A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Respostas - Análise do Documentário - Pro Dia Nascer Feliz

Pré-visualização | Página 1 de 2

Universidade Federal de Uberlândia
Faculdade de Educação - FACED
Curso: Ciências Sociais
Disciplina: Didática Geral
Professora: Camila Lima Coimbra
Nome: Víctor Rodrigues Nascimento Vieira
FILME: PRO DIA NASCER FELIZ
Ficha Técnica
Direção: João Jardim
Gênero: Documentário
País e ano de produção: Brasil/2005
Duração: 88 min.
Sinopse
Definido pelo próprio diretor como "um diário de observação da vida do adolescente no Brasil em seis escolas", Pro Dia Nascer Feliz flagra o dia-a-dia e adentra a subjetividade de alunas e professores de Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro. As entrevistas são intercaladas com sequencias de observação do ambiente das escolas - meio, por sinal, bem pouco frequentado pelo documentário. Sem exercer interferência direta, a câmera flagra salas de aula, esquadrinha corredores, pátios e banheiros, testemunha uma reunião de conselho de classe (onde os professores decidem o destino curricular dos alunos "difíceis") e momentos de relativa intimidade pessoal.
A partir das reflexões feitas em sala de aula, analise os seguintes aspectos:
Consegue identificar no documentário algum processo de ensinagem? Por quê? Onde? Descreva a cena e analise a partir do conceito trabalhado no texto de Anastasiou (2009). 
Tendo em vista que a sociedade brasileira passou por mudanças significativas em um curto espaço de tempo e que hoje a realidade dos alunos e dos professores não é a mesma que se tinha há algumas décadas, é necessário que o sistema educacional seja repensado. A peça chave, no contexto escolar, da mudança dos métodos de ensino e de aprendizagem é o professor, que deve estar ciente que educar, no contexto social contemporâneo, não é somente repassar conteúdo, mas também construir os saberes de um conjunto de pessoas por meio de um processo eficiente e contextualizado com o meio em que está inserido.
Dessa forma, para a construção do processo de ensinagem mais adequado à realidade escolar que se encontra, o professor deverá ser um estrategista.
“... o professor deverá ser um verdadeiro estrategista, o que justifica a adoção do termo estratégia, no sentido de estudar, selecionar, organizar e propor as melhores ferramentas facilitadoras para que os estudantes se apropriem do conhecimento.”
(ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos e ALVES, Leonir Pessate. (Orgs.) Processos de ensinagem na Universidade. p. 69)
Um dos prováveis processos de ensinagem existentes no documentário, ocorre em Itaquaquecetuba, no estado de São Paulo, onde encontra-se a Escola Estadual Parque Piratininga II que está localizada na periferia da cidade. Observa-se dentro da sala de aula uma atividade, que é uma discussão sobre a sexualidade e evidencia-se, nesse debate, aspectos sobre a ensinagem, pois alguns alunos estão na frente da turma falando sobre o tema, de posse de um texto e o restante da classe interage com as apresentadoras do tema e expressam suas opiniões.
A atividade da escola de Itaquaquecetuba é mediada pela professora, que atua dessa forma, construindo o saber dos alunos por meio da formulação de opiniões, análise crítica do tema e debate com o restante da turma. Observa-se que todos os alunos estão de posse do texto que está sendo tratado e sentem-se a vontade para debater o assunto.
Esse tipo de aula é chamada de Aula Expositiva Dialogada e faz parte de uma das estratégias do trabalho do docente no processo de ensinagem. Nesse formato de aula, os estudantes participam ativamente, interpretam e discutem o tema proposto.
A escola em questão teve um bom resultado no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), isso evidência que o processo de ensinagem adotado pelo corpo docente foi eficaz. As consequências desse sucesso no ENEM são positivas, pois o restante dos alunos fica interessado nas aulas porque dispõem de um ensino capaz de aprova-los no concurso e assim garantir a entrada em curso superior.
