A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
PSICOLOGIA CICLO VITAL

Pré-visualização | Página 10 de 13

det ermina o desenvol vimento 
psicológico. 
d ) A históri a de vida e o s componentes con stitucionais 
determina m o desenvol vimento psicológico . 
e) As rela ções familiares e as leis sociais são os principais 
determina ntes do desenvol vimento psicológi co. 
 
35- Em cada s ociedade, a ent rada na pube rdade ou na 
adolescên cia costuma estar culturalment e assinalada. 
De modo d istinto, cada cult ura estabelece 
a ) a obrigat oriedade d e vínculo de trab alho 
b ) a form a de ação frente ao luto 
c ) o iní cio da responsabilidade f amiliar 
d ) o moment o de abandon o da instabilidad e emocional 
 
 
 
 
 
 
 
e ) ritos de i niciação 
 
36- Segundo Jean Piaget , o sujeito epistêmi co é 
a ) o sujeito em si, indepe ndente do obj eto. 
b ) determin ado pelo objeto , no decorrer do 
desen volvimento. 
c ) cada sujeito do conhe cimento, tomado indi vidualment e. 
d ) o que é comum a todos os sujeitos do conhecimento. 
e ) idêntic o ao sujeito tra nscendental kantiano . 
 
37- No be bê não há conflit o entre o ego e o s uperego, uma 
vez que no recém-nascid o 
a ) nem um nem outro est á presente. 
b ) os dois estão presentes e há boa relaçã o entre eles. 
c ) apen as o superego está p resente, por essa razão não há 
conflito. 
d ) apenas o ego está pres ente, por essa raz ão não há 
conflito. 
e) só há id e superego, port anto e há harmoni a. 
 
38- Um do s aspectos centrais da teoria piagetiana 
funda menta-se na afirmati va de que o pensam ento infantil: 
a ) é est ruturado em confor midade com o ní vel de 
aprendiza gem escolar d a criança 
b ) tem seu curso determinad o pela hist ória pessoal dos p ais 
c ) encontra-se desvinculado do desenvol vimento da crian ça 
d ) é estrutural mente difere nte do pensam ento do adulto 
e ) reflete o meio cultural e social da criança 
 
39- Winnicott refere-se a duas etapas ou fas es de 
dependência na vida do be bê: a fase de de pendência 
absoluta e a fase de dep endência relativa. Segun do o autor , 
essas fases compreend em os sequintes pe ríodos, 
respectivament e: 
a) aproxima damente os pri meiros 6 meses e dos 6 meses aos 
24 meses 
b) aproxim adamente os prime iros 8 m eses e dos 8 meses aos 
24 meses 
c) aproxima damente os pri meiros 10 m eses e dos 10 m eses 
aos 36 m eses 
d) aproxim adamente os prime iros 12 m eses e dos 12 m eses 
aos 36 m eses 
e) aproxima damente os pri meiros 24 m eses e dos 24 m eses 
aos 48 m eses 
 
40- O iní cio da adolescên cia caracteriza -se pela(o) 
a) cristalização da personalid ade 
b) profunda transformação fí sica, cognitiva e social 
c) resolução de conflitos sexuais 
d) fortaleci mento das rel ações familiares
e) independ ência financei ra
_________ ________________ ___________ _______________ _________________ ____________ _________________ ________ 
Gabarit o Comentado Teo rias do Desenvol vimento 1
GABARITO COMENTADO SIMULADO SOBRE TE ORIAS DO DES ENVOLVIMENTO 
 
 
Confira suas respostas com calma, em um lugar tranqüilo. Tente incorporar os comentários abaixo da 
melhor forma possível. Marque suas dúvidas e discuta-as com os colegas, ou em sala de aula. 
 
1D- P iaget propôs uma teoria do desen volvimento cogniti vo ca lcado em e stágios. Observou qu e cr ianças est ão sempre bus cando 
organizar, inte rpretar e dar sentido as i nformações adquiridas do meio externo através de estrutu ras cognitiv as d enominadas de 
esquemas. O cres cimento cognitivo se dá através de dois pro cessos: assimila ção e acomodação. Assimilação é a inte rpretação 
de uma no va infor mação à lu z de esqu emas cog nitivos já exis tentes. Por out ro lado, aco modação di z respeito ao processo de 
modificação de um esquema mental já existente com objetivo d e incorporar uma no va informação. 
 
