A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
AVA 2 TEORIAS DA PERSONALIDADE  - Universidade Veiga de Almeida

Pré-visualização | Página 1 de 1

Universidade Veiga de Almeida
Aluna: Natália de Morais Santos Mat: 20173300122
Rio de Janeiro, novembro de 2017
AVA 2
Consultoria de RH
Perfil e Personalidade indicados para cargos de liderança
As empresas estão passando por transformações em todas as áreas de
atuação. Grande parte dessas mudanças acontecem no relacionamento
organização-colaborador, por isso a necessidade de estudar e conhecer cada vez
mais a variante mas importante dessa equação: o ser humano.
Cada pessoa tem uma personalidade, que é composta por traços de outras,
mas sempre sendo uma predominante.
Quando a personalidade não é levada em conta na hora de empoçar alguém
a um cargo de liderança, problemas tendem a acontecer. Observe o caso de
Mirella, ela trabalha a muitos anos em uma multinacional que fabrica aço, possui um
currículo bom e até pouco tempo exercia a função de Coordenadora Geral do
Centro de Pesquisas de Qualidade. Ela recebeu a proposta de ser Gerente de
Projetos da multinacional em outro país.
Apesar de boa profissional, Mirella não se saiu bem no cargo, foi acusada de
praticas gravíssimas como racismo e intolerância religiosa, no fim de tudo, a
empresa passou a produzir 50% do que produziam antes de Mirella chegar, e o
índice de atestados médicos aumentou consideravelmente.
Dentro desse caso específico, qual foi o erro?
O erro inicial foi ignorar a recomendação da Gerente de RH que perguntada
se poderia indicar alguém para o cargo, sabiamente recomendou abrir uma seleção
interna para avaliar os possíveis candidatos. Kinon Aimazaki não ouvindo a Gerente
de RH, marcou uma reunião com Mirella, que era a seu ver uma excelente escolha
pra o cargo. Se a seleção tivesse sido feita, teria-se constatado que Mirella não tem
o perfil necessário para assumir a função. 
Estudar as personalidades no processo de recrutamento e seleção é tão
importante quanto ter os mais bem preparados profissionais em uma equipe. Não
adianta ter um líder muito competente (como era o caso de Mirella) se o mesmo não
consegue liderar. O líder deve ter algumas qualidades fundamentais a qualquer
cargo de chefia. São eles: Saber ouvir, ter empatia, ser prudente, saber
recompensar, ser humilde, ser flexível e etc.
Mirella não tinha muitas interações sociais em sua vida, muito possivelmente
também não tinha a necessidade de ouvir pessoas na hora de tomar decisões e
atitudes no trabalho ou até mesmo na sua vida pessoal, ela não soube lidar com as
pressões do novo cargo e quando questionada sobre isso, não reconheceu suas
falhas depositando toda a responsabilidade nos funcionários, o que mostra uma
grave questão, afinal liderar além de saber ouvir é reconhecer quando se está
errado. Os demais funcionários sentiram-se ameaçados pelo comportamento de
Mirella que só soube impor sem leva em conta as contribuições que cada um
poderia dar ao andamento do trabalho.
O ideal seria encaminhar Mirella ao profissional responsável, no caso o
psicólogo que teria que trabalhar nela a consciência dos fatos ocorridos, fazê-la
reconhecer os erros seria o primeiro passo, se Mirella não apresenta-se evolução, a
atitude a se tomar seria infelizmente afastá-la dessa função e abrir uma nova
seleção interna para encontrar um profissional adequado para a função.