Apesar do sucesso de parte dos alunos no Exame, a escola enfrenta problemas quanto à disponibilidade e regularidade dos professores para ministrar a aula. Alguns dos professores justificam a falta dizendo que a carga física e mental a que estão sujeitos é desgastante, e muitas vezes não conseguem manter a regularidade nas aulas.
Na mesma escola, são desenvolvidas atividades em grupo, em que há a leitura de textos, juntamente com a professora, tirada de dúvidas e interação de todos os alunos do grupo. A atividade em questão tem o nome de “fanzine”, e os estudantes produzem textos e levam para as reuniões.
Em uma das reuniões do “fanzine” há a discussão do tema da homossexualidade e os alunos expõem experiências pessoais e debatem o tema que tem mediação da professora. O projeto é desenvolvido após o horário das aulas e estimula as atividades grupais que tornam possível aos estudantes um crescimento pessoal e global.
A atitude do professor enquanto mediador tem o objetivo de fazer com que os alunos desenvolvam habilidades de representatividade. O docente deve sempre explicitar aos alunos que a escola é o local de treino, da aprendizagem e que o erro serve para que seja possível a reconstrução do pensamento e uma forma de superação de dificuldades.
“Participar de grupos de estudo, permite o desenvolvimento de uma serie de papeis que auxiliam na construção da autonomia, do autoconhecimento do aluno, do lidar com o diferente, da exposição e da contraposição, do divergir, do sintetizar e do resumir, enfim, habilidades necessárias no desempenho do papel profissional...”
(ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos e ALVES, Leonir Pessate. (Orgs.) Processos de ensinagem na Universidade. p. 77)
A atividade em questão pode ser considerada um processo de ensinagem, pois como é retratado no texto de Anastasiou, esse método é um ato social que necessita da mediação de “outro” como facilitador da aprendizagem. O “outro” em questão pode ser o professor, os colegas, um texto, um vídeo, um caso a ser solucionado e até mesmo um tema a ser debatido, como foi evidenciado no relato acima de um trecho do documentário. 
Em termos de planejamento e avaliação. Qual reflexão faz a partir do filme? São dimensões da ensinagem presentes no documentário? De que forma? Por quê?
No documentário fica claro que, assim como existem no Brasil enormes desigualdades sociais, há também no sistema educacional brasileiro, grande disparidade, quanto ao ensino, à estrutura física das escolas, à condição financeira dos alunos e as necessidades dos estudantes em cada bairro, cidade, região ou estado. Dessa forma, o planejamento, entendido como “organização metodológica do conteúdo a ser desenvolvido pelos professores em sala de aula, baseado na necessidade e no conhecimento de mundo dos alunos, que por sua vez são os principais interessados e possivelmente os principais beneficiados com o sucesso nesse tipo de organização metodológica que visa o crescimento do homem dentro da sociedade” é extremamente importante. 
(GAMA, Anailton de Souza e FIGUEIREDO, Sonner arfux de. O planejamento no contexto escolar. p. 2)
Essa organização metodológica do docente pode ser encarada como uma das dimensões de ensinagem, pois o professor ao se deparar com uma realidade que venha a exigir um modelo de aula diferente deve gozar de certa autonomia para poder garantir o aprendizado dos alunos. Essa autonomia de que necessita o professor é tratada no livro de Anastasiou: “há a autonomia docente, que possibilita a implementação de estratégias diferenciadas, ainda que num nível de ação individual.”
(ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos e ALVES, Leonir Pessate. (Orgs.) Processos de ensinagem na Universidade. p. 73)
Observa-se que os contextos sociais, econômicos e culturais que são apresentados no documentário vão de um extremo a outro. Existe uma grande lacuna que se estende entre as escolas públicas e privadas, bem como a relação do jovem estudante com a escola, dando ênfase na desigualdade social e na multiplicação da violência.
Portanto, tendo em vista que algumas escolas passam por problemas de ordem cultural e familiar e outras