Análise Bem me quer
2 pág.

Análise Bem me quer


DisciplinaPsicologia e Psicossómática126 materiais3.110 seguidores
Pré-visualização1 página
FACULDADE BRASILEIRA MULTIX
CURSO DE BACHARELADO EM PSICOLOGIA
BETINA MARTINS
DANIELE CABRAL
NATHALIA FALCIN
VANESSA DEGASPERI
ANÁLISE E ARTICULAÇÃO TEÓRICA DO FILME \u201cBEM ME QUER, MAL ME QUER\u201d
VITÓRIA
NOVEMBRO/2016
Friedrich Nietzsche diz que há sempre uma loucura no amor. Mas alguns casos, porém, ganham dimensões insólitas. É o que a psiquiatria moderna identificou como Transtorno Delirante Persistente, subtipo Erotomaníaco ou Síndrome de Clèrambault [1921/1995]. Essa patologia tem início de forma súbita, primeiro se apaixona, depois faz as investidas neste amor, caso de Angelique, no longa francês \u201cBem me quer mal me quer\u201d. A personagem, uma estudante de artes, se apaixona por Loic um famoso cardiologista que por sua vez é casado e passa a comunicar esse amor por meio de mensagens cifradas, no caso ela deixa bilhetes sem assinatura, o que o faz pensar ser declarações de sua esposa. A Erotomania consiste numa ideia delirante, de ser amado por alguém de elevada condição social, ou de grande importância para o paciente que acredita que este alguém deixará tudo para se casar com ele, pode surgir para satisfazer a procura por experiências sexuais, talvez essa explicação seja vista de forma inconsciente como um objeto transferencial de amor em relação ao pai ou mesmo a mãe. Após repetidas rejeições, o paciente começa a retalhar o objeto de seu amor, vigiá-lo e procura manter conversas com interpretação delirante, no filme esse tema é bem apresentado, pois Angelique manda entregar constantemente presentes e bilhetes para o consultório, a fim de conquistar seu objeto de amor, envia uma cópia da chave de sua casa para que Loic possa visitá-la sempre que quiser, ela ignora o detalhe de que ele não tem a mínima noção de quem ela é, e aonde ela mora, esse ato resulta na separação do casal, tantas investidas faz com que sua esposa desconfie de que está sendo traída. 
Ao logo do filme Angelique apresenta ausência de alucinações ( a percepção real de um objeto inexistente), com delírios (é a convicção \u201cpensamento\u201d errônea não corrigível) persistentes e recorrentes, os delírios são apresentados a todo instante em seus diálogos com seus amigos, seus pensamentos estão voltados para esse amor que para ela é correspondido, através de um simples olhar ou uma carona, situações que fazem com que Loic se apresente como uma pessoa má que a maltrata por causa de sua esposa. Os fatos apresentados e defendidos por Angelique são tão realistas que seu amigo saí em sua defesa brigando com o cirurgião, que por sua vez apresenta-se confuso a história pela apresentação errada dos fatos.