chá, tabaco 
 Recobrimento piloso, simétrico 
 Branco acinzentado ao negro 
 Mais espessa na linha media 
 Cede à raspagem 
Diagnóstico diferencial: não oferece muitas dúvidas 
 Candidíase – história, imunossupressão, antibiótico 
 Leucoplasia pilosa 
 
Nevo branco esponjoso 
 Condição genética que produz espessamento epitelial 
 Branco-rugoso 
 Simétrico 
 Historia familiar 
 Distúrbio genético raro 
 Autossômico dominante 
 Diagnóstico diferencial: disqueratose hereditária benigna intraepitelial 
 
Papiloma 
 Neoplasia Benigna do epitélio de revestimento bucal 
 Proliferação epitelial associada à infecção pelo HPV 
 Superfície verrucosa, esbranquiçada 
 Assintomático 
 Bem delimitado 
 Homens – mulheres 
 Qualquer idade, mais frequente 30-50 anos 
 Língua, lábio e palato mole 
 3% das lesões biopsadas na boca 
 
 
Papiloma escamoso 
 Nódulo exofítico 
 Geralmente pediculado 
 Único 
 Superfície verrucosa 
 
 Projeções semelhantes a dedos 
 Esbranquiçados, avermelhados, semelhante 
à mucosa 
 Crescimento rápido até 0,5 cm 
 Assintomático 
 Bem delimitado 
 
 
Carcinoma Epidermóide 
 Neoplasia maligna do epitélio de revestimento 
 Câncer de Cabeça e Pescoço 
 90-95% 
 11.000 novos casos no Brasil - 2003 
 70% Estádios clínicos III e IV 
 Aspecto esbranquiçado, irregular, assintomático, mal delimitado 
 
 Lesão Branca- Superficial 
 Deposição de material na superfície 
 Opacidade 
 Destaca-se amolecido / úlcera ou eritema 
 Rugosa, granulosa 
 Sintomática ou assintomático 
 Regride (cicatriza) 
 Localizada ou generalizadas 
 
 Candidíase Pseudomembranosa 
 Queimaduras Químicas 
 Úlceras 
 
Candidíase Pseudomembranosa 
 
 Forma de candidíase 
 Infecção aguda superficial 
 Crianças 
 Adultos com imunidade comprometida 
 Corticóide 
 Quimioterapia 
 AIDS 
 Doença debilitante aguda 
 Placas espessas brancas, difusas, puntiformes 
 Múltiplas 
 Língua, palato mole, mucosa jugal 
 Material opaco, textura rugosa ou gelatinosa