A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
89 pág.
AULAS ENDODONTIA

Pré-visualização | Página 4 de 28

sempre ser feito! 
 
1- Abertura Coronária: 
-É a fase operatória do tratamento endodontico que permite o acesso ao interior da cavidade pulpar através da remoção do 
teto da câmara, e a realização de desgastes compensatórios e extensões suplementares que permitam um acesso direto, 
amplo e sem obstáculos à toda extensão dos canais radiculares. 
-Ou seja, é a retirada do teto da câmara pulpar. É feito com brocas. 
-Devemos ter em mente que a câmara pulpar segue o formato do dente! 
 
* Etapas de Abertura: 
- Ponto de eleição 
- Direção de Trepanação 
- Forma de Contorno Veremos detalhadamente cada um destes itens na próxima aula. 
- Forma de conveniência 
- Limpeza da cavidade 
 
*Acesso Radicular: 
-É uma extensão da abertura coronária. 
-É a ampliação do inicio do canal radicular. 
 
*Localização e Exploração dos Canais: 
-Devo localizar os canais radiculares e com a lima fazer movimentos giratórios e de vai-e-vem. 
 
2- Odontometria: 
-É a obtenção da medida dos comprimentos dos canais. 
-Determinação, a partir da medida do comprimento real do canal, do comprimento de trabalho deste canal. 
-A odontometria pode ser feita de duas formas: 
 - Radiográfica 
 - Eletrônica (aparelhos medem eletronicamente o comprimento do canal, não necessitando do raio-x). 
 
-Raízes fusionadas, causam limitações na odontometria. 
 
REGRA: A ampliação do canal é feita até um mm da ponta (ápice) da raiz. Ou seja, até o limite CDC. 
 
 
3- Limite CDC: 
 
-É o limite Cemento-Dentina-Canal. 
 -Ele divide a cavidade em 2 regiões: O Canal Dentinário e o Canal Cementário. 
-O canal dentinário afunila-se no sentido apical. E o canal cementário abre-se no sentido apical. 
-É uma invaginação do cemento para dentro. 
 -Medida: Em média 0,5mm nos jovens e 0,7mm nos adultos. 
 
*Stop Apical: 
 -Também chamado de Batente Apical ou Matriz Dentinária Apical. 
 - É uma constrição abrupta separando a porção do canal ampliado, da porção não preparada, 
ou pouco preparada, preferencialmente no limite CDC. 
 -Ele é fundamental, pois serve para segurar o material obturador que foi condensado no 
canal. 
 -Ele torna a cavidade retentiva. 
 -Se eu passar com o instrumental para fora do forame apical, eu ampliarei o forame e perderei o degrau. Assim, o material 
obturador acabará extravasando! 
 Atenção: O Stop Apical é um degrau feito no final do canal radicular, a fim de reter o material obturador. Porém o chamamos 
de Stop Apical e não de degrau.Pois quando um canal fica com um degrau em outro local, esse degrau é um erro de 
manipulação! 
Então quando um degrau foi formado em local errôneo, o chamamos de degrau. Já o degrau feito intencionalmente, no final 
do canal radicular recebe o nome de Stop Apical. 
 
4- Preparo Químico-Mecânico: 
 
1- Etapa Mecânica: 
 -Irrigação (a irrigação com material químico “lava” a dentina, pois o material se difunde por ela) 
 -Instrumentação 
É a raspagem da dentina e ampliação do canal radicular 
 
2- Etapa Química: 
 -Substituição auxiliar de instrumentação 
 -Medicação intracanal entre sessões: 
 A medicação tem ação prolongada e é desinfetante. Se eu fizer o tratamento endodontico em uma sessão única, não 
usarei essa medicação. Hoje em dia, a medicação só é usada quando o CD não possui tempo para fazer toda a endodontia em 
um único dia. Ex. de medicação intracanal: Ca (OH)2. 
 
Sessão Única: 
-Biológica ou necrose sem lesão 
-Tempo suficiente 
-Ausência de sintomatologia 
-Necrose com lesão 
-Canal seco (Só posso obturar o canal, quando o mesmo estiver seco. Se houver exudato, devo obturar em outra sessão). 
 
Sessões Múltiplas: 
-Retratamento 
 
5- Tratamento de Dentes com Rizogênese Incompleta: 
-É muito difícil. 
-Não consigo criar o stop apical, pois a cavidade não é retentiva. Ao condensar o material, ele irá extravasar para a região 
apical. 
-Pequenos extravasamentos são aceitos pelo organismo, mas grandes extravasamentos o organismo não tolera. 
-Além disso, quando a raiz não esta totalmente formada, o forame é o oval e o cone de guta-percha circular; não havendo 
assim uma perfeita adaptação. 
-Por isso, o tratamento endodontico de dentes com rizogênese incompleta utiliza técnica e materiais totalmente diferentes do 
tratamento convencional. 
 
 
6- Isolamento do Campo Operatório: 
-Existem 2 tipos de isolamento: O Absoluto e o relativo. 
-Na endodontia deve se usar o isolamento absoluto, para que não passe liquido da saliva para o campo de trabalho e do 
campo de trabalho para a saliva. 
-O isolamento deve ser feito em todos os procedimentos endodonticos! 
 
* Vantagens: 
 -Controle Microbiológico 
 -Melhor visibilidade por ampliação do campo (mantém o paciente de boca aberta) 
 -Campo seco 
 -Afastamento dos tecidos moles 
 -Proteção dos tecidos moles (em endo usamos hipoclorito de sódio = Quiboa) 
 -Instrumento seco 
 -Evita aspiração e deglutição de instrumentos e substâncias. 
 -Evita conversas 
 -Aumenta o tempo útil de trabalho. 
 
*Desvantagens: 
 Não há nenhuma desvantagem em fazer o isolamento absoluto. 
 
-Tempo médio necessário para isolar um dente: 1,48 segundos. 
 
*Material e Instrumental Utilizado: 
 
 1: Arco plástico de Ostby (imagem ao lado) 
 
 2: Grampo 
-Deve ser colocado abaixo das bossas e ali permanecer; 
-Os 4 pontos (pontas) devem estar em contato no dente; 
-Arco deve estar na distal; 
-Verificar estabilidade antes da colocação do lençol; 
-Não deve prender a margem gengival; 
-Amarrar o grampo com fio dental para evitar asfixia; 
 
 ->Grampos (SS White ou KSK): 
->Dentes Anteriores: 210, 211, 212 
 
->Pré-Molares: 206, 207, 208 e 209 
 
->Molares: 200 à 205, 26 e 56 
 
Os grampos em destaque são os mais versáteis. 
 
-Qualquer grampo pode ser usado em qualquer dente, desde que se adapte neste dente! 
 
3: Lençol de borracha 
 -Deve ser de boa qualidade para não rasgar durante o procedimento 
 
4: Pinça perfuradora 
-Em endodontia geralmente utilizamos o furo de maior diâmetro da pinça porta perfuradora (pois vestimos o grampo). 
 
5: Pinça porta grampo 
 
Arco dobrável São itens que também podem ser usados no isolamento absoluto para endodontia. 
Sistema Handidam São sistemas opcionais (frescuras segundo o prof) 
Sistema Quickdam 
 
*Cuidados Preliminares ao Isolamento: 
 
1: Profilaxia e/ou RAP: Não adianta isolar um dente contaminado. 
 RAP: raspagem, alisamento e polimento. 
 
2: Teste do Grampo: O grampo deve ficar firme no dente. Além disso, devemos amrrar um fio dental nele, para não correr o 
risco do paciente engoli-lo. 
 
3: Avaliação dos Pontos de Contato: É feito com fio dental. Caso o fio se rompa/esfiape devo lixara cúspide em questão. 
 
4: Proteção do Paciente: Em pacientes alérgicos ao látex, devo usar um guardanapo com com furo no meio por abaixo do 
lençol de borracha. 
 
5: Reconstrução do Dente: Pode ser feito com CIV. 
 
*Técnicas de Isolamento: 
1 - Arco + Borracha + Grampo (tudo de uma vez só) 
-É a mais utilizada. 
-Depois de levar tudo em posição, com a pinça eu retiro a borracha de cima das aletas do grampo e, passo o fio dental na 
distal e na mesial. 
 
2 - Arco e borracha, depois o grampo. 
 
3 - Grampo, depois o arco e a borracha. 
 
Obs: O isolamento deve ficar apoiado no mento e recobrindo o nariz do paciente. 
 
23.04.13 Prof: Alexandre Heck 
Abertura Coronária 
 
É a fase operatória do tratamento endodontico que permite o acesso ao interior da cavidade pulpar, através da remoção do 
teto da câmara e, a realização de desgastes compensatórios