2C- Calcado no text o, as crianças ente nderam as reg ras do jo go, indi cando q ue elas são capaze s d e ent ender as pectos concreto s 
de regras e sua relações l ógicas (se . .. . então). No entanto, o pe nsamento a bstrato e hi potético, c aracterístico do estágio d as 
operaçõ es form ais, ainda não e stá desen volvido. D essa fo rma, como ess as crianças ainda não ating iram a fas e das operaçõ es 
formais, elas provavelmente s e encontram no estágio das opera ções conc retas. 
 
3C- Embora p ossam existir vari ações, o estágio das operações concretas compr eende aproximad amente a faixa etária entre 7 a 11 
anos d e idade. 
 
4A - A teori a d e Winn icott gira em to rno de processos d e desen volvimento d a cr iança. Para ele, o bebê vai de um p ólo de to tal 
dependência da mãe até estados e independênci a. Ao nasc er, o bebê nec essita de uma m ãe suficiente mente b oa c apaz de 
oferecer um “holding” adequado (am biente estável agradável e s eguro). A m ãe sabe o qu e é bom p ara o seu bebê por instinto e é 
capaz de compreender os gestos espontâneos da criança. Através desse relacio namento, a mãe suficientemente boa vai se 
adaptando à s necessidades do bebê. 
 
5C- De acordo com Winnicott, o desenvolvim ento normal de um indi víduo leva à formação de um “verdadeiro eu” (self 
verdadeiro ). Probl emas no relacion amento mãe-bebê ou relações sociais d e natureza hostil podem ameaça r o des envolvimento do 
“verdadei ro eu” . Nesse c aso, t em origem um “falso eu” (falso self) com o m ecanismo d e d efesa com objetivo d e pres ervar o 
“verdadei ro eu”. 
 
6E- De aco rdo co m Freu d, o des envolvimento da personalidade oco rre através de cin co fas es psicoss exuais: as fases o ral, anal e 
fálica (período do apareci mento do c omplexo de édip o), oco rrem d urante as primeiros ci nco a nos de vi da. A fase d e l atência 
caracteri za-se por um período d e calmaria que dura até a puberdad e, quando tem ori gem a fase genit al que completa o 
desen volviment o saudável da p ersonalidad e. A fixaçã o em u ma d eterminada fase pode res ultar em distúrbios de persona lidade, 
como por e xemplo o car áter or al (c aracterizado pel a passivid ade e d ependência) ou o car áter o ral (car acterizado pel a ord em e 
obstinação). 
 
7C- H os pitali smo é um t ermo utilizado a partir dos tr abalhos de Sp itz p ara designar o conj unto das pert urbações somát icas e 
psíquicas pro vocadas em crianças durante os p rimeiros 1 8 meses por um a p ermanência prolonga da numa i nstituição 
completa mente privadas da mã e, em que os cuidados lhes s ão di spensados de forma anôni ma e s em o estabelecimen to de um 
laço afetivo (por exemplo: hospitais ou orfanatos). A depressão anaclítica aparece progressivamente na criança que sofreu 
privação da mãe após ter ti do contato com ela, pelo menos durante os seis primeiros meses de vida. Dessa forma, o 
hospitalis mo consist e nu ma privação afetiva total, enqu anto q ue a depressã o a naclítica consis te n uma carência afe tiva parcial 
na criança que vinha se beneficiando de uma relação normal com a mãe. O hospitalismo t em co nseqüências duradouras e 
mesmo i rreversíveis, enquanto a depressão anaclítica pode cess ar quando a crian ça volta a encontrar a mãe. 
 
8C- De a cordo com Freud, o desen volviment o da p ersonalidade ocorre atr avés de cinco fases o u estágios psicossexuais. São elas: 
as fases o ral, anal e f álica, l atência e genit al. O estágio oral se car acteriza pelo prazer essencial é o de mamar. No estágio a nal, a 
criança se interessa pelas funções de excreção. O estágio fálico caracteri za-se pel

